.

.

.

.

sábado, 31 de março de 2012

"Copianços" é que nunca mais!... - Dirão eles...ou melhor, elas.


Margarida Netto

A notícia do plágio feito à pressa e sem intenção levado a cabo pela Deputada do CDS/PP Margarida Netto para um jornal scalabitano, já anda por aí de mão em mão como as pombinhas da Catrina. O grupo parlamentar do CDS-PP, bem como a Comissão Política Concelhia do CDS/PP Santarém, já têm conhecimento do "copianço" mas ninguém se pronuncia, segundo é veiculado em alguns meios de informação.
Esta coisa dos e-mails, blogues e jornais online, tornam a notícia mais veloz que a própria sombra. Daí ter um efeito rápido e incontrolavelmente poderoso para o bem e para o mal.

Teresa Freitas
Neste caso, os plagiadores vão pensar duas vezes antes de querer botar figura com o trabalho dos outros. Mesmo que estejam "atrasados e sem tempo".

O preço a pagar pode ser altíssimo e ainda sujeito a juros de mora e outras alcavalas que a crise impõe.
"Copianços" é que nunca mais!... - Dirão eles...ou melhor, elas.




Por: Português.pt
Noticia relacionada:

A Assembleia do “Águias” e os “Ajustes de Contas”


Ao contrário do que afirma o comentarista, o “cronista” esteve presente na Assembleia e soube do “caldinho” entre Sónia Sanfona e Orlando Marques. Se não estivesse presente não sabia da estratégia de colocar em “cheque” os gastos e o “ataque” à direcção do clube quanto ao triatlo. O cronista também viu, porque soube:  "se as contas não estivessem nos conformes a noite iria ser como uma espécie da “Noite das Facas Longas” onde o “ajuste de contas” faria com que até os papeis se mexessem sozinhos. 
Mas a astúcia do “duo” bem cedo se apercebeu que afinal as “coisas” não eram como pensavam e vai daí: "meteram o rabinho entre as pernas" e aparentemente “fecharam-se em copas” para acabar por reconhecerem que as contas do clube "afinal até estavam melhor” do que julgavam".
E, ainda bem que assim foi!
Quanto ao comentarista dizer que o “cronista não esteve presente” talvez não passe de mais um “desabafo” seu como muitos por lá se ouviram.
Quanto às “demonstrações” que o comentarista faz nas suas afirmações estão correctas e espelham a verdade do que aconteceu que apenas são ditas de uma outra forma porque se preocupa em demonstrar aquilo que todos ficaram a saber e que já sabiam, excepto que: não se apercebeu das “jogadas nos bastidores” dos dois protagonistas que acabaram por não ter papel algum de relevo porque souberam “retirar-se do combate” na hora certa para depois inverterem a situação.
Manhosices dos políticos e de quem já se sentou centenas de vezes nas “bancadas do poder” tendo assim a “tarimba” que falta a muitos.
Passe bem e encerrado fique o assunto.
Notícia relacionada:

DESPORTO: Orlando Marques acabou por se “espetar na própria espada que empunhava”

A maior manifestação de sempre, garante a ANAFRE

A Associação Nacional de Freguesias diz que a manifestação de hoje é a maior de sempre na Avenida da Liberdade, em Lisboa, desde o 25 de Abril e conta 200 mil pessoas.
Milhares de pessoas com trajes típicos e bombos protestam contra a reforma administrativa que vai levar à extinção de muitas Juntas de Freguesia e transformaram a manifestação num desfile etnográfico.
O destino dos manifestantes foi a praça do Rossio, mas estava tanta gente que nem todos conseguiram ouvir as palavras do presidente da ANAFRE. Armando Vieira espera que esta demonstração de força leve o Governo a repensar a anunciada reforma administrativa.

"Resta-nos a expectativa que o legislador, em plena consciência e verdadeira convergência, entenda que o caminho a seguir não é por ali. Foi uma manifestação de grande afirmação cultural, etnográfica, demostrativa das raízes, da riqueza e da representatividade das freguesias. Foi uma grande lição de força e de humildade", disse.
O protesto é organizado pela Associação Nacional de Freguesias (Anafre) e realiza-se um dia depois de o grupo parlamentar do PSD ter apresentado uma proposta à Anafre segundo a qual os municípios podem fundir menos 20% das freguesias em relação aos critérios definidos inicialmente na reforma administrativa, que previa a agregação de 1.000 a 1. 500 destas autarquias.
«Rádio Renascença»

Joana Serrano daria uma óptima Presidente de Câmara?


