.

.

.

.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

«Álvaro Cunhal é uma personalidade marcante, em Portugal e no mundo.»



Ajudas na manhã...

depois de leituras antes de adormecer:

"Unidade de movimentos não significa identidade de objectivos. Mal foi terem-se alimentado ilusões. Homens que se encontram e resolvem caminhar juntos não se tornam, por esse facto, irmãos gémeos. Pela mesma razão por que aglomerados aliados numa etapa dum movimento transformador se não fundem num só aglomerado. Muitas vezes marcham a par camadas da população, cujos interesses coincidem num movimento, mas que os destinos históricos virão a separar (...)"

Álvaro Cunhal
Aviso prévio
artigo publicado
no jornal O Diabo, nº 276,
de 6 de Janeiro de 1940
http://acunhal.blogspot.pt/2013/02/ajudas-na-manha.html

Uma nova Associação de Agricultores em Alpiarça


COMUNICADO

Na próxima 4.ª Feira, dia 6 de Março, pelas 18 horas, terá lugar no Salão da Junta de Freguesia de Alpiarça, uma reunião com vista à constituição de uma “Associação de Agricultores de Alpiarça”.

Todos os agricultores do Frade de Cima, Casalinho, Frade de Baixo e Alpiarça são bem-vindos a esta associação

Um projecto que visa englobar todos os agricultores




MÁRIO PEREIRA: O candidato que recebeu mais votos


O candidato independente Francisco Cunha e Pedro Gaspar, candidato do Partido Socialista, foram os grandes derrotados da sondagem (QUAL O CANDIDATO QUE GOSTARIA DE TER COMO PRESIDENTE DA CÂMARA?) levada a efeito por este jornal tendo obtido 1523 votos

Um somatório de votos que tornou inédita esta sondagem.

Mário Pereira teve 683 votos para Francisco Cunha ter 548 e Pedro Gaspar apenas 263 votos

Resultados Finais:

Francisco Cunha: 551 votos (36%)

Mário Pereira: 683 votos ( 44%)

Pedro Gaspar: 293 votos (19%)

Para quem quiser consultar os resultados da sondagem a mesma encontrar-se-á no fundo da coluna direita

Político conservador grego condenado a prisão perpétua por desvio de 17 milhões de euros

Um Tribunal considerou que Vassilis Papageorgopoulos fazia parte de um esquema que desfalcou a Segurança Social enquanto esteve à frente do município de Salónica, o segundo maior do país.

Um tribunal grego condenou o antigo presidente da Câmara de Salónica a uma pena de prisão perpétua, pelo crime de peculato. Vassilis Papageorgopoulos, que presidiu à segunda maior autarquia da Grécia entre 1999 e 2010, foi considerado culpado do desvio de 17 milhões de euros do erário público, sensivelmente metade do orçamento disponível para obras no município.
Além do autarca, foram também condenados à mesma pena o antigo secretário-geral do município, Mihalis Lemousias, e o tesoureiro, Panagiotis Saxonis, acusados dos crimes de falsificação e branqueamento de capitais. Dois directores financeiros municipais receberam penas de 10 e 15 anos, naquele que foi o primeiro grande caso de corrupção política desde o início da crise financeira na Grécia – 17 arguidos responderam pelo desvio de verbas do município num valor estimado de 52 milhões de euros.
Papageorgopoulos, um membro do partido Nova Democracia do primeiro-ministro Antonis Samaras, foi “considerado culpado de cumplicidade directa no desfalque” do dinheiro público, disse uma fonte judicial à Reuters. O ex-autarca – um antigo corredor de alta competição e dentista, conhecido como o “Médico Voador” – foi implicado pelos outros arguidos, mas declarou a sua inocência durante o julgamento. “Não tenho nada a ver com este caso. Algumas pessoas vão morrer de culpa por isto”, declarou, depois de conhecida a sentença.
O político conservador, que foi atleta olímpico em 1972 e 76 e serviu como vice-ministro do Desporto no início da década de 90, acusou a justiça grega de ter conduzido um “processo político” com o único objectivo de “satisfazer o desejo de vingança do público, que pede o sangue dos políticos”.
O Ministério Público abriu uma investigação às finanças de Salónica na sequência de denúncias que apontavam para o misterioso desaparecimento de milhões de euros que deveriam ter sido transferidos dos cofres municipais para a Segurança Social grega. O seu sucessor, Yannis Boutaris, disse que depois de tomar posse, em Novembro de 2010, constatou que a informação financeira que Papageorgopoulos lhe transmitiu era imprecisa e não correspondia ao saldo contabilístico municipal.
Segundo o tribunal deu como provado, os três arguidos montaram um esquema que consistia em apropriar-se das contribuições devidas à Segurança Social dos salários dos funcionários municipais. O tesoureiro Panagiotis Saxonis, responsável por esses pagamentos, fazia o lançamento das verbas nos fundos da Segurança Social, mas retinha o dinheiro, guardando uma parcela de 10% para si e distribuindo o resto por Lemoussias e Papageorgopoulos – os dois nomes constavam como titulares da conta bancária onde esse dinheiro foi depositado.
«Público»

PROBLEMAS DA JUVENTUDE: "gente que não trabalha e a comer bem"

Quando não se toma a medicação recomendada pelo médico acontecem comentários como o das 11:37.

