.

.

.

.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Gente aos magotes que passa a vida a caminhar pela Vila de Alpiarça

Por isso é que estamos condenados, enquanto a CDU estiver no poder autárquico, a não passar da cepa torta! Já os outros estão a vir...quando nós conduzidos pela mão da CDU, estamos a ir!...
Por: F. Mariano
Soubemos há poucos dias pelas nossas estações de rádio e televisão de que a Câmara Municipal de Odemira criou um plano, ou digamos um "gabinete especial" para tratar do fenómeno "imigração". Tal como Alpiarça, o município de Odemira sofreu nos últimos anos uma verdadeira avalanche de imigrantes a somar àqueles que se encontram na região, já mais ou menos integrados, com trabalhos sazonais em searas, estufas etc. há uma ou duas décadas.
A Câmara Municipal de Alpiarça, apesar da constante preocupação manifestada pela população quanto à presença anormal e manifestamente exagerada de imigrantes que nada fazem, não moveu uma palha relativamente ao problema. Todos estamos conscientes que Portugal pertence à Comunidade Europeia e que, existe legislação no sentido da livre circulação de pessoas e bens entre os estados membros da CEE. Só que isto não impede a entidade administrativa de qualquer lugar da comunidade, de fiscalizar, saber quem são, de onde vêm e o que fazem, aqueles que se fixam na região sob a sua responsabilidade. A entidade administrativa Câmara Municipal, quando bem organizada, pode até fornecer indicações, aconselhamento, dados estatísticos a estas pessoas sobre as hipóteses de trabalho na sua área de jurisdição administrativa. Talvez se evitasse esta gente aos magotes que passa a vida a caminhar pela Vila de Alpiarça, rua abaixo rua acima, sem nada para fazer e à espera de um trabalho (?) que nunca irá chegar. Isto pode prolongar-se durante anos e, como é normal estas pessoas precisam de ser tratadas, alimentadas, cuidadas…de acordo com os direitos humanos e com os protocolos assinados entre os estados da comunidade. Só que para respeitar os direitos de uns esquecem-se os direitos de outros. Os portugueses que trabalharam no duro e fizeram os seus descontos durante décadas para que aos 65 anos usufruíssem da reforma (muitos, míseras reformas de 300.00€) terão, de acordo com a nova lei, de esperar mais UM ANO E 2 MESES (!) para que isso aconteça. Isto, se o cidadão ao chegar aos 66 anos + dois meses não aparecer outro qualquer político zeloso a dizer que o melhor é passar para os 67! Em que condições irão trabalhar muitos destes portugueses cansados, desgastados pela idade, doentes e muitos sem trabalho e sem qualquer direito a ajuda porque…fizeram sacrifícios na vida, pouparam, compraram uma casita para viver, amealharam, sabe-se lá a que custo, meia dúzia de tostões para uma eventualidade na vida, enfim…Estes coitados não foram tidos em conta nos protocolos humanitários. Não figuram na pauta do legislador. Uma tristeza!
Mas, voltando ao assunto da imigração e afins:
Pena que a Câmara Municipal de Alpiarça, diga-se o executivo da CDU, não consiga fazer nada de original. De sua livre e espontânea vontade. A sua grande preocupação é saber antes de tudo, se isso já foi feito em qualquer outro município. Se foi e não houve mortos nem feridos, então podem avançar devagarinho. Por isso é que estamos condenados, enquanto a CDU estiver no poder autárquico, a não passar da cepa torta! Já os outros estão a vir...quando nós conduzidos pela mão da CDU, estamos a ir!...


5 comentários:

Anónimo disse...

Uma fotografia bem tirada, sem dúvida. Estou a lembrar-me de um amigo morador em Alpiarça que foi falar com o responsável deste executivo para agir em conformidade com a lei uma vez que se sentia prejudicado por obras clandstinas feitas por vizinhos e o autarca mandou-o apresentar provas em como outras autarquias já tinham agido com sucesso em casos idênticos. Uma coisa realmente nunca vista e que este artigo bem retrata.

Anónimo disse...

Eu acho que cada um deve fazer figura por si sem se importar com aquilo que os outros fazem ou deixam de fazer. Desde que tenhamos consciência do dever, do que está certo e do que está errado, uma boa assessoria jurídica imprescídivel nestes casos e, queiramos realmente ser rectos cumprindo o nosso trabalho ao lado da lei, as atitudes dos outros não nos devem influenciar ou dizer respeito. A menos que se seja calculista e se viva em função daquilo que os outros pensam, dizem e fazem.
Mas isso aí já é outra história.

António Jorge disse...

Eu acho que está tudo bem e Alpiarça continua a ser um exemplo no Ribatejo... Um exemplo de isolamento, despreocupação, irresponsabilidade e desleixo de quem nos governa... Nunca mais chegam as eleições... Estão cansados e tudo dá muito trabalho?? Saltem fora e passem a pasta a outros...

Anónimo disse...

Passar a pasta? para quê? endividar mais a Câmara? em 12 anos foram perto de 13 milhões de euros, acham pouco? Dêem a maioria à oposição e depois queixem-se.

Anónimo disse...

Eu também acho que o melhor para Alpiarça é este sistema governativo dos comunistas. Alpiarça está hoje empenhada e com graves problemas culturais, sociais e outros devido aos malandros desses Socialistas que ousaram desenvolver o município. Mais, com os comunistas na autarquia sem aquele interregno de 12 anos, já estaríamos muito mais à frente! Se calhar, hoje já teríamos até um Vereador romeno no executivo a representar a classe operária dos ciganos romenos.