.

.

.

.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Falar mal do PCP


 Mas aonde é que estão os nomes dos organizadores? Eu só vejo organizações (colectividades).
Pelo teor do comentário (das 12:01) o ilustre anónimo não sabe do que fala, mas insiste em falar mal do PCP.
Não sabe quem são os organizadores, mas sabe que são ligados ao PCP. Por uma razão óbvia, os ligados a outros partidos não estão em lado nenhum, a não ser atrás de um computador a destilar (anonimamente) ódio contra o PCP.
Com quem não faz, nem nunca fez, nada em prol da população, não é fácil sair da cepa torta.
Quer tirar o mérito aos que se envolvem no trabalho associativo, nas colectividades. Podem fazer bem ou mal, mas fazem, estão lá.
O ilustre comentador, e tantos outros, arautos da causa pública, há muito que perderam por falta de comparência. Valham-nos os comunistas (muitos apelidados de tal sem sequer o serem) que, desinteressadamente, continuam a dar o seu melhor para que o movimento associativo não desapareça por completo. E olhe que com contribuições como a sua mais tarde ou mais cedo acabam por desistir. Será que você, e outros, preferem o deserto.
Criticar é fácil, construir dá trabalho, canseiras e dores de cabeça.
Noticia relacionada:

As colectividades não deveriam ter sido assaltadas por NENHUM partido

 "Por uma razão óbvia, os ligados a outros partidos não estão em lado nenhum"
Se calhar o problema é mesmo esse. É que a partir do momento que as colectividades passaram a ser ligados a partidos os cidadãos afastaram-se.
A  confusão parece ser esta.
As colectividades não deveriam ter sido assaltadas por NENHUM partido.
Basta ver o desenvolvimento por carolice pura que teve o associativismo antes do 25 de Abril e pós.
Antes as pessoas reuniam-se num ideal meramente desportivo ou cultural e criavam clubes, associações, grupos culturais.
Hoje, com o assalto dos partidos e predominantemente do PCP, só lá anda quem muitas vezes nem tem afinidade com o tema, mas que o faz apenas com espírito de «missão» partidária.
Mais uma vez acham normal que uma grande parte dos frequentadores dos clubes e associações se tenham afastado, e não conseguem perceber as razões.
A velha história de nós é que sabemos, somos os bons, e todos os outros estão mal e são ignorantes.

Se há guerra politica é porque não se compreende a atitude dos comunistas

 Homenagear a título póstumo alguém que foi esquecido nos anos anteriores não é guerra politica - é justiça. Se há guerra politica é porque não se compreende a atitude dos comunistas. Se não tentassem condicionar as propostas dos outros e não tivessem mostrado a sua incomodidade perante a proposta não ouviriam agora o que com justeza é clamor da população. Foi-me dito por quem esteve na Assembleia Municipal que a intenção inicial do PS era apenas recomendar que aqueles nomes não fossem esquecidos este ano aquando das comemorações do 25 de Abril. Com a prestimosa colaboração do Sr. Presidente da Assembleia Municipal aquela proposta veio a ser transformada naquela que viria a ser votada, ou seja a atribuição a título póstumo das medalhas da liberdade a dois anti fascistas alpiarcenses. 

Não há PS em Alpiarça e o PSD, quem são, por onde andam, o que fazem?

A questão é tão simples como isto:


O Rosa do Céu veio à reunião do "Alpiarça é a Razão" para preparação da Assembleia Municipal.
Como não há PS em Alpiarça, é preciso manter fogo aberto sobre os comunistas que, coitados, lá vão aguentando o barco sem velas nem motor que o PS deixou.
Então atira para cima da mesa o velho tema dos perseguidos pelo PC.
Os representantes do PS na Assembleia Municipal, que não são dotados de grande espírito de iniciativa ou dinamismo (quem é que já os viu fazer alguma coisa?) agarraram na ideia do seu mentor espiritual. Aliás, de uma forma atabalhoada, que obrigou a diversas interrupções da reunião, para o presidente da mesa lhes ensinar como deveriam fazer.
E pronto, está lançado o isco, para os peixes incautos picarem, sem conseguirem perceber a baixeza de utilizar o nome de pessoas que já não estão entre nós, para o combate político.
Não é altura de alguém no PS saltar a terreno e exigir um PS mais construtivo e afirmativo. Onde estão as propostas, em que é que participam, por onde andam?
Só deitar abaixo e mal dizer, usando as armas mais mesquinhas e hediondas. E o PSD, quem são, por onde andam, o que fazem?
O 25 de Abril vai fazer 38 anos. Um país constrói-se com acções e ideias. A dizer mal nunca ninguém chegou a lado nenhum. Querem ser enganados, deixem-se enganar. Querem andar distraídos, andem distraídos. Mas depois não se queixem.
Se quiserem falar de coisas concretas, falemos de coisas concretas, boas e más.
Deixem os mortos em paz. A história é a história, e se formos falar do passado, então há muito para dizer. Factos, e não leituras ao sabor das conveniências. Até o Pacheco Pereira, que não morre de amores pelo PCP, contradiz os argumentos que o Rosa do Céu atira (sem se deixar ver) para cima da mesa, para tentar denegrir a imagem do PC.
Leiam, informem-se, e venham debater factos e ideias.
Más línguas não fazem um bom estufado.
Noticia relacionada:


Afinal lutam por que sociedade?


Comunistas era antigamente. Agora os controleiros, os deputados, os sindicalistas e toda essa gente que se diz comunista, se não fossem as estruturas criadas pelo PCP tinham de ir vergar a mola. Nisso foram mais espertos do que os seus fiéis, que se querem comer têm de trabalhar. Conseguem viver, e bem, com a «defesa dos pobres», com as «lutas contra os capitalistas» e com outras patranhas que criaram.
Afinal lutam por que sociedade?
Os países de leste,ditos comunistas, um por um foram caindo na área do capitalismo. A China é o que se sabe. Cuba tem tanta liberdade que não deixam ninguém sair e controlam totalmente a vida dos cidadãos. A Coreia do Norte é uma das maiores (ou a maior) ditadura mundial.
Afinal que modelo defende o PCP? O que é praticado em Alpiarça?
O comunismo hoje em dia é um bom negócio, tal como a caridadezinha, as lutas do combate à droga, à solidão,a defesa do consumidor, etc...
Em nome da solidariedade alguns embolsam milhões.

