PRESIDENTE DA CÂMARA NÃO É NENHUM ‘BONECO DE PORCELANA’

.

.

Esperamos que futuramente Mário Pereira se modernize um pouco mais e nos dê a conhecer e a saber o “que pensa” e do que “tem a dizer” sobre aquilo que dele dizem. Não devemos permitir que “os outros” digam “cobras e lagartos” de nós quando os outros não são as “pessoas certas para o fazer” por causa dos seus “rabos-de-palha” que por acaso até são “às pargas”. Mário Pereira é o único culpado de tudo que está a acontecer em Alpiarça

POLITICA ALPIARCENSE:

UMA POLITICA DE CHAFURDICE”

.

.

A 'páginas tantas' podemos ler uma troca de correspondência entre o vereador socialista Pedro Gaspar e o deputado municipal Paulo Sardinheiro que, com um certa dose de coragem divulga um pouco das conversas “Improváveis“ passadas no seio do movimento “Todos por Alpiarça”. Mas a resposta que Paulo Sardinheiro dá ao socialista é deveras curiosa: simplesmente diz: "EPÁ, NÃO ESTOU INSPIRADO..." Leia mais em: Isto é de doidos!

RAZÕES MAIS QUE SUFICIENTES PARA PASSAR O SEU DOMINGO NA MELHOR FORMA.

ALPIARÇA ESPERA POR SI!

.

.

SÓ OS ACÓLITOS DO PCP CONSEGUEM ARRANJAR TRABALHO EM ALPIARÇA

Os filhos dos alpiarcenses que felizmente tiveram a oportunidade de estudar e tirar no mínimo uma licenciatura e que naturalmente por terem criado outros horizontes não são fiéis do PCP tiveram de emigrar. Experimentem fazer o exercício de analisar os vossos filhos, os filhos dos vossos conhecidos e amigos e questionar quantos partiram. Ou as minhas amizades são seletivas ou, como é bom de ver não sendo do PCP, não conheço nem um jovem que tenha conseguido arranjar emprego em Alpiarça. Porquê? Porque a mentalidade tacanha é assim e preferem manter Alpiarça na mão de um partido do que abrir o concelho aos "terríveis exploradores" que são os únicos que criam emprego que não sai do bolso dos contribuintes. Leia mais em: "A mentalidade tacanha que teima em imperar em Alpi...":

COM O EXECUTIVO DA CDU CAMINHAMOS PARA O ABISMO

Com um pequeno filme dão a conhecer toda a riqueza de Almeirim para ao mesmo tempo divulgarem gratuitamente nas redes sociais aquilo que faz parte do património local. Uma publicidade que se espalha como um rastilho de pólvora e levando ao mundo o melhor que há em Almeirim. Ler: Com o executivo da CDU estamos condenados ao fracasso

A LEVIANDADE INFANTIL COM QUE UM VEREADOR (PEDRO GASPAR) TRATA UM ASSUNTO DESTE CALIBRE

O "Gasparzinho" disse entender porque é que o povo não confiava nos políticos, porque esses mesmos políticos nem ao menos são capazes de manter intacto o património legado por beneméritos e daí votar contra esta medida do Executivo comunista de ressarcir o Legado do valor que lhe tinham tirado os socialistas. Veja-se bem a confusão, inépcia, falta de jeito, estupidez, ou tacanhice ou leviandade infantil com que um vereador trata um assunto deste calibre. Ler mais em: Realmente o Sr. Vereador Pedro Gaspar está a desiludir, mas está a desiludir por uma razão muito simples

.

.

domingo, 1 de março de 2015

CÂMARA DE ALPIARÇA ENTREGA BOLSAS A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR DO CONCELHO


O Presidente da Câmara, Mário Pereira, e o vereador João Arraiolos reuniram informalmente com os estudantes contemplados com as Bolsas de Estudo atribuídas pelo Município de Alpiarça pelo sexto ano consecutivo.
Desde 2010, a Câmara Municipal de Alpiarça atribui 10 Bolsas de Estudo, no valor de mil euros cada, a alunos do concelho que ingressaram e/ou frequentam cursos do ensino superior.
O Presidente da Câmara salientou a intervenção da autarquia ao nível do apoio social, num momento em que se têm vindo a acentuar as dificuldades dos portugueses, nomeadamente quanto à possibilidade de suportar financeiramente o custo da frequência do ensino superior, quando deveria caber ao Estado a responsabilidade por cumprir a efectivação desse direito dos jovens no nosso País; desejou ainda felicidades e os maiores sucessos no percurso académico que irão percorrer e que possam vir a colocar o conhecimento entretanto firmado ao serviço do País e do concelho.

«CMA»

Empresa portuguesa consegue carvão ecológico e vai registar patente

Uma empresa Oliveira de Azeméis desenvolveu um processo para obter carvão amigo do ambiente, sem lume, fumo ou faíscas, mas com maior poder calorífico, uma inovação que está a ser patenteada, disse à Lusa um responsável da firma.


