.

.

O QUE TEM O TPA/PSD E PS/ALPIARÇA PARA MOSTRAR COM CREDIBILIDADE AOS ALPIARCENSES?

SIMPLESMENTE NADA, EXCEPTO O “BOTA ABAIXO”

A população sabe que a CDU é uma valiosa alternativa para gerir a Câmara de Alpiarça com condições para a tirar do atoleiro em que o PS a colocou. A CDU é uma força séria e positiva que nunca se colocou na posição de “bota abaixo” como faz Francisco Cunha e Pedro Gaspar. Ler mais em: Mesmo com dificuldades o executivo da CDU tem vindo a fazer um bom trabalho

A VERDADE QUE OBRIGOU A CDU A FAZER O PLANO DE SANEAMENTO QUE É RECONHECIDO COMO UMA BOA, A ÚNICA, OPÇÃO CERTA PARA OS COFRES MISERÁVEIS DO MUNICÍPIO

Então considera uma hipocrisia, passado 5 anos a CDU queixar-se do passado, dos que deixaram a dívida porque acha que isso é mentira? Essa é a VERDADE! A VERDADE que obrigou a CDU a fazer o plano de saneamento que é reconhecido como uma boa, a única, opção certa para os cofres miseráveis do município. Toda a gente reconhece isso, aqui e fora do concelho, homem! Então onde está a hipocrisia na VERDADE? Quem deixou a dívida, afinal? Ah, pois! Você tem pouca lidação com a verdade, não é? Gosta mais de ideias fantasiosas e moinhos de vento... Há quem trate disso, só lhe digo isto. Mesmo com dificuldades o executivo da CDU tem vind...":

VEREADOR ANTÓNIO MOREIRA NÃO LEVOU DOCUMENTAÇÃO COMO NÃO TEVE CAPACIDADE PARA ENTENDER A PROSA DE MÁRIO PEREIRA

Nestas coisas, quando não se está bem documentado, acabamos por dar a vantagem ao adversário, quer seja político ou outro. Mesmo que o nosso interlocutor exiba longa e convincente prosa, acabando por não dizer nada daquilo que era suposto dizer e explicando o que ninguém conseguirá entender. Ler: mais em: OPINIÃO: António Moreira não foi bem documentado para a reunião de câmara

COMO O PRESIDENTE DA CÂMARA “ENTALOU” E SOUBE DAR A “VOLTA” AO VEREADOR ANTÓNIO MOREIRA

Por causa do diferencial do tarifário dos “Resíduos Sólidos Urbanos” (RSU) existente entre a Câmara de Alpiarça e Chamusca, ao qual Jornal Alpiarcense tem vindo a dar alguma cobertura, António Moreira (foto), vereador do TPA, quase se exaltou quando questionou Mário Pereira, presidente da Câmara de Alpiarça. Ler mais em: Presidente da Câmara ‘entalou” António Moreira, vereador do TPA

GNR DE ALPIARÇA DETEVE POR POSSE DE ARMAS PROIBIDAS, UM INDIVIDUO RESIDENTE EM ALPIARÇA

Foi apreendido (03) Pistolas semiautomáticas, (01) Revolver, (02) facas tipo militar, (05) cinco carregadores, (107) munições calibre.22, (23) Munições cal. 7.65, (64) Munições cal. 32, (53) Munições 9,3x62, (10) Munições 7mm, (29) Munições 9mm e (69) Munições Calibre desconhecido. Ler mais em: GNR DE ALPIARÇA DETÉM INDIVIDUO POR POSSE DE ARMAS PROIBIDAS

ACTIVIDADES DESPORTIVAS NO PRÓXIMO FIM-DE-SEMANA

CAMPEONATO DISTRITAL DE BENJAMINS SUB 10 - FUT 7

Sábado, 31 Janeiro 2015

11:00 - 12:00

C.D. " Os Àguias de Alpiarça" vs UFC Almeirim

Local: Estádio Municipal Dr. Raúl José das Neves - Alpiarça

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

QUASE 40 MIL CRIANÇAS E JOVENS PERDERAM ABONO DE FAMÍLIA NUM ANO

Os dados da Segurança Social, atualizados e publicados no site do ISS, referem que em dezembro de 2013 existiam 1.186.269 beneficiários deste apoio, mais 39.925 face ao período homólogo de 2014, o que representou uma quebra de 3,4% num ano.
Comparando com novembro, mês em que 1.150.489 crianças e jovens receberam este apoio, houve 4.145 beneficiários que deixaram de o receber, uma quebra de 0,36%.
Lisboa é a região do país com o maior número de abonos de família atribuídos (227.508), seguida do Porto (221.465) e Braga (105.399).
O montante do abono família varia de acordo com a idade da criança ou jovem e com o nível de rendimentos de referência do respetivo agregado familiar.
O valor apurado insere-se em escalões de rendimentos estabelecidos com base no Indexante dos Apoios Sociais (IAS).
«SL»

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Sabe o que dizem os cartas da Maia?