Um desafio à Sociedade Civil Local

Fica aqui um desafio à Sociedade Civil Local:




Imaginem um ambiente político em Alpiarça sem os seguintes intervenientes:

- Rosa do Céu

- Sónia Sanfona

- Vanda Nunes

- João Osório

- Celestino Brasileiro

- Mário Pereira

E agora que teriamos activamente na politica local os seguintes nomes

- António Moreira

- José João Pais

- Armindo Pinhão

- Emidio Sardinheiro

- Henrique Arraiolos

- Carlos Coutinho

Juntando estes nomes a mais alguns que neste momento já estão nos vários orgãos da autarquia, alguem duvida que estariamos muito, mas muito melhor do que agora ?
Ninguém !
O grande problema sempre foram os que andaram na politica para mamar do tacho. Os do passado e os do presente. Porque os outros que dão ou deram o suor da sua camisola por uma Alpiarça mais desenvolvida, foram ou são afastados porque incomodam e são um entrave aos esquemas.
E está tudo dito.
Noticia relacionada:

O PS/Alpiarça lançou a "casca de banana" ao PCP


Os "camaradas", normalmente com a vila a arder à sua volta, costumam achar prioritário as homenagens aos antifascistas em detrimento das actuais dificuldades de vida dos cidadãos.
Tal como a igreja tem os seus santos, o PCP cria as suas personalidades para o culto dos seus fiéis.
Sabendo que esse partido, comunista no nome, mas salazarista na prática adoptou o lema "quem não está connosco, está contra nós", o PS lançou-lhe a casca de banana.
Propôs lutadores contra o regime que pertenceram ao PCP, mas que tendo saído dessa organização, "deixaram de ser antifascistas".
Não sei quem foi o autor da proposta, mas reconheço-lhe inteligência política e dou-lhe os meus parabéns para por o PCP a nú.
Ficaram entre 2 fogos! Por um lado, não podem renegar a luta contra o fascismo dos seus ex-membros, do outro, seriam obrigados a votar com outras forças políticas em dissidentes do seu partido.
Se fossem inteligentes, no mínimo fariam o que a oposição fez na votação das suas propostas; abstinham-se.
O controleiro levou um grande uppercut nos queixos..
Noticia relacionada

O 25 de Abril foi, é de TODOS e não só dos Comunistas


Enquanto "Deputado" da Assembleia Municipal deve votar, a favor, abster-se ou contra, são as opções que lhe são pedidas ou exigidas na opção de voto, mas para além da opção de voto existe a ética, valores éticos, coerência e boa formação!
Seja da bancada "A" ou da bancada "B", quem na AM tem capacidades para avaliar se o João ou o Manel merece ser homenageado? Com que capacidade de avaliação um membro daquela Assembleia diz "NAO" a um nome proposto, que foi morto quando lutava pela liberdade? E diz sim em Assembleias anteriores a outro nome que foi preso enquanto lutava pela liberdade? Então meu senhor(a) onde está aqui a coerência? A bancada da CDU vota a favor nos nomes que propõe e vota contra só porque é o PS a propor? Ou vota contra por algo mais?
O 25 de Abril foi, é de TODOS e não só dos Comunistas, muitos foram os que lutaram antes do 25 de Abril pela liberdade, cada um à sua maneira, muitos nunca serão homenageados! E não terão menos valor dos que o são só porque os interesses de alguns assim o ditam.
Deixo uma reflexão.
Hoje existem muitos que anonimamente lutam pela liberdade, pelos direitos fundamentais, são estes menos merecedores de homenagem?
Hoje existe alguns que se proclamam Comunistas, militam no partido e praticam ideais contrários aos Estatutos do seu partido, como trata o PCP estas atitudes, usa-as porque convém ter testas de ferro para fazer politica ou aplica os Estatutos?
Pensem, pensem bem e deixem os interesses particulares de lado e em coerência sem ódios e rancores votem, pensando que estão em lugares públicos porque foram eleitos e tiveram a oportunidade de fazer parte de listas em que quem vota delegou através do seu voto para os representar.
Os eleitos enquanto eleitos representam TODOS não só alguns, nem a eles próprios. Atitudes como as que tiveram na Assembleia Municipal, votando contra nomes de gente que já não está entre nós para se defender, que à sua maneira lutaram juntamente com outros para que hoje sejamos “livres” é baixo nível, e essas atitudes pagam-se com o mesmo sentido de voto quando quem avalia (O Povo) tiver oportunidade para isso.
De um leitor:
Noticia relacionada:

Agenda Desportiva

5.º Fórum Movimento Associativo de Alpiarça



Com o apoio do município alpiarcense e numa organização do C.D. "Os Águias" de Alpiarça, Sociedade Filarmónica Alpiarcense 1.º de Dezembro, Grupo de Dadores Benévolos de Sangue de Alpiarça, ARPICA - Associação de Reformados Pensionistas e Idosos do Concelho de Alpiarça e Agrupamento de Escolas de José Relvas, de Alpiarça vai realizar-se no próximo dia 4 de Março no Ginásio auxiliar do C.D. "Os Águias", o 5.º fórum 2012 «Movimento Associativo de Alpiarça».


«CMA»




Deputados comunistas deveriam pedir contas ao Executivo da CDU



Se há falta de coerência, é da parte de alguns deputados da CDU que nos anos anteriores votaram a favor e agora votaram contra. Isso sim, é falta de coerência.
E se em vez de apontar o dedo aos deputados do PS que segundo diz 'transformam os trabalhos num inferno', talvez devesse olhar para os seus comportamentos e se o tom “gozão” com que faz as suas intervenções não provoca também um mau ambiente entre os membros da Assembleia.
É fácil criticar quando se é convencida ao ponto de pensar que é dona da verdade e nem estar receptiva a ouvir outras opiniões. Minha cara, cresça e apareça.
Já um outro comentarista acrescenta que: Os camaradas são um espanto. Quando os criticam na praça pública cai logo o Carmo e a Trindade para acusarem os outros de mal educados quando a própria deputada da CDU acusa os socialistas de caloteiros como se isto não fosse falta de educação e como aos deputados tudo seja permitido dizer
Mas mesmo caloteiros ainda conseguiram fazer obra coisa que a CDU não consegue mesmo que afirme que o “projecto (CDU) que teve a aprovação da maioria dos alpiarcenses”.
Teve a aprovação mas não se realizou por incapacidade cujos deputados deveriam pedir contas aos seus eleitos.
Noticia relacionada:

A Casa do Xadrez de Alpiarça participa no Campeonato da 2ª Divisão - Série B.


No passado fim de semana houve jornada dupla. Disputaram-se a 3ª e 4ª sessões do Camp. acima indicado.
Na 3ª sessão - Sábado - fomos a Coimbra jogar contra a equpia 'B' da A.A.Coimbra e empatámos 2 - 2 .Na 4ª sessão - Domingo - fomos à Gafanha da Encarnação jogar contra a A. X. da Gafanha da Encarnação e ganhámos por 3 - 1 !
Após estarem disputadas 4 sessões o C.N.Equipas ds época 2011/2012, a Casa do xadrez de Alpiarça está no 1º lugar da sua série !
Como a maioria desta equipas não pode aspirar a subir à 1ª Divisão Nacional, (por já terem uma equipa 'A' do mesmo clube a disputa-la) a corrida ao "zonal" de acesso à 1ª divisão, aparentemente, será disputada somente entre nós e a equipa do S.O.M. (da Marinha Grande). Deverá ser o encontro directo entre estas duas equipas a decidir tudo.
Será já na próxima sessão dupla que acontecerá a 17 e 18 de Março:
Dia 17 Março será a mãe de todas as batalhas: Casa do Xadrez vs. S.O.Marinhense
Dia 18 Março, temos outro deslocação perto: vamos a Vale de Cambra jogar com a
ACR VALE CAMBRA/OSCACER 'B' . O S.O.M. irá jogar a casa da A.X. Gafanha da Encarnação.

