.

.

.

.

domingo, 31 de maio de 2015

Vindo dos lados do PCP/MURPI não são roubos... são necessidades de equilíbrio financeiro...


O senhor VFPF (ler: Os aumentos na Arpica são apenas uma pequena amost...":  que ainda vive na ilusão do PREC, dos roubos de terras e bens aos legitimos proprietários ocorridos até ao 25 de Novembro de 1975 devia ler um pouco mais e informar-se convenientemente.
Qualquer lar das Misericórdias tem valores iguais aos que eram praticados na Arpica. Decerto NENHUM tem são aumentos anuais superiores a 100 euros, para mais numa IPSS de origem comunista, que passa a vida a berrar contra os "roubos aos reformados, pensionistas e idosos".
Mas esses "roubos" só o são quando são outros a aumentar 10 ou 20 euros nas mensalidades ou reduzir 20 euros em pensões superiores a 700 euros.
Vindo dos lados do PCP/MURPI não são roubos... são necessidades de equilíbrio financeiro...
Num exercício de demagogia pode-se responder à questão das tarifas das águas com outra pergunta: Quem pratica tarifas mais baixas na electricidade que a EDP? Quem fornece gas mais baixo que a Gaz de Portugal?
Cada um pode usar da demagogia que quiser e numa área em que a captação e distribuição de água é assegurada por uma empresa MONOPOLISTA, que ano após ano tem aumentado os seus lucros, naturalmente a resposta está encontrada.
Mas pode-se fazer outro exercício... será que não há em Portugal municipios com maior dificuldade de captação de água que praticam taxas incomparavelmente mais baratas?
Essa é que é a questão! Pagamos a água captada numa zona de fácil captação a preços exorbitantes e pagamos taxas acessórias, nomeadamente nos residuos sólidos, completamente desfasados do que se pratica nos municipios a norte.
Como se houvesse um país diferente no limite norte do concelho.
Mas há quem estando no governo use óculos com lentes vermelhas e só vê virtudes em tudo. 


OPINIÃO: São assim os camaradas...

Por: F.M

Pelo que temos acompanhado através da pena de alguns escribas, o TPA tem um "gabinete de estudos"; o PS tem um "gabinete de estudos"...então e onde está o gabinete de estudos do PCP/Alpiarça? Será que tem o seu "gabinete de estudos" na clandestinidade? É que a ditadura de direita (não confundir com ditaduras de esquerda que são ainda mais organizadas e sinistras) já acabou há quatro décadas! Ou o seu "gabinete de estudos" que deve estar guardado ao nível de subterrâneos e outros esconderijos, serve apenas para engendrar os planos que têm vindo a público. É que nós, na verdade, temos conhecimento das grandes estratégias do PCP/Alpiarça apenas quando somos confrontados com elas de modo inevitável. E dizemos "inevitável" porquanto eles nem dão hipótese de qualquer conversa! Fazem tudo em cima da hora para beneficiar do efeito surpresa. Foi assim com a divulgação do seu programa eleitoral. É assim com a entrega de informação de resmas de papel aos vereadores da oposição para ser discutida no dia seguinte. Veja-se o aumento dos "Cem Aéreos" mensais na ARPICA. Aquilo foi tiro e queda, para não dar tempo a ninguém de raciocinar. Têm apenas um comportamento pachorrento quando lhes convém. Veja-se as respostas que dão ao pessoal da imprensa (este jornal incluído) que quer saber a razão dos aumentos…como está a situação do desfalque de milhares largos de euros que misteriosamente desapareceram desta instituição…das cunhas…dos legados… e tantas, tantas trapalhadas que nunca tiveram resposta. Veja-se a resposta aos requerimentos apresentados ao executivo CDU pelos vereadores da oposição que só foram satisfeitos (não todos) por imposição das entidades competentes, como a CADA (Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos).
São assim os camaradas. Como alguém dizia: "…foram muitos anos de luta e, estas são ainda reminiscências da clandestinidade..."