Os "tolinhos" acreditaram que a CDU reduziu a dívida por um passe de mágica e há quem nos queira continuar a tratar como mentecaptos



Pergunte aos seus botões (ou aos seus camaradas) porque passados poucos meses da tomada de posse conseguiram "amortizar" dívida e passado pouco tempo estão a chiar com falta de dinheiro.
Haveria sacos azuis, amarelos ou vermelhos? Não havia certamente.
O que aconteceu? Terá saído o euromilhões ao executivo CDU logo após a tomada de posse? Também não aconteceu de certeza!
Sabe o que dizem os cartas da Maia?
Dizem que quando recorreram ao PSF (Plano de Saneamento Financeiro) todas as verbas em dívida foram varridas e incluídas nas contas.As que estavam a 90, 180 dias, 1 ano, e as que estavam inscritas em candidaturas comunitárias aprovadas.
Há dívidas e dívidas...

Do milhão e meio (outros dizem 2 milhões) a maior parte dizia respeito ao Centro Escolar e à 1ª fase da recuperação dos Patudos que tinha a candidatura aprovada, mas sem ter o dinheiro desbloqueado.

Quando o dinheiro veio, e sem hipotese de ser desviado (como os esgotos do Frade) a dívida foi paga aos empreiteiros e naturalmente a dívida baixou na mesma medida do valor das obras em dívida.
Foi esta a gestão de "excelência CDU" que propalaram aos 7 ventos para enganar incautos.
Tomam todos pela mesma bitola e continuam a lidar com as populações da mesma forma que era feito no tempo da ditadura. Deixem-se de mentiras que a maioria do povo já sabe ler, escrever e fazer contas...
Se a história foi diferente desta desafio-os publicamente a dizerem donde apareceram os milhões ...
O que todos gostávamos é que seguissem uma política diferente do PSD e reduzissem a dívida através do aumento de receitas por via do aumento da matéria coletável (IRS-IRC-IMI-IMT).
Mas para isso é preciso atrair novos contribuintes, coisa que nunca foram nem serão capazes de fazer.

Noticia relacionada:
"A lei não recomenda 2 vereadores a tempo inteiro": 

ENCONTRO NACIONAL DE AUTARCAS SOCIALISTAS EM SANTARÉM

O Encontro Nacional da Associação Nacional de Autarcas do PS (ANA PS) terá lugar no próximo dia 28 de fevereiro em Santarém, no CNEMA. A Associação Nacional dos Autarcas Socialistas é a estrutura representativa dos autarcas das Freguesias e dos Municípios eleitos pelo PS e reúne anualmente.

A lei não recomenda 2 vereadores a tempo inteiro


Quando são incapazes de implementar uma proposta tão simples QUE APROVARAM como o equipamento para os cicloguardas este longo texto não faz qualquer sentido (ler: "Mesmo com dificuldades o executivo da CDU tem vind...": ).
As dificuldades financeiras existem mas nada foi feito para contrariar a situação.
Que medidas tomou este executivo para promover o investimento privado, a criação de emprego e a fixação de novas famílias? A resposta é simples: ZERO! NADA!
E para reduzir despesas? Muito pouco! 
A redução de despesas tem sido feita à conta da população como acontece com o corte da iluminação noturna ou dispensando os trabalhadores de salários mais baixos.
Vejamos se a CDU corta nisto:
A lei não recomenda 2 vereadores a tempo inteiro mas a CDU assim o quis.
Esperava-se que um vereador a mais representasse um ou dois membros do GAP a menos. NADA! 
Mantém-se o mesmo quadro como se o municipio nadasse em dinheiro.
No resto, avenças com políticos CDU nem vale a pena falar mais... É do conhecimento de quem acompanha a política local que seria possível poupar milhares de euros/ano se tivesse havido concursos e a adjudicação feita pelo melhor preço.
Mas a incompetência CDU, para não lhe chamar outra coisa não fica por aqui...
Ainda hoje assisti à circulação de uma camioneta do lixo onde nem sequer estava legível a inscrição "Município de Alpiarça" tal era a camada de sujidade.
Não se pede que uma camioneta do lixo seja uma coisa limpa na área de recolha do lixo.
Mas se houvesse brio e dignidade profissional de quem manda não custaria nada com uma escova, um pouco de detergente e uma agulheta limpar o pó e lixo acumulado há... meses? anos?
São estas pequenas coisas que provam que a CDU ao contrário da sua propaganda é incapaz de gerir o município com a qualidade e sob os padrões atuais.
A CDU não evoluiu nem nunca vai evoluir.
Para ela tudo se resume a coletividades, cultura, desporto e...VOTOS.
Os cidadãos não contam, especialmente todos os que não pagam quotas ao PCP. Esses só servem para pagar os impostos que permitem gastar na sua estratégia eleitoralista.
O texto agora comentado é tal e qual como o país ideal que o PSD nos apresenta e que o PCP tanto critica dizendo que não correponde à realidade.
É um país ideal que não existe como a foto que apresentam do municipio é um enorme "photoshop"