Executivo quer saber situação financeira de todas as Câmaras

Carta assinada por dois ministros dá prazo até 15 de Março para que as respostas cheguem.
O Governo envia uma carta a todos os municípios solicitando informação completa sobre a situação financeira de cada autarquia. Na missiva, assinada pelos ministros Miguel Relvas e Vítor Gaspar, o Executivo pede urgência na resposta.
A iniciativa, avançada é justificada com o objectivo de apurar o valor global da dívida dos 308 municípios por forma a encontrar soluções.
O ministro das Finanças e o ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares pedem aos presidentes de Câmara que respondam até 15 de Março para a inspecção-geral de Finanças.
São dois os dados concretos pedidos nesta circular: o montante global da divida de curto prazo e o da divida de médio/longo prazo.
Elementos que - explica o Governo - vão permitir a recolha e análise de informação "absolutamente crucial" para conseguir uma visão global da situação financeira dos municípios portugueses.
O Governo tem uma estimativa que aponta para uma total de oito mil milhões e já revelou publicamente a preocupação com esse buraco. De resto, o Executivo tem mantido contactos com a Associação Nacional de Municípios e com a Associação Portuguesa de Bancos para tentar encontrar soluções que evitem situações de incumprimento e problemas de tesouraria dos municípios.
“Total tranquilidade” nas autarquias
Numa primeira reacção, o vice-presidente da Associação Nacional de Municípios, o socialista Joaquim Morão, diz olhar para a iniciativa do Governo com “total tranquilidade”.
“As câmaras são autónomas financeiramente, têm os seus órgãos próprios, têm total autonomia, e, portanto, eu só vejo essa iniciativa do Governo num âmbito de que as autarquias estão a reivindicar ajudas àquelas que estão em grandes dificuldades e o Governo queira apurar qual é o montante.”
O presidente da Câmara de Castelo Branco diz ser possível encontrar soluções para o problema das autarquias endividadas
«Renascença»

Os deputados da CDU e do PS na Assembleia Municipal


O que aqui se tem escrito mostra a total falta de educação e formação elementares.
Desde de questionar o sentido de voto dos deputados municipais, como se não tivessem direito de votar contra seja o que for.
Desde se intrometer na vida pessoal de cada um e achar normal insultar quem merece todo o respeito porque efetivamente trabalha num projeto que teve a aprovação da maioria dos alpiarcenses (é bom que o não esqueçam) até ajuizar sobre a vida profissional das pessoas é mostra de falta de argumentos e conhecimentos.
Já agora para relembrar quem não faz mais do que destilar ódios e mentiras que, obviamente, não são de todo inocentes, recordava que alguns dos deputados do PS, tão empenhados na homenagem dos antifascistas abstiveram-se aquando das homenagens anteriores. Essa sim é falta de coerência. Para além dos comportamentos lamentáveis dos referidos deputados do PS que transformam as sessões de trabalho da Assembleia num verdadeiro inferno, tecendo comentários despropositados, fazendo perguntas cujas respostas do presidente da câmara nunca ouvem porque passam a vida a rir, na conversa uns com outros ou a interromper sistematicamente o presidente da câmara numa manifesta falta de educação e sentido democrático em relação a quem pensa e faz (ainda bem) de uma forma diferente.
É lamentável que a enxurrada de comentários pouco sérios e insultuosos sejam tidos por "ideias".
Noticia relacionada:

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Patacão votada a décadas de abandono


Patacão votada a décadas de abandono
Filhos da terra dão nova vida a aldeia dos pescadores do Tejo

António Petinga e a esposa lembram com saudade a vida sacrificada mas feliz que viveram na palafita junto ao Tejo. Hoje só restam os pilares. Noutras moradias ainda se veem as cores carcomidas das paredes de madeira. Mas está tudo prestes a mudar na histórica aldeia do Patacão.
O grupo de casas da aldeia piscatória do Patacão, em Alpiarça, começa a perder o ar de décadas de abandono e prepara-se para iniciar um longo processo de restauro.
As construções de madeira, apoiadas em pilares para evitar inundações, são testemunho de uma cultura, fruto da migração dos pescadores de Vieira de Leiria para as zonas ribeirinhas do Tejo e do Sado, que se bate por ser reconhecida como património nacional.
Com vários núcleos dispersos, o Patacão é agora alvo de uma intervenção feita, em grande medida, pelos filhos daqueles que migraram em busca de uma vida melhor no início do século XX.
“Hoje contabilizamos 180 dias por homem de trabalho voluntário”, conta João Serrano, um dos responsáveis do projeto da cultura avieira, que dirige o trabalho de mais de uma dezena de pessoas que se juntou para pôr mãos à obra e limpar o Patacão.
Desde 2010 que os responsáveis do projeto, antigos proprietários e descendentes de avieiros, se juntam um sábado por mês para limpar o espaço. Esta foi a primeira fase de um projeto que agora se vai centrar no restauro das casas alinhadas ao longo do dique que as protege contra as cheias do Tejo.
Enquanto António Alfaiate, carpinteiro, acompanhou os arquitetos Carlos Silva e Inês Calouro na visita às duas primeiras casas que vão ser restauradas, João Serrano fez saber que o objetivo é “preservar ao máximo” a traça original.
Construída presumivelmente em 1963, a casa do “Ti Bacalhau” é para ser inaugurada em 2013, quando se assinalarem os seus 50 anos, sublinha Serrano, destacando a particularidade das diferentes cores utilizadas no interior e exterior da moradia, marca identificadora do proprietário.
Preservar cultura avieira
O destino das casas vai ser definido pela comissão executiva do consórcio que se constituiu em torno do projeto da cultura avieira, coordenado pelo Instituto Politécnico de Santarém. No entanto, é já certo que as aldeias palafitas vão integrar o roteiro turístico que está associado ao projeto.
Para que a memória não se perca nas vagas, João Serrano carrega para o carro diferentes objetos, espólio do futuro Museu dos Aveiros.
“Já temos oito embarcações originais”, contou, descrevendo pormenorizadamente as adaptações que os barcos, que durante muitos anos serviram de casa aos avieiros, tiveram de sofrer para a pesca no rio.
Desta vez Serrano leva consigo uma peça de suporte da uma barrica de vinho e uma tampa de cortiça que tem bem visível o sinal que identificava o seu proprietário. “É do Zé Branha”, disse sem hesitar António Petinga, agora com 72 anos, que não esconde a esperança de ver a aldeia recuperada para que quem passa possa dizer “olha ali a aldeia dos pescadores”.
Inês Alves c/ Lusa



Comemorações do Dia Internacional da Mulher

Numa organização da Câmara Municipal e da Comissão Unitária de Mulheres de Alpiarça e a colaboração da Junta de Freguesia de Alpiarça, vão realizar-se nos próximos dias 8 e 10 de Março as comemorações do Dia Internacional da Mulher.

«CMA»



Descredibilizam o PCP e todos os que militam no partido

João Osório
Profissionais da Politica, assenta como uma luva !
Para mim, são é ingénuos.

Tudo começou com aquela história de João Osório e do outro (Celestino Brasileiro) quererem ir para a Assembleia Municipal acumularem dois ordenados.
Nessa altura deveriam ter sido logo postos no lugar, mas esse “ senhor de Alverca” que veio para cá ditar sentenças, sempre precisou dos serviços, mesmo que não fossem os mais correctos desses dois e por isso deixou-os andarem á vontade. Agora ainda os deixa fazer mais esta porcaria (os votos). Parece que são masoquistas e ainda por cima descredibilizam o PCP e todos os que militamos no partido.
Arrumem a casa de uma vez por todas. Já chega de tanta porcaria. Ponham as pessoas inválidas onde elas merecem estar, que é fora de qualquer órgão decisor.