A juventude o que mais vê é gente que não trabalha e a comer bem.
Herança deixada pela outra geração que no cimo do seu pedestal não permite que ninguém se aproxime.
Todos, mas mesmo todos, defenderam foi o seu tacho e o dos seus.
Chega ao ponto da "gloriosa classe operária" como a dos estivadores só permitirem que as novas admissões sejam de familiares de estivador.
Na política, da esquerda à direita, os filhos dos dirigentes têm sempre emprego em empresas municipais ou empresas com ramificações políticas.
Veja-se o exemplo do advogado da câmara.
Afinal o que mudou em relação ao antigo regime?

Noticia relacionada:
"“UM GRITO DE REVOLTA” DA JUVENTUDE ALPIARCENSE": 

Meter a foice em seara alheia


O candidato independente à Câmara de Alpiarça, Francisco Cunha, pediu a palavra durante a última sessão da assembleia municipal para intervir enquanto cidadão. No início da sua intervenção pediu à jornalista de O MIRANTE presente na sala para que não escrevesse algumas coisas que se passaram naquela sessão porque não tinham sido positivas

AUTÁRQUICAS - Quase metade das Câmaras muda de mãos em 2013

De: Anabela Melão
Quase metade dos atuais presidentes de Câmara está impedido por lei de se recandidatar em 2013 ao mesmo município e durante este mandato foram 15 os autarcas impedidos de se recandidatarem que já cederam o lugar a outros.
Dos 308 presidentes de câmara do país, há quase 150 impedidos de uma recandidatura pela lei que limita ao máximo de 3 os mandatos que um presidente pode desempenhar no mesmo município, muito contestada pela generalidade dos autarcas.
Em 2013, o PSD terá de escolher novos cabeças-de-lista para 61 das suas atuais 117 câmaras e o PS vai mudar em 56 dos seus 132 concelhos. A CDU tem de alterar 12 das suas 28 câmaras, o que acontece também em cerca de metade dos 22 municípios onde o PSD venceu nas últimas eleições em coligação com o CDS-PP.
Dos 7 municípios independentes, há 5 que vão mudar de dirigente e a presidente Ana Cristina Ribeiro terá de deixar Salvaterra de Magos (Santarém), a única câmara do Bloco de Esquerda.
Entre os presidentes que saem, há 2 que dirigem as respetivas câmaras desde as primeiras eleições locais democráticas, em 1976: o socialista Mesquita Machado (Braga) e o social-democrata Jaime Soares (Vila Nova de Poiares - Coimbra) estão a meio do 10º mandato.
Na lista dos mais antigos, seguem-se 3 autarcas da CDU no 9º mandato: António Lopes Bogalho, em Sobral de Monte Agraço (Lisboa), António José Ganhão, em Benavente (Santarém), e Sérgio Carrinho, na Chamusca (Santarém), também têm de ceder os seus lugares.
Os socialistas Mário de Almeida, em Vila do Conde (Porto), e Rui Solheiro, em Melgaço (Viana do Castelo), saem no final do 8º mandato.
Na reta final estão ainda os sociais-democratas Rui Rio e Fernando Seara (ambos no 3.º mandato), que não se poderão recandidatar ao Porto e a Sintra, respetivamente.
Também Isaltino Morais (7.º mandato) terá de deixar a presidência de Oeiras, Valentim Loureiro (5.º mandato) não se poderá recandidatar a Gondomar e o atual presidente da Associação Nacional de Municípios, Fernando Ruas (6.º mandato) deixa a presidência de Viseu.
Além destes, 15 presidentes que já não se poderiam recandidatar em 2013 saíram a meio dos respetivos mandatos, entre os quais os ex-presidentes da Câmara do Fundão (PSD), Manuel Frexes, que deixou o cargo para ocupar um lugar na administração das Águas de Portugal, o de Coimbra (PSD), Carlos Encarnação, e o de Cascais (PSD), António Capucho.
Só no último ano, deixaram as respetivas autarquias 5 "dinossauros".
Em Serpa, o "histórico" ex-presidente da Câmara João Rocha (CDU), eleito pela primeira vez em 1979, cumpriu o nono mandato consecutivo até final de outubro de 2012, em Montemor-o-Novo, Carlos Pinto e Sá deixou a presidência em dezembro de 2012 após quase 20 anos, e em Grândola (PS), Carlos Beato, no final do terceiro mandato, saiu da presidência no início deste ano.
Fernando Melo (PSD), presidente de Valongo durante quase cinco mandatos, deu lugar no final de maio de 2012 ao vice-presidente da autarquia, João Paulo Baltazar, e Francisco Tavares (PSD) deixou a câmara de Valpaços em janeiro deste ano após 27 anos na presidência. (DN)

UMA MENSAGEM PARA ATACAR O MENSAGEIRO


QUATRO comentários e todos contra um texto presumivelmente escrito por um jovem.
Não rebatem a mensagem (que traduz a verdade), mas apenas atacam o mensageiro.
Não conseguem ver a realidade.
O futuro pertence aos jovens e não aos que julgam que viverão eternamente.
E jovens não são apenas os que lhe formataram os neurónios com uma realidade distorcida.
São os que pensam pela sua própria cabeça, se informam com tudo o que possam ler, analisam a informação disponível e decidem livremente.
Jovens que não aceitam ser pastoreados por quem pensa ser o detentor da verdade e que quando passam da teoria à prática acontecem os desastres que todos conhecemos.
Deixem os jovens construir o seu futuro, já que lhe deixaram um presente bem negro com a participação de todos os partidos, organizações patronais subsídio-dependentes, e organizações sindicais correias de transmissão dos partidos.
Todos têm em comum olhar para a sua árvore e esquecer a floresta (o povo