Encontrada a solução para os problemas da Barragem dos Patudos

Por: S.AL.
Segundo o que já se ouve dizer pelas “esquinas” estão encontradas as soluções para os problemas da Barragem dos Patudos.
O vereador Pedro Gaspar (PS) o único eleito preocupado com os problemas ambientais do Complexo Turísticos dos Patudos e com a mortandade dos peixes na Barragem dos Patudos já obteve do “Gabinete de Estudos e Engenharia” pertença do “Mais Alpiarça” as soluções para acabar com os problemas que afectam a morte da “peixarada” da barragem.
Uma solução fácil  que nunca ninguém se tinha lembrado.
Tão fácil como isto:
“Ligar a barragem à Vala de Alpiarça com um canal atravessando este os campos que separam a vala da barragem.”
Eureka!
Os miúdos da escola já batem palmas.
Mas há mais:
Os apoiantes do vereador e os estudiosos do “Mais Alpiarça” estão ao lado de Pedro Gaspar para que este nunca se cale nas reuniões de Câmara a dizer a mesma coisa sem necessidade  de  apresentar quaisquer  soluções para o "caso urgente e bicudo" que é a barragem.
Assim e a conselho do tal gabinete há a  salientar ainda a seguinte “anotação”:
O canal ao passar junto das catacumbas do museu deverá  ser feito em “modelo subterrâneo” de forma a poder ter  uma parede de vidro para que os visitantes do museu possam ver os peixes…”
Quem deve estar a esfregar as mãos de contente deve ser o presidente da Câmara que assim se vê livre sempre da mesma conversa do vereador que por ser tão repetitiva até faz com que Mário Pereira às vezes tenha crises de “soneira” de tão farto estar de ouvir a mesma  “cassete” que mesmo riscada não deixa de ser incomodativa.


Será Alpiarça uma terra de “pequenos ditadores”?

O que Alpiarça precisa é de um verdadeiro “MOVIMENTO DE INDEPENDENTES” 

Por: V.R.V
NESTE momento  apenas existe o “quero, posso e mando” ou “quem não está comigo está contra mim”?
Em tempos, durante alguns anos, tivemos um sargento da GNR que conseguiu colocar Alpiarça em ordem e onde ninguém pisava o risco.
Agora que deveríamos viver em democracia os ”chefões” cá do burgo pura e simplesmente ignoram quem seja  do “contra
Quem manda “sou eu” ou o “nosso partido"  e "Ponto Final!"
Não temos que dar satisfações a ninguém e pronto!
É o “chefe da ARPICA” onde já ficamos a saber que quem manda é o “Américo” e pedir-lhe satisfações do quer que seja é tempo perdido.
Nas nossas escolas alunos há que desaparecem das aulas e ninguém dá pela sua falta; outros “levam-nas” e ninguém dá cavaco a ninguém e muto menos aos encarregados de educação que se quiserem saber alguma coisa tem que se deslocar à escola para falar com a directora para depois receber como resposta: “não sabia de tal coisa  e muito menos me deram conhecimento. Vou averiguarr”.
Quanto ao partido, o PCP, que rege a orquestra em tons baixos, este nem se pronuncia sobre os seus súbditos, salvo para anunciar algum festejo na “Praça Vermelha” ou a chegada de ilustres do Comité Central para mais uma almoçarada.
Como se tem ouvido nos últimos dias na comunicação social: isto não passa tudo de uma trapalhada como a “Trapalhada do IRS” ou não passamos de uns trapalhões às ordens de meia dúzia de lacaios.
Mas não se julgue que são só os “camaradas” é que são os “maus da fita”.
Os “tais” os da oposição, também não lhes ficam atrás. Só dizem o que lhes convêm ou o que não é de seu agrado porquanto ao resto também se “fecham em copas” quando questionados com alguma pergunta incomoda por estranhos ao "Santuário"
Como dizia a “Tia Almerinda”: 
“São todos farinha do mesmo saco”
Na verdade, mesmo na verdade, o que Alpiarça precisa é de um verdadeiro “MOVIMENTO DE INDEPENDENTES” daqueles que não precisam da politica e dos políticos para nada e não com os que temos porque o que querem é: o mesmo tacho, as mesmas honrarias para aparecerem nas fotos que tanto os envaidecem.
Venha então os tais independentes ou então pergunto aos silenciosos (aqueles que os partidos não deixam falar) e aos que pouco falam contra o regime em que vivemos (em Alpiarça:
“Mas em que terra vivemos nós?

Baile de Finalistas dos alunos do Agrupamento de Escolas de José Relvas



No Baile de Finalistas dos alunos do 12º ano do Agrupamento de Escolas de José Relvas, Alpiarça.
Para todos os alunos que completaram esta importante etapa nas suas vidas - e também para as suas famílias, que os apoiaram ao longo deste percurso escolar e de construção do carácter - os meus parabéns e o desejo das maiores felicidades para as vidas que têm à sua frente.