Celestino Brasileiro
Vamos deixar as pessoas válidas trabalharem. Já se afastaram muitos que fartavam-se de trabalhar e que agora não podem ajudar. Ficámos com o lixo, os que não prestam, que só andam nisto pelo tacho, porque se não fosse assim tinham que andar a trabalhar no campo.
Vamos lutar pelo PCP voltar a ser a grande força politica que foi aqui em Alpiarça, e sem desrespeitar os pergaminhos.
É tempo de correr com esta gente e deixar as pessoas válidas trabalharem.
A nossa terra não merece que venham para cá pessoas que nem são de Alpiarça mandar em nós. Temos uma história a defender e não podemos deixar que a sujem.
Noticia relacionada:

Que triste sina esta, a do PCP!


Parece que há uma falta de inteligência naquela bancada da CDU que até arrepia.
Que o Osório e Celestino vão atrás das ordens do controleiro, nem acho estranho. Agora que outros também alinhem neste disparate, já é preocupante.
A Inês Aguiar e Joana Serrano também votaram contra ? Se o fizeram então alguma coisa de grave se passa naquelas cabeças. Ou andam a dormir muito mal e depois fazem disparates ou gostam de se enterrarem cada vez mais aos olhos da população. Que triste sina esta.
Noticia relacionada:

Ciclo de Conferências "Uma peça da coleção comentada por..."

No dia 5 de Março de 2012 às 21h00, assinalando o 154º aniversário de José Relvas, vai ter lugar no Pólo Enoturístico da Casa dos Patudos - Museu de Alpiarça mais uma Conferência subordinada ao tema: "Uma peça de coleção comentada por...".
Desta feita a A PINTURA DE SILVA PORTO NA CASA DOS PATUDOS será comentada pela Dr.ª Maria Emília Vaz Pacheco, Mestre/Doutoranda em História de Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e docente do Ensino Superior no Isla de Santarém.
A coleção de Silva Porto existente na Casa dos Patudos é composta por três dezenas de obras, estas assumem a expressão do naturalismo no Portugal do século XIX.
Na pintura de Silva Porto, o homem cruza-se em plena harmonia com a natureza, é uma analogia vincada pelo sentimentalismo e pela exactidão à realidade do campo.
Informações e contactos: Casa dos Patudos - Museu de Alpiarça, Rua José Relvas 2090-102 Alpiarça. Telefone: 243 558 321, Fax: 243 556 444, E-mail: museudospatudos@cm-alpiarca.ptEste endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar
«CMA»


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Afinal a "luta" de que fala o PCP é uma falácia

 Hoje os Alpiarcenses ficaram a saber que o estacionamento do Águias em vez de servir para estacionar viaturas, serve para um banco inglês que recentemente foi notícia por fechar agências e contribuir para o aumento do desemprego, impingir cartões de crédito.
Ainda é admissível que na altura do Natal se permita o estacionamento de uma roullote de farturas de um pequeno comerciante, ou que em outras ocasiões existam postos de rastreio ligados à prevenção de doenças.
Agora, um banco INGLÊS, que está provado, subverte a lei laboral, que não vem oferecer crédito para os Alpiarcenses comprarem casa, ou criarem postos de trabalho é no mínimo estranho a permissão.
Convém lembrar que há uns anos esse banco fechou a agência que tinha em Santarém, despediu alguns funcionários, e passados uns anos, voltou a reabrir com novos.
Agora, segundo rezam as notícias dos media prepara-se novamente para criar desemprego com novas rescisões e encerramento de 19 agências.
Afinal a "luta" de que fala o PCP é uma falácia. Deveria começar por passar a mensagem que Alpiarça não está receptiva a gente que só liga a números, e que só aparece para sacar o pouco dinheiro aos portugueses.
Cartões de crédito (produto que estavam a impingir) a taxas de juro altíssimas , não criam empregos, habitação, ou educação...
Deveriam talvez ter perguntado aos senhores do Barclays Bank se quando foi a Alpiagra não tiveram interesse em PAGAR um Stand, ou se na Feira do Melão não se prontificaram a instalar uma gabinete aberto a financiamentos aos agricultores.
Mas isso sou eu que sou liberal, os comunistas pelos vistos pensam doutro modo. 
De um leitor

Por cá se vestem de vermelho, e com foices e martelo como estandarte, mas continuam a dominar a quinta (Alpiarça) e a impor a ditadura aos outros animais (cidadãos livres)

Por essas e por outras é que o filme que há dias foi postado neste blog é de visionamento obrigatório.
Os porcos tomaram a quinta e não permitem que os outros animais tenham a liberdade porque todos lutaram.
Em nome da "liberdade" e da "democracia" cometem-se muitas atrocidades.
Sempre prontos a proclamarem aos sete ventos que os comunistas foram presos, torturados, perseguidos... quando alguém que militou no PCP abre os olhos e se afasta do controlismo partidário passa a ser um terrível contra-revolucionário.
Esta gente, sempre tão pronta a incentivar as greves, as manifestações, a "luta" é a mesma que quando esteve no poder passou a apelidar as greves, as manifestações e as lutas que não controlava como «contra-revolucionárias» e ao «serviço da CIA».
"Animal Farm" escrito em 1945 por George Orwell continua em 2012 a estar tão actual como quando foi lançado.
Aqueles "porcos negros" (do filme) mas que por cá se vestem de vermelho, e com foices e martelo como estandarte, continuam a dominar a quinta (Alpiarça) e a impor a ditadura aos outros animais (cidadãos livres).
Noticia relacionada: 

Foi muito triste o que se passou na Assembleia

 Foi muito triste o que se passou na Assembleia. A bancada da CDU chegou ao ponto de apresentar uma proposta para a mesa não permitir a votação de uma outra proposta, como se não fosse direito de todos os deputados apresentarem propostas. Mais grave é que a Câmara e o PCP estão já a pensar neste ano em não realizar a sessão solene da Assembleia, comemorativa do 25 de Abril, para não ter de homenagear publicamente o Manuel Vital e o João Sanfona. Quem se opõe ao PC nunca é perdoado nem a morte faz esquecer a sede de vingança. 
Noticia relacionada: 
 "Eleitos do PCP recusam proposta de homenagem a ant...":

Mário Santiago que não é manipulável e também ao jovem secretário, que honra a verticalidade

O Presidente da Câmara votaria contra de certeza. Questiondo por um elemento da oposição referiu que "até nem podia votar", mas deu bem a entender que seria esse o sentido do seu voto.
Foi VERGONHOSO
Votarem contra uma homenagem a antifacistas e lutadores pela liberdade e democracia só demonstra como são facciosos e como,se pudessem, calariam todos os que se atrevem a levantar a voz. 
 Pobre povo de Alpiarça, que tem andado tão enganado por esta seita de aproveitadores. 
Aproveitam-se do que foi um passado de luta e, sem darem nada em troca, vivem à sombra dos que foram os verdadeiros lutadores pela democracia. E, aqueles que ousaram levantar alguma vez a voz, não merecem homenagens nem que tenham dado a vida por um futuro de liberdade.
O controleiro anafado (vive à nossa custa, não é?) lá estava, a puxar as orelhas. E homens e mulheres que se dizem antifacistas e lutadores dizem sempre ÁMEN. 
Fizeram até o pino para a proposta não ser aceite pela mesa.
Vasco Peixinho
Parabéns ao Mário Santiago, que soube mostrar que não é manipulável como queriam. E também ao jovem secretário, Vasco Peixinho, que honra a verticalidade do seu pai
 Noticia relacionada:
  ASSEMBLEIA MUNICIPAL: UMA HISTÓRIA DE MARIONETAS":