"Este carvão surge da necessidade de ter um produto de alto poder calorífico e, ao mesmo tempo, não poluente, de fácil combustão, ao contrário do carvão [atualmente] comercializado nas grandes superfícies e em outros estabelecimentos", avançou à agência Lusa Amadeu Borges, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).
O biocarvão "é obtido através de um processo baseado na pirólise tradicional [decomposição que ocorre pela ação de altas temperaturas], e com as alterações introduzidas resulta num produto com qualquer coisa como 95% de carbono fixo, o que traz vantagens", como o facto de ser leve e de retirar os elementos químicos que possam contribuir para emissões "menos amigas do ambiente", explicou o professor do Departamento de Engenharia da UTAD.
O projeto do biocarvão foi desenvolvido pela empresa Ibero Massa Florestal, que tem parcerias com a UTAD e a Universidade de Aveiro, e financiado pelo Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN).
"Foram desenvolvidos fornos que garantiam não haver grandes emissões e tivemos uma surpresa agradável pois o nosso biocarvão, a nível físico e químico, era completamente diferente do restante que há no mercado", descreveu à Lusa o diretor de Produção da Ibero Massa Florestal, João Tiago Santos.
O responsável salientou que o processo produtivo "é ecológico desde o início, com a matéria-prima", pois estão a ser usadas "essencialmente espécies invasoras, como a acácia mimosa e acácia austrália, ou podas provenientes da limpeza de matas, e a ideia inicial até partia da valorização de resíduos agro-florestais".
O produto "tem grande teor em carbono físico e muito poucos voláteis e, quando é ateado, liberta calor, mas não liberta chama", resumiu João Tiago Santos.
"A partir do momento em que 'se liga' fica com calor uniforme, não tem lume, não faz faíscas, não faz fumo, e tem um poder calorífico bastante superior ao 'normal' carvão feito por métodos tradicionais", acrescentou.
Em Portugal, há escassez de carvão e grande parte do que é consumido é importado, por isso, os responsáveis da empresa esperam que o biocarvão "seja totalmente consumido no mercado interno".
Com os restos poderão ser produzidos "briquettes" de carvão, cilindros de carvão moído e compactado e 'ecochar' para exportação.
Este ano, a empresa pretende faturar dois milhões de euros. Dos seus planos consta o aumento da capacidade de produção em cinco vezes para conseguir 10% do mercado nacional de carvão, estimado em 50 milhões de euros.
"Deste carvão, somos com certeza os únicos na Península Ibérica e haverá mais quatro ou cinco no resto do mundo que produzem carvão com a qualidade do nosso", referiu João Tiago Santos, salientando que está a decorrer o registo da patente.
"Na nossa fábrica, o objetivo é estar a trabalhar de camisa branca", realça o diretor de Produção da empresa, para explicar o contraste com o ambiente cheio de fuligem a que se assiste nas carvoarias tradicionais.
«NM»

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Isto é de doidos!

Alpiarça está mesmo a chegar ao fundo do poço com este tipo de gente


Estive a ler o texto que diz ser Mário  Pereira o único culpado de tudo que está a acontecer em Alpiarça e acabei por ler um comentário que lá se encontra publicado.
Fui vasculhar para ter a certeza que o comentado correspondia à verdade e não é que é mesmo verdade?
A oposição alpiarcense está mesmo a bater no fundo e o vereador Pedro Gaspar já nem respeita o seu eleitorado.
Uma vergonha completa que continuamos a assistir diariamente com uma baixeza a todos os níveis que deveria envergonhar todos aqueles que tenham um “pingo de vergonha” nomeadamente os muitos socialistas que existem em Alpiarça e que em nada dignifica a aposta do Partido Socialista de Alpiarça ao escolher  Gaspar para seu digno representante  no executivo camarário.


Assistimos indignados a esta falta de vergonha e tenho que dar razão a Mário Pereira quando disse que vivemos todos numa politica de “chafurdice”.
Haja respeito pelo eleitorado e vergonha na cara de quem foi eleito pelos alpiarcenses.
A 'páginas tantas' podemos ler uma troca de correspondência entre o vereador socialista Pedro Gaspar e o deputado municipal Paulo Sardinheiro que, com  um certa dose de coragem divulga um pouco das conversas “Improváveis“ passadas no seio do movimento “Todos por Alpiarça”.
Diz o deputado com todas as letras que o “departamento de comunicação" do movimento "Todos por Alpiarça" lançou um desafio ao deputado municipal Paulo Sardinheiro para fazer uma das sua apreciadas crónicas sobre a convocatória e entrega da documentação para a Assembleia Municipal da próxima 6ª feira”.


A resposta que Paulo Sardinheiro  dá ao socialista é deveras curiosa:

Simplesmente diz:
"Epá, não estou inspirado..."

Como  contra-argumento:

“Não estás? Ainda agora fizeste um comentário no Facebook sobre o assunto o que custa desenvolver um pouco mais o tema?” Como se o deputado do TPA/PSD tivesse que agradar a quem não sabe escrever textos para criticar a bagunça da “ documentação para a Assembleia Municipal”.

VALHA-NOS ISTO!



Pelo menos o deputado do TPA/PSD foi sincero e numa de diplomático, deu -lhe uma nega quando lhe disse: 

Epá, não estou inspirado..."


Justiça então seja feita  ao deputado  Paulo Sardinheiro e ao TPA/PSD  porque demonstrou bem cedo querer demarcar-se do pretendido pelo Vereador Pedro Gaspar não cedendo ao   insitente "clamor" do socialista.
Leio assim, para confirmar, o disparate que foi dar votos a Pedro Gaspar que se alia ao principal adversário pedindo-lhe para que escreva meia dúzia de palavras a fim de satisfazer a cagança de um denominado e obscuro “departamento de comunicação”.
Haja sim vergonha e respeito pelo eleitorado que quando deu votos ao Pedro Gaspar foi para este defender os interesse dos alpiarcenses e não andar a rebaixar-se pedindo ao “inimigo” que escreva palavras bonitas.
Alpiarça está mesmo a chegar ao fundo do poço com este tipo de gente.
Demitam-se do cargo para que haja dignidade nos assuntos que interessam aos alpiarcenses.