«Texto e fotos de: MárioPereira»

sábado, 30 de maio de 2015

Para este tipo de pessoas (oposição) nada está bem em Alpiarça


 De facto a politica tem razões (se insondáveis ou não, não sei)que a razão desconhece. 
Nem vou falar nas contradições da opinião deste anónimo. Porque simplesmente não vale a pena. Para este tipo de pessoas, nada está bem em Alpiarça. E sabem porquê, caros leitores? Porque a CDU ganhou democraticamente em eleições livres e conduz os destinos da minha e nossa terra, com a legitimidade que lhe foi conferida pelos Alpiarcenses. E é isso que lhes dói. E vai continuar a doer. Por muito tempo. Por isso, nem que Alpiarça seja o melhor Concelho do mundo, e que isso seja reconhecido por toda a gente, para este tipo de pessoas nunca o será. Mas isso e cada vez mais, os Alpiarcenses já o sabem. Paciência!
Noticia relacionada: "Casa dos Patudos recebe prémio": 


A Casa dos Patudos-Museu de Alpiarça está de parabéns



O dia de ontem, 29 de Maio, marcou muito positivamente a história da Casa dos Patudos, enquanto local de referência da museologia portuguesa. 

Depois do Prémio da APOM recebido à tarde, na Assembleia da República, à noite os Patudos foram palco do lançamento nacional da revista Glosas, num serão assinalado pela presença de muito público, pela excelente actuação do grupo The Bells Brass Ensemble, ao ar livre, no terreiro da Casa, e no salão, bem como pela visita guiada ao quadro - único - do grande compositor Domenico Scarlatti, a cargo do Dr. Nuno Prates.
A Casa dos Patudos-Museu de Alpiarça - todos os que nela e por ela trabalham - está de parabéns.


«Texto e fotos de Mário Pereira»

Os aumentos na Arpica são apenas uma pequena amostra do desprezo e da insensibilidade que têm pelo individual


Os "da cassete" se fossem poder algum dia fariam como fizeram na Arpica ou defenderiam aumentos como o fizeram nas Águas do Ribatejo ou nas diversas tarifas anexas. Tudo em nome dos pobres, dos trabalhadores, dos reformados. 
É tudo uma questão de posição. Se estiverem na oposição são os primeiros a fingirem-se indignados com os aumentos e a promoverem greves, manifestações, boicotes. Se estiverem no poder, defendem com unhas e dentes os aumentos em nome da sustentabilidade e do "interesse público". Se um dia o povo enlouquecesse colectivamente e fossem poder, as greves, as manifestações as lutas dos trabalhadores seriam proibidas de imediato e passariam a ser consideradas como actos reaccionários ao serviço do capital, do imperialismo no mínimo. Conhecendo o que se passa ou passou nesses regimes totalitários, no mínimo, o mais certo seria irem para um campo de reeducação e de "boas maneiras comunistas". Os aumentos na Arpica são apenas uma pequena amostra do desprezo e da insensibilidade que têm pelo individual (idosos e famílias) em prol do colectivo (de uns quantos adeptos do comunismo). 

Noticia relacionada:

Não falte a mais um "Sábados a Contar", para Pais e Filhos!


Portugal foi o país intervencionado que mais 'tirou' aos pobres

Famílias com rendimentos baixos sofreram “consideráveis perdas”. Portugal cortou mais do que todos os países alvos de ajuda externa.
As famílias pobres foram mais atingidas por cortes em Portugal do que na Grécia e na Irlanda. Esta é a conclusão de um estudo da OCDE sobre medidas dos governos de dez países, durante um período de cinco anos.
“As famílias de baixos rendimentos enfrentaram consideráveis perdas em Portugal devido aos cortes na assistência social”, diz a OCDE no relatório, concluindo que, entre 2008 e 2013, os agregados familiares que ganham menos de metade do rendimento médio português perderam 8% da sua riqueza.
O corte de rendimento entre os pobres em Portugal é o maior da lista, ultrapassando a Grécia, Irlanda, Estónia, Islândia, Espanha, Reino Unido, Alemanha, França e Estados Unidos.
A classe média também foi afetada, principalmente devido ao “brutal aumento de impostos”. Apenas Islândia e Irlanda ‘tiraram’ mais rendimento a quem ganha um salário dentro da média.
(nm)

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Casa dos Patudos recebe prémio



A Casa dos Patudos-Museu de Alpiarça recebeu um prémio da Associação Portuguesa de Museologia (APOM), numa cerimónia realizada hoje na sala do Senado da Assembleia da República.
O prémio foi atribuído à parceria internacional desenvolvida no âmbito do projecto Comenius com o Agrupamento de Escolas de José Relvas.