 Joana Serrano (foto) exerce actualmente o cargo de Presidente da Junta de Freguesia de Alpiarça para o qual foi eleita democraticamente. Um mandato que lhe tem corrido de afeição já que tem feito algum trabalho que a dignifica sem ter tido necessidade de dar muito “nas vistas”.
Um “trabalho” que os alpiarcenses sabem qual como pode ser visto por todos.
 Retirada dos conflitos internos do partido que a elegeu e do qual faz parte, Joana Serrano tem sabido, como conseguido, levar a “água ao seu moinho” sem apoquentar quem tem as rédeas da concelhia salvo quando: deu uma entrevista a um semanário da região que na altura causou alguma polémica mas que não a “chamuscou no Centro de Decisões” da “Silvestre Bernardo Lima”, antes pelo contrário.
 Tem conseguido levar a efeito alguns melhoramentos e requalificações nas atribuições que lhe estão entregues por via de protocolo com a Câmara. Se mais não faz é porque o orçamento que tem de gerir não lhe permite grandes voos.
A Joana Serrano se deve a expansão do “Festival do Melão” como do “Festival de Música” do Patacão que no seu pouco tempo de existência tem vindo a ser um sucesso.
 Uma figura admirada pela maioria dos alpiarcenses por causa da sua posição e do alheamento que sabe manter quanto às disputas do partido mas que consegue dar a sua opinião em local próprio sem causar danos de maior e muito menos perder os princípios que defende para além da sua seriedade quer politica quer pessoalmente.
O cargo de “presidente” que exerce “abafa” um pouco a sua presença no exterior mas a população sabe dar-lhe o devido valor à “Presidente Joana” como é conhecida e tratada.
 Ser presidente da “Junta de Freguesia” é exercer o mandato na rectaguarda da Câmara, entidade esta que não lhe permite, como aos anteriores presidentes, ir mais longe e muito menos dar nas vistas. 
Fala-se um pouco mais de Joana quando algum evento da sua responsabilidade é levado a efeito ou a sua presença é obrigatória para outras vezes ser “criticada” por ser “ofuscada” pelos holofotes da autarquia como foi o caso da Apresentação pública do programa das comemorações “ABRIL Mês da Liberdade – Alpiarça 2012”
Tem feito trabalho meritório e realçado mas também sabe manter-se no silêncio quando as críticas não lhe são favoráveis ou podem prejudicar o PCP; o seu partido mas que acima de tudo exige a sua fidelização.
Fala quando deve falar, opina quando deve opinar e evita discussões na praça pública. “Esconde-se” no silêncio das palavras e retira-se quanto o momento não é aconselhável para contar com a sua presença.
Se lhe fosse dado mais poder e mais verbas poderíamos adiantar que muito mais podia fazer.
Das iniciativas que tem levado a efeito (já acima referidas) todas tem conseguido levar a “bom porto” sem nunca deixar de ouvir quem a elegeu.
É jovem, ambiciosa e astuta. Sabe até onde pode chegar como sabe qual o seu espaço. Se tivesse “carta branca” do seu “PCP” e se os políticos da terra apostassem na sua candidatura para presidente da Câmara muito ficaria a ganhar o partido como “esquecida” ficaria a inoperância do actual presidente da Câmara, Mário Pereira porque com quase toda a certeza que Joana Serrano nunca permitiria que o desaire que tem sido o mandato do actual executivo da CDU servisse como “tema” para discussão na Praça Pública.
O PCP ficava com a “cara lavada” e pouco se falaria naquilo que agora serve de “falatório” contra o PCP e os seus eleitos.
Talvez com a candidatura de Joana Serrano o PCP/Alpiarça contribuísse para que Mário Pereira saísse pela “porta grande” o que em contrário dificilmente acontecerá


DESPORTO: Orlando Marques acabou por se “espetar na própria espada que empunhava”


Então parece que  na Assembleia-geral do “Águias” a Sónia Sanfona coligada com o Orlando Marques (Secretário da Junta de Freguesia) viram a sua “estratégia” de irem atacar o triatlo e a direcção do “Águias” por água abaixo.


Orlando Marques
Foi ver o Orlando a pôr o “ rabinho entre as pernas” e abandonar a Assembleia Geral quando percebeu que se “ espetou na espada que empunhava” e a Sónia Sanfona quando percebeu que afinal tudo estava bem e o Clube afinal até estava melhor do que queria aparentar, fechou-se em copas antes que dissesse ainda mais disparates.