Noticia relacionada:
"“UM GRITO DE REVOLTA” DA JUVENTUDE ALPIARCENSE": 

Comemoração dos 75 anos do concelho



 Era Presidente da Câmara o Armindo Pinhão. Tive a meu cargo a realização deste Festival de Pequenos Cantores do concelho. Momentos bonitos e inolvidáveis. Já lá vão 25 anos.
De: José João Pais

DE UM LEITOR: "Carta aberta às pessoas de bem"


"Carta aberta" às pessoas de bem:

Gostaria de também eu fazer um grito de revolta e ao mesmo tempo mensagem para pessoas de bem.
Estou também eu perplexo (perplexo é a palavra) com os comentários que volta e meia surgem aqui com afirmações que vão contra tudo o que é lógico e contra todas as evidências que as fotografias ilustram. Esses comentários criam também em mim e certamente em muitos alpiarcenses um sentimento de profunda solidariedade para com o presidente da câmara e para com a CDU. Concordo com o post, é esse o efeito deles, para além da revolta, esta sim, de constatar que na comunidade onde nasci, cresci e vivo há criaturas capazes de fazer tudo, por muito ilógico que seja, para atingir determinado fim. Não deveria ser assim, mas infelizmente é. Ora então vejamos:
Aparecem fotografias das obras dos Patudos e do projecto das obras da Praça do Município e dizem que são obras virtuais. Eu pergunto: o que é que é virtual em duas obras que já iniciaram e estão a decorrer a um bom ritmo e estão à vista de todos os que passarem nos respectivos locais (isto para quem não quer aceitar as fotografias como sendo reais. É que só falta chegar a esse ponto de dizer que são montagens!). O que é virtual no concurso para o parque de campismo que está a decorrer? 
Que pessoas são estas que fazem isto? É o PS? Custa-me a acreditar! São os poucos apoiantes do Francisco Cunha? Parece impossível que assim seja! Sejam uns ou outros, não lhes resta nenhum pingo de dignidade? É assim que querem dignificar a nossa terra? Estas pessoas ao menos gostam da nossa terra? Se são capazes de negar as evidências, são capazes de mais o quê? 
Temos que admitir que a CDU está a fazer obra mesmo no contexto económico difícil que vivemos, porque é a mais pura das verdades. Realmente se formos atrás ao anterior e último mandato do PS, houve uma estagnação total e não vivíamos ainda na crise que vivemos hoje. Mesmo hoje, se olharmos para as autarquias em redor, ninguém tem capacidade para fazer grandes obras e por isso mesmo não as estão a fazer e o povo compreende, que remédio. Aqui que há obra, existem criaturas que insistem em dizer que não há. 
Nós, a maioria dos alpiarcenses, não somos mentecaptos como nos querem fazer ser, atenção! É que alguns dos comentários que aqui aparecem a negar as evidências são uma afronta à minha inteligência e à de muitos outros certamente. Tudo bem que critiquem as obras, agora insistir em que não há obra?! Merecemos melhor do que bandidos à frente da autarquia. E isto também deveria provocar revolta a gente de bem. A diferença é mesmo essa: ser ou não ser gente de bem.
Comecei por dizer que esta era uma mensagem para pessoas de bem e, como tal, a minha última palavra vai para o Sr. Presidente da Câmara e equipa e digo-lhes que não esmoreçam com a baixa política que se vai fazendo em Alpiarça porque ela não traduz a opinião da maioria dos alpiarcenses. Continuem o vosso trabalho e mantenham o nível a que nos habituaram e terão o meu voto e das pessoas de bem. 
Noticia relacionada:

REFLEXÃO: "grande empatia e solidariedade para com o presidente da câmara e restante equipa"


Farei uma pequena reflexão e ao mesmo tempo uma felicitação que julgo ser devida.
Começo por dizer que deve ser mesmo muito difícil estar no lugar de autarca, estar a fazer um trabalho meritório numa época que não é de vacas gordas como há uns anos e ter que levar com mentirosos que negam as evidências que estão à vista de todos. Isto cria em mim, e certamente criará em muitos alpiarcenses, um sentimento de grande empatia e solidariedade para com o presidente da câmara e restante equipa.
Se formos sérios na análise do trabalho da CDU e deixarmos de lado as posições extremas muitas vezes potenciadas pela devoção aos partidos ou pela ânsia de um lugar ao sol no caso dos independentes (não é o meu caso, não tenho nada a ganhar ou a perder com estas lutas), só podemos observar uma coisa: a CDU tem feito um trabalho que dignifica a nossa terra e do qual nos podemos orgulhar. Senão vejamos:
1. As fotografias virtuais não são só isso. Quem passar em Alpiarça, para além de encontrar uma terra limpa e cuidada, vê o desenvolvimento de obras nos Patudos e agora também já iniciaram as da praça do município. Tanto uma como outra dignificarão ainda mais a nossa terra. Muito pessoalmente, ver o projecto "virtual" desta última fez-me ter pena de não morar naquela zona da vila, de tão bonito que vai ficar. 
2. O executivo anterior, numa época de vacas gordas, no final estava completamente amorfo e não se passava rigorosamente nada nesta vila. A CDU veio impôr uma dinâmica importante que é de valorizar.
3. As pessoas que agora estão na autarquia merecem-me todo o respeito porque são reconhecidamente pessoas sérias e de contacto fácil com todos, sem se porem em cima de um pedestal.
4. A campanha de sargeta que tem feito a oposição, como já alguém aqui disse, não funciona. Esqueçam isso.
Com tudo isto, que é a mais pura das verdades, eu questiono como é possível a um ser humano inteligente pensar que obtém "retorno" em votos utilizando a mentira, a difamação e a calúnia? Só se essa pessoa pensa que os restantes são burros. Olhe, como vê, eu não me considero nada burro e também os restantes alpiarcenses não se considerarão certamente. 
Noticia relacionada:

“UM GRITO DE REVOLTA” DA JUVENTUDE ALPIARCENSE



 Não queremos estar na mão de gente que nos insulta como povo, como alpiarcenses e como jovens *
Não queremos falta de visão de quem deveria cuidar de nós e criar condições para que a nossa terra tivesse futuro *
Não queremos partidos políticos e escumalha que se agarra como lapas ao poder para preservarem o seu status quo *
Não queremos quem se esconde atrás de uma ideologia barata, ultrapassada e redutora do ser humano *
Olhamos à nossa volta e vemos decadência *
Olhamos à nossa volta e vemos velhice *
Olhamos à nossa volta e vemos cada vez menos gente *

Não é digno dependermos da imbecilidade * 

Enviado por um jovem leitor

OPOSIÇÃO: foi o "MAR/PS que tornou público o nível de degradação do Parque de Campismo"


A oposição tanto criticou a CDU , tanto alertou os vereadores e o próprio presidente para o nível de degradação que o parque de campismo caminhava que o executivo arregaçou finalmente as mangas e pôs-se a trabalhar. 
Já vão com três anos de atraso em relação ao programa eleitoral e quase um ano após o MAR/PS tornar público o nível de degradação do Parque de Campismo através do seu jornal (Edição de Maio de 2012). 
Mas , como diz o ditado, vale mais tarde do que nunca, e ainda bem que começamos a ver luz ao fundo do túnel para um equipamento que é fundamental ao desenvolvimento estratégico do turismo em Alpiarça. Edição Quanto à operacionalidade do processo e projecto em si, creio que merecia maior reflexão ou arriscam-se a encher uma paisagem verde e imaculada com estruturas e equipamentos de betão.

Noticia relacionada:
"'PARA INGLÊS VER': "ofensa a todos os que moram e...": 

MUNDO VIRTUAL: "mais desilusões depois de ter confiado nas pessoas e nesta equipa" (CDU)


Lembro-me do programa eleitoral da CDU. Graficamente era o mais bonito com mais páginas e mais fotografias.

Afinal depois destes 4 anos, concluímos que não passava disso mesmo. Umas folhas bonitas que nunca passaram para a prática.
Fico feliz por ver que agora já evoluíram qualquer coisinha e começaram a usar programas de arquitectura para mostrar projetos virtuais.

É isto que este mandato da CDU é - UM PROJECTO VIRTUAL


Os jovens estão fartos de cenas virtuais. Qualquer um com um programa freeware faz uns bonecos como estes que aqui mostram e diz que é uma obra que vai ser feita.
Deixo aqui um desafio a este executivo: Comecem as obras que mostram nos desenhos da barragem e podem contar com o meu voto
Se não começarem, o meu voto vai para outro ou então até fica em casa, que é o mais certo que não estou para apanhar mais desilusões depois de ter confiado nas pessoas e nesta equipa de pseudo-democratas que nem respeito têm pela população que neles votou. 

Noticia relacionada:
 "As obras do Executivo da CDU": 

'PARA INGLÊS VER': "ofensa a todos os que moram em Alpiarça"


Só se vê desenhos. Obras efetivas nem uma. O que existe vem de mandatos anteriores e estão simplesmente a serem acabados pelo PCP.
Além das obras serem de um gosto muito duvidoso. Este do espaço à volta do Parque de Campismo não passa de propaganda porque não é a Câmara que irá executá-lo nem vai conseguir arranjar um investidor que faça o que ali está escrito.
É só para Inglês/Eleitor ver.
Esta atitude do PCP começa a roçar a ofensa a todos os que moram em Alpiarça. 
Se há uma coisa que não somos, é parvos.
Isto não é a Coreia do Norte onde essas estratégias de propaganda resultam.
Queremos ver mais trabalho feito que até agora não é visível, e menos papelada e desenhos de Autocad 
Noticia relacionada:

As obras do Executivo da CDU


Aos poucos a oposição vai perdendo a razão. Devagarinho o  executivo da CDU  vai iniciando ou concluído grandes obras e grandes investimentos.
Já decorrem a bom ritmo as obras de beneficiação da Casa Museu dos Patudos, brevemente temos a decorrer as obras da nova Praça do Município que vai dar outro aspecto envolvente aos Paços do Concelho e já a decorrer o concurso para a concessão do parque de campismo.
De pouco vale a oposição e os opositores da CDU andarem por aí a acusar o executivo de nada fazer ou dizerem que Alpiarça é um marasmo.
As obras estão à vista de todos e ninguém pode desmentir como   até às eleições o muito mais haverá.
Noticia relacionada:

OBRAS DOS ARRANJOS EXTERIORES DA CASA DOS PATUDOS (2ª FASE)

Estão a decorrer ao ritmo previsto (e em várias frentes) os trabalhos de requalificação dos espaços exteriores – jardins, acessos, espaços verdes e edifício polivalente – da Casa dos Patudos.