«Texto e fotos de Mário Pereira»

Os "comissários políticos" (PS/PSD/CDS) e a hipocrisia da esquerda (PCP/CDU)


Perguntas a mais para um comissário político que não tem qualquer argumento para defender o indefensável. É pura hipocrisia passar a vida a berrar contra os aumentos do governo, contra a direita, os capitalistas, os fascistas e saudosistas do passado, contra o PS-PSD-CDS e no fundo SER BEM PIOR DO QUE ELES!
Ao menos os referidos agentes de direita assumem as suas politicas. Muito pior e de uma hipocrisia atroz é dizer-se de esquerda e não ter quaisquer escrupulos em aumentar num ano 100 euros a quem vive com enorme dificuldades, sem se importar onde ou a forma como o vão arranjar. 

Noticia relacionada:

Já que Arpica é gerida pelo PCP então que tenha a coragem de dizer aqui, qual o ponto de situação do desfalque de 200.000€

Sobre o valor de 650€ cobrado pela Arpica a cada idoso, importa acrescentar em vez de omitir, o que a Arpica ainda recebe do Estado por cada um deles


Sobre quem fala verdade, parem de branquear a irresponsabilidade social e a ilegalidade destes aumentos vergonhosos da Arpica.
Basta consultarem a recente Circular nº4 de 16Dez2014 da Direcção Geral de Segurança Social no seu capitulo II.5. para verem que os aumentos mensais nunca poderiam ser superiores a 5%, quando mais de 20% na vergonha de 100€ por cada idoso.
Mas que raio de gestão incompetente é esta que só agora é que se lembraram dos aumentos e logo nesta dimensão?
Sobre o valor de 650€ cobrado pela Arpica a cada idoso, importa acrescentar em vez de omitir, o que a Arpica ainda recebe do Estado por cada um deles. Isto para não falarmos das dezenas de milhar de euros que ainda recebe de subsidios, como no ano passado da Segurança Social de Santarém
Se outras instituições cobram mais, importa diferenciar se são instituições com ou sem fins lucrativos.
Por favor deixem de nos meter areia nos olhos, lá porque a 
Acabem de vez com as politiquices de que tudo o que vem do PCP é bom e só não é melhor por culpa do governo. Estou farta da cassete.
E já agora se a linha do PCP é "Seriedade e Transparência" desafio-os a ter a coragem de dizerem aqui, qual o ponto de situação do desfalque de 200.000€ que houve na Arpica. 

Noticia relacionada:

Assinatura do protocolo de Promoção da Segurança Rodoviária


Assinatura do protocolo de Promoção da Segurança Rodoviária, entre a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) e a Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT), em Santarém, com a presença do Secretário de Estado da Administração Interna.
«Texto e foto de Mário Pereira»

A verdade deve ser dita, doa a quem doer

Ao mesmo tempo surgia um comunicado da direcção da ARPICA a anunciar o aumento de cerca de 100.00€ mensais para cada utente
Por: M. Ramos

Tenho ouvido por aí algumas conversas a respeito dos aumentos na ARPICA (Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Concelho de Alpiarça). Não sei ao certo de que lado está a razão. No entanto, sei que a medida é desumana e atroz para com os nossos velhos e familiares que dificilmente suportam o diferencial entre aquilo que o idoso recebe da sua parca reforma e aquilo que é pago ao lar. O tempo que é o melhor conselheiro nos dirá como é e como vai ser o desfecho desta história. Uma coisa é certa, num dos telejornais alguém falou nestes aumentos previstos para os lares de idosos e, depois disso, ouvi essa versão em Alpiarça, talvez por acaso, a pessoas ligadas de certa forma ao Partido Comunista. Ao mesmo tempo surgia um comunicado da direcção da ARPICA a anunciar o aumento de cerca de 100.00€ mensais para cada utente. Não sei mesmo, se esse aumento envolve ou não outras instituições locais ou nacionais que cuidam dos nossos velhos. Aconselho por isso calma e que se investigue o que realmente se está a passar para podermos efectivamente fazer uma crítica como deve ser feita. Não vale a pena falar só por falar ou porque convém atacar este ou aquele. Cada coisa no seu lugar e a seu tempo para podermos com segurança chamar essas coisas pelos nomes que merecem, sem receio de errar.
Continuo a defender que a verdade deve ser dita, doa a quem doer. No entanto, para isso devemos prová-la com factos, com provas irrefutáveis que não deixem qualquer dúvida. Assim mesmo: preto no branco. De modo claro e limpo, para acabar de vez, com as tretas e peneiras de quem porventura as tenha.