Os "refolhos d’alma" e a ASAL

O Sr.(a) continua numa de ofensa verbal reaccionária como dono da verdade absoluta (ler: Às vezes os milagres acontecem para que não haja m...).
Invariavelmente neurótico, o enfermo indivíduo que assim age, vitimado quase sempre pela repressão sexual infantil ou, dominado pela sede do poder e da ambição, vive a competir com os demais, os quais passa a invejar por se encontrarem em melhores situações psicológicas que a dele, podendo em certos casos até aceitá-los enquanto os manipulam, tirando dessa forma proveito da situação, até que se ergam, quando então mostram suas garras nas lutas com os recursos da tirania e da insensatez. A vingança é transtorno neurótico soez, que liberta do inconsciente as forças desordenadas que jazem aí adormecidas, irrompendo com ferocidade e ligeireza sob o estímulo do aniquilamento do inimigo.
Curioso é notar, que o inimigo não é aquele que se torna combatido, mas o inconsciente transfere dos refolhos d’alma a inferioridade do seu Ser, que é inimigo do progresso, do bem, da ordem, para atirar noutrem, em fenómeno de projeção e que guarda internamente, detestando-o.
Ao armar-se de calúnia e de outros mecanismos de perseguição, contra aquele a quem odeia, está realizando uma luta inconsciente contra si mesmo, pois que está apenas projetando o lado escuro e sombrio da sua personalidade que se lhe mantém preso à ignorância.
Fixa-se no adversário com implacável disposição de conseguir a sua extinção, do que para ele dependerá sua liberdade a partir desse momento em diante. Assim transtornado aplica-se com empenho em emitir ondas deletérias contra o outro, estabelecendo uma comunicação psíquica, se encontra receptividade em quem lhe padece a perseguição, que termina por minar as forças daquele que considera seu opositor.
Além da inferioridade moral que tipifica o vingador, o seu primarismo emocional elabora razões ponderadas que são arquitetadas pala mente em desalinho, para justificar o prosseguimento da façanha, nascidas no inconsciente pessoal profundo, que remanescem de outras existências no Eu profundo do Ser, quando se desarmonizou com o opositor que ora enfrenta e desafia para o duelo covarde.
Em outras oportunidades, em que sua inferioridade se projeta, e não se sente devidamente capaz de competir contra valores significativos que não possui, cultiva internamente a antipatia que se avoluma a cada dia, transformando-se em fúria incontrolável que somente se aplaca quando está lutando contra aquele que o atormenta mesmo que este não saiba, que nada tenha contra ele, pois que até ignora a situação infeliz de seu oculto adversário.
Se por acaso, tiver a oportunidade de se harmonizar com o inimigo, não o perdoa interiormente, embora, seja na verdade, o maior merecedor de perdão ruminando o que considera sua derrota, até encontrar novos argumentos para dar prosseguimento à sanha doentia de vingança, impelido pela sua libido atormentada.
Aqueles que se apoiam em mecanismos vingativos sempre foram vitimas de repressão infantil e juvenil, sentiram-se desprezados pelo grupo social e transferem agora suas frustrações para quaisquer outros, desde que isto lhes transformem em pessoas portadoras de poder e ambiciosos dirigentes de qualquer coisa, em que a personalidade doentia passa a ser homenageada, fruindo de destaque, embora a conduta esquizóide, maneirosa, falsamente humilde, ou pretensiosamente dominadora.

NR: Tendo em atenção o teor de linguagem que está atingir este “debate de ideias” os comentários referentes ao tema da ASAL deixarão de ser elevados a post

Às vezes os milagres acontecem para que não haja mentalidades que parecem ser jurássicas

Eu bem dizia, um burro informado é menos burro (Métodos antiquados do autoritarismo). Teria de me dar razão, mas não queria que expusesse de uma forma tão óbvia a sua burrice, ou as suas más intenções.
Foi você que falou da ASAL, mas agora vem reconhecer que não sabe o que é a ASAL, não sabe onde fica a sede da ASAL e não sabe quais os requisitos exigidos para ser membro da ASAL.
Então está a falar do quê?
O comentário, como se vê, não foi ofensivo. Foi jocoso, e a julgar pela sua resposta, até foi suave. Quando você opina sobre questões que reconhece não conhecer, e da forma como o faz, com intenções óbvias, falar em burrice é brandura. Mais do que falta de inteligência, é falta de carácter.
Você lá sabe porque levou os castigos corporais na escola pública e pelos vistos não lhe serviram de muito.
Ao que sei, há inúmeros "seniores" que "ajustados", procuraram informar-se sobre o que era a ASAL, onde era a sua sede e quais os requisitos para ser membro, e por isso a frequentam, contentes da vida e com vontade aprender sempre mais.
E quanto a manipulação psíquica, há coisas mais interessantes para manipular que psiques transtornadas. Penso mesmo que na ASAL haverá disciplinas em que se privilegia a actividade manual.
Tenha um bom dia, e se for sénior de idade (de mentalidade parece ser jurássico) informe-se sobre as actividades da ASAL.
 Ás vezes os milagres acontecem.