Mário Pereira é o único culpado de tudo que está a acontecer em Alpiarça


TODOS os males de que Alpiarça padece são da responsabilidade de Mário Pereira,  presidente da Câmara de Alpiarça, porque nada faz para que algo mude.
A oposição (entenda-se Francisco Cunha, vereador do TPA/PSD porque quanto a Pedro Gaspar politicamente é um marasmo)  encontra no presidente da Câmara o seu” bode expiratório” e nada como queimá-lo vivo em “azeite a ferver”.
Esquece-se a oposição que a maioria dos alpiarcenses não é uma “cambada de ignorantes” e sabe muito bem ver quem merece crédito ou não.
A oposição coloca-se no “bico dos pés” para dar nas vistas e num “bota abaixo” acusa e responsabiliza Mário Pereira de ser culpado de todos os males que afectam a terra porque este se recusa a dar “provimento” aos três projectos apresentados pelo TPA/PSD que mais não são de que três folhas A/4 onde é proposta ao executivo da CDU/PCP que coloque em prática o ensino do “mandarim”, que crie as hortas comunitárias e até uma proposta para a criação de uma linha dedicada para apoio ao empresário, agricultor e pequeno comerciante que todos continuamos por saber para que serve e quem serve.
Conclusivamente temos uma oposição e um vereador que não é capaz de apresentar seja o que for em condições de forma a poder discutido em local próprio e que não justifique o fim que tem merecido as suas ideias: “ficar na gaveta”.

Os alpiarcenses não são uma “cambada de ignorantes” e sabem muito bem que quem fez e tem feito alguma coisa por Alpiarça.

Todos sabemos que em condições sócio/culturais e nas mais variadas existências  Alpiarça é um dos poucos concelhos que nada falta e até abunda os “bota abaixo” que com as acusações que fazem e a sua forma de comportamento acusatório para uma maioria assente nos votos das eleições irá acabar por ser espezinhadas nas próximas eleições.
Uma oposição do “bota abaixo”; do mal dizer que se coloca no bico dos pés para dar nas vistas mas em quem já ninguém acredita por causa da sua inoperância e dos espectáculos circenses que faz.

Mário Pereira não é um 'boneco de porcelana'


MÁRIO Pereira, como o comum dos cidadãos e a exemplo da classe política criou recentemente nas redes sociais a sua “Página Pessoal”. Afinal um presidente de Câmara não é nenhuma  espécie de “boneco de porcelana”.
É uma pessoa igual às outras com os mesmos direitos e até de opinar como o “vulgo cidadão”.
Assim sempre ficamos a saber, para compreender, as ideias daqueles que regem os destinos de uma localidade e da sua própria conduta porquanto as “redes sociais” não serve só para noticiar o concerto que "acelerou a História: o espectáculo, no Estádio de Wembley, de comemoração do 70º aniversário de Nelson Mandela e de condenação total do regime racista de "apartheid" da Africa do Sul, que o mantinha preso, há cerca de 25 anos, e a muitos outros seus companheiros e camaradas do ANC e do Partido Comunista da África do Sul” ou para vermos as fotos do “Márito” quando jogava futebol nos “Águias”.
As “redes sociais” também servem para opinar e até sugerir ou explicar como uma figura pública permite ser ”enxovalhado”, criticado, acusado daquilo que nunca fez mas acima de tudo dar a sua opinião pessoal daquilo que dizem mas que não corresponde à verdade.
Para isto servem as “páginas pessoais” nas redes sociais (como exemplo: nas “páginas pessoais”  podemos ler as mais diversas opiniões dos presidentes de Câmara da nossa região onde ficamos  o que alguns pensam da actual situação politica e não só.
Ontem Pedro Miguel Ribeiro, presidente da Câmara de Almeirim, deu a conhecer em ‘primeira mão’ a Informação  da Saúde em Almeirim. Escreveu:Recebi hoje a confirmação que na próxima semana teremos mais 2 médicos no centro de saúde. 
Um através de empresa de prestação de serviços, outra através de transferência. Ficando esta última no quadro. Com estas colocações minimizamos, sem no entanto resolver definitivamente o problema. Há ainda a promessa de mais dois médicos a colocar através de um concurso lançado pelo ministério. De qualquer forma e apesar de estas serem boas notícias apenas ficarei satisfeito quando todos os utentes tiverem médico de família e reabrirmos as extensões de saúde da Raposa e dos Marianos. Até continuarei como até aqui. A sensibilizar quem tem poder de decisão, ou seja o Ministério da Saúde…”
).
Nada de relevante encontramos na página pessoal do presidente da Câmara de Alpiarça.
Esperamos que futuramente Mário Pereira se modernize um pouco mais e nos dê a conhecer e a saber o “que pensa” e o que “tem a dizer” sobre aquilo que dele dizem.
Não devemos permitir que “os outros” digam “cobras e lagartos” de nós quando os outros não são as “pessoas certas para o fazer” por causa dos seus “rabos-de-palha” que por acaso até são “às pargas”.
Os alpiarcenses gostam de saber o que os rodeia e o que pensa quem os governa.
Por: V.R.V.