ASSEMBLEIA MUNICIPAL: UMA HISTÓRIA DE MARIONETAS


Mário Santiago, Presidente da
Assembleia Municipal, que segundo
 o comentarista, continua a demonstrar
independência nas Sessões da Assembleia

Por falarem em Assembleia Municipal e este ser um local adequado para se fazerem os justos reparos e eventuais reclamações a promessas eleitorais não cumpridas fez-me relembrar a última Assembleia Municipal e retratar algo do que lá ocorreu e que para mim não passou de uma peça de marionetas tendo como manipulador uma parda figura que assiste a todas reuniões bem instalado na sua cadeira, gordo e anafado e com as faces bem vermelhuscas talvez consequência do excesso de consciência política pois essa é a sua cor e que sistematicamente controla os eleitos da CDU aconselhando tomadas de posição ou orientações de voto às vezes até de uma forma inflamada quando as suas sugestões (ordens) não são bem aceites.
É triste que um conjunto de seres pensantes e livres se deixem manipular por este pardo senhor (justiça seja feita ao Presidente da Assembleia Municipal e ao Secretario da mesma que se abstiveram na votação à proposta de nomes apresentada pela "Alpiarça é a Razão", a serem homenageados no 25 de Abril dando mostras da sua independência) levando a que o referido indivíduo mostrasse até a sua irritação por esta "derrota".
 É por estas e por outras que o PCP nunca irá entender o que é ser independente e ter ideias próprias e as estes indivíduos há necessidade de manter a situação por forma a manterem o seu lugar e importância porque talvez para ganharem o seu sustento teriam de estar noutro lugar trabalhando no duro, sujando as mãos e serem chefiados. Ali mandam, impõem, têm peso, são importantes e até, quem sabe: possam um dia chegar a deputados e terem uma reforma mais cedo e sempre limpinhos sem nunca deixarem de ter o epíteto de "operários".
São iguais aos outros dos outros partidos SÂO PROFISSIONAIS DA POLÍTICA. Os eleitos pelo povo sempre que surge uma proposta mais polémica lá vão pedir a indicação sábia ao anafado controleiro não vá o seu voto ir contra as orientações do partido e isso provocar mais um terramoto nas hostes da CDU.
 Que figuras!!!
Soltem as vossas amarras, deixem de estar agarrados a preconceitos, votem de acordo com as vossas convicções. Dêem um chuto no rabo destes manipuladores; deixem de ser marionetas, todos tínhamos a ganhar, até o próprio partido passaria a ter contribuições mais validadas e inteligentes.
De um leitor

Durão Barroso "impressionado" com aumento das exportações portuguesas

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, disse hoje, em Bruxelas, estar impressionado com o recente crescimento das exportações portuguesas e a descoberta de novos mercados pela economia nacional.
"É impressionante o que estão a fazer (em Portugal) em termos de aumento das exportações e descoberta de novos mercados", disse José Manuel Durão Barroso, numa conferência promovida pelo 'think tank' Lisbon Council dedicada à estratégia 2020 para o crescimento.
O chefe do executivo comunitário sublinhou ainda acreditar que Portugal se pode tornar uma economia mais competitiva, destacando que esse é um dos resultados esperados do programa de ajuda externa.
"Estamos a ajudar o país a reformar o sistema, mas as reformas levam tempo a produzir resultados, daí termos que combinar medidas de médio prazo com programas de crescimento de curto prazo", disse.
«Lusa»

O Estado deu o exemplo, assumindo sem vergonha a faceta de caloteiro-mor do Reino e o vírus espalhou-se pela Nação

 Como o Estado destrói as empresas: primeiro, cria leis e regulamentos que dificultam e encarecem os processos produtivos e de distribuição de bens; depois, lança sobre elas uma carga fiscal que esmaga as margens de lucro; por fim, atrasa pagamentos a fornecedores de bens e serviços, provocando problemas de liquidez e de tesouraria às empresas. O estado deu o exemplo, assumindo sem vergonha a faceta de caloteiro-mor do Reino e o vírus espalhou-se pela Nação. Poucos pagam a horas, quase ninguém respeita prazos de pagamento e o calote é hoje uma instituição nacional.
Ramiro Marques

Eleitos do PCP recusam proposta de homenagem a anti-facistas

Um leitor informou-nos que na última Assembleia Municipal (passada sexta-feira) alguns eleitos do PCP votaram contra a proposta de homenagem a anti-fascistas bem conhecidos em Alpiarça e a ser verdade lamenta o sucedido já que os nomes propostos são de pessoas que mereciam ser homenageados. Não compreende ainda o leitor como os eleitos do PCP recusaram aprovar a proposta apresentada.
Solicitamos ao presidente da Assembleia Municipal, Mário Santiago que nos confirmasse  a informação. Confirmou a informação do leitor e concedeu-nos  os resultados que foram os seguintes:

"Na realidade, a proposta foi votada e aprovada.
Assim, o resultado da votação da proposta no âmbito da atribuição da Medalha da Liberdade foi o seguinte:
- 7 votos a favor - 6 do PS + 1 do PSD
- 2 Abstenções - a minha (de Mário Santiago) e a do secretário da mesa, João Vasco Peixinho
- 6 votos contra
Os homenageados deste ano, serão assim:
- João Sanfona
- Manuel Vital"

A tese e a antítese.


Muita gente diria logo que em vez de andarem a recuperar coisas das quais já ninguém se serve melhor seria cuidarem das estradas e passeios onde andamos todos os dias...que às vezes são autênticas ratoeiras para a segurança de pessoas e bens.
É que estas coisas trazem sempre a tese e a antítese.
O melhor mesmo era poder-se fazer tudo isto ao mesmo tempo. Assim já não haveria reclamações. Tudo estaria a contento de todos e, os políticos dormiriam mais descansados.
Assim vamos vivendo com aquilo que temos e por vezes até com aquilo que não temos.
Noticia relacionada:


Notícias da Sociedade Filarmónica Alpiarcense 1º de dezembro

WORKSHOP DE FOTOGRAFIA
 Realizou-se no passado dia 25 Janeiro, na sala de aulas dos Bombeiros Municipais de Alpiarça, o Workshop de Fotografia “Para além da câmera”, organizado pela Seção de Fotografia da Sociedade Filarmónica Alpiarcense 1º de dezembro. Esta ação formativa apresentava como objetivos fornecer aos interessados informação teórica e prática sobre a identificação e utilização das dinâmicas internas da imagem, escolha dos enquadramentos, seleção das imagens e construção de sequências. O workshop, que contou com a presença de 19 participantes, foi orientado por Luísa Baeta, formadora das disciplinas de composição e história da fotografia no Instituto Português de Fotografia. O sítio na internet da Seção de Fotografia da SFA pode ser visitado em http://sfafotografia.blogspot.com .