POLITICA: João Brito coloca o “dedo na ferida” porque “as ideias políticas só prejudicam” Alpiarça



Na longa entrevista que João Brito, Deputado Municipal pelo PSD na Assembleia Municipal de Alpiarça deu a um semanário regional afirma o mesmo  a determinada altura que a “população de Alpiarça” são “pessoas de bem” mas o seu lamento é de não votarem no “PSD” porque as “ideias políticas dos alpiarcenses prejudicam o concelho”.
Não deixa de ter uma certa razão porque os alpiarcenses em vez de se preocuparem com os interesses e com o desenvolvimento da sua terra colocam primeiro os interesses do partido, que segundo o entendimento de João Brito mais não é do que o PCP.
O Deputado põe ainda o dedo na ferida ao acusar os “interesses do partido” porque as “ideias políticas dos alpiarcenses prejudicam o concelho” mesmo puxando a ‘brasa à sua sardinha’ porque  “ não votam no PSD”.
Votar no  PSD, no PCP ou no PS, João Brito não deixa de ter alguma lógica nas suas declarações porquanto os alpiarcenses deveriam era preocupar-se em encontrar as pessoas certas ou  capazes de fazer alguma coisa por Alpiarça e não os candidatos que apenas se limitam  seguir as directrizes partidárias contribuindo assim para o marasmo que teima em não deixar de apoquentar Alpiarça.
Enquanto os alpiarcenses não mudarem de rumo e esquecerem os “interesses do partido” dificilmente Alpiarça conseguirá andar para a frente.
 Para que isto aconteça há que encontrar as pessoas certas e competentes mas essencialmente aquelas que tenham um pouco de visão de forma a que se mude as mentalidades como façam  esquecer os interesses do partido, que não beneficiam ninguém, excepto aqueles  que defendem prioritariamente os interesses partidários como os boys que alimentam e tudo fazem para que: acima e à frente de tudo e de todos esteja sempre os interesses do partido.
https://www.facebook.com/antoniocenteio


Exportações portuguesas para a China aumentam mais de 70 por cento ao ano

 A exportação de tecidos portugueses para a China está aumentar "70 a 80 por cento ao ano", respondendo ao "enorme crescimento" das marcas chinesas que procuram diferenciar-se pelo design, disse hoje à agência Lusa uma responsável do setor.
"A confeção na China é mais barata, mas a nossa matéria prima e o que nós temos para oferecer - design, moda, inovação, qualidade e serviço - é um valor acrescentado", afirmou Sofia Botelho, diretora da Seletiva Moda, o organismo da Associação de Têxteis e Vestuário de Portugal encarregue de promover o país nas feiras internacionais.
Parte dessa "oferta" esteve patente na última edição da "Intertextile Pequim", um dos mais concorridos certames do setor na Ásia, organizado pela Messe Frankfurt, e que contou, pela primeira vez, com um pavilhão de Portugal.
«Lusa»

Métodos antiquados do autoritarismo


O senhor (a), como não consegui fundamentar uma resposta sobre uma uma opinião divergente da sua, vem com os métodos antiquados do autoritarismo colocando de parte a questão do respeito e da liberdade.Obrigando-me a lembrar-lhe quando os professores das escolas públicas aplicavam castigos corporais aos alunos. Aqui a sanção por "desobediência" não é o castigo corporal, mas de levar consigo a sensação de não estar "ajustado", de não agir como os demais. A autoridade anónima emprega a manipulação psíquica.
O seu comentário ofensivo não me afecta, ou seja, penso que é um bom comportamento de um membro da ASAL?
1º- O que é a ASAL?
2º- Onde fica a sede da ASAL?
3º- Quais os requisitos exigidos para ser membro da ASAL?