"Sábados a contar" na Biblioteca Municipal de Alpiarça




sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Férias da Páscoa

INSCRIÇÔES ABERTAS




Xadrez: 3ª Eliminatória da Taça

Por: Miguel Barriga/ Casa do Xadrez

No dia 21 de Fevereiro disputou-se os 1/32 àvos-de-final da Taça de Portugal , por Equipas, em Xadrez.
A Casa do Xadrez de Alpiarça deslocou-se perto de Aveiro, para jogar contra o CX COLÉGIO PORTUGUÊS 'B'.
A Casa do Xadrez de Alpiarça venceu o encontro por 1 - 3 .
Parciais:
Carlos Nascimento - Tiago Santos:  1 - 0
Pedro Vinagre - Diogo Camacho:  0,5 - 0,5
Pedro Diogo - Alexandre Cunha : 0,5 - 0,5
Manuel Atalaia - Rafael Leão : 1 - 0
A 4ª Eliminatória (1/16 final) será disputada a 18 de Abril de 2015. 
Nesse dia a Casa do Xadrez de Alpiarça desloca-se a Lisboa, para jogar contra a equipa do ADRC Mata de Benfica 'A' .

Link para este noticia no nosso blog, aqui:  http://casadoxadrez.blogspot.pt/2015/02/3-eliminatoria-da-taca-casa-do-xadrez.html
Link para todos os resultados dos 1/32 da Taça, aqui: http://casadoxadrez.blogspot.pt/2015/02/3-eliminatoria-da-taca.html


Fim-de-semana vai ser cinzento

O estado do tempo deverá conhecer um ligeiro agravamento no sábado, com céu geralmente muito nublado e chuva, especialmente a O fim-de-semana vai ser de céu muito nublado e períodos de chuva em todo o país, indicam as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).
Para esta sexta-feira, é esperada uma pequena descida da temperatura mínima na região Norte e pequena subida a Sul, nuvens e períodos de chuva fraca até ao início da manhã, nas regiões Norte e Centro, em especial no litoral.
O estado do tempo deverá conhecer um ligeiro agravamento no sábado, com céu geralmente muito nublado e chuva, especialmente a Norte e com abertas na região Sul.
As temperatura vão variar entre os 9 e os 14 no Porto, 10 e os 16 graus em Lisboa e entre os 10 e os 20 em Faro.
No domingo, primeiro dia do mês de Março, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê, também, céu geralmente muito nublado.
«RR»

Saúde perde mais de 3500 funcionários

O setor da Saúde em Portugal foi dos mais atingidos pela política de austeridade. Segundo a Síntese Estatística do Emprego Público (SIEP), em três anos saíram da Função pública 3528 funcionários, 959 médicos, 2107 enfermeiros, 448 técnicos de diagnóstico e terapêutica e 14 técnicos de saúde.
A análise aos números do SIEP revela um panorama idêntico em quase todas as áreas sociais. Da Justiça, por exemplo, saíram 1218 profissionais entre 2011 e 2014: há menos 45 magistrados, 923 oficiais de justiça, 80 agentes da PJ e 170 guardas prisionais.

A Educação foi também muito castigada, com uma queda de 24 626 funcionários, 451 de investigação científica, 289 docentes universitários, 797 docentes do ensino politécnico e 23 089 educadores de infância e docentes do ensino secundário. No total, a Função Pública perdeu 71 365 funcionários em três anos, a maioria devido a reformas, mas que não foram substituídos.
«CM»

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Coruche, tal como Alpiarça, só se desenvolveu económicamente e na sua vertente comercial e industrial quando a CDU deixou a gestão do concelho


Relativamente a Coruche o desenvolvimento inicial do concelho na fase pós 25 de Abril foi tal como em Alpiarça gastando rios de dinheiro e criando dívida.
O presidente da câmara  desenvolveu as infraestruturas básicas do concelho mas era dos que pensava que as dívidas não são para pagar e que o governo central tem uma fonte inesgotável de dinheiro para canalizar para a autarquia.
Tem havido essa ideia que as autarquias são as pobrezinhas e os governos centrais são os ricalhaços.
"Pensamentos de esquerda que são rigorosamente iguais aos de direita" : Alberto João Jardim (Madeira) ...
Coruche, tal como Alpiarça só se desenvolveu económicamente e na sua vertente comercial e industrial quando a CDU deixou a gestão do concelho.
Para meio entendedor meia palavra basta

Noticia relacionada:

A mentalidade tacanha que teima em imperar em Alpiarcense.

Acho que Alpiarça teria muito a aprender com os municípios de Benavente e Coruche. Um que é um baluarte do comunismo e onde continua a ter grandes votações e outro que não é mas onde os comunistas deixaram raízes.
Também penso que o que está em causa não são os autarcas dessa coligação mas a mentalidade tacanha que teima em imperar aqui pelo vilório Alpiarcense.
As pessoas precisam de sair daqui, conviverem com novas realidades e munirem-se de novas ideias.
Por sinal não concordo que o ciclo negativo se tenha iniciado em 2009, mas provavelmente já antes e mesmo ainda no tempo do PS.
Não querendo citar nomes, alguns elementos da edilidade alpiarcense, pensaram em admitir para os quadros de pessoal da autarquia, algumas pessoas, não pela sua qualidade, mas pelas amizades e é uma tristeza olhar para a falta de qualidade de muitas funcionárias e funcionários da câmara.
Infelizmente em 2009 a sina manteve-se até nalgumas admissões no GAP e agora é aquilo que se vê.
Vamos ter fé que alguém seja capaz de mudar alguma coisa, pena é que possa ser para pior!