Sociedade consumista relegou os "mais frágeis" para segundo plano




 “Infelizmente temos esses pequenos caos na nossa sociedade”, disse Joaquina Madeira em entrevista à agência Lusa, a propósito da abertura oficial em Portugal, na terça-feira, do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações.
Para a coordenadora do Ano Europeu, situações como a dos idosos que aparecem mortos sozinhos em casa são “muito críticas” e merecem a indignação de todos.
“A sociedade já não tolera situações desta desumanidade”, vinca.
Joaquina Madeira aponta responsabilidades ao “modelo de sociedade consumista, pós-industrial, materialista, que relegou os mais frágeis para uma posição em que são pouco alvo da atenção e da solidariedade das comunidades”.
Para a responsável, “a fragmentação das famílias, a urbanização e as condições da vizinhança, que não sente obrigação relativamente ao outro, vieram criar estas situações”.
Apesar destas situações não poderem acontecer, o facto das pessoas terem “maior consciência de que são situações intoleráveis é um fator muito importante para a mudança”.
“Às vezes aprendemos da pior maneira e isto pode ajudar também para que saibamos dar mais valor às pessoas e às amizades”, sustentou, considerando que as dificuldades que as famílias estão a viver também podem fomentar uma maior aproximação com os outros.
Contudo, admite, “é um fenómeno que dificilmente se combate porque cada vez há mais idosos a viver sozinhos, o que não acontecia no passado e as pessoas também morriam mais cedo”.
Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) indicam que, em 2011, mais de 1,2 milhões de idosos viviam sozinhos ou em companhia de outras pessoas com mais de 65 anos, representando cerca de 60 por cento da população idosa a viver nestas condições.
Na última década, os idosos a viver sós ou em companhia com outros idosos aumentou 28%, adiantam os Censos 2011.
Joaquina Madeira salientou as iniciativas que já foram tomadas por organizações não-governamentais e freguesias para através do voluntariado fazerem um acompanhamento sistemático destas pessoas.
“Antigamente estes casos também existiam mas estavam ocultados. O facto de sabermos já é muito bom porque vamos tomar medidas”, sublinha.
O Ano Europeu do Envelhecimento Ativo procura sensibilizar e chamar a atenção para o contributo das pessoas mais velhas para a sociedade e promover medidas que criem melhores oportunidades para essas pessoas se manterem ativas.
«Lusa»

Cavaco apela ao reconhecimento dos jovens empresários

  Os jovens “acreditam nas potencialidades do país e querem contribuir para a melhoria da competitividade e internacionalização da economia”, sublinha o Presidente da República

O Presidente da República volta ao Facebook para deixar um apelo: não criem barreiras aos jovens empresários.

Num balanço à sexta etapa do Roteiro para a Juventude, que ontem terminou no Porto, Cavaco Silva diz que os jovens não pedem mais apoios públicos ou financeiros, mas querem que confiem neles, nas suas iniciativas e criatividade.

“Nenhum país atinge um elevado grau de desenvolvimento se não for capaz de estimular os seus jovens empresários e se não souber reconhecer e apoiar o mérito e o talento dos melhores. Eles são a seiva de uma economia próspera”, defende Cavaco Silva na sua mensagem.

O chefe de Estado diz ainda que escolheu as indústrias criativas para a última etapa do Roteiro, porque acredita que o sector “tem um papel de grande relevo no crescimento económico e na criação de oportunidades de trabalho qualificado e sustentável para os jovens”.
«RR»

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Esperança e confiança no Dr. Nuno Prates, Conservador da Casa Museu dos Patudos


Para as pessoas que se interessam por estas coisas da História de Alpiarça, a história mais antiga, do tempo dos romanos, aqui fica um apontamento da revista Portugal Romano. Não é assunto original, no entanto é mais um olhar sobre a nossa história mais remota. As potencialidades de Alpiarça, em termos de história, são de facto imensas e não se resumem, felizmente, à Casa Museu dos Patudos. Tenho esperança  e confiança que o Dr. Nuno Prates, actual conservador, que têm especial apetência por esta faceta mais antiga da história de Alpiarça, consiga conjugar a época mais antiga da nossa história, anterior mesmo ao estabelecimento dos romanos nestas paragens, com a história contemporânea que tem como emblema José Relvas e a casa onde viveu. Pode-se efectivamente articular uma e outra, tendo como centro a área da Casa dos Patudos, em beneficio de um projecto turístico mais abrangente em termos temporais. Os custos serão até irrelevantes face ao espólio, ao trabalho de campo já feito e à catalogação existente. As investigações mais importantes estão feitas. O material existe armazenado e já está na Casa dos Patudos. Vamos dar-lhe a visibilidade que a sua importância em termos nacionais merece. Penso que visitantes não faltarão para esta valência, assim se faça uma publicitação eficaz.
http://www.portugalromano.com/2012/01/acampamento-romano-do-alto-do-castelo-alpiarca/
De: José João Pais

No cimo da rua os “actores na cena são sempre os mesmos”

O comentarista (O não cumprimento das promessas eleitorais discute...") tem toda a razão. Os “actores na cena são sempre os mesmos”. Na verdade até parece que estes protagonistas de retórica tiram lugar a outros actores como se em Alpiarça não haja outros problemas e um atraso considerável em relação aos concelhos vizinhos.

 No entanto devemo-nos alegrar porque estas três figuras, nomeadamente os dois últimos, ainda servem para "comentários e postagens".

O segundo porque foi eleito e o terceiro que vive a sustento do sistema mas em conjunto não são capazes de fazer algo que se veja.

Pouco valem, já que não passam disto!

Vivem dependentes do ópio partidário e querem que os outros passem a girar em contorno daquilo que os alimenta como se Alpiarça não tenha problemas mais graves por resolver e de outras coisas necessite.

Dois “medíocres artistas” que ainda nada conseguiram fazer pela terra que os alimenta para viverem numa giratória onde tudo vai parar no poder instalado, para infelicidade dos alpiarcenses, na Silvestre Bernardo Lima.

Comentários e postagens que lhes alimenta o ego e pouco mais. Vivem na ilusão ou na fantasia da cena teatral como deles tudo dependesse.

Ainda não conseguiram entender o guião e muito menos desempenhá-lo.

Pobres figurantes!

São artistas que pensam estar em cima do palco quando o papel que representam mais é do que estar nos bastidores onde não lhes é permitido sentir o calor e os aplausos da assistência.

 É-lhes permitido apenas viverem no mundo do “faz-de-conta” onde as suas fraquezas e incapacidades teatrais até os impede de estar no meio da plateia, local onde é difícil vê-los porque a obsessão de ambos é tão cega que dificilmente conseguem estar noutros ambientes que não seja no “cimo da rua” como se nesta esteja o “mundo”.

 Diz o comentarista que os “assuntos de fundo” estão por resolver quando há “carradas de pão” por distribuir. Na verdade a cegueira e eloquência dos dois actores mais não passa de uma cegueira que os impede de enxergar mais longe e de alimentar aqueles que gritam por alimento.

No centro do palco, porque se julgam actores, estas figuras de sustento vivem na mais plena escuridão porque os holofotes a eles não estão dirigidos.

Tem dificuldade em enxergar os contornos da politica que aos poucos lhe vai fechando o caminho e impedindo-os de poderem alcançar outros caminhos que acabarão por os empurrar para o esquecimento

Quando o comentarista pergunta se “os problemas de Alpiarça se resumem ao PCP, Mário Pereira e João Osório” não se deve apoquentar com tais ditos porque as duas pessoas em si mais não passam de dois figurantes em cena que  nem papel tem para desempenhar.

