.

.

.

.

terça-feira, 30 de junho de 2015

EXEMPLOS DO QUE SE NÃO DEVE FAZER PARA LAVAR CONTENTORES


 ISTO SÃO FOTOS DOS EXEMPLOS DO QUE SE NÃO DEVE FAZER PARA LAVAR CONTENTORES. UMA COISA É DESINFECTÁ-LOS POR PULVERIZAÇÃO (COM UM PULVERIZADOR E NÃO COM UMA MÁQUINA À PRESSÃO DE GRANDE DÉBITO) NO LOCAL OUTRA É LAVÁ-LOS E DEIXAR PORCARIA NO CHÃO E O PIVETE EM PLENO VERÃO
Estive a ver com cuidado as imagens disponibilizadas pelo Sr. Presidente da Câmara sobre a lavagem dos contentores e pergunto-me se o Sr. Presidente acha que este é um trabalho que se faça, se tem o apoio e concordância dos serviços de veterinária do município, dos serviços de higiene e ambiente e do próprio encarregado dos serviços de limpeza.
Ou seja, concretamente, se é higiénico lavar contentores em plena rua e deixar o "esterco" no chão à porta dos contribuintes, ou se isso não é motivo para uma queixa nas autoridades respetivas?
Que fez a câmara ao reboque onde transportava os contentores para serem levados no estaleiro, ou é para poupar trabalho, mas fazer esterco?
Só para dizer também que estavam quatro a trabalhar e quatro a ver.
Noticia relacionada:"Presidente da Câmara assiste à lavagem dos conte...": 

Imagens da Sessão da Assembleia Municipal de Alpiarça

Sessão da Assembleia Municipal de Alpiarça, realizada ontem, no auditório dos Paços do Concelho, na qual, entre outros assuntos, foi aprovada a nova carta educativa.
«Texto e fotos de Mário Pereira»

O ÚLTIMO BAILE NA ANTIGA SEDE DOS ÁGUIAS DE ALPIARÇA

MOMENTOS ÚNICOS:

"ALPIARÇA: Uma Terra Orgulhosa. Uma Terra de Paixões"


ABRIL 1971...ULTIMO BAILE NA ANTIGA SEDE DOS AGUIAS DE ALPIARÇA...GRUPO ORIGENS...JOÃO, PINA, TOZÉ E AUGUSTO LOPES GIL....TOCAVA-SE NA ALTURA DA FOTO..I SHALL BE RELEASED DO BOB DYLAN
Foto de : Augusto Gil Lopes

Presidente da Câmara assiste à lavagem dos contentores


Com os trabalhadores do Município, durante o trabalho de recolha dos resíduos sólidos urbanos e de lavagem dos contentores do lixo, hoje à tarde, no Frade de Cima.a lavagem dos contentores.



«MP»







O aumento dos boys do PCP/CDU na Câmara

Não é preciso ser muito inteligente nem grande matemático ou economista para saber fazer as contas de como este executivo desde 2009 tem procedido ao empobrecimento do concelho


O deficit permanente pode ser justificado com diminuição de receitas e com o aumento de boys do PCP/CDU conforme foi demonstrado pela oposição.
O advogado avençado, que nos tempos correntes poderia justificar uma avença por volta dos 500 € ganha "apenas" 1900 euros/mês.
O ROC ganha cerca de 5000 €/ano a mais do que os seus colegas de municípios maiores como Almeirim ou Chamusca. Coincidência... foi membro do comité central do PCP.
A câmara, com dois encarregados experientes (Mário Fidalgo e Manuel Colhe) sentiu-se na necessidade de contratar mais um camarada, inexperiente na tarefa, com as quotas em dia.
Temos ainda uma chefe de divisão, que tinha vinculo à Câmara de Lisboa e que tem um vencimento incomportável para a Câmara de Alpiarça que passou a ter vínculo a Alpiarça. Só aqui, cerca de 250.000 euros no mandato que deveriam ser aplicados na população porque havia nos quadros quem tinha tanta ou mais competência e a referida senhora não ficaria desempregada e não é uma mais-valia para esta terra. Um pequeno pormenor...
Agora, ao que se sabe, temos um técnico de informática que vai levar um processo e que ganhava cerca de 800 euros e que é de Alpiarça e vamos ter um novo técnico vindo de fora e com um salário, ao que dizem, na ordem dos 1500 euros.
E aqui é que vaca vai tossir. Ou despedem O João Paulo por NADA, ou então vão criar mais cerca de 30.000 €/ano de encargos com o novo informático. Aos 1500 euros há que juntar os encargos sociais multiplicados por 14 meses.
Assim vamos alegremente assistindo às patuscadas, às provas desportivas para que meia dúzia tirem fotos e ao empobrecimento do concelho. O que vai para cumprir os planos eleitoralistas do PCP de certeza que não é aplicado no bem estar da população.
Não é preciso ser muito inteligente nem grande matemático ou economista para saber fazer as contas de como este executivo desde 2009 tem procedido ao empobrecimento do concelho.
Mas uma coisa é certa... em 2017 podem continuar a votar neles porque os "fascistas" e "saudosistas do passado" podem querer mudar Alpiarça (para muito melhor)!
Noticia relacionada:  "Gráfico do passivo contabilístico da Câmara de Alp...": 