Mesmo com dificuldades o executivo da CDU tem vindo a fazer um bom trabalho

O que tem o TPA/PSD e PS/Alpiarça para mostrar com credibilidade aos alpiarcenses?

Simplesmente nada, excepto o “bota abaixo”

Por: M.F, (*)
A CDU dispõe de um trio de eleitos combativos que constituem o actual executivo da CDU cujo presidente (Mário Pereira) entendeu no início do actual mandato não dar pelouro algum aos dois vereadores da oposição, Francisco Cunha do TPA/PSD e Pedro Gaspar do Partido Socialista por causa da política de direita que estes eleitos defendem e julgo: pela sua falta de capacidade em serem capazes de tomar conta de quaisquer pelouros porque dirigir uma autarquia sem receitas, isto é: sem dinheiro, não é tarefa para qualquer um.
Queixam-se, tornando público, os eleitos da oposição, que estão fartos de apresentar propostas para depois ficarem dentro da gaveta.
É normal que assim seja porque os “propostas” não passam de simples “folhas A/4” sem qualquer estudo económico a acompanhá-las.
Faz muito bem o executivo da CDU não dar qualquer credibilidade aos “papéis” que os dois eleitos apresentam porque os mesmos nem sequer sabem representar dignamente a parte da população que os elegeu quanto mais merecerem credibilidade.
Sabem é reunião após reunião de Câmara estarem sempre focados nos mesmos temas ou a tirar fotografias à plateia para depois as colocarem no Facebook ou estarem a receber mensagens via telemóvel.
Mário Pereira e os alpiarcenses sabem muito bem que esta “oposição” não é digna de qualquer credibilidade. É uma oposição amorfa que se preocupa com tudo menos com os problemas de Alpiarça.
A CDU que tem a maioria, por vontade expressa dos alpiarcenses, tem vindo a realizar um óptimo trabalho atendendo aos constrangimentos que lhes foram impostos por via dos milhões de euros que recebeu como “herança” dos executivos do PS que pouco ou nada se preocuparam com o futuro de Alpiarça.

Nos mandatos de Rosa do Céu e Vanda Nunes centenas de milhões de contos foram gastos, numa espécie de aliança implícita ou explícita dos socialistas onde fica a impressão que "alguém mais tarde ou mais cedo" haverá  de pagar a divida.