Noticia relacionada:

Os 10% mais ricos ganham 9,6 vezes mais do que 10% mais pobres

O alerta surge no mais recente da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sobre desigualdades -- 'Why less Inequality Benefits All' -- onde a organização volta a afirmar que, em muitos países, o fosso entre as pessoas mais ricas e as mais pobres é o maior dos últimos 30 anos.
"Hoje, nos países da OCDE, os 10% mais ricos da população ganham 9,6 vezes mais do que os 10% mais pobres. No anos 1908 o rácio estava nos 7:1, subindo para os 8:1 nos anos 1990 e para os 9:1 nos anos 2000", lê-se no relatório.
Acrescenta que em algumas economias emergentes, particularmente na América Latina, as desigualdades de rendimento diminuíram, mas o fosso permanece genericamente mais elevado do que nos países da OCDE.
"Durante as crises, as desigualdades de rendimento continuaram a aumentar, principalmente devido à quebra no emprego; a redistribuição através dos impostos e as transferências compensaram parcialmente as desigualdades", aponta a OCDE.
"No entanto, no extremo inferior da distribuição de rendimentos, a renda familiar real caiu substancialmente nos países mais atingidos pela crise", acrescenta.
Na opinião da OCDE, desigualdades demasiado elevadas impedem o crescimento económico. A organização sublinha que, para além do impacto na coesão social, as crescentes desigualdades são prejudiciais para o crescimento a longo prazo.
Ao nível laboral, o trabalho temporário, o trabalho a tempo parcial e o autoemprego são atualmente cerca de um terço do total do emprego nos países da OCDE e desde meados da década de 1990, "mais de metade de toda a criação de emprego foi na forma de trabalho informal".
"As famílias que são largamente dependentes de rendimentos fruto de trabalho informal têm taxas de pobreza mais elevadas (22% em média), e o aumento do número destas famílias nos países da OCDE contribuiu para o aumento das desigualdades", lê-se no relatório.
Na opinião da OCDE, os países devem promover as mesmas oportunidades para todos os cidadãos e diminuir as desigualdades, porque é essencial que haja confiança nas instituições e efetivo diálogo social.
Para reduzir o fosso entre os ricos e os pobres, a OCDE defende políticas em quatro áreas: participação das mulheres na vida económica, promoção do emprego e de trabalhos de qualidade, educação e sistema de impostos e de transferências sociais.
Sugere que os países eliminem o tratamento desigual entre homens e mulheres no mercado laboral e removam as barreiras à progressão nas carreiras das mulheres.
Pede também políticas para aumentar o acesso ao mercado de trabalho com foco em políticas que potenciem a quantidade, mas também a qualidade dos empregos oferecidos.
Ao nível da educação, pede mais atenção para o ensino nos primeiros anos, bem como para as famílias com crianças em meio escolar, defendendo como essencial que se combatam as diferenças socioeconómicas.
Já no que diz respeito aos impostos, a OCDE lembra que uma redistribuição adequada via impostos e transferências sociais é um "poderoso" instrumento na conquista de mais igualdade e crescimento.
«Lusa»

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O povo de Alpiarça com sangue, suor e lágrimas, "agradece" mais esta afronta do PCP,


O povo de Alpiarça com sangue, suor e lágrimas, "agradece" mais esta afronta do PCP, agora na Arpica, aos mais desfavorecidos, de quem se diz defensor, apenas para se apoderar dos votos dos mais incautos.
Agradece apenas porque o PCP deu agora um contributo importante para em 2017 nos livrarmos desses vampiros do povo de vez, e retomarmos a rumo do progresso social e económico como acontece com os concelhos vizinhos.
Depois do desfalque de muitas largas dezenas de milhares de euros de que se mantêm num silêncio cúmplice, lembraram-se agora de apresentarem a fatura aos mais pobres e fragilizados com este aumento vergonhoso.
Álvaro Cunhal deve-se estar a revolver de revolta na campa por esta afronta aos idosos de Alpiarça.