  Esta intervenção tem um custo previsto de cerca de 1 milhão de Euros, comparticipada a 85% pelos fundos comunitários/QREN.
«CMA»

.Os direitos que assistem a quem está sem trabalho


Embora em menor escala, fruto dos cortes na despesa das funções sociais do Estado, os desempregados gozam de determinados direitos, que lhes são conferidos pela Lei. No entanto, por estarem dispersos em vários diplomas, realça o Jornal de Negócios, nem todos aqueles que se encontram sem trabalho conhecem as regalias que lhes assistem. Conheça algumas das mais importantes.
1- Isenção nas taxas moderadoras e descontos na luz: Os desempregados que recebem um subsídio igual ou inferior a 628,83 euros, e que estejam inscritos no centro de emprego há pouco tempo, têm direito a pedir isenção das taxas moderadoras. Por outro lado, os desempregados que recebam subsídio social de desemprego têm direito a tarifas de electricidade e de gás natural mais baixas;
2- Subsídio de desemprego: Para ter direito a estas prestações é necessário que a pessoa tenha trabalhado como contratado, e procedido aos descontos para a Segurança Social, durante pelo menos 360 dias nos 24 meses imediatamente anteriores à data em que ficou desempregada. O valor pode oscilar entre 419,22 euros e 1048,905 euros por mês, sendo que esse montante sofre um corte de 10% após seis meses e desde o início de 2013 que acresce ainda uma redução adicional de 6%. Também os trabalhadores independentes que prestem 80% da sua actividade a uma única empresa podem solicitar subsídio;

3- Manter o apoio e procurar emprego noutro país: Quem esteja a receber subsídio mas que entenda que é melhor procurar emprego num País da União Europeia, Islândia, Noruega, Liechtenstein ou Suíça, pode sair para esses países mantendo o direito ao subsídio de desemprego ao longo de três meses, período o qual pode ser estendido a mais três;
4- Subsídio com trabalho parcial ou independente: É possível acumular-se parte do subsídio de desemprego com um salário, ainda que de forma limitada. O valor da remuneração não poderá ser superior ao do subsídio, sendo que o montante da prestação emagrece. Na prática essas pessoas passam a receber apenas mais 35% do que aufeririam apenas com o subsídio;
5- Subsídio com trabalho a tempo completo: A título transitório é ainda permitida a acumulação de parte do subsídio de desemprego com a remuneração de um trabalho a tempo completo. Para o efeito é necessário que a pessoa esteja inscrita há mais de seis meses, que a oferta de emprego contemple um salário bruto inferior ao do subsídio, e que tenha direito a beneficiar da prestação por mais seis meses. Durante a primeira metade do contrato, que deve ter a duração mínima de três meses, o apoio corresponde a 50% do desemprego, enquanto na segunda metade, passa a ser de 25%, com um tecto máximo de 250 euros.
«JN»

95% das casas já estão avaliadas para efeitos de IMI

 Em mais de metade dos distritos, os trabalhos de avaliação das casas pelas regras do imposto municipal sobre imóveis (IMI) já ultrapassam os 95%. Este processo de avaliação geral ficará concluído até ao final de março, sendo que este é também o mês em que os proprietários de imóveis urbanos (terrenos incluídos) começam a receber a nota de liquidação do IMI.
O andamento do processo de avaliação é um dos temas que serão analisados pelos representantes da troika durante o sétimo exame regular a Portugal, depois de na avaliação anterior se ter verificado a necessidade de alargar o prazo de conclusão para este processo - que passou de dezembro de 2012 para março deste ano. Ao DN/Dinheiro Vivo, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais referiu que o processo "está a correr dentro do previsto" e que a maioria dos distritos já tem os trabalhos de avaliação concluídos em mais de 95%".
Para muitos proprietários, o resultado desta avaliação irá traduzir-se numa subida do valor do imposto a pagar, até porque há casas em que o valor patrimonial tributário determinado pelas regras do IMI resultou em subidas da ordem dos 500%. Para muitos, o IMI deste ano será, na pior das hipóteses, 75 euros mais alto do que o valor pago no ano passado.
Dos 4,9 milhões de imóveis que estão a ser alvo deste processo de avaliação geral, estavam por avaliar 900 mil no final de dezembro. Quando este processo arrancou, as estimativas oficiais apontavam para que 80% dos proprietários ficasse a pagar mais de IMI. Se este cenário se confirmar, as notas de liquidação do imposto que a partir de amanhã podem começar a ser emitidas deverão refletir contas mais pesadas em 3,92 milhões de casos.
«NM»

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Fadista Mário Cruz quer cantar no Brasil