Mas a CDU por intermédio dos seus eleitos tem vindo a demonstrar, para além das imposições que impedem fazer mais por causa da brutal divida deixada pelos socialistas, que são capazes de continuar a realizar com responsabilidade importantes decisões, coisa que parece não importunar muito  Francisco Cunha e Pedro Gaspar.
Nos últimos anos, gastaram-se vários milhões de euros que estão à vista de todos sem aumentar ou ter estrangulado a vida e o funcionamento normal da Câmara.
O executivo da CDU está a fazer um bom trabalho em todas as áreas de actividade com relevo para a relação que tem existido com todas as instituições locais, nomeadamente ligadas ao desporto, à cultura, área da educação, escolas, etc.
Na Câmara, os vereadores da CDU levam às reuniões de Câmara problemas identificados e credíveis com o objectivo de bem servir a população do concelho e de cumprir o que prometeu em campanha eleitoral.
Os vereadores e outros eleitos da CDU acompanham e apoiam várias acções que têm sido levadas a efeito onde algumas têm tido grande sucesso como o caso do “Triatlo” e “Feira do Melão” que trazem a Alpiarça milhares e milhares de visitantes.
Os eleitos e activistas da CDU entendem que um dos pilares no desenvolvimento da qualidade de vida dos nossos munícipes é a democratização do acesso à cultura, ao desporto e ao lazer. Neste domínio e movimento associativo tem uma importância fundamental, constituindo-se como o verdadeiro garante da oferta que nestes domínios ainda vai existindo no nosso concelho.
A CDU tem projectos que assentam no desenvolvimento da qualidade de vida e bem-estar da população proporcionando a todos os munícipes as mesmas oportunidades.
Todo este trabalho tem por base uma ampla interligação entre activistas e eleitos da CDU nos diversos órgãos autárquicos que se quer cada vez mais profunda e completa.
Na Assembleia Municipal, os eleitos da CDU, manifestam um profundo conhecimento dos problemas do concelho, intervêm quer no plenário da Assembleia com desvelo e empenho, pautando o seu trabalho pela ida aos locais, pelo levantamento das situações e pela apresentação de propostas.
As ideias e propostas (?) do TPA/PSD e PS estão completamente desligadas das vontades e prioridades da população porque se baseiam simplesmente em “ideias” e críticas destrutivas sem qualquer assento sólido porquanto são baseadas na “oratória” quando deveriam ser na realidade.
A população e as instituições sentem e reconhecem a mais-valia do trabalho do executivo da CDU, da sua transparência mas acima de tudo da seriedade, coisa quem alguns eleitos da oposição tem dificuldade em compreender porque teimam em querer desacreditar que a CDU é a única a alternativa credível. 
O trabalho, capacidade, competência e disponibilidade da CDU impõem-se todos os dias, em contraponto com a manifesta incapacidade da coligação TPA/PSD e do eleito do PS.
A população sabe que a CDU é uma valiosa alternativa para gerir a Câmara de Alpiarça com condições para a tirar do atoleiro em que o PS a colocou e deixou.
A CDU é uma força séria e positiva que nunca se colocou na posição de “bota abaixo” como faz Francisco Cunha e Pedro Gaspar.
Felizmente a população alpiarcense sabe disto.
O que tem o TPA/PSD e PS para mostrar com credibilidade aos alpiarcenses?
Simplesmente nada, excepto o “bota abaixo”.

(*) Colaborador identificado perante o jornal

Como diria o vereador Moreira: "Então e agora senhor presidente?”


 Graças ao Jornal Alpiarcense, a história dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) e a tal diferença "abismal" nos preços praticados entre os vários municípios do vale do tejo, vai sendo revelada. Essa é que é essa! Apesar de, pelos vistos, alguns presidentes de câmara quererem tapar a sol com a peneira aos seus munícipes, pelo que temos observado nos jornais e outros meios de comunicação.
Tudo isto não deixa de ser curioso se pensarmos que, antigamente dizia-se que o regime de Salazar e Caetano era um regime "obscurantista" porque mantinha o povo na ignorância, advogando que um povo ignorante é muito mais fácil de governar.
Hoje, será que os princípios filosóficos, em alguns casos, serão assim tão diferentes?
Como diria o vereador Moreira:
"Então e agora senhor presidente?”

Noticia relacionada:
"Mário Pereira baralhou o Vereador (interino) Morei...":

A Junta de Freguesia apoia autores alpiarcenses ou residentes na nossa freguesia


Mário Pereira baralhou o Vereador (interino) Moreira

O que devemos reter no discurso do presidente da câmara de Alpiarça na última reunião de 23.01.2015 a propósito da indignação de alguns alpiarcenses face à disparidade dos preços praticados nos RSU entre Alpiarça e Chamusca é o seguinte: o Vereador (interino) Moreira ao querer que o presidente explicasse os meandros desta coisa dos RSU, o presidente cortou todas as voltas e não explicou NADA! E não explicou porque a reunião estava a ser gravada e iria ser exposta publicamente e, nada como calar para não dizer qualquer disparate que o viesse a “entalar”! Porque não disse o presidente que de facto a “realidade incomparável” na diferença desta coisa dos lixos se deve a que nós em Alpiarça estamos "atrelados" à empresa ECOLEZÍRIA com o aterro sanitário na Raposa e a Chamusca tem a RESITEJO que trata os lixos de Santarém, Tomar, Alcanena, Torres Novas, Barquinha, Golegã, Ferreira do Zêzere, Constância...a menos de metade do preço, a julgar pelas taxas praticadas pelas respectivas autarquias aos seus munícipes?
Estas é que seriam as explicações que Mário Pereira devia dar aos alpiarcenses! Mas Mário Pereira que fala, fala e pouco diz, resolveu baralhar o que o vereador Moreira pretendia que fosse explicado aos alpiarcenses. Esta é que é a realidade! Depois falam em honestidade, transparência e outros atributos de circunstância só para iludir o pagode.
Alguém terá de dizer a VERDADE.
Noticia relacionada:


A internet é espectacular para nos reavivar a memória

Vejamos o que escrevia o PEV/PCP (CDU) em 2010 na sua página, sobre o executivo PS da câmara municipal de Almeirim:
"O Relatório da IGAL vai ao encontro das denúncias feitas pela CDU.
As questões levantadas pelo relatório de inspecção, sejam elas sob forma de acusação de violação da Lei (nomeadamente do PDM ou dos procedimentos legais), ou sejam elas colocadas de forma mais “suave” sob forma de recomendação, vão todas elas ao encontro do que a CDU denunciou, não só durante o mandato avaliado neste acto inspectivo, mas durante todos os mandatos desta maioria PS presidida por Sousa Gomes: Violações e irregularidades diversas; Não cumprimento do direito de oposição; Deliberações discricionárias (umas para filhos outras para enteados); Descontrolo na gestão dos serviços; Opacidade nas decisões; Falta de rigor técnico nas fundamentações e opções, etc….
Esta entidade tutelar, com funções inspectivas, não vem mais que confirmar e apontar algumas situações concretas, algumas delas já denunciadas pela CDU, entre muitas outras existentes.
É aliás importante sublinhar que, entre os casos enviados para o Ministério Público, consta um (permuta de terrenos e construção de edifício no dito Centro Cívico das Fazendas) sobre o qual a CDU tinha votado vencido e denunciado as irregularidades e anomalias gritantes que apresentava.
É ainda importante sublinhar que este relatório evidencia que as competências assumidas pelo Presidente (delegação de competências), em detrimento da Câmara, são usadas de forma abusiva e irregular.
A CDU fica a aguardar serenamente a decisão do Ministério Público, esperando que a justiça deste país, venha contribuir para melhorar a democracia, na qual ela tem um papel importante a desempenhar.
Por outro lado os eleitos da CDU nos órgãos do município irão continuar a lutar pela defesa do cumprimento da lei, em defesa da democracia e exigindo o cumprimento das recomendações feitas pela IGAL com a maior urgência.
Noticia relacionada:
"TODA A VERDADE": 

Lei que obriga postos a comercializar combustíveis low-cost já foi publicada

A lei n.º6 de 16 de janeiro "estabelece os termos da inclusão de combustíveis simples [conhecidos por low-cost] nos postos de abastecimento para consumo público localizados no território continental, bem como obrigações específicas de informação aos consumidores acerca da gasolina e gasóleo rodoviários disponibilizados nos postos", pode ler-se no documento já publicado.
Todos os postos de Portugal continental estão abrangidos.
A proposta inicialmente aprovada no Parlamento cingia-se a postos com quatro bombas, o que afetava a oferta fora dos grandes centros urbanos. A versão agora publicada generaliza a obrigatoriedade da oferta a todos os postos de combustível.
A nova lei não impede a "livre comercialização de gasolina e gasóleo rodoviários submetidos a processos de aditivação", esclarece o documento, ou seja, os postos não estão obrigados à "comercialização exclusiva de combustível [low-cost]".
Os comercializadores que não cumprirem a nova regra estarão sujeitos a coimas entre os 6 mil e 20 mil euros, no caso de pessoas singulares, e de 20 mil a 60 mil euros, no caso de pessoas coletivas.
Cabe à entidade supervisora do sector dos combustíveis a supervisão e monitorização do cumprimento desta lei, que no prazo de três anos será avaliada.
«JN»

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

TODA A VERDADE

Quem tem familiares e amigos metidos no Partido, ouve as lamentações e sabe muito bem como o sistema funciona e está montado.



A verdade nua e crua é esta, falando dos políticos que governam Alpiarça. Três ou quatro espertalhões dos tempos modernos resolveram levar a lenda do comunismo a sério aproveitando a fama que Alpiarça teve em tempos idos com o seu passado antifascista. A instalação da polícia política do regime em Alpiarça, é prova indiscutível disso. Os “novos comunistas” aproveitando-se da situação, embora não chegando sequer aos calcanhares dos verdadeiros comunistas de outrora, lá vão esgravatando em busca do seu sustento. Assim, conseguem desenrascar a própria vidinha com a ajuda dos votos, fruto ainda dessa lenda, bem como a vidinha de alguns familiares e amigos. Alguns coitados, vão trabalhando para a causa sem ganhar um “chavo”, por vezes em seu prejuízo e da família, enquanto outros vão recebendo umas senhazitas de presença nos órgãos autárquicos e nada mais. Isto é tudo muito bonito mas é visto de avião, como aqui já alguém disse! Quem tem familiares e amigos metidos no Partido, ouve as lamentações e sabe muito bem como o sistema funciona e está montado.
É claro que quem está a mamar na teta convém manter a chama acesa porque se a candeia se apaga, eles tropeçam e lá terão de ir de novo uns de regresso às aulas, outros para as repartições de finanças, bancos etc.
Como diria o meu vizinho do rés-do-chão: "Pois, pois, Paulino tem olho!..."