Noticia relacionada:



ASAE apreende toneladas de alimentos em operação contra fraude alimentar

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu, nos últimos dois meses, milhares de quilos de alimentos no âmbito de uma operação internacional que decorreu em simultâneo em 47 países, foi  anunciado.
Na operação contra a fraude alimentar, a ASAE apreendeu, por exemplo, 19.700 quilogramas de carne (e produtos à base de carne), 13.400 de pescado, 1.200 de fruta e 809 de produtos lácteos, entre outros alimentos.
De acordo com o comunicado da ASAE,  foram também apreendidos 5.200 litros de bebidas espirituosas e 42 litros de água mineral e 63 litros de vinho.
Em causa estiveram infrações no âmbito da segurança alimentar, da legislação do setor, da rotulagem e dos direitos de propriedade industrial.
A operação internacional, na qual a ASAE participou pelo terceiro ano consecutivo, decorreu entre dezembro e janeiro últimos, com ações de inspeção junto de diversos operadores económicos nacionais da área alimentar ao longo de todo o circuito produtivo e comercial.

A ação, denominada OPSON (operação conjunta da Interpol e da Europol) tem como objetivos “identificar e desmantelar redes de crime organizado envolvidas na produção e/ou comercialização de produtos alimentares objeto de práticas fraudulentas; reforçar a cooperação entre diferentes entidades e sensibilizar os cidadãos para os perigos associados à fraude alimentar, particularmente decorrentes da falsificação de géneros alimentícios”, diz-se no comunicado.
«Lusa»

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Há quanto tempo não vai à Parreira?

 Que tal aparecer por lá no próximo dia 7 de Março?


Com o executivo da CDU estamos condenados ao fracasso

Com o executivo da CDU estamos condenados ao fracasso e lamento que muitos alpiarcenses não se apercebam que caminhamos para o abismo


Estive a ver o spot publicitário do documentário sobre a cidade de Almeirim que aqui foi colocado.
Acho a ideia dos nossos vizinhos espectacular se tomarmos em atenção como conseguem fazer “omeletes com poucos ovos”.
Com um pequeno filme dão a conhecer toda a riqueza de Almeirim para ao mesmo tempo divulgarem gratuitamente nas redes sociais aquilo que faz parte do património local. Uma publicidade que se espalha como um rastilho de pólvora e  levando ao mundo o melhor que há em Almeirim.
Nós por estas bandas da Barragem dos Patudos não passamos da cepa torta e não possuímos “mentes brilhantes” com os nossos vizinhos.
Até Sónia Sanfona (foto) elogia o “filme”. No entanto quando foi vereadora da oposição nunca foi capaz de sugerir algo do género para agora bater palmas ao seu camarada Pedro Miguel Ribeiro, presidente da Câmara de Almeirim, que pela “calada” vai divulgando aquilo que a sua terra tem para oferecer sem grandes gastos e feito com a prata da casa.
Os nossos vizinhos fazem tudo em prol do crescimento de Almeirim e da divulgação do seu “turismo”.
Os nossos governantes comunistas nem com os vizinhos aprendem a fazer algo do género.
Politica, mais politica ou  a andarem à briga e a discutir nas reuniões de Câmara é o que sabem fazer
Não gosto do TPA mas tenho reconheço  que  o Francisco Cunha tem toda a razao  quando disse que o executivo deveria ir para Almeirim para aprender a fazer coisas como eles fazem ou então pedirem ajuda ao presidente da Câmara de Coruche para que ensinasse como se faz  e divulga o turismo local.


Com o executivo da CDU estamos condenados ao fracasso e lamento que muitos alpiarcenses não se apercebam que caminhamos para o abismo porque esta CDU não nos leva a lado nenhum por não ser capaz de fazer o quer que seja e muito menos de ter ideias como os concelhos vizinhos continuam a ter.
Tenho pena e muita da minha terra não passar da cepa torta.

Por opção da maioria CDU


AS REUNIÕES DA CÂMARA MUNICIPAL SÃO TODAS PÚBLICAS E ABERTAS À POPULAÇÃO E SÃO FILMADAS/GRAVADAS NA ÍNTEGRA E O CONTEÚDO DISPONIBILIZADO NA INTERNET
SERIEDADE
CONFIANÇA 
TRANSPARÊNCIA
«CDU»

Banco Local de Voluntariado já funciona no concelho de Almeirim

No final do ano passado foi lançado as bases de um projeto que há muito se vinha falando. Um Banco de Voluntariado no  concelho. 
Neste momento e após a formação inicial  já  conta com 4 instituições aderentes:
• Acras (Associação Cristã de Reinserção Social)
• CRIAL (Centro de Recuperação Infantil de Almeirim)
• Centro Paroquial e bem-estar Social de Almeirim
• Santa Casa da Misericórdia de Almeirim.

Em todas elas já têm voluntários adstritos. 
Saiba mais sobre este projeto, contacte-nos: social@cm-almeirim.pt

TORNEIO JOVEM EM ATLETISMO

Nave Desportiva de Alpiarça



28 de Fevereiro de 2015

ENCONTRO NACIONAL “VALORIZAR O TERRITÓRIO, DESCENTRALIZAR E APROXIMAR”