Noticia relacionada:

Apenas um "Caminho de Cabras" cheio de "BURACÕES"

Nao custava nada meter um pouco de alcatrão  nestes "buracões"


Depois o Executivo da CDU diz que a Oposição só sabe dizer mal

PUDERA!

 Estrada Torre- Quinta da Lagolva

Arpica aumentou as mensalidades do seu lar de idosos em 100 euros e diz que a culpa é do Governo

Esta decisão da instituição de Alpiarça originou o descontentamento de alguns familiares e utentes. É o caso de Manuel Caetano que enviou uma carta à Arpica onde apresenta a sua reclamação pela decisão da direcção da instituição onde está a sua tia, Ilda Feijão Caetano, de 86 anos. Manuel Caetano deu conta do seu desagrado pelas “alterações estabelecidas aquando da entrada da sua tia, em Janeiro de 2014, bem como o desvio dos princípios que foram transmitidos aos sócios e que hoje não correspondem à realidade”, criticou.
Ler mais em:

Agroalpiarça: Protocolo de Estágio com Escolas Francesas - Foto de Final de Estágio

«CMA»

PS quer avós a trabalhar a tempo parcial

"Está na altura de se alargar aos avós a possibilidade de trabalhar a tempo parcial" para poderem apoiar os filhos empregados, afirmou esta terça-feira o líder socialista António Costa. "Numa sociedade em que a passagem à idade de reforma é cada vez mais tardia, temos de encontrar soluções", sendo que "a possibilidade de mobilizar os avós para o apoio à família é uma forma de ajudar a criar condições para aumentar a natalidade".
Numa conferência organizada pela Vida Imobiliária, em que defendeu que a classe média deve ser "a prioridade" do seu governo, o candidato socialista afirmou também que "o número de creches tem claramente de aumentar". 
Recorde-se que o PSD e o CDS-PP  apresentaram recentemente uma proposta semelhante, que vai ser discutida no Parlamento e que prevê que pais e avós que trabalhem no Estado possam pedir a redução do horário para metade, ficando a receber 60%.  Na proposta de Costa, seria abrangido também o sector privado. 
No entanto, acrescentou, "é minha convicção que o saldo demográfico não se alterará só com políticas de natalidade". Assim, considerou, "temos de ter uma política de imigração activa, para aumentar a população", algo particularmente relevante "no momento em que a Europa vive um problema muito grande [ao nível da imigração]".
«JN»

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Professor agride aluno com uma sapatilha

Segundo o depoimento  prestado a este jornal  pela nossa leitora Selma Dalmeida, um professor da Escola Básica Professor Abel Avelino, mandou    uma sapatilha contra o seu filho, aluno da mesma escola.
Nas fotos  que nos fez chegar e abaixo publicadas pode-se ver claramente a agressão.
 A mãe  está desesperada pelo que está acontecer.
Saliente-se que foi esta a criança que desapareceu de uma aula e ninguém deu pela sua falta, conforme já  anunciado neste jornal.


VÍDEO INTEGRAL DA REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALPIARÇA REALIZADA NO DIA 25 DE MAIO DE 2015, NO AUDITÓRIO DOS PAÇOS DO CONCELHO

" Dos nossos idosos desfavorecidos?" diz o Vereador FRANCSICO CUNHA


Só agora é que estão em Alpiarça? Por onde tem andado?

O vereador (Francisco Cunha) e outros só se lembram de nós na altura das eleições. Vejam lá se eles se manifestaram publicamente sobre os cortes nas pensões, no aumento das taxas moderadores, na nivelação por baixo dos acessos que os idosos tem nos  cuidados de saúde, entre outras assuntos, que nunca os vi elaborarem qualquer texto, um opinião, sobre esses assuntos, agora estão muito preocupados. Ainda há outros que são do mesmo partido ou movimento, que apenas sabem dizer mal mas não os vejo fazer nada, dá-me vontade de perguntar, só agora é que estão em Alpiarça? Por onde tem andado? O que é que tem feito por Alpiarça? Descobriram agora a pólvora, é que os velhos como eu, já cá andam há muito tempo, para alguns se calhar, até à tempo demais. 
Noticia relacionada:"“Há um clima de terror em Alpiarça”, diz vereador ...":