Noticia relacionada:
"Os números e as metodologias de cálculo, trazem-no...": 

"Família Larga a Tábua"

Duas gerações ao nosso serviço



Corpo de Bombeiros Municipais de Alpiarça
«Foto e texto de Ricardo Hipólito»

OPINIÃO DOS LEITORES: A lógica de Mário Pereira, aponta o PS como responsável pela alta taxa comparativa do lixo entre Alpiarça e Chamusca,

A lógica de Mário Pereira, aponta o PS como responsável pela alta taxa comparativa do lixo entre Alpiarça e Chamusca, ao mesmo tempo que lembra a terrível ameaça do "papão" ERSAR como justificação para a sua posição ao longo de cinco anos de mandato



TENHO  acompanhado desde há algum tempo a esta parte, as discussões relativas ao preço das águas, tarifas sociais mal alinhavadas e, ultimamente, as diferenças entre alguns municípios no que toca a taxas dos resíduos sólidos urbanos (R.S.U).
Na questão do diferencial da taxa de resíduos sólidos urbanos entre Alpiarça e Chamusca, mesmo não conhecendo os meandros dos lixos, também acho uma diferença que, diria pornográfica, entre duas Vilas contíguas. Sobretudo quando essas taxas, e apesar de serem receitas dos respectivos municípios, são cobradas na fatura pela mesma empresa que fornece a água aos dois municípios. É claro que cada município é livre de aplicar a taxa de RSU como entender.
Vi e ouvi o presidente Mário Pereira, dizer que relativamente às taxas dos lixos, não iria alterar nada, porquanto estas taxas teriam sido implantadas pelo Partido Socialista durante o seu mandato, numa altura em que havia até mais condições económicas que hoje.
E fiquei a pensar: Bom, se eu percebi a lógica de Mário Pereira, se o Partido Comunista Português, numa hipótese muito remota, um dia vier a ganhar as eleições para o governo de Portugal, não irá mexer uma palha ou fazer qualquer alteração de caráter social ou económico, porque foram os outros partidos os responsáveis por todas as práticas que vão contra quem trabalha.
A lógica de Mário Pereira, apontando o PS como responsável pela alta taxa comparativa do lixo entre Alpiarça e Chamusca, ao mesmo tempo que lembra a terrível ameaça do "papão" ERSAR como justificação para a sua posição ao longo de cinco anos de mandato, só poderá ser considerada, como a "Lógica da Batata"!

Noticias relacionada:
"Presidente da Câmara ‘entalou” António Moreira, ve...": 

Prepare-se para dizer adeus a três dias de férias

A Função Pública vê este ano a bonificação em função da idade terminar. Passam a ter apenas 22 dias de férias úteis, mas nem tudo é mau. A partir deste ano contam com um dia adicional por cada dez anos de serviço e aqueles que tiverem boas avaliações também recebem mais dias, refere o Jornal de Notícias.
A lei entrou em vigor em 2014, mas só agora é que vai ter impacto na vida dos trabalhadores públicos. Em vez de 25 dias, passam a ter 22 úteis de férias, aos quais podem juntar mais um por cada grupo de dez anos de serviço.
Através da Lei Geral de Trabalho em Funções Públicas ficou definido que além de reduzir em três o número de dias úteis mínimo, o sistema de bonificações que conferia dias de descanso a mais consoante a idade também foi eliminado.
Segundo a Administração Pública, quase metade dos trabalhadores tem mais de 45 anos e por isso, deve reunir os requisitos para preencher a única bonificação que se manteve.
Na Função Pública existe ainda o sistema de recompensa do desempenho. Aqueles que durante três anos acumulem a nota de “relevante” ganham três dias de férias e os que tiverem três “excelentes” recebem mais cinco dias.
«NM»

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

OPINIÃO: António Moreira não foi bem documentado para a reunião de câmara

Nestas coisas, quando não se está bem documentado, acabamos por dar a vantagem ao adversário, quer seja político ou outro. Mesmo que o nosso interlocutor exiba longa e convincente prosa, acabando por não dizer nada daquilo que era suposto dizer e explicando o que ninguém conseguirá entender