Noticia relacionada:
"Só mesmo um burro poderia lembrar-se que a ASAL é ...": 

sexta-feira, 30 de março de 2012

A alegação é: "está tudo nas mãos do PCP"


Tenho visto por aqui um ataque demolidor a tudo o que mexe em Alpiarça. Primeiro só atacavam tudo o que cheirasse a "comunista", já se perdeu a vergonha e ataca-se a ASAL, os Escuteiros e tudo o que é colectividade: Águias, Música, Dadores de Sangue etc., etc., alegando que está tudo nas mãos do PCP. 
Mas vamos por partes: todas estas colectividades ou associações do concelho não são instituições democráticas com eleições bienais ou trienais? Os sócios não são livres de constituir listas alternativas aos corpos gerentes instalados na data das eleições? Então porque não se constituem em listas alternativas? Ah pois é: é que trabalhar à borla em prol da colectividade não está nos objectivos de muita gente que vem para a blogosfera criticar as colectividades de Alpiarça.
Não posso porém de deixar uma pergunta no ar: PORQUE ANDA TUDO TÃO CALADINHO SOBRE A FUNDAÇÃO JOSÉ RELVAS ONDE JÁ NÃO SE REALIZAM ELEIÇÕES HÁ PELO MENOS SEIS ANOS? SERÁ AQUILO UMA DITADURA DO PS OU ESTARÁ NAS MÃOS DOS VERDADEIROS HERDEIROS DE JOSÉ RELVAS? 
Ah pois:  há por aí um senhor que no início dos anos 90 começou a criar um enorme PROJECTO DE PODER PESSOAL e teve Alpiarça na palma da mão durante 12 anos. Mas a TETA SECOU e foi muito melhor ir fazer turismo!

Muito se escreveu neste blogue sobre o triatlo em Alpiarça

Há dias, muito se escreveu neste blogue sobre o triatlo em Alpiarça.
Agora, que surge esta oportunidade, e depois de ter consultado o site da Federação de Triatlo de Portugal, fui ver a lista de atletas convocados para as Taças da Europa de Triatlo.
Em elites masculinos, dos 14 atletas convocados, 2 são dos Águias de Alpiarça.
Em juniores masculinos, dos 13 atletas convocados, 4 são dos Águias de Alpiarça.
Em juniores femininos, das 8 atletas convocadas, 6 são dos Águias de Alpiarça.
No total, dos 26 atletas convocados para as Taças da Europa, 12 são dos Águias de Alpiarça, o que representa 46% dos atletas convocados para a seleção.
Quase metade.
Para mim, que não tenho nada a ver com os Águias (para além de pagar a minha quota), e muito menos com o triatlo, é um motivo de orgulho.
Vou estar com atenção, para ver o número de vezes que o nome de Alpiarça aparece na televisão.
Noticia relacionada:

Só mesmo um burro poderia lembrar-se que a ASAL é um grupo fechado à sociedade

Um burro é sempre um burro, mesmo que doutorado honoris causa por uma qualquer universidade, ou licenciado por uma universidade de amigos, com exames ao fim de semana e por correspondência.
E quando um burro perora de cátedra choram as pedras da calçada, ainda que muitas chorem a rir.
Só mesmo um burro poderia lembrar-se que a ASAL é um grupo fechado à sociedade. Só pode ser burro, e as olheiras tapam-lhe o discernimento.
E quanto aos escuteiros, então, nem vale a pena comentar.
Ao menos informe-se - um burro informado é menos burro.
Noticia relacionada: 

Mais de metade das famílias não paga IRS

 São cada vez menos os agregados que conseguem suportar uma carga fiscal sucessivamente mais pesada.
Os números da Administração Fiscal, citados na edição  do 'Correio da Manhã', mostram que, do total de famílias com rendimentos declarados em 2010, mais de 57% não pagaram o IRS. No ano anterior, tinham sido 56,8%, pelo que houve um agravamento.
A receita tem subido à custa da classe média. Do total de famílias que acertaram contas com o Fisco, 86% declararam ter um rendimento bruto inferior a 50 mil euros por ano, contribuindo com 37,2% de todo o imposto liquidado.
Já aqueles que ganhavam mais de 50 mil euros por ano representavam 14% do total das famílias que declaram IRS, contribuindo com 62,7% de todo o imposto liquidado. Entre os contribuintes com rendimentos acima de 250 mil euros por ano, a queda foi de 7,7%.
Ainda assim, os dados da Direcção-Geral do Orçamento revelam que, no ano passado, a receita de IRS cresceu 9,6% para 9,7 mil milhões de euros.
« Económico»

Assista ao Triatlo de Alpiarça - Sábado 31/03 - na RTP2

Veja o Triatlo de Alpiarça / Tecnorém a partir das 16H20 do próximo sábado, 31 de Março, no ProgramaDesporto2 da RTP2.