O CHEF SOU EU - Melão Manuel António

Todos os dias, por volta das 8h30, o conceituado chef José Avillez vai sugerir receitas, partilhar dicas de cozinha e conversar sobre outras curiosidades que irão dar um novo sabor às manhãs dos ouvintes da rádio número um de Portugal.
No dia 29-06-2015 sobre o Melão Manuel António (com mais incidência a partir do minuto 2:15)

Gráfico do passivo contabilístico da Câmara de Alpiarça


O nível de divida da autarquia


Alteração da reunião de Câmara


E D I T A L
Nº 35/2015
REUNIÃO DE CÂMARA


---Mário Fernando A. Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Alpiarça, torna público, para os devidos efeitos, que o dia da reunião de Câmara foi alterado para 6 de Julho de 2015, (2ª feira) pelas 15h00 no auditório dos Paços do Município.
---Para geral conhecimento, se publica o presente Edital e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos do costume.
---Paços do Município de Alpiarça, em 29 de Junho de 2015
---O Presidente da Câmara
---(Mário Fernando A. Pereira)

Cobrar dívidas ao Estado será mais fácil e mais rápido

O novo Código de Processo dos Tribunais Administrativos será muito semelhante ao código de Processo Civil, anunciou Paula Teixeira da Cruz . Mas o que significa isso? Significa que os agentes de execução vão poder praticar atos executivos também no processo administrativo, refere o Jornal de Negócios.
Assim, passarão a poder agir no sector público e não só no setor executivo e privado como agora acontece, o que quer dizer que também poderão cobrar dívidas ao Estado, tornando os processos mais rápidos e mais fáceis.
Sobretudo serão ganhos para o cidadão, porque a celeridade com que hoje um cidadão pode cobrar uma dívida que tenha é muito diferente da que existia. Não estará vários anos à espera e não emoldurará uma sentença que não conseguiu cumprir", fez notar a ministra.
Já o presidente da Câmara dos Solicitadores explica que desta forma os agentes de execução podem trabalhar, por exemplo, com a Segurança Social e com o Fisco em trabalhos de notificação e penhoras e que a grande vantagem será ter os agentes no terreno.
«NM»

segunda-feira, 29 de junho de 2015

EDUARDO COSTA: uma voz crítica e incómoda para a CDU/PCP de Alpiarça

Eduardo Costa que, pelos vistos, continua a ser mal interpretado por quem detém o poder autárquico em Alpiarça

Por: X.F.

Nas minhas pesquisas pela Net, encontrei por acaso, um vídeo que é, simplesmente, um excerto das comemorações do 25 de Abril na cidade de Santarém do PDR (Partido Democrático Republicano) cujo líder é Marinho e Pinto, em que intervém como orador o conhecido (e participativo nas Reuniões de Câmara e Assembleias Municipais de Alpiarça) coronel na reserva, Eduardo Costa (foto). O coronel Eduardo Costa, como sabemos, tem sido uma voz crítica e incómoda para a CDU/PCP de Alpiarça que, depois de um interregno de 12 anos a favor do PS, governa desde há 6 anos a Câmara Municipal de Alpiarça.
Acusado por Mário Pereira, actual presidente da CMA, de ser o coronel Eduardo Costa, testa de ferro (Chefe do Gabinete de Estudos) do movimento independente "Todos Por Alpiarça" que foi apoiado pelo PSD/MPT, espanta-me que Eduardo Costa esteja no partido de Marinho e Pinto que combate ferozmente aqueles que têm estado alternadamente no poder desde o 25 de Abril de 1974 e que têm contribuído para a vergonhosa corrupção instalada no país.
Porque penso ser interessante compreender, de certo modo, os meandros da política alpiarcense e os seus protagonistas, bem como importante, incentivar o exercício do direito e dever de cidadania, deixo aqui o link que nos conduz ao Youtube para ouvirmos o que diz e o que pensa o coronel Eduardo Costa que, pelos vistos, continua a ser mal interpretado por quem detém o poder autárquico em Alpiarça e sente que, definitivamente, não pode colocar o pé em ramo verde, como se costuma dizer.
Ter os políticos sob observação é, sem dúvida alguma, um sinal positivo para a democracia. “A política é demasiado séria para deixarmos os políticos a sós com ela”… disse alguém, com toda a razão.