Por: P.E,
 O António Moreira, na verdade, não foi bem documentado para a reunião de câmara, sobre o tema dos R.S. Urbanos. E não tinha razão para tal. Bastaria seguir a investigação deste jornal para, pelo menos, ter alguma argumentação válida sobre o assunto. Mesmo na questão das recolhas do lixo em cada município, bastaria dar uma volta pela net para se inteirar de toda a história processual dos lixos. Seria talvez pertinente, e não ofendia ninguém, perguntar se a câmara de Alpiarça já regularizou os pagamentos para com a ECOLEZÍRIA, empresa intermunicipal, dona do Aterro Sanitário da Raposa que, ao tempo da governação PS, teria uma conta calada para pagar da recepção e tratamento dos lixos do município de Alpiarça, conforme relataram na altura, vários órgãos de comunicação social.
Saber por exemplo, já que nas reuniões de câmara se fala tanto na função social da Águas do Ribatejo, por que razão uma família carenciada que usufrui da Tarifa Social, perde o direito a essa tarifa, na TOTALIDADE (como castigo imposto) logo que ultrapasse o consumo de 15m3... e ainda por cima tem de pagar os resíduos sólidos do 3º escalão à câmara municipal ao preço unitário de 0,1548€ vezes TRINTA DIAS, etc. etc. A câmara da Chamusca, como foi referenciado neste jornal, acautelou os interesses dos seus munícipes e consumidores ao implantar o escalão único de 0 a 40 m3 /30 dias. Mesmo que a taxa de RSU de Alpiarça não tivesse a incidência nos m3 consumidos como tem a Chamusca, aliviaria o consumidor alpiarcense se optasse por um escalão mais abrangente. Com o 1º, 2º, 3º escalões, sai beneficiado apenas quem consome até 3 metros cúbicos de água. O que corresponde a uma ínfima minoria dos consumidores alpiarcenses. Os outros, os que têm filhos mas não têm dinheiro, acabam todos por levar a machadada impiedosa do SISTEMA.
Nestas coisas, quando não se está bem documentado, acabamos por dar a vantagem ao adversário, quer seja político ou outro. Mesmo que o nosso interlocutor exiba longa e convincente prosa, acabando por não dizer nada daquilo que era suposto dizer e explicando o que ninguém conseguirá entender.

Noticia relacionada:

Presidente da Câmara ‘entalou” António Moreira, vereador do TPA

 Por causa do diferencial do tarifário dos “Resíduos Sólidos Urbanos” (RSU) existente entre a Câmara de Alpiarça e Chamusca, ao qual Jornal Alpiarcense tem vindo a dar alguma cobertura, António Moreira (foto), vereador do TPA, quase se exaltou quando questionou Mário Pereira, presidente da Câmara de Alpiarça.


António Moreira queria que Mário Pereira explicasse a razão da diferença que existe no tarifário dos “Resíduos Sólidos” entre os concelhos de Alpiarça e Chamusca.
O presidente da Câmara alpiarcense “respondeu-lhe” à letra para também o questionar se por acaso sabia os “preços do tarifário da Câmara de Almeirim” levando a que o vereador do TPA encolhesse os ombros por desconhecer tais valores.

Uma pergunta “inocente” vinda do edil alpiarcense que apenas queria provar que as “acusações” tornadas publicadas nos “blogues” do “burgo” mais não são do que “notas polémicas” porque segundo afirmações a este jornal por Mário Pereira,  Alpiarça ainda é um dos concelhos mais beneficiados nesta trapalhadas de tarifários.

Como dizia um velho comerciantes da praça alpiarcense:

“Já tenho muitos anos disto e muita ‘tarimba’ para saber todos  os segredos do negócio”

Foi com a ‘tarimba’ de Mário Pereira que o antigo militante socialista ficou por ouvir aquilo que queria ouvir.

Só que, a oposição apontou as “armas” para o executivo da CDU e não há mais nada a fazer senão que esperar que o vento limpe a poeira dos resíduos que teimou  durar  algum tempo por estas bandas como continua a durar o pedido das “actas e outros afins”
Claro que António Moreira deve ter tido vergonha de falar no despoletar da polémica que teve o seu início na publicação de uma noticia assinada por um colaborador deste jornal, e vai daí, com base nos dados da noticia, a questão que apresentou foi assente no que dizem os “blogues” quando na verdade o BLOGUE a que se deveria referir mais não era  que o “Jornal Alpiarcense” porquanto não existe mais nenhum e a existir todos são “anónimos” ou páginas oficiais dos partidos ou forças politicas com assento no burgo.
Como disse um comentarista a “oposição diz cobras e lagartos  do JA” mas este vai “cumprindo a sua obrigação” a e informar com: “isenção, independência e transparência” coisas que os políticos da oposição não são capazes de fazer.
Outro houve que ainda acrescentou: os políticos da nossa praça que atiram farpas ao Jornal Alpiarcense, nas reuniões de câmara, não passam um dia sem dar por aqui uma volta para verem as "novidades" da terra. Quanto mais não seja, para saberem se por aqui falam bem deles ou pelo contrário, existe alguma critica a seu desfavor. Como se costuma dizer "Quem desdenha quer comprar!" Uma grade verdade, acrescentamos nós.
Curioso é que António Moreira em vez de falar no desenrolar da reunião no “Jornal Alpiarcense” falasse apenas em “blogues”   porque, quando, das últimas eleições autárquicas, o vereador Moreira tanto gostava de ver o seu nome no Jornal Alpiarcense e de tudo o que falasse no TPA para só agora, talvez por “lapso de memória” se lembrar que afinal o JA não passa de  “um blogue”  cujo nome não deve ser referenciado em reuniões de Câmara porque para este tipo de  políticos,  como António Moreira, é tudo “farinha do mesmo saco”.