«CMA»

CULTURA: Em termos “culturais” onde está Mário Pereira também está Nuno Prates


Mário Pereira

Era vê-los bem juntos apreciando o espólio do extinto museu etnográfico da Casa do Povo de Almeirim quando da inauguração do Museu Municipal de Almeirim.
Mário Pereira, presidente da Câmara de Alpiarça e Nuno Prates, Conservador da Casa Museu dos Patudos nunca se distanciaram como comentaram juntos as obras expostas.
Para além de ficarem a saber como se projecta um “museu municipal” ainda ficaram a conhecer o projecto do conhecido museólogo António Nabais, autor e coordenador deste museu almeirinense.
Quem sabe se o presidente e conservador não trouxeram ideias para colocar em marcha o Museu Etnográfico de Alpiarça que teima em não abrir mesmo depois de encontradas as peças que estavam “esquecidas e abandonadas pelo executivo do PS”.
Nuno Prates
 Nuno Prates deve ter apresentado ideias e dito ao edil que o “Nabais é um especialista nestas coisas de museus municipais” para o aconselhar ao mesmo tempo que ”é a pessoa indicada para projectar o museu alpiarcense”, tendo-lhe provavelmente respondido, Mário Pereira, que “é um assunto para estudar”  porque  não pode ser levado  à prática, por enquanto, caso contrário, teria que “dar mais emprego a alguns  boys do partido” que nesta altura do campeonato não é nada aconselhável.
António Nabais, um conhecido museólogo, é autor de muitos projectos municipais, nomeadamente de: Cartaxo, Seixal, Campo Maior, Fátima, Guarda, entre outros .

Quem disse que só Alpiarça tinha políticos plagiadores?


 Teresa Freitas, na falta de inspiração, ficou-se apenas pelos bons ofícios da igreja. Agora, plagiar uma Proposta de Lei? É obra!

 Parafraseando…”A seriedade de um político até se pode ver pela sua escrita.”
Quem disse que só Alpiarça tinha políticos plagiadores? Teresa Freitas, na falta de inspiração, ficou-se apenas pelos bons ofícios da igreja. Agora, plagiar uma Proposta de Lei? É obra!
Respigamos aqui uma notícia publicada recentemente num jornal regional:
“Margarida Netto (na foto), deputada do CDS/PP eleita pelo distrito de Santarém, assinou um artigo de opinião num jornal regional onde o texto é uma cópia quase integral da proposta de lei nº 44/XII, precisamente o documento que sustenta a polémica reforma administrativa do território.
Mais do que defender com ideias e palavras da sua autoria as intenções do governo, a deputada socorre-se quase na íntegra de frases e expressões constantes no documento que foi apresentado na Assembleia da República.
No artigo de opinião, publicado no dia 23 de Março na coluna “Correio do Parlamento”, no jornal Correio do Ribatejo, a deputada altera sensivelmente o início de alguns parágrafos, mas o corpo do texto é quase “ipsis verbis” o que se pode ler na proposta de lei.
No final, a assinatura que aparece é a sua.
A questão foi detectada pelo PS e o assunto já corre a blogosfera política do distrito.
Contactada pela Rede Regional, Margarida Netto diz ter sido “completamente apanhada de surpresa” com esta polémica, e considera que o caso se resume a um “mero aproveitamento político por parte de outro partido”.
“Recordo-me que fui lembrada quase em cima da hora para redigir o artigo, e não acho que seja plágio ou que seja assim tão grave usar frases de uma proposta de lei com a qual concordo e defendo em absoluto”, explica Margarida Netto em relação ao texto, acrescentando que não foi sua intenção tornar seu o conteúdo do documento ou enganar os seus leitores.”
Por: Xico Frade
Noticia relacionada:

quinta-feira, 29 de março de 2012

Que sentido fará, atribuir espaços gratuitos a associações ou actividades que movimentam milhares de euros?