Veja mais aqui:


Intervenção de Marinho e Pinto nas comemorações do 25 de abril de 2015:

A "democracia CDU" a funcionar

É a "democracia CDU" a funcionar. Em 3 meses não houve sextas-feiras ou vésperas de feriados para realizar a Assembleia. Curioso é verificar que na mesa estão 2 reformados que no dia seguinte podem dormir a manhã na cama. O executivo camarário em funções, se a reunião terminar lá para as tantas, usando um pouco de ironia já se está a imaginar que vão fazer "uma directa" e apresentarem-se na Câmara fresquinhos como uma alface.
Prosseguindo pela bancada temos a presidente da Junta de Freguesia, a chefe de bancada e 2 ex-sindicalistas da Renoldy que se vê que terão sérias dificuldades em prolongar a sessão até ao nascer do dia ...
E que dizer da Ordem de trabalhos? Logo no 1º ponto e ao que foi dito está prevista uma intervenção do seu proponente que certamente e pela extensão da matéria não ficará despachada em 10 ou 15 minutos. Prosseguindo pela Ordem de trabalhos, com pontos quentíssimos de debate político ninguém imagina que se resolvam em 5 ou 10 minutos.
No meu entender vamos assistir a uma NÃO Assembleia e um autêntico golpe de Estado não democrático dado por esta CDU-Alpiarça.
Esta vai ser uma Assembleia mais própria de um país como a Coreia do Norte do que dum concelho com tradições democráticas como é Alpiarça.  
Noticia relacionada: "TPA reclama da sessão da Assembleia Municipal": 

A 'Reforma da Administração Local'

Por: Anabela Melão

O ego é tramado! No próximo dia 2, Miguel Relvas vai apresentar ao público a sua dissertação sobre a sua “experiência governativa de sucesso"! Provavelmente bem 'formado' e 'equipado' pelo (in)curso na Lusófona, que formou mais uma mão cheia de anedotas políticas, da esquerda à direita, vamos ter uma oportunidade única de compreender as agruras de um personagem que se diz dono de uma 'visão global' extraordinária para salvar o País, a começar pela encetada 'Reforma da Administração Local', ao que aventa, produto da sua mente brilhante e coisa mais que suficiente para obter mais uns 540 créditos, o que equivale já a mestrado! É pouco para o que a sua experiência governativa de excelência merece mas, enfim, é o máximo que se pode arranjar, caso a Lusófona entretanto não feche portas e continue a presentear-nos com asnos de primeira água! O dignissimo letrado fala, naquele seu livro, dos 'bastidores da própria governação', ambiente no qual se sente 'peixe na água' - ele, criatura de areias movediças e lamaçais profundos -, de 'resistências que conflituam com interesses instalados' e de 'dificuldades potenciadas', tudo circunstâncias que cuidou de incrementar no tempo da sua majestática carreira política.
Miguel Relvas lembra a reforma de Mouzinho da Silveira e compara-se ao dito, tal é o exercício de humildade que se prontificou a fazer desde que fez da missão de serviço público a sua missão privada de vida. O Mouzinho não acharia nem graça nem conveniência à comparação, mas, privilégio das alminhas!, resta-lhe assistir, lá do alto, a um povo adormecido que nem honra à sua obra e nome faz! É o mal dos grandes homens do passado que têm de assistir a estas 'peças' mudos e quedos! 
Relvas está a braços com a hipótese de ficar sem a sua rica licenciatura mas ensaia já habilmente a equivalência ao mestrado. Que se ponha a pau a direcção da Lusófona que desta vez o homem vai a reitor!