O Partido Socialista prepara-se para abrir o debate nacional sobre políticas de descentralização com um grande Encontro Nacional dedicado ao tema.
Este encontro vai reunir não só alguns dos melhores especialistas do país em Ordenamento e Administração do Território, mas também autarcas que vão partilhar conhecimento, opiniões e práticas que têm vindo a desenvolver nos mais diversos pontos do território nacional e que constituem a vanguarda política neste setor.
O programa do encontro é composto por 6 sessões de trabalho que decorrerão em simultâneo (4 de manhã e duas à tarde), abordando temas como a política de cidades, o desenvolvimento territorial, o turismo, os fundos comunitários, a descentralização e a democratização das estruturas intermédias.
00H SESSÃO DE ABERTURA
• António Gameiro – Presidente da Federação de Santarém
• Pedro Cegonho – Presidente da ANAFRE
• José Luís Carneiro – Presidente da ANA PS
• Mota Andrade – Vice Presidente do Grupo Parlamentar do PS
• Maria da Luz Rosinha – Secretária Nacional para as Autarquias
10:30H 1. POLÍTICA DE CIDADES
Coordenador: Fernando Medina – Vice-presidente da Câmara de Lisboa
Oradores/Comentadores:
• Ana Paula Vitorino – Deputada da Assembleia da República
• Ana Pinho – Arquiteta
• Francisco Rocha – Presidente da Junta de Freguesia de Vila Real
• Guilherme Pinto – Presidente da Câmara de Matosinhos
• José Alberto Rio Fernandes – Professor Catedrático da Universidade do Porto
• Luis Correia – Presidente da Câmara de Castelo Branco
• Paulo Cafôfo – Presidente da Câmara do Funchal
• Susana Amador – Presidente da Câmara Municipal Odivelas
10:30H 2. DESENVOLVIMENTO DO TERRITÓRIO RURAL E DAS REGIÕES DE FRONTEIRA
Coordenadora: Berta Nunes – Presidente da Câmara de Alfândega da Fé
Oradores/Comentadores:
• Aníbal Reis Costa – Presidente da Câmara de Ferreira do Alentejo
• Armindo Jacinto – Presidente da Câmara de Idanha a Nova
• Isabel Coutinho – Vereadora da Câmara de Cabeceiras de Basto
• João Nunes – Investigador
• Jorge Neves – Presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco
• Regina Maria Pinto Lopes – Diretora Executiva da ADICES
• Ricardo Rodrigues – Presidente de Câmara de Vila Franca do Campo
10:30H 3. TURISMO
Coordenador: Bernardo Trindade – Administrador do Grupo Porto Bay
Oradores/Comentadores:
• Ana Mendes Godinho – ex Vice Presidente da Turismo de Portugal
• António Ceia da Silva – Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo
• Basílio Horta – Presidente da Câmara de Sintra
• Eduardo Vitor – Presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia
• Isilda Gomes – Presidente da Câmara de Portimão
• Joaquim Ribeiro – Vice Presidente da AHRESP
• Jorge Umbelino – Professor da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril
10:30H 4. FUNDOS COMUNITÁRIOS E COESÃO TERRITORIAL
Coordenadora: Teresa Almeida – Membro da Comissão Diretiva do Programa Operacional
Regional de Lisboa
Oradores/Comentadores:
• Carla Tavares – Presidente da Câmara Municipal da Amadora
• Maria do Céu Albuquerque – Presidente da Câmara de Abrantes
• Mário Rui Silva – Professor Associado da Universidade do Porto
• Micael Cardoso – Presidente da Junta de Freguesia de Penafiel
• Teresa Sá Marques – Professor Associado da Faculdade
de Letras da Universidade do Porto
• Vit or Escária – Professor do ISEG
Programa: Tarde ››
15:00H 5. MUNICÍPIOS, DESCENTRALIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO (*)
Coordenador: Eduardo Cabrita – Deputado da Assembleia da República
Oradores/Comentadores:
• António Vassalo de Abreu – Presidente da Câmara de Ponte da Barca
• Cândido Oliveira – Professor Catedrático da Escola de Direito da Universidade do Minho
• João Ataíde – Presidente da Câmara da Figueira da Foz
• Marco Ferreira – Presidente da Associação Nacional de Jovens Autarcas Socialistas
• Maria Amélia Antunes – Presidente da Assembleia Municipal do Montijo
• Miguel Alves – Presidente da Câmara de Caminha
• Paulo Trigo Pereira – Professor Catedrático do ISEG
15:00H 6. DEMOCRATIZAÇÃO DAS CCDR’S E ÁREAS METROPOLITANAS
E REORGANIZAÇÃO TERRITORIAL DAS FREGUESIAS
Coordenador: João Ferrão – Investigador Coordenador do Instituto de Ciências Sociais
da Universidade de Lisboa
Oradores/Comentadores:
• Fernanda do Carmo – Geógrafa Especialista em Ordenamento do Território,
Planeamento Regional e Administração Pública
• Filipe Teles – Pró Reitor da Universidade de Aveiro
• João Sequeira – Doutorando Modelos de Governação Regional e Sub Regional no ISCTE
• Pedro Cegonho – Presidente da ANAFRE
• Pedro Ribeiro – Presidente da Câmara Municipal de Almeirim
• Ramos Preto – Deputado da Assembleia da República
• Rute Lima – Presidente da Junta de Freguesia dos Olivais – Lisboa
18:30H APRESENTAÇÃO DAS CONCLUSÕES
• João Tiago Silveira – Diretor do Gabinete de Estudos do PS
18:45H SESSÃO DE ENCERRAMENTO
• Manuel Machado – Presidente da ANMP
• Rui Moreira – Presidente da Câmara do Porto
• António Costa – Secretário-Geral do PS
(*) O Governo das Autarquias, Descentralização, Delegação de Competências, Reforma Administrativa,



terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

"VOCÊ DISSE URGENTE? AH AH AH !!!"

quem pense que algumas vezes as coisas são propositadas. Até acredito que não o sejam. Eles não sabem mais e alguns até pensarão que estão a fazer um bom trabalho porque lhes faltam referências do que é hoje em dia a organização de uma empresa.