 A cedência de um espaço público é um acto de gestão que deveria ser o mais transparente possível.
Nada como abrir uma espécie de concurso público, com conhecimento a toda a população e os espaços deveriam ser cedidos a quem se candidate, e apresente a maior taxa de mais valias (culturais, desportivas, filantrópicas) para o concelho.
Tem também de ser equacionada a taxa de ocupação e frequência que os espaços cedidos pela câmara têm.
Que sentido fará, atribuir espaços gratuitos a associações ou actividades que movimentam milhares de euros?
Há também que apurar e publicar todos os espaços camarários que estão atribuídos a entidades não públicas.
Analise-se por exemplo se as salas atribuídas na Escola Visconde Barroso ou no 1º andar do Mercado Municipal estão correctamente atribuídas e a justificar a utilização de um bem público.
Interessaria também saber se quem acordou pagar verbas pela cedência dos espaços se está a cumprir.
No meu entender, esta é uma questão que antes de haver novas cedências deveria ser analisada profundamente.
Espero ainda que nos contratos de cedência de espaços fique ressalvado o direito de futuros executivos decidirem se as cedências são efectivamente de interesse público.
Não podem ficar dúvidas de favorecimento a terceiros independentemente dos executivos partidários.
Noticia relacionada:

O belo espaço da "Escola das Faias"

 Este belo espaço deverá ser aproveitado para um Centro cultural de Juventude. Com o apoio da Autarquia e com a colaboração do IPJ (Instituto Português da Juventude). Tendo como objectivo permitir ao jovens do concelho uma ocupação saudável dos tempos livres,desenvolvimento cultural, recreio e convívio, orientação psicopedagógica, social e profissional, cursos de formação profissional e complementar, entre outros, contribuindo, assim, para a formação integral dos jovens e familiarização com as mais recentes tecnologias da comunicação e informação. Direccionado nas áreas da:
Música
Dança
Teatro
Desenho e Pintura
Escultura
Gravura e Serigrafia
Astronomia
Cerâmica
Fotografia
Audiovisuais
Informática
Línguas
Noticia relacionada:
"Era um vez a ….”Escola das Faias”?":

Que é feito da “Comissão de Geminação”?


Alguém sabe explicar quais os resultados levados a efeito e obtidos pela denominada “Comissão de Geminação” de Alpiarça ou quais as contrapartidas das deslocações de alguns membros da dita comissão que beneficiaram Alpiarça como dos contactos que se efectuaram?
As lembranças que foram oferecidas, quando da deslocação dos respectivos membros, que possivelmente foram: Vinhos da “Agroalpiarça” ou alguns “S de Alpiarça” trouxeram ou deram ao concelho algum beneficio ou será que  a “Comissão de Geminação” é  mais um comissão com um nome todo pomposo mas que conta apenas com a participação activa de alguns ilustres?
Ou existirá apenas a dita comissão para “premiar” periodicamente, com alguma viagem quem dela faz parte, como fez a “Águas de Santarém” que acabou de premiar a sua directora – Marina Ladeiras – com a deslocação a um congresso na Coreia do Sul, como se as águas da capital tenham alguma coisa a haver com o passeio que vai custar um "nota preta" ao erário público?
Da “Comissão de Geminação” fazem parte:
Presidente - Mário Santiago
CDU
- Vitor Cardoso
- João Vasco Peixinho
- Marie Pimenta d'Aguiar
PSD
- João de Brito
PS
- Graciete de Brito
- Paulo Duarte Sardinheiro

Apresentação pública do programa das comemorações “ABRIL Mês da Liberdade – Alpiarça 2012”


No passado dia 26 de Março, o presidente da câmara municipal de Alpiarça, Dr. Mário Pereira, apresentou publicamente e em conferência de imprensa o programa oficial das comemorações do 25 de Abril.