Deixá-los gozar da fama porque a vida são dois dias e todos nós temos direito de usufruir da “coroa do rei” ou de ser “famosos por alguns minutos”.

Até o comentarista foi famoso ao escrever parte do guião que um dia será rasgado por não prestar para nada. Apenas serviu para dizer a verdade que todos conhecemos mas que nem todos são capazes de dizer como o comentarista disse.

A sua desilusão não é única, porque se tais figurantes descessem à rua e se juntassem com o povo iriam ver e ouvir que não passam de duas singelas figuras que nem para figurantes servem.

Quanto ao primeiro actor, o PCP, que nos valha a grandeza deste partido e o seu passado.

Pena é ter nas suas fileiras quem não consegue enxergar mais longe

Dê tempo ao tempo!

Opinião de um leitor

Noticia relacionada: "O não cumprimento das promessas eleitorais discute..."

Parece que nunca tanto se falou do Patacão

 Parece que nunca tanto se falou do Patacão. Ele é rádio, ele é jornais locais, regionais e nacionais, ele é revistas... Bom, a verdade é que o nome de Alpiarça está a ser divulgado por bons motivos e isso é que é importante.
Há que reconhecer o trabalho daqueles que de modo sensato e sem querer dar nas vistas ou receber louros, têm feito um trabalho excelente quer na recuperação do nosso património quer na divulgação e promoção do Concelho de Alpiarça.
Que continuem pois é isso que Alpiarça precisa.
J. Cláudio

Meter medo


Tempos houve em que a União Europeia ainda disfarçava a sua natureza antidemocrática. Chumbo na Irlanda ao Tratado de Lisboa? Sim, Bruxelas ‘respeitava’ os resultados; mas sempre ‘aconselhava’ os irlandeses a votarem outra vez.
Estas máscaras têm caído com a crise do euro: agora, em troca de novo empréstimo à Grécia, Bruxelas vai enviar governadores permanentes para Atenas e reescrever a Constituição dos nativos para espremê--los ainda melhor. Esta receita, desastrosa e humilhante, não assusta as ‘elites’ europeias. Como não assusta o tratamento ministrado aos jornalistas da TVI, proibidos de captar imagens nas reuniões europeias por terem revelado uma conversa importante entre Vítor Gaspar e o seu comparsa alemão. No futuro, Bruxelas pondera recolher as imagens, filtrá-las e só depois distribuí-las pelo rebanho. E se houver conversas incómodas, a solução talvez passe por usar o velho método soviético de apagar os seus autores.
Esta gente mete medo.
Fonte:«CM»
Enviado por um leitor

Chuva de estrelas


"Sou uma pessoa de fé, esperarei sempre que chova", disse a ministra da Agricultura, acrescentando: "Se não vier, não perderei a minha fé mas teremos de actuar em conformidade". Trata-se de uma devota disposta a qualquer coisa se as suas crenças falharem. Não é mau. Duarte Marques, líder da JSD e deputado, considera o combate ao desemprego "uma questão de fé". Passos Coelho e Vítor Gaspar, contra todos os números e factos, acreditam no crescimento. E nada farão para mudar a mão invisível de Deus, do mercado, do fadinho ou da sorte.
As sucessivas intervenções do ministro das Finanças confirmam que tem convicções inabaláveis. Recentemente, quando um aluno da London School of Economics lhe perguntou como se faria o crescimento, remeteu para a recuperação cíclica. Pronto. O que desce também sobe, o que arde cura e o que pica fura. É com esta fé obstinada, cretina e desresponsabilizante que nos governam. A troika é a santíssima trindade, o que é preciso é muita força e a chuva, tal como o emprego e o crescimento, há-de cair do céu. Mesmo que, entretanto, seja o céu a desabar em cima da nossa cabeça.
De um leitor

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Mais um dia de trabalho gratuito na recuperação da Aldeia dos Pescadores


 Mais um dia de trabalho gratuito na recuperação da Aldeia dos Pescadores Avieiros do Patacão – Alpiarça.
A organização AIDIA (Associação para o Desenvolvimento Integrado de Alpiarça) parceira de outras entidades ligadas ao projecto avieiro, levou a efeito hoje, dia 25 de Fevereiro de 2012, com a colaboração de associados, gente anónima e autarquia, mais uma jornada de limpeza e corte de salgueiros bem como o estudo de viabilidade das casas a recuperar.
Ao almoço foi servido a todos os presentes uma bela sopa de pedra , frango de churrasco e acompanhamento, gentilmente oferecido pelo restaurante “O Forno” de Almeirim, regado com um bom vinho tinto proveniente da adega da AGROALPIARÇA - Produção Agrícola de Responsabilidade Limitada, pertencente à Câmara Municipal de Alpiarça.
A recuperação da primeira casa, ainda de acordo com os responsáveis, terá início dentro em breve, já que o Mestre carpinteiro António Alfaiate se predispôs generosamente a fazer esse trabalho. É só uma questão de conseguir os materiais necessários que boas vontades não faltam - concluíram.
Estiveram presentes, para além de velhos pescadores avieiros ( ex-moradores do aldeamento) representantes dos Arquitectos sem Fronteiras e repórteres da agência Lusa que divulgarão, pelo seu interesse público, o evento.
Passaram por ali também responsáveis do clube desportivo “Águias” e “Filarmónica Alpiarcense” bem como o grupo que participava no Workshop de fotografia que aconteceu hoje na “Música”. Todos foram unanimes ao afirmar que o aldeamento levou uma grande “volta” depois de tantos anos de abandono, enquanto faziam uns “shots” para a posteridade.
De salientar ainda o facto, de modelos fotográficos profissionais aproveitarem o ensejo para algumas sessões de trabalho nas barracas prontas para o restauro. Alguns olhares mais atrevidos não resistiam à tentação de uma espreitadela aos holofotes das beldades. Dizia um velho pescador: “ Olha se eu tivesse, há quarenta anos atrás, a patroa à minha espera à janela naquele propósito…Era o bonito era, ahahah!...”

Repórter Y

Neo-caciquismo

Na posse de importantes recursos públicos, os autarcas tornaram-se depois de 1974 em verdadeiros caciques locais. Ao contrário dos antigos caciques durante a ditadura, o seu poder não advém dos conhecimentos possuem junto do Estado central, mas dos orçamentos camarários que gerem. Os caciques actuais, com dinheiros públicos, tornaram-se em muitos concelhos nos principais empregadores, distribuindo cargos, subsídios pelos correligionários, amigos, apoiantes, etc.

Um das formas mais expedidas que encontraram para subirem os seus ordenados, darem empregos aos membros dos respectivos partidos que não foram eleitos, mas também para financiaram os próprios partidos, foi a de criarem empresas municipais. Em 2010 calculava-se que existissem em Portugal mais de 2.000 empresas municipais, a maioria das quais totalmente endividadas. Estamos perante verdadeiros antros corrupção que os autarcas não largam mão.

Os novos caciques controlam a imprensa local (jornais e rádios) não através da censura, mas através de subsídios ou da publicidade. Se enaltecerem a obra da câmara recebem, caso contrário serão penalizados. Chegaram ao ponto de estabelecer protocolos de colaboração com os jornais locais, assentes num compromisso mútuo: dizerem bem da actuação dos autarcas, a troco de publicidade camarária (CM Porto, CM de Gaia, etc. - Público, 30/6/2006).