Quem sempre viveu na ignorância empresarial não é de um dia para o outro que aprende a trabalhar numa empresa organizada é diferente de trabalhar numa de vão de escada.
Ter as actas em dia ou ter a documentação entregue a tempo e horas é algo que não era muito comum na administração pública.




Há uns anos havia em algumas repartições públicas um cartoon a que alguns funcionários acharam piada e resolveram exibir colado nas paredes.
Mostrava o cartoon um boneco a rir-se à gargalhada e agarrado à barriga dizendo: "VOCÊ DISSE URGENTE? AH AH AH !!!"
É esta a filosofia que ainda hoje perdura em alguns departamentos da Administração Pública e particularmente naquelas que a nós dizem respeito.
É para se ir fazendo ... com calma.
Noticia relacionada:~
"O Executivo da CDU e questões de "lana caprina"": 

O Executivo da CDU e questões de "lana caprina"

Os vereadores da oposição, entendem que não é correto, não é saudável, viver numa casa completamente desarrumada e feita numa bagunça.



Será que podemos considerar questões de lana caprina, aquelas que os vereadores da oposição têm vindo a relembrar reunião após reunião? É evidente que a CDU gostaria que a coisa, quando aflorada nas reuniões (já que não houve hipótese de uma censura prévia) não fosse mais falada. Não fosse mais relembrada. Porquanto todos sabemos que, quando a informação é muita, há coisas que acabam por esquecer. E isso é o que muitos estão à espera. Que as coisas sejam abafadas pelo tempo e o próprio tempo as enterre. Será que que questões mais importantes e que não se enquadram na dita lana caprina, são as aprovações de licenças de ruído que vão às reuniões de câmara? Até parece que Alpiarça se habituou apenas a viver em função de festas e ruídos que provoca. Se calhar seria preferível um silêncio absoluto para ver se colocava os responsáveis pela condução dos destinos de Alpiarça a pensar na forma de fazer evoluir o concelho e geri-lo de modo honesto, transparente e com a devida competência.
Serão questões de lana caprina, as embrulhadas e faltas de rigor que temos vindo a presenciar no caso da Barragem dos Patudos, dos Legados, da gestão de outros bens, das rendas do bar das Piscinas Municipais, do parque de Campismo? Das trapalhadas no Urbanismo e na inércia e incapacidade de os resolver?
Se isto não for sanado e ultrapassado como é possível ignorar completamente estes assuntos, como fizeram outros no passado, e prosseguir o caminho como se nada de grave tenha ou tivesse acontecido? O melhor para alguns, seria todos pensarmos no promissor Estádio do Casalinho como coisa transcendental para a população e esquecer tudo o resto! Um resto, que na opinião de alguns, são questões menores e, como tal, assuntos de lana caprina.
Os vereadores da oposição, entendem que não é correto, não é saudável, viver numa casa completamente desarrumada e feita numa bagunça. Acham que é tempo de arrumar as coisas para bem de quem vive em Alpiarça e de quem nos visita. Até para deixarmos uma herança limpa de trapalhices aos nossos vindouros; e nisso tenho de estar de acordo com eles.

Noticia relacionada:
"Realmente o Sr. Vereador Pedro Gaspar está a desil...": 

Estaremos à espera que alguém morra?


Verifico aqui um debate interessante sobre os Legados.

É um assumo muito importante para todos nós, quanto mais não seja no respeito pela memória daqueles que doaram os seus bens a todos nós, deveriam merecer da câmara.
Mas será o mais GRAVE assunto tratado na última reunião de câmara?
Que dizer do irresponsavel atentado à saúde pública, que representa o executivo CDU ter escondido desde setembro as análises aos peixes, só agora disponibilizadas?
Seria apenas democráticamente grave se fosse apenas um ato de negação de informação sem consequências, mas acontece que os seus resultados são muito graves.
Mas não será mesmo criminoso, conforme Pedro Gaspar leu, os resultados aos peixes analisados, provarem estarem carregados das tais perigosíssimas cianobactérias com toximas patogógicas para a saúde pública.
Tudo isto se passa alegremente, com actividades de canoagem de estudantes e pescadores às resmas a pescar nos fins de semana.
Estaremos à espera que alguém morra?
Noticia relacionada:
 "Realmente o Sr. Vereador Pedro Gaspar está a desil..."

Marketing de enoturismo tem bolsas de 4.500 euros

A Rede Global de Capitais de Grandes Vinhos anunciou o lançamento do 8.º programa anual internacional de bolsas de investigação, que visa promover a excelência e inovação na investigação enoturística.
O programa abrange estudantes de licenciatura, mestrado ou doutoramento, sendo que são elegíveis projectos de investigação sobre temas relacionados com o marketing de enoturismo, relevantes para pelo menos uma das regiões das capitais de grandes vinhedos.
Essas capitais constituem uma rede de oito grandes cidades, entre estas Bilbau (Rioja), Bordéus, Cidado do Cabo, Mainz (Rheinhessen), Mendoza, Porto, São Francisco (Napa Valley) e Valparaíso (Casablanca Valley), conhecidas regiões vinícolas internacionais.