O fadista Mário Cruz, natural de Santarém, pretende agendar apresentações nas associações portuguesas do Brasil. São Paulo, Rio de Janeiro, bem como no Sul país, em Minas Gerais, ou no Nordeste, para ele, o importante é poder se apresentar e apresentar sua música aos portugueses que vivem no país irmão.
O cantor teve seu início artístico como vocalista de conjuntos de baile, tendo passado por grupos como “Dó-Mi-Sol” de Alpiarça, “Figueira Padeiro” de Santarém, “Gabú-Sahará” do Cartaxo, entre alguns outros. Porém teve uma boa presença no mercado depois de lançar o álbum “Meu Canto de Alegria”, que lhe rendeu o 5º lugar no programa da Rádio Comercial “As 10 Mais”, com a canção que deu nome ao álbum, e desse fato lhe surgiu a oportunidade de participar de um espetáculo transmitido ao vivo, o que fez aumentar consideravelmente sua popularidade e muitas apresentações pelo país, como no Casino do Estoril (nas quartas de fado), especialmente após o lançamento de seu CD “Memórias” que lhe proporcionou diversas apresentações em programas de Televisão em Portugal.
Desde o ano de 2001, Mário Cruz passou a optar por apresentações acompanhado apenas de instrumentos acústicos, guitarra portuguesa, viola e viola baixo. Tendo como uma de suas características (e o que mantém até hoje) a exibição de imagens com projeção de diapositivos temáticos ao fundo – “a imagem vale por mil palavras”, diz ele.
Com tanto entusiasmo, o artista se dispõe a cantar no Brasil e se coloca à disposição para esclarecer qualquer dúvida referente ao deslocamento e demais detalhes comuns.
Fonte

Comemorações do Dia Internacional da Mulher


Este ano, em Alpiarça, as Comemorações do Dia Internacional da Mulher vão acontecer nos dias 8 e 9 de Março.
A organização é da Câmara Municipal de Alpiarça com o apoio da Comissão Unitária de Mulheres de Alpiarça e da Nutrexpert.
O Programa das Comemorações será divulgado em breve

CONCURSO PÚBLICO PARA CONCESSÃO DO PARQUE DE CAMPISMO DE ALPIARÇA




CÂMARA APROVA ABERTURA DE CONCURSO PÚBLICO PARA CONCESSÃO DO PARQUE DE CAMPISMO DE ALPIARÇA


A Câmara Municipal aprovou a abertura de um Concurso Público para Concessão do Parque de Campismo de Alpiarça, iniciando assim um processo concursal aberto a todos os potenciais interessados.



A recuperação do Parque de Campismo e a sua dinamização ao serviço da economia local é a primeira fase na prossecução de um PROJECTO GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DO ALTO DO CASTELO / QUINTA DOS PATUDOS, na sequência de um “Estudo-Definição do Conceito Para a Quinta dos Patudos”, que aponta para uma intervenção que abrange toda a área do Complexo da Quinta dos Patudos e assenta, fundamentalmente, no aproveitamento do edificado existente e no desenvolvimento de construção sustentável com instalação de infra-estruturas turísticas de diversão e recreio que não impliquem a impermeabilização do terreno.

Uma segunda fase, a lançar quando a desejável alteração da conjuntura económica dê sinais de favorecer o investimento e, logo, a capacidade financeira dos investidores que sabemos terem mostrado interesse no projecto, passará pelo lançamento de um novo Concurso Público de Concessão para um PARQUE DE DIVERSÃO E AVENTURA.

O facto de este espaço se encontrar completamente autonomizado permitirá a sua recuperação de imediato, em resultado da concessão do direito de exploração do Parque de Campismo de Alpiarça, em regime de arrendamento, pelo prazo de 10 anos, mediante o pagamento de uma renda como contrapartida financeira mensal e nas condições específicas definidas nas peças que integram o Concurso Público – Caderno de Encargos e Programa de Concurso.

Num futuro próximo, serão desenvolvidas outros investimentos no Complexo para actuar em complementaridade com o novo Parque de Campismo, e com os outros equipamentos existentes, optimizando o aproveitamento turístico, paisagístico, natural e desportivo do Complexo na sua globalidade traduzido numa oferta diversificada.
«CMA»

A CORTE QUE ACOMPANHA MÁRIO PEREIRA


Se o Mário Pereira até é um nome que não choca a maior parte das pessoas, já a corte que o acompanha deixa muito a desejar.
Não votarei no Mário Pereira, não por ele, que até poderia ser um nome a considerar, mas pelo kit que o acompanha e a quem não reconheço capacidade autárquica.
Não tenho qualquer dúvida que se a lei eleitoral fosse alterada e o povo pudesse escolher nas pessoas que vota, nenhum dos seus apêndices seria eleito.
Um dos problemas dos eleitores é precisamente querermos "comprar" um produto, mas só nos vendem se comprarmos outros que não precisamos, nem nos fazem falta.
Noticia relacionada
"GESTÃO AUTÁRQUICA: "o que conta são as eleições e ...": 

GESTÃO AUTÁRQUICA: "o que conta são as eleições e os 'clientes' que cada um consegue angariar"

 Deixemo-nos de separar as pessoas por cores partidárias. Na gestão autárquica o que conta são as pessoas e as equipas que constituem.
Há câmaras PCP, CDS, PS, PSD excelentes, como as há de todos os partidos referidos que são vergonhosas.
Há que começar a encarar a política de outra forma e de uma vez por todas deixarmo-nos de slogans e qualificações que na maior parte das vezes não correspondem a verdade.

Não deve ser no poder autárquico que encontraremos políticas capitalistas, fascistas ou comunistas.
Deixem essa parte para quem está no poder central e que, sim, impõe politicas mais à esquerda ou a direita.
Nas autarquias, e no interior, devíamos contar com toda a gente que quer fazer algo pela região.
Se não fossem as divisões partidárias, já se tinham todos reunido e acordado o que Alpiarça precisa, quais são realmente as obras prioritárias, como vai ser resolvido o problema da dívida, que destino dar ao parque de campismo, o que é possível para criar emprego e fixar populações, etc...
Esse era o grande debate que se devia fazer e não os debates tipo programa de futebol.
Mas como até aqui, o que conta são as eleições e os "clientes" que cada um consegue angariar, deixou de haver moralidade e sentido comum da responsabilidade.