No Alentejo, as câmaras municipais ligadas ao Partido Comunista Português, financiam um jornal diário (Diário do Alentejo), que se tem destacado na propaganda destas autarquias.

O melhor exemplo do desvario que reina nas autarquias portuguesas pode ser observado nos investimentos feitos na propaganda feita pelos partidos nas eleições autárquicas. O peso político dos caciques locais fez disparar os custos das suas campanhas eleitorais, ultrapassando a partir de 1997, o realizado nas eleições legislativas. Em 2009 foi seis vezes superior (Expresso, 29/8/2009).

Para puderem suportar estas campanhas cada vez mais caras, um crescente número de autarcas, no exercício dos seus cargos, passou a dedicar uma boa parte do seu tempo e dos recursos públicos a criar e alimentar vastas redes clientelares através de esquemas mafiosos (subsídios públicos, corrupção, tráfico de influências, etc.).

Ninguém dúvida da importância das autarquias, assim como das suas virtualidades, mas agora estamos confrontados perante a necessidade de uma verdadeira revolução no seu funcionamento. O que existe não pode continuar, é a própria democracia que está em causa.
Noticia relacionada:

Com união e sem caciquismos, principalmente!


Não faz mal, eles até estão de costas!
E, para além disso, as causas das populações são mais importantes do que qualquer cara de pequerrucho, seja ele qual for!
Sejam da vila, do Casalinho, ou dos Frades, as pessoas devem aparecer onde é preciso e reivindicar todas as promessas que lhes foram feitas. Aqui e em todo o País, sejam feitas pela CDU, ou por qualquer outro Partido.
O que se promete, deve-se fazer!
Senão, mesmo que seja campanha eleitoral, que se pense bem primeiro antes de prometer mundos e fundos, porque depois o povo repara e pede contas! Ah, pois claro...
E não é preciso esperar pelas eleições para dar a resposta. É no dia a dia que devemos fazer valer os nossos direitos.
E, doa a quem doer, as coisas devem ser ditas, ouvidas e explicadas!
Porque a falar é que a gente se entende.
Ainda por cima se o camarada "bruxo" tem os olhos abertos, melhor ainda. O PCP, neste momento, precisa é de camaradas com os olhos e ouvidos bem abertos, sem medo de expor as suas opiniões e o cérebro a funcionar a 100%, sem se deixarem levar por aqueles que pensam que mandam em tudo e em todos.
Não tenham medo de pensar e acção é que é preciso!
Hoje o direito à indignação e à reivindicação vale mais que nunca e deve ser praticado com convicção e com muita seriedade!
Com união e sem caciquismos, principalmente!
Noticia relacionada:

"Estamos na maior !!!!" e os meandros das lutas internas do PCP naquela vila da Borda de Água (Alpiarça)

 O prestimoso

 teve a bondade de reproduzir uma crónica e umas notas  aqui publicadas

O “ABALO” QUE O SR. ABALADA FEZ EM ALPIARÇA E ARREDORES

Bocas dalguns blogues mais correctos politicamente) e encontrei um genial post anti-comunista chamado JOÃO OSÓRIO: Um plano bem ou mal delineado? que nos elucida sobre os meandros da lutas internas do PCP naquela vila da Borda de Água, tradicional bastião bolchevique. O post está assinado pelo sugestivo nome de ''Comuna Insider'' e teve direito a 20 comentários.Naturalmente o ''insider'' é tão ''outsider'' como o Armando Fernandes era Edite..... Leia mais em:Abalo em Alpiarça (por causa do Sr. Abalada)


Um grande sucesso deste blogue e do Cidadão Abt

A este ritmo de leitores e de aumento da nossa área de influência, não tardará Anacleto Baptista a telefonar-nos para nos convidar para editorialistas da Nova Aliança.

Coisa a que nos recusamos, a não ser que aquilo se passe a chamar
Leia mais em:

Desemprego vai continuar a subir em Portugal este ano

As previsões divulgadas pela Comissão Europeia não incluem dados específicos para a taxa de desemprego. No entanto, ao prever uma recessão ainda mais grave que o inicialmente esperado para 2012 (uma redução de 3,3% da economia portuguesa), a Comissão nota que o desemprego vai continuar a subir.
Nas projecções de Novembro, a Comissão Europeia esperava uma taxa de desemprego de 13,7% para Portugal este ano - valor que já foi superado no último trimestre de 2011, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (embora as taxas de desemprego do INE e da Comissão não sejam totalmente comparáveis).
A Comissão, no documento apresentado, nota ainda que os maiores aumentos na taxa de desemprego estão a ocorrer em países em processo de "ajustamento macroeconómico": "Grécia, Portugal e Espanha representam 95% do aumento no desemprego [na União] desde o final de 2010."
A Comissão nota ainda que o desemprego jovem "disparou para níveis próximos dos 50%" em Espanha e na Grécia. Em Portugal, segundo dados do INE, 35% dos jovens entre os 15 e os 24 anos estavam desempregados no final de 2011.
«DE»



Jerónimo de Sousa desafia PS a rasgar o acordo com a troika para não cair em contradição

"O PS que se defina. É um subscritor do 'Pacto de Agressão', então é  cúmplice desta política, não quer ser então rasgue essa assinatura e venha  para a luta contra esta situação em que nos encontramos, venha ser, de facto,  a oposição que agora não é", incitou Jerónimo de Sousa durante um comício  em Faro. 
O líder do PCP acusou o PS de se ter metido num "nó cego" ao querer  ser "da situação e da oposição ao mesmo tempo" e de querer ser visto como  opositor ao pacto sem renunciar ao que de mais grave ele contém.  
"Assinar o 'Pacto de Agressão' e as medidas que preconiza e depois vir  rabujar e criticar a sua aplicação conduz sempre a ser apanhado em contra  pé e em contradição", acrescentou. 
Jerónimo de Sousa teceu ainda duras críticas à decisão do Governo de  financiar empresas privadas de trabalho temporário em vez de combater efetivamente  o flagelo do desemprego. 
"Esta medida é brincar com os desempregados, abusar dos dinheiros públicos,  facilitar mais alguns amigos de empresas do trabalho temporário e apoucar  o próprio instituto de emprego e formação profissional", criticou. 
Segundo o secretário--geral do PCP, o objetivo fundamental da política  de direita do Governo é a de manter e pressionar um "exército de desempregados".
"Pressiona os desempregados pela vida que têm e, simultaneamente, quem  tem emprego porque quando estes reivindicarem salários, quando reivindicarem  um direito, lá vem a ameaça: "Se te fores embora tenho aqui mais dez para  colocar no teu lugar". Este é o objetivo fundamental de manter um exército  de desempregados", acusou. 
A taxa de desemprego disparou no quarto trimestre para os 14 por cento,  face aos 12,4 por cento observados no trimestre anterior, com o número de  desempregados a ultrapassar os 770 mil, segundo os últimos dados do INE.
A taxa de desemprego média anual situou-se nos 12,7 por cento, acima  da estimativa do Governo inscrita no relatório do Orçamento do Estado para  2012 e da estimativa da 'troika' (de 12,5 e 12,4 por cento, respetivamente).
 Lusa