Para além da bolsa no valor de 4.500 euros, os autores dos dois projectos vencedores recebem também mil euros para fazer face às despesas de viagem e alojamento em Bilbau, onde apresentarão os seus projectos em Novembro de 2015.
«P»

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Realmente o Sr. Vereador Pedro Gaspar está a desiludir, mas está a desiludir por uma razão muito simples

Pedro Gaspar  começou a disparar também umas balas e já anda pelo menos há 9 ou 10 reuniões seguidas a falar nos peixes mortos da barragem e das atas da câmara que andam atrasadas 


O homem começou por fazer uma oposição COMO DEVE DE SER, como se diz na gíria "certinho e direitinho", fazia umas perguntas, colocava umas dúvidas, defendia a sua dama quando tinha de defender e também foi duro quando teve de o ser.

Entretanto como está mesmo ao lado do outro vereador (Francisco Cunha) e como este começou a fazer uma oposição de "arremessar pedras a vidros e deixar tudo em cacos" o sr. Vereador Pedro Gaspar começou a ser confundido como fazendo parte da mesma oposição e a fazer o papel de eterno 2.º e a ser praticamente ignorado. Chegou mesmo a interrogar em voz alta o presidente da câmara sobre qual era ali o seu papel, pois o próprio presidente quando se referia à oposição englobava sempre os dois vereadores como se fossem uma única força política.




Ora aí fosse por pressão dos seus colegas socialistas, fosse por um desejo seu, o "Gasparzinho" começou a disparar também umas balas e já anda pelo menos há 9 ou 10 reuniões seguidas a falar nos peixes mortos da barragem e das atas da câmara que andam atrasadas. 


Ora são dois argumentos de "lana caprina", os peixes mortos da barragem já vêm do tempo do PS e quando havia dinheiro a rodos não limparam os fundos da barragem, nem fizeram uma porta d'água como se vê noutras barragens, que pudesse despejar a barragem e proceder com pouca despesa à limpeza do seu fundo e margens.


Agora na última sexta feira então acabou por partir a loiça toda!

LITERALMENTE!


Mas afinal o que se passou de tão extraordinário, perguntarão os caros leitores do JA?


Simples. O sr. Vereador Francisco Cunha anda há meses a clamar que desapareceu património do Legado Álvaro da Silva Simões, nomeadamente uma propriedade do Vale da Cigana e umas lojas velhas algures onde hoje onde está a fonte cibernética na Praça da Mulher Nua.


O sr. Presidente comprometeu-se a investigar e a solucionar o problema e chegou-se à conclusão que não desapareceu nada, que tinha havido, isso sim, uma permuta de terrenos com a Agroalpiarça (propriedade da câmara) ao tempo do último mandatos PS em que o "Gasparzinho" era deputado municipal e aprovou sem colocar qualquer questão.


Vereador Pedro Gaspar (PS)

Ora tudo estaria bem se o mesmo "Gasparzinho" agora na qualidade de vereador não tivesse votado contra uma deliberação da actual maioria quando pretendeu devolver ao Legado Álvaro da Silva Simões, propriedades de idêntico valor às que lhe tinham sido expurgadas por permuta.

Mas não é tudo. HÁ PIOR!

O "Gasparzinho" disse entender porque é que o povo não confiava nos políticos, porque esses mesmos políticos nem ao menos são capazes de manter intacto o património legado por beneméritos e daí votar contra esta medida do Executivo comunista de ressarcir o Legado do valor que lhe tinham tirado os socialistas.

Veja-se bem a confusão, algum tipo de  debilidade, inépcia, falta de jeito, estupidez, ou tacanhice ou leviandade infantil com que um vereador trata um assunto deste calibre.

Quer dizer o PS com o voto SIM do Gasparzinho retirou propriedades ao legado do benemérito Álvaro Simões e agora quando o Executivo Comunista quer repor a legalidade ou a justiça o Vereador "luminária" vota contra, porque a classe política não é capaz de preservar o que os outros lhes deixam em testamento.

Não acreditam?

 Vejam a parte final do filme da reunião de câmara estampado no JA.


Noticia relacionada:
"Concelhia do PS insatisfeita com a actuação do Ver...": 

CASA DOS PATUDOS RECEBE VI FÓRUM DO MOVIMENTO ASSOCIATIVO DE ALPIARÇA


O novo auditório da Casa dos Patudos recebeu, no passado Domingo, 22 de Fevereiro, o VI Fórum do Movimento Associativo de Alpiarça.


Ao longo de todo o dia foram discutidas as principais questões ligadas à problemática do associativismo, numa iniciativa que contou com a presença de várias dezenas de dirigentes e representantes dos clubes, associações e colectividades do concelho, que, em conjunto, partilharam problemas, preocupações e apontaram caminhos para o futuro da sua intervenção.
Mário Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Alpiarça, procedeu à abertura do Fórum salientando a importância do movimento associativo como facto de enquadramento da nossa população e de dinamização cultural, recreativa, desportiva e social, relevando ainda o facto de o Município continuar a incrementar o apoio às colectividades.
O VI Fórum, preparado pelas estruturas técnicas do CLDS+ Alpiarça, da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia, foi dividido em três painéis temáticos: I – Acção Social, mediado por Tânia Graça, do CLDS+; II – Cultura, medido por Goretti Meca, da CMA; III – Desporto, mediado por Luísa Gargalo, da CMA.
Após o almoço procedeu-se ao lançamento do Guia Associativo e do Guia de Infraestruturas Desportivas do Concelho de Alpiarça.
As intervenções de encerramento couberam a Augusto Figueiredo (Federação das Colectividades do Distrito de Santarém), João Arraiolos (Vereador do desporto da CMA) e a Fernanda Cardigo, Presidente da Junta de Freguesia de Alpiarça.

«CMA»