TPA reclama da sessão da Assembleia Municipal

E reclama com alguma razão porque marcar uma sessão ordinária da Assembleia Municipal para a noite de uma segunda-feira parece não fazer muito sentido porque    os membros  que  fazem parte deste órgão são pessoas que trabalham por contra de outrem e que tem de se levantar cedo para ir trabalhar.
Reclama assim na Internet o movimento alpiarcense onde faz saber que fazer uma sessão numa segunda-feira mais não do que uma aberração se for tomada em atenção de que a “última sessão terminou às 5 horas da manhã”.
Não deixa de ser curioso que a sessão marcada para hoje (ler: ORDEM DE TRABALHOS DA SESSÃO ORDINÁRIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE ALPIARÇA DIA 29 DE JUNHO DE 2015 ) é “ das que apresentam uma das ordens de trabalho mais extensa e com pontos de maior interesse para o presente e futuro do município” adianta o TPA.
Como nos disse um leitor: “fazer uma sessão destas e com esta ordem de trabalhos a uma segunda-feira, cheira a marosca” ou então o presidente da Assembleia Municipal “ confundiu-se na data pensando que era “uma sexta-feira”.
A não ser que haja alguma estratégia da CDU/PCP para desgastar a oposição, que tanto critica o executivo, ou fazer com que os eleitos do PS e do TPA percam o “pio” de maneira a não incomodarem quem tem a maioria.
Marcar uma sessão no inicio da semana onde todos sabemos que vai acabar pela madrugada não deixa de nos fazer pensar em coisas esquisitas.
Mas que é estranho lá isso é!

ORDEM DE TRABALHOS DA SESSÃO ORDINÁRIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE ALPIARÇA DIA 29 DE JUNHO DE 2015

A Assembleia Municipal de Alpiarça vai reunir em Sessão Ordinária no próximo dia 29 de junho de 2015

CLIQUE AQUI E LEIA O EDITAL

Políticos, artistas e académicos querem referendo ao Acordo Ortográfico

Personalidades das áreas da política, artes, cultura e académicos estão a RECOLHER assinaturas para um referendo ao Acordo Ortográfico (AO1990) e querem questionar sobre a matéria os candidatos a cargos políticos nas próximas eleições.
De acordo com um comunicado dos promotores da iniciativa de referendo ao Acordo Ortográfico de 1990 pretende-se PERMITIR que “finalmente os cidadãos se pronunciem sobre um assunto que sempre foi decidido e imposto sem a sua participação”.
Os mandatários da iniciativa de referendo, diz-se no comunicado, incluem figuras públicas da área política, do meio científico e académico, artístico e literário.
Nela (iniciativa) estão nomes como António Arnaut ou Manuel Alegre (PS), Pacheco Pereira ou Manuela Ferreira Leite (PSD), Bagão Félix ou Lobo Xavier (CDS-PP), o realizador de cinema António-Pedro Vasconcelos, o escritor Miguel Sousa Tavares, o maestro António Victorino d´Almeida ou o músico Pedro Abrunhosa.
Da lista fazem parte também escritores, professores e cientistas, todos juntos numa iniciativa que “nasceu” em abril passado num fórum realizado na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa com o título “Pela Língua Portuguesa, diga NÃO ao Acordo Ortográfico de 1990”.
Além do referendo, os promotores querem também PERGUNTAR às forças políticas e aos candidatos presidenciais o que pensam sobre o Acordo, se o utilizarão no exercício do cargo caso sejam eleitos, de que forma Portugal se deve de desvincular (se for o caso) e em que sentido votarão a iniciativa de referendo na Assembleia da República.
A iniciativa, em https://referendoao90.wordpress.com, tem 52 mandatários.
O referendo, segundo a Constituição (artigo 115.º - 2) pode resultar de iniciativa de cidadãos dirigida à Assembleia da República. São necessárias 75.000 assinaturas.
«DD/ Lusa»

domingo, 28 de junho de 2015

«Alguém tinha de dizer "Não". Coube à "pequena Grécia".»