Noticia relacionada:
"O "Fio de Prumo"": 

ARTIGO DE OPINIÃO: Saudosismos e não só!

Não sei porque carga de água sempre que há eleições autárquicas há gente saudosista ou se calhar intriguista que trás à baila nomes que já passaram pela câmara de Alpiarça como se os actuais detentores não percebessem pívia do trabalho que têm pela frente.
Não digo que não seja meritório o trabalho desenvolvido por ex-presidentes e ex-vereadores camarários, tanto CDU ou comunistas como lhes queiram chamar, como socialistas ou Alpiarça é a Razão. Claro que todos eles, uns mais do que outros, contribuíram para o que Alpiarça é hoje. Se são de cá e não se lembram da "velha Alpiarça" herdada do Estado Novo peçam para ver fotos de Alpiarça de há 40 anos atrás. Este vilório era uma miséria! Certamente que o administrador deste blogue se lembrará e creio mesmo que já escreveu um artigo sobre isso relembrando uma ou duas ruas alcatroadas que existiam e o depósito de água do matadouro que abastecia 1/2 dúzia de ruas com água "encanalizada".
Comparo este saudosismo com aquela velha frase batida "experiência na função" cada vez que se quer contratar um funcionário para uma empresa, como se os mais novos e menos experientes não tivessem direito à vida. Ora se contratarmos apenas gente com experiência nunca nenhum jovem ingressará no mercado de trabalho, pois a experiência advém do trabalho, do fazer bem e também do fazer mal. Eu e alguns amigos meus, só como exemplo, aprendemos a dactilografar na celebérrima máquina de escrever da não menos célebre Secção Cultural dos Águias, a mesma secção que no 25 de Abril de 1974 abriu as janelas da secção e pôs o gravador de bobinas a tocar "músicas de intervenção" em altos berros. Isso se calhar os mais jovens nem sabem o que é, consultem no Google ou perguntem aos amigos do Face.
Para finalizar só para dizer que todos reconhecem que com a partida do nosso amigo Mário Peixinho, há actualmente dois vereadores no executivo que acabam por ser redundantes, mas isso é um problema que cabe ao PCP resolver.
Por: Bruno T. Conceição

DEMOCRACIA: o "mundo imaginário"

A democracia , por vezes assemelha-se a uma caricatura de si mesma. Porque os actores, principais e secundários, tão liberais no comportamento e tão arrogantes nas atitudes, criam o seu próprio “ mundo imaginário” e vivem numa realidade virtual que os afasta do que é verdadeiramente real e concreto. 
 Culpam os comunistas de todo o mal que existe nesta sociedade do capital, não veem o ridículo em que estão caindo, pois estes são menos de 10 % dos eleitores a nível nacional .
Esta sociedade onde o PSD e o CDS tem governado em alternância com o PS , leva uma vida de murmúrios, mexericos, aldrabices e lamentações.
Nas camaras as poucas presidências do PCP , uma só do BE e algumas poucas independentes não tem força para mudarem seja o que for, contra a maioria formal da direita.
Assinale-se que mais de 70% do PS é da direita. 
Noticia relacionada:
"O "Fio de Prumo"": 

“ALPIARÇA NO CORAÇÃO” COM PEDRO GASPAR




No próximo sábado, dia 2 de MARÇO, pelas 15 horas, na sede do Partido Socialista de Alpiarça, situada na Rua José Relvas (frente ao Mercado Municipal) Pedro Gaspar (foto), o candidato a presidente da Câmara pelo Partido Socialista, promove uma reunião com os independentes, eleitos pelo PS e todos os cidadãos que queiram participar.
É uma reunião em que Pedro Gaspar tem por objectivo apresentar-se aos independentes mas   não a sua “apresentação pública” porque esta ficará para mais tarde.

Vinho investe 41 milhões de euros em promoção

 A carteira de projetos gerida pelo Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) já permitiu realizar investimentos de 41,6 milhões de euros para promover os vinhos portugueses em mercados fora da União Europeia.
 O balanço mais recente do IVV revela que entre 2009 e 2012 os investimentos em diversos mercados, com destaque para Estados Unidos, Angola, Brasil, Canadá, China, Suíça e Rússia, atingiram o valor de 41,6 milhões de euros, cofinanciados em 50 por cento por fundos comunitários.
Os investimentos foram realizados por empresas privadas e organizações do setor do vinho, e a análise do IVV conclui que a carteira de projetos é maioritariamente constituída por empresas (86 por cento do total de 186 projetos aprovados) que também representam a maior fatia do investimento aprovado (68 por cento).
Destinado a promover a qualidade dos vinhos nacionais e aumentar a competitividade do setor do vinho, o IVV realça que um em cada três projetos apresentados pelas empresas refere-se a investimentos até 100 mil euros, configurando assim a crescente dinâmica exportadora das PME do setor do vinho.