Queremos que o 25 de Abril seja um movimento de reflexão colectiva das conquistas históricas do povo português, numa conjuntura em que as pessoas e os seus direitos estão a ser alvo de uma ofensiva alargada em nome da crise económica. Este alargamento das comemorações desta data simbólica serve para contrariar a lógica da perda de direitos e de regressão dos valores da liberdade”, afirmou o presidente da câmara.
Estas comemorações terão os custos adequados à realidade financeira do país e da câmara de Alpiarça, são celebrações coletivas com baixos custos, mas que envolvem toda a comunidade. Esta forma de organização em parceria com o movimento associativo é também uma forma de combater os ataques ao poder local e a ideia de que ele é despesista e é a prova do que conseguimos fazer com a racionalização de meios. O programa promove o encontro dos alpiarcenses e de todos os que nos queiram visitar”, frisou Mário Pereira.
Este ano as comemorações do 38.º aniversario de Abril, vão decorrer de 31 de Março a 29 de Abril, num vasto programa que abrange cerca de três dezenas de eventos e que vai envolver o movimento associativo e várias instituições sociais do concelho.
A abrir o programa das comemorações, um festival de Bandas de Alpiarça, assinalando o Dia da Juventude.
A realização da 19ª Feira do Livro de Alpiarça encerra o programa oficial das comemorações do 25 de Abril.
De realçar a sessão solene da Assembleia Municipal de 24 de Abril, onde para além das intervenções dos representantes dos vários órgãos autárquicos e de um espetáculo musical "Abril 38" - com Banda e Orfeão da SFA 1.º de Desembro, serão entregues as Medalhas da Liberdade do município.
Para além do Festival de Bandas, da Feira do Livro e da Sessão Solene da Assembleia Municipal, e organizadas pelo movimento associativo e por várias instituições sociais do concelho, irão decorrer durante o mês de Abril atividades para todos os gostos, da cultura ao desporto: dádiva de sangue, ciclismo, cicloturismo, atletismo, caminhadas, prova de orientação, sarau de ginástica, visita guiada aos sítios arqueológicos, projecção de filmes e encontro de folclore.
«CMA»

UM " REPTO" PARA OS DEPUTADOS DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL


 É um direito que lhe assiste, tal como também não tenho o dom da razão, e acredito e aceito que melhores opiniões ou ideias possam surgir, mas permita-me que repita: chega de entregar o que a todos pertence, sem que pelo menos seja comunicado à população.
 E como repto, para os eleitos que estão na Assembleia Municipal: porque não instruir a Câmara para que TODOS os protocolos de cedência de espaços municipais sejam previamente dados a conhecer à população, com um prazo mínimo de 30 dias para discussão pública?
 Para que a população possa aferir das condições, dos prazos e demais encargos inscritos nas cedências. E depois: os grupos ou demais ajuntamentos ficarão sobre escrutínio da população, e evita-se assim, o que muito bem escreveu, o uso obriga a deveres.

A "Asal" não passa de de um grupo fechado à sociedade

 A Asal não passa de de um grupo fechado à sociedade. É lamentável como os os dinheiros púbicos são utilizados, ou seja, no fim de a referida escola ter sido requalificada, construída uma nova cantina foi fechada!
Penso que a Asal e os Escuteiros não merecem este belo espaço, que poderá ser utilizado em prol da comunidade e não a pequenos grupos restritos que já tem o seu espaço!
Noticia relacionada:
"Era um vez a ….”Escola das Faias”?":

A ignorância é atrevida.

Os escuteiros não participaram em anteriores iniciativas, porque estavam ausentes em atividades fora de Alpiarça. Que eu ninguem tem o dom da ubiquidade. 
Ainda no dia 24/03/2012, grande parte dos podiam participar, estavam fora numa atividade regional. 
Falem, mas falem com verdade, não misturem escuteiros com politica. Só faltava agora começarem a embirrar com os escuteiros.
O objetivo da participação dos escuteiros, no Limpar Portugal, foi apenas sensibilizar os miudos para este tipo de questões, não tinham a pretensão de limpar todas as lixeiras de Alpiarça. Politica, brigas, questões pessoais, lá passam ao lado.
É curioso, em Alpiarça, em vez de se acarinhar o que existe e propor correções ao que está mal, entra-se na destruição pura e dura.
Quem tiver alguma questão a tratar com os escuteiros, pode sempre dirigir-se à sua sede, no Mercado Municipal, aos sábados, a partir das 16h e conversar com qualquer elemento. As atividades recomeçam depois da Páscoa.
 O 1301-Alpiarça, tal como outra associações da nossa terra, quando soube que a escola das Faias estava desocupada, pediu esse espaço. Por o considerar bom para as suas atividades. Cabe à Câmara Municipal atribui-lo a quem achar melhor. É uma decisão de cariz politico e que lhes cabe. Quanto ao espaço que o 1301-Alpiarça, ocupa no Mercado Municipal, o mesmo encontra-se cuidado e foi amplamente melhorado pelos escuteiros, sem a Câmara gastar lá dinheiro, tendo-se gasto lá muitas noites. Se tiver duvidas dirija-se lá e veja você mesma, as portas estão abertas para quem queira lá ir. Que eu saiba quase todas as tardes de sábado, quando não todo o fim de semana e algumas noites de semana, há lá gente e o portão do topo da escada está aberto. 
Noticia relacionada:
 O “1301” (Grupo de Escuteiros) a fazer a manutençã...":