De: Anabela Melão
«Alguém tinha de dizer "Não". Coube à "pequena Grécia".» - Yanis Varoufakis [tradução livre]

"(...) À chantagem do ultimato que nos pede para aceitar uma severa e degradante austeridade sem fim e sem qualquer perspectiva de recuperação social e económica, peço-vos para responderem de forma soberana e orgulhosa, como a história do povo grego exige. Ao autoritarismo e à dura austeridade, responderemos com democracia, calmamente e de forma decisiva. A Grécia, o berço da democracia, irá enviar uma retumbante resposta democrática à Europa e ao mundo.
Estou pessoalmente empenhado em respeitar o resultado da vossa escolha democrática, qualquer que ele seja. E estou absolutamente confiante de que a vossa escolha honrará a história do nosso país e enviará uma mensagem de dignidade ao mundo.
Nestes momentos críticos, todos temos de ter em mente que a Europa é a casa comum dos povos. Na Europa, não há proprietários nem convidados. A Grécia é e continuará a ser uma parte integrante da Europa e a Europa é uma parte integrante da Grécia. Mas, sem democracia, a Europa será uma Europa sem identidade e sem rumo.
Convido-vos a demonstrar unidade nacional e calma para que sejam tomadas as decisões certas.
Por nós, pelas gerações futuras, pela história do povo grego. Pela soberania e a dignidade de nosso povo." (Excerto do discurso de Alexis Tsipras, ontem à noite, ao povo grego)

Festa dos "Santos populares"



Festa dos "Santos populares", que  decorreu no espaço envolvente à Biblioteca Municipal de Alpiarça, numa organização partilhada entre a Sociedade Filarmónica Alpiarcense 1.º Dezembro e o Clube Desportivo " Os Águias ".

 «Texto e fotos de: Mário Pereira»

OPINIÃO DOS LEITORES: "Pior a emenda que o soneto"

A CIMLT (Comunidade Inter-Municipal da Lezíria do Tejo), constituida pelos municípios de Almeirim, Alpiarça, Azambuja, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém, foi uma forma encapotada de dar a volta ao retundo chumbo da regionalização por referendo nacional efetuado em 8 de Novembro de 1998, pois todos os portugueses sabiam que essa regionalização era mais uma forma "democratica" de se arranjar mais uns tachos num patamar intermédio situado ente o Estado Central e as autarquias.
"Pior a emenda que o soneto" diz com razão o adágio popular, de fato, os portugueses chumbaram o tachismo da regionalização, mas os políticos implantaram-na por decreto através destas "comunidades intermunicipais", que deveriam produzir um efeito de escala, mas que, mais não são que uma organização estatal á revelia do voto popular, que em vez de trabalhar com a melhor eficiência, dá prioridades a estes "jogos sem fronteiras", corridas, futeboladas, etc.
Fiquei alertado para esta realidade, quando verifiquei várias interpelações ao Presidente em reunião de câmara, feitas pelo já habitual "munícipe das perguntas difíceis" que quase o deixaram sem palavras, sobre o desempenho da CIMLT, salientando 2 que retive na memória:
- O concurso nacional plurianual da CIMLT feita para o fornecimento da alimentação escolar das nossas crianças ter sido isentada de caução, contra o que a lei alegadamente obriga.
- O concurso nacional plurianual de seguros da CIMLT, terá levado a um aumento de encargos para a câmara de mais do dobro no ano transato de cujo valor exato não recordo.
A ser assim, estamos perante mais do mesmo no despesismo nacional, pois uma coisa que não sabemos é qual é a fatura que a CMA paga a esta CIMLT para esta a substituir em parte das suas funções de proximidade com a população
Noticia relacionada: ""Jogos Mais Lezíria / Jogos Sem Fronteiras"": 