E assim vai o mercado em Alpiarça

«Fotos de Deolinda Sardinheiro»

FourAdventure Águias


Campo de Paintball
Reserva do Cavalo Sorraia
(cma)

Políticos arriscam prisão até 8 anos

A maioria PSD/CDS-PP prevê penas até oito anos para políticos que "detiverem ou possuírem" património incompatível com os bens declarados num valor acima dos 176 750 euros (350 salários mínimos nacionais), na versão final do projeto-lei que cria o crime de enriquecimento injustificado. A versão final, a que o CM teve acesso, substitui a expressão ilícito por injusticado. Apesar de ser apenas uma mudança semântica, esta alteração serve para evitar o chumbo do Tribunal Constitucional à proposta.
Outra alteração no texto– face à proposta inicial – é a retirada do diploma do crime de "a fruição continuada de um patrimónimo incompatível" com os rendimentos. Ou seja, um político não é suspeito por aceitar boleia de um amigo que tem um jato privado, mas se ficar na posse da aeronave de forma prolongada – por empréstimo –, o caso pode  levantar suspeitas. O texto deve ir a votos nas próximas duas semanas.
«CM»

terça-feira, 26 de maio de 2015

Francisco Cunha deve estar a atravessar “maus momentos”


 O vereador Francisco Cunha (foto) dizer “que há um clima de terror em Alpiarça” ou que a “maioria CDU que governa o município ameaça pessoas” não é a melhor forma de fazer oposição porque os alpiarcenses sabem que não é assim e muito menos corresponde à verdade
Nem oito nem oitenta

Que tais afirmações do Vereador Francisco Cunha não sejam levadas a sério porque foram, com certeza, ditas num “momento da raiva” como lhe é habitual exprimir-se nalgumas reuniões de Câmara
Dizer que “não há democracia em Alpiarça”, como diz o presidente da Câmara, e muito bem, são afirmações sem qualquer fundamento, perfeitamente despropositadas e absurdasque em nada prestigia o vereador Francisco Cunha.

Nós temos respeito pela vereador do TPA mas nem oito nem oitenta

Mário Pereira pode ter muitos defeitos, somos dos primeiros a reconhecer que poderia fazer muito mais por Alpiarça, mas afirmar que há um clima de terror em Alpiarça por causa do executivo da CDU, francamente…
Francisco Cunha quando fez tais afirmações só podia estar num “dia não” porque falando a frio o vereador do TPA sabe que as suas afirmações não foram ditas “lá de dentro” mas sim num “momento de cólera
 Francisco Cunha sabe muito bem que não existe “opressão” no sentido lacto do uso da palavra e fins apropriados.
Francisco Cunha sabe, tem a obrigação de saber, mais do que ninguém que a tal “opressão” a existir, existiu mas…nos mandatos socialistas.


Lembramos-lhes e aconselhamos a recolher as seguintes informações:

Que fale com Manuel Caniço, do Frade de Cima e ouvirá algumas histórias engraçadas que até arrepiam;
Fale com alguns funcionários da Câmara (alguns anticomunistas como o meu amigo Francisco) que viveram uma vida de inferno com determinado presidente socialista;
Fale com outros funcionários que foram humilhados e ameaçados publicamente sem meios para se defender na presença de alguns vereadores socialistas:
Fale com a antiga Chefe Administrativa da Câmara e ouvirá histórias de arrepiar já que o objectivo era desgraçar a vida de determinados funcionários e colocá-los na miséria porque pura e simplesmente divulgaram alguns desvarios dos socialistas.
Poderíamos estar aqui a contar histórias do arco-da-velha que não teriam fim.
Agora dizer que os camaradas “ameaçam” alguns funcionários se  não forem de “ extrema confiança” ou se não tiverem o “cartão do partido” estão tramados, sobre isto caro Francisco posso-lhe dizer o seguinte:
Os comunistas e este executivo nestas questões (de funcionários) são uns “anjinhos” e umas crianças ao pé da sabedoria e da maldade de antigos eleitos do Partido Socialista.
Acredite que sei o que lhe estou a dizer.
E para terminar, relembro-lhe:
O administrador deste Jornal, Sr. António Centeio (foi em determinada Eleição Presidencial) o Mandatário Oficial do então Candidato Cavaco Silva.
Era presidente da Câmara o Eng.º Raúl de Figueiredo (CDU).
Posso garantir-lhe que ninguém lhe fez a vida negra como alguns socialistas fizeram a outros funcionários e, segundo consta, até ao próprio A.Centeio
Fale com ele e saberá coisas engraçadas (se for mentira o Sr. Centeio que aqui desminta aqui) as minhas afirmações)
Lembro-lhe ainda que:
Os eleitos do PS prejudicaram deliberadamente alguns funcionários porque estes criticavam o executivo;