O "Fio de Prumo"

Por: Anabela Melão
No seu habitual "Fio de Prumo", Paulo Morais fala de "Uma cena falhada", i.é, "Se os partidos querem candidatar os seus dinossauros autárquicos a um quarto mandato vão ter de o assumir."
"A descoberta de uma gralha na lei de limitação de mandatos autárquicos constitui uma cena burlesca. Ao fim de oito anos, a Presidência da República detetou a troca de um "da" por um "de", na transposição da Lei para o Diário da República. Anedótico. E grave.
Os portugueses ficam assim informados que, doravante, jamais poderão confiar na legislação publicada no Diário da República. Pode enfermar de gralhas, erros ou omissões cuja correção aparecerá apenas anos mais tarde, quando der jeito a alguém.
Está provado que ninguém lê, corrige os diplomas ou sequer confronta a legislação aprovada com a que é efetivamente publicada. Já se sabia que o sistema tinha capacidade de interpretar as leis em função da sua conveniência; o que não se imaginaria é que ainda se entretivesse a falsificá-las. Caberá agora a Cavaco Silva esclarecer se o Diário da República é para levar a sério e informar-nos se que o que lá se lê é legislação ou distorção.
Quanto à limitação de mandatos autárquicos propriamente dita, a confusão não poderia ser maior. Foram, nas últimas semanas, emitidas inúmeras opiniões de juristas, pareceres afinal alicerçados numa Lei que estaria inquinada por um pecado original de redação. Pecadilho que não terá preocupado os legisladores aquando da discussão da Lei e erro que afinal ninguém detetou. E que ainda por cima nem sequer pode ser corrigido.
Já não há agora saída airosa possível. A estratégia de redução de danos para os políticos terá de passar, inevitavelmente, por uma nova discussão da legislação no Parlamento. Os partidos com representação na Assembleia da República vão ter de se assumir.
E bom será que nem venham tentar novas interpretações. Os parlamentares não têm legitimidade para interpretar leis, pois, tendo funções legislativas, não podem imiscuir-se em funções do poder judicial; estariam dessa forma a violar o princípio da separação de poderes.
Chegou a hora da verdade para os partidos. Se querem candidatar os seus dinossauros autárquicos a um quarto mandato consecutivo vão ter de o assumir. A estratégia de querer eternizar o poder, fingindo que o querem renovar, falhou."

126 MILHÕES DE EUROS

 Lucros da EDP Renováveis crescem 43%
Os lucros da EDP Renováveis cresceram 43% para 126 milhões de euros, em 2012. A empresa liderada por Manso Neto vai distribuir dividendos de 4 cêntimos por ação, acrescenta em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).
Os MONOPÓLIOS a crescerem os lucros e os mais pobres a passarem fome é esta a politica do PSD e do CDS aliados aos independentes saudosistas do passado. 
 E não fica por aquí...mais politica do PSD,CDS aliados aos saudosistas do passado
Portugal cortou 3,7 mil milhões na despesa social
Em apenas dois anos - 2011 e 2012 - Portugal foi o país da Europa que mais cortou na despesa social, tendo reduzido o bolo em 3,7 mil milhões de euros, quase quatro mil milhões, o valor pretendido para a redução permanente na despesa pública anunciada por Vítor Gaspar para este e o próximo ano.
No entanto, apesar de Portugal se encontrar abaixo da média europeia no peso da despesa social em função no Produto Interno Bruto (PIB), o agravamento da recessão parece ter "surpreendido" os planos do Governo e da troika para alcançar um Estado
Enviado por um leitor

Alpiarça vai distinguir médico e duas colectividades com Medalha da Liberdade

Ao contrário do que aconteceu em 2012, este ano a escolha dos nomes a atribuir medalhas durante as comemorações do 25 de Abril em Alpiarça não provocaram polémica nem discussão. As propostas apresentadas pelo PS e pela CDU foram aprovadas por unanimidade. A CDU sugeriu que fossem distinguidas duas colectividades, “Os Águias” e a Sociedade Filarmónica Alpiarcense 1º de Dezembro. O PS apresentou a proposta de homenagear o empresário agrícola e médico oftalmológico, Hermínio Duarte Paciência..
http://www.omirante.pt/noticia.asp?idEdicao=54&id=57918&idSeccao=479&Action=noticia#.US20FuQyKbw

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

COMO SE PRESERVA E Valoriza UM PATRIMÓNIO

                         As fotografias falam por si


No fim de semana passado de passagem por Alpiarça, nos lembramos de visitar a Barragem, como também aproveitamos  a oportunidade para visitar o Alto do Castelo, habitado pelo homem desde os tempos remotos, onde foram aqui recolhidos importantes achados arqueológicos do Paleolítico inferior.
De entre as estações arqueológicas conhecidas realçam o "Cabeço da Bruxa" e o "Alto do Castelo", onde já foram efectuadas escavações científicas. 
O Alto do Castelo foi povoado há mais de 4.000 anos. 

Atingiu o seu auge durante a idade do Bronze Final ou Ferro; época em que, os habitantes enterraram os seu mortos em urnas, nas bem conhecidas necrópoles do Tanchoal e do Meijão, e como recentemente provaram as escavações arqueológicas no Cabeço da Bruxa. 

A muralha de terra, ainda bem visível no Alto do Castelo  data provavelmente da época Romana, ou seja de há cerca de 2.000 anos. 


Supõe-se que constitui  a fortificação do acampamento e um dos exércitos romanos que operaram na zona na conquista da Lusitânia. 

Juntamente com as jazidas  paleolíticas, cuja riqueza atesta a importância da região desde os tempos  mais remotos, estas estações são consideradas Património Arqueológico Nacional.

«Fonte E.B. 2,3/ S de José Relvas 2008»                      
As fotografias falam por si.



De um leitor Identificado