Ex-presidentes vão custar mais de um milhão de euros por ano

Quando deixam de ser presidentes - à semelhança do que acontece noutros países -, os chefes de Estado têm algumas regalias. Ao que o DN apurou - apesar dos custos serem variáveis de ano para ano -, em média cada presidente gasta 300 mil euros anuais. Juntando Cavaco Silva a partir de março de 2016, os gastos vão passar de cerca de 900 mil euros anuais (de Soares, Eanes e Sampaio) para 1,2 milhões.
Os direitos dos ex-presidentes incluem - a partir do momento em que cessam funções - uma subvenção mensal igual a 80% do vencimento do presidente da República. Ou seja: 5335 euros ilíquidos.
Ao contrário de outras, esta subvenção - em caso de ser aceite - é cumulável com "pensões de aposentação, de reforma, de sobrevivência ou a remuneração na reserva a que o respetivo titular tenha igualmente direito". Mas nem sempre foi assim. Em 1984 Mário Soares aprovou a lei - e Eanes promulgou- que não permitia a um ex-presidente acumular reformas. Só em 2008 a lei mudou.
Com a mudança legislativa, Ramalho Eanes passou a ter direito a mais de um milhão de euros em retroativos. O Estado tentou pagar, mas o ex-presidente recusou.
Ainda assim os gastos com ex--chefes de Estado devem rondar os 1,2 milhões anuais a partir de 2016. Além das subvenções vitalícias, há os gastos com os gabinetes a que - por lei - todos têm direito. E usam--no. O orçamento da Presidência paga assim o apartamento de Ramalho Eanes nas Avenidas Novas, ajuda a pagar uma parte das despesas da Fundação Mário Soares, junto ao Parlamento, bem como os custos do gabinete de Jorge Sampaio, que ocupa a Casa do Regalo, no topo da Tapada das Necessidades.
Estes direitos  são vitalícios e alienáveis. Só há um caso em que quem passa por Belém não tem estes direitos: um impeach-ment via Tribunal Constitucional - o que nunca aconteceu na democracia portugues.
«NM»

sábado, 27 de junho de 2015

Acampamento do Clube Europeu José Relvas

II Acampamento do Clube Europeu José Relvas, do Agrupamento de Escolas de Alpiarça, que decorreu no passada semana, no Parque de Campismo de Alpiarça.

«Fotos: Carla Ribas/CMA»

TPA: coloca em causa a gestão do executivo da CDU

(1)
A Câmara de Constância, com gestão CDU, fez um investimento de 9000 euros na requalificação do seu Parque de Campismo”, e, "segundo uma nota de imprensa da autarquia, foram criadas instalações sanitárias para crianças, fraldário, foram substituídos os vãos interiores e os bancos das cabines de chuveiros, e foi colocada uma rampa exterior no acesso ao edifício dos balneários / sanitários….” enquanto que  a Câmara de Alpiarça, também com gestão CDU “entregou por 1000 euros + IVA/mês a exploração do Parque de Campismo a concessionária privada sem qualquer experiência ou capacidade financeira”  e “antes do pagamento de qualquer renda” baixou a “mesma para 500 euros, e sempre que o TPA-Todos por Alpiarça exige a conta corrente entre a concessionária e a Câmara, fornecem uma folha de excel que nada diz, além de meses e meses de rendas em atraso.
Como se não chegasse este abismal diferença, conforme se pode ler na Internet, acrescenta o movimento alpiarcense: “quase durante UM ANO os encargos com electricidade, água era suportado pelo município” para agora os eleitos da CDU dizerem ao movimento TPA que já não é assim” porquanto: “há  mais de dois meses que não fornecem a conta-corrente actualizada pedida pelo vereador Francisco Cunha...”.  Quase  dois anos já passaram e o “parque mais parece uma quinta particular dum privado do que uma estrutura para dinamizar o turismo em Alpiarça
A dúvida que fica é como duas câmaras geridas por comunistas são tão diferentes na gestão do bem publico.
Há quem comece a dizer que a espécie de parque de campismo alpiarcense e o desleixo na conservação deste se deve às “ noites de luar” que por ali se praticam e às sessões espirituais que se realizaram nestas bandas.
Seja como for era bom que o executivo alpiarcense explicasse bem, mas com toda a transparência. o que se passa com o “mistério do Parque de Campismo de Alpiarça” que pelo caminho que leva qualquer dia ainda aparece nos apanhados da TV tal é a trapalhada que por ali existe.
Bom seria, de uma vez por todas, que Mário Pereira e, seus companheiros de bancada, dissessem aos alpiarcenses como está e como é o “Estado da Nação” do dito parque, porque do mesmo só sabem do estado deplorável em que se encontra e é demonstrado pelas foto publicadas.

 (2)
 (2)
 (2)
 (2)
(1) Parque de Campismo da Constância
(2) Parque de Campismo de Alpiarça
Fotos: TPA

"Jogos Mais Lezíria / Jogos Sem Fronteiras"



Ao final da tarde de ontem, o complexo das Piscinas Municipais de Alpiarça recebeu os "Jogos Mais Lezíria / Jogos Sem Fronteiras" da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT), com a participação de equipas representantes dos municípios de Alpiarça, Almeirim, Azambuja, Chamusca, Golegã, Rio Maior e Santarém.
Foi uma excelente jornada de convívio e de reforço de laços de proximidade na nossa região.