Em termos de “nota final” deixo-lhe esta missiva:

Havia um funcionário (socialista) que até chegou a estar proibido de falar com os comunistas na rua e… (esta não cabe na cabeça de ninguém, mas foi verdade) quando este funcionário vinha à rua em serviço atrás dela vinha outro que depois informava os superiores com quem o primeiro tinha falado. Se quer saber quem era em privado posso dizer quem era.

Como pode ver em termos de “terror” os comunistas não passam de péssimos alunos.

Modere a sua “língua” porque ainda pode acontecer muita coisa até 2017 mas acredite que esta sua agressividade não o leva a lado nenhum.
Estou a ser seu amigo e sei que costuma tomar em atenção os conselhos de quem é seu amigo e daqueles com que pode contar e acreditar

Passe bem Caro Vereador
Um abraço
V.R.V.

Seminário do Comando Territorial de Santarém sobre violência doméstica – “ Um Olhar em Rede sobre os Agressores”

O Comando Territorial da GNR de Santarém irá realizar amanhã, dia 27 de maio de 2015 um Seminário sobre violência doméstica – “ Um Olhar em Rede sobre os Agressores”, que terá lugar no Auditório da Escola Superior de Saúde de Santarém, das 09H00 às 17H30.
Esta iniciativa tem como objetivo principal debater, dar a conhecer e fornecer ferramentas de trabalho, para os profissionais de todas as áreas da Rede de Intervenção, no que respeita às causas, origens, porquês e soluções para a prevenção junto de eventuais agressores (as) de violência (s). Procura ainda este seminário, decorrente do objetivo principal, compreender qual a perspetiva das Forças de Segurança na prevenção da violência doméstica junto de possíveis agressores; se as sequelas da violência nas crianças moldarão o seu futuro enquanto possíveis agressores; atuar junto dos jovens moldando-os para a não violência atual e futura; conhecer o perfil de potenciais agressores para uma intervenção precoce evitando a concretização da violência e a possível atuação junto de atuais agressores de forma a diminuir a reincidência da violência.

“Há um clima de terror em Alpiarça”, diz vereador da oposição


O vereador do movimento “Todos Por Alpiarça”, Francisco Cunha, diz que há um clima de terror em Alpiarça, acusando mesmo a maioria CDU que governa o município de ameaçar pessoas. “É frequente várias pessoas falarem comigo e dizerem-me: passa-se isto e isto mas não posso falar porque está lá o meu filho, a minha filha, o meu pai, o meu irmão, o meu marido. Isto em Alpiarça é assim: há um clima de terror, vocês ameaçam as pessoas. Democracia em Alpiarça não há. As pessoas aqui da autarquia se falarem alguma coisa, se não forem da vossa extrema confiança ou se não tiverem cartão do partido, vão para o museu, vão jardinar, vão tomar conta dos caixotes do lixo ou vão para a biblioteca.
Ler mais em:

III Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo

Vai realizar-se o III Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo, de 30 de Maio a 14 de Junho de 2015, entre Vila Velha de Ródão e a Marina de Oeiras, de acordo com o Programa em anexo
A organização é assegurada pelo seguinte conjunto de associações: APCA, AIDIA, ENVOLVE, ACAPSI, A MAR A COSTA e Marinha do Tejo.
Promovendo o rio Tejo como espaço de lazer, recria-se uma peregrinação de valor histórico e religioso, em honra de Nossa Senhora dos Avieiros e do Tejo, e como tributo à cultura das comunidades ribeirinhas.
Todos são convidados a participar, a divulgar e a acompanhar este Cruzeiro, cujo lema "nas margens do rio está a árvore da vida".

O Presidente da República escavaca. O Governo desgoverna. 4 anos.

O Presidente da República escavaca. O Governo desgoverna. 4 anos. Tudo isto no País em que 'todos vivemos muito melhor'!

De: Anabela Melão