«Texto e fotos de Mário Pereira»

Sociedade Filarmónica Alpiarcense 1º de Dezembro


Portugal 2020 é insuficiente para impulsionar reabilitação urbana

De acordo com a OERN, no âmbito desta 2.ª edição do Barómetro da Engenharia foram sondados 160 engenheiros civis, sendo que a maioria (73%) considerou que "as verbas disponíveis no âmbito do Portugal 2020 não serão suficientes para impulsionar a reabilitação urbana e garantir, assim, o arranque efetivo do processo de renovação do edificado das cidades portuguesas".
"Apenas 27% acredita que estes novos fundos podem ser a 'bolsa de ar' que faltava", refere a Ordem.
Quando questionados sobre a atuação do Governo, a esmagadora maioria (95%) "defende que o investimento público não tem sido ajustado às necessidades de reabilitação urbana".
Segundo a informação divulgada pela OERN, este barómetro foi realizado no âmbito da discussão em torno da reabilitação urbana e da importância de regenerar as cidades, tendo em conta os objetivos do Portugal 2020, "programa que prevê um reforço do investimento na área da reabilitação urbana, e face às dificuldades em alcançar o desenvolvimento desejável a este nível no país".
Com este barómetro, a Ordem "procurou perceber junto dos engenheiros envolvidos diretamente em projetos de reabilitação como avaliam algumas das principais questões em torno desta problemática".
No âmbito deste barómetro foi também possível concluir que a "falta de investimento privado" é "vista como principal entrave à reabilitação".
"Para 30 por cento dos inquiridos, as dificuldades de financiamento são a principal razão do fraco desenvolvimento a este nível, colocando a falta de investimento privado em segundo lugar (21%)", acrescenta a Ordem.
O barómetro permitiu ainda concluir que 67% dos inquiridos considerou "desajustado" o regime especial de incentivos à reabilitação urbana, sendo que 33% defendeu ser "adequado".
O barómetro da Engenharia é composto por quatro questões de resposta fechada e tem uma periodicidade trimestral.
Através deste instrumento de medição e análise, a OERN pretende "lançar o debate e a reflexão sobre algumas das questões que mais afetam os profissionais de engenharia no país e que têm impacto ao nível do desenvolvimento tecnológico, económico e social".
«NM»

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Os "viradores de frangos" e os "servidores de minis e dos copos de tinto"

Mas cá por Alpiarça, os "viradores de frangos", possivelmente também assadores da bifana, do porco no espeto e servidores de minis e dos copos de tintol conseguem estar orgulhosamente sós



Os que viram e assam frangos devem ser considerados na sua profissão tal como um médico, um advogado, um funcionário público.

Decerto quando for preciso pedir um conselho é sempre bom ter por perto um assador de frangos, especialmente se a arte e a sabedoria for acumulada ao longo de muito anos.
Mas diz o ancestral ditado popular: "quem te manda a ti sapateiro tocar rabecão?"
E é disso que se fala. Hoje a China é uma potência económica mundial e mesmo que tenhamos aparelhos "Made in Europe" ou "Made in USA" dificilmente no seu interior não encontramos um, dezenas ou todos os componentes "Made in China".
Mesmo a maioria das empresas ocidentais rendeu-se ao poderio económico do tigre asiático e hoje as grandes empresas industriais possuem fábricas na China.
Mas cá por Alpiarça, os "viradores de frangos", possivelmente também assadores da bifana, do porco no espeto e servidores de minis e dos copos de tintol conseguem estar orgulhosamente sós.´


Para eles o mundo gira à volta de Alpiarça e não que Alpiarça é um pequeno grão de areia no mundo.
Não é o mundo que tem de aprender a falar em "pargas", "panconas", "fazer bolas" e outras expressões do léxico alpiarçoilo, mas o contrário.
São os jovens alpiarcenses que terão de esquecer essas expressões que lhe são familiares e ganhar competências noutras áreas. Se o mandarim é a língua mais falada no mundo, se o país de origem está a caminho de se tornar a maior potência mundial para quê contrariar o progresso?
Talvez sejam as tradições, as lutas de há 60 anos e outras formas de revivalismo que permitem que os jovens constituam família, comprem casas e ponham o pão na mesa.
Pena que nem todos tenham a sorte de alguns "viradores de frangos" que com um elevado déficit de competência profissional a compensem com o cartão e as quotas do partido pagas. 

OTL / CAF VERÃO 2015 EM ALPIARÇA

Já está aí em pleno o OTL / CAF VERÃO 2015 EM ALPIARÇA


Com as férias de Verão e com o calor vem o divertimento, a vivência do lazer com os amigos, a aprendizagem de novas realidades, o melhor conhecimento dos outros e de nós próprios, com muitas e diversificadas actividades e experiências.


«CMA»

Mário Pereira e Isabel Silva querem é aparecer na "fotografia"

Independentemente das afinidades ideológicas que a Associação de Pais responsabilize o presidente da Câmara e a Directora do Agrupamento Escolar caso Alpiarça perca mais esta ferramenta de desenvolvimento e luta contra o desemprego nas camadas mais jovens de cá


Mário Pereira e Isabel Silva(fotos) são apenas farinha do mesmo saco. Importa festarolas, arraiais, projectos de fachada para a fotografia e a imagem que tudo vai bem, neste caso com avaliações exageradas que provocam a ilusão nos pais, que tudo vai bem com a educação dos seus filhos, neste mundo ilusório de facilitismo.
A verdade é que a 3ª maior economia mundial - China - está cada vez mais em Portugal, e jovens com conhecimentos de Mandarim, terão uma mais valia de competências, para terem mais sucesso no mercado de emprego.
Espero que independentemente de afinidades ideológicas, a Associação de Pais da escola, a responsabilize, caso Alpiarça perca mais esta ferramenta de desenvolvimento e luta contra o desemprego nas camadas mais jovens de cá.

Mínimos de há seis anos nos subsídios de desemprego

De acordo com os dados disponibilizados online pela Segurança Social, em maio de 2015, havia menos 10.542 pessoas a receber estes subsídios do que em abril (-3,6%). Desde janeiro, há menos 25.003 trabalhadores a beneficiar destas prestações do que havia no final de 2014, uma queda de 8,2%.
O número de beneficiários de subsídios de desemprego está em mínimos de janeiro de 2009, altura em que havia 278.850 trabalhadores a receber esta prestação social.
Dentro destas prestações, o subsídio de desemprego é a mais representativa: em maio deste ano, 220.786 trabalhadores recebiam este subsídio, menos 8.129 pessoas do que no mês anterior (-3,6%).
Este valor já não era tão baixo desde abril de 2009, altura em que 218.176 beneficiavam deste subsídio.
O subsídio de desemprego é atribuído a trabalhadores que perderam involuntariamente o seu emprego, que estejam disponíveis para trabalhar e inscritos no centro de emprego da sua área de residência e tenham trabalhado por conta de outrem em 360 dias ao longo dos últimos 24 meses.
«NM»

quinta-feira, 25 de junho de 2015

VEREADOR FRANCISCO CUNHA: um “diamante por lapidar” com muito valor a capacidade para oferecer e dar quanto ao desenvolvimento de Alpiarça.

Reconheço que o vereador Francisco Cunha (foto) afinal anda avançado no tempo e no futuro. 
A prova é a do ministro querer implantar nas escolas o mandarim (Mandarim será ensinado nas escolas secundárias projecto  este apresentado para as escolas de Alpiarça, já  vai para muitos meses, pelo vereador do TPA.
Reconheço também que o vereador tem visão para ver  o futuro em termos de crescimento e mudanças.
Pena é que os alpiarcenses não compreendam e saibam ver estas pequenas coisas que poderiam vir a ser importantes para o desenvolvimento de Alpiarça se o empresário e vereador Francisco Cunha fosse ou venha a ser presidente da Câmara.
O que ele tem defendido, noutros concelhos já existe em qualidade e quantidade (as hortas) e a tese da aplicação do mandarim é agora confirmado pela assinatura protocolar entre o ministro da Educação e a China.
Francisco Cunha continua a ser um  “diamante por lapidar”  com muito valor a capacidade  para oferecer  e dar   quanto ao desenvolvimento de Alpiarça.
Assim os alpiarcenses o queiram e abram os olhos para elegerem quem anda adiantado no tempo.
Para não conseguirmos sair do marasmo em que nos encontramos já nos basta o actual presidente da Câmara.