GNR DE ALPIARÇA DETÉM INDIVIDUO POR POSSE DE ARMAS PROIBIDAS


 Hoje, dia 26 de janeiro de 2015, pelas 10h00, e na sequência de diligências de investigação, a GNR de Alpiarça deteve por posse de armas proibidas, um individuo residente em Alpiarça, do sexo masculino, com 50 anos de idade.
Com autorização do visado, foi efetuada busca domiciliária, tendo-se procedido há apreensão de: (03) Pistolas semiautomáticas, (01) Revolver, (02) facas tipo militar, (05) cinco carregadores, (107) munições calibre.22, (23) Munições cal. 7.65, (64) Munições cal. 32, (53) Munições 9,3x62, (10) Munições 7mm, (29) Munições 9mm e (69) Munições Calibre desconhecido.
Contactada a Ex.ª. Senhora Procuradora dos Serviços do Ministério Público de Almeirim, ordenou que o indivíduo fosse constituído arguido, prestasse TIR e fosse restituído à liberdade, tendo o processo passado a inquérito.

Portugueses valorizam mais o equilíbrio pessoal do que um aumento salarial

Os portugueses, na sua maioria, estão mais dispostos a abdicar de aumentos salariais em prol de adquirir mais conhecimento e, principalmente, de melhorar o equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, avança esta segunda-feira o Diário Económico.
O estudo Kelly Global Workforce Index, da Kelly Services, revelou que 60% dos portugueses valoriza mais o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional do que um aumento de salário. Este valor é muito superior à média europeia (48%) e à média global (52%).
No que se refere a horários mais flexíveis, 36% dos portugueses prefere um horário de trabalho menos pesado a melhorias salariais, o mesmo valor que a média global.
Os portugueses destacam-se ainda noutro ponto: 72% diz que prefere a oportunidade de aprender novas competências à possibilidade de progressão na carreira ou melhorias salariais - a nível global esta percentagem situa-se nos 57%.
«Torna-se notório nestes resultados que as organizações mais atrativas são aqueles que oferecem mais que salários e benefícios competitivos: são as que oferecem a oportunidade para desenvolver competências para o profissional evoluir no desempenho das suas funções», afirmou Afonso Carvalho, director-geral da Kelly Services Portugal
«DD»

Alpiarça mais limpa

«CMA»

Desemprego de longa duração mais do que duplicou em cinco anos

Em 2008 havia 16,7 milhões de desempregados, número que subiu para 26,2 milhões no final de 2013, elevando a taxa de desemprego para 10,8%. Entretanto, ainda com dezembro por contabilizar, o número de desempregados baixou para 24,4 milhões em 2014. Mas há um problema que a Europa ainda não conseguiu controlar.
Entre a população desempregada com baixas qualificações, o desemprego de longa duração - aquele que persiste por mais de 12 meses - passou de menos de 5% em 2008 para mais de 10% em 2013 no conjunto da UE, alerta a Comissão Europeia, num relatório recentemente divulgado. O fenómeno teve um impacto menor nas pessoas com médias e altas qualificações, mas nem por isso é mais animador. O desemprego de longa duração passou de 1% para quase 3% entre os altamente qualificados e de pouco mais de 2% para mais de 4% entre os que têm qualificações médias.
Portugal não escapou à tendência europeia e viu a taxa de desemprego de longa duração passar de 4% para 9% em cinco anos. É a quinta mais elevada da UE, só ficando atrás da Grécia, Espanha, Croácia e Eslováquia.
São principalmente os homens, os jovens com menos de 35 anos e os pouco qualificados que são mais afetados por este problema, em especial os profissionais dos sectores da construção e da manufatura, particularmente afetados pela recessão", nota o relatório da comissão. A agravar este cenário está o facto de um em cada cinco desempregados de longa duração - os jovens, essencialmente - nunca ter sequer chegado a estar alguma vez empregado, o que "cria um forte risco de marginalização".
A solução passa pela educação. "Regra geral, uma maior participação dos desempregados em educação e formação traduz-se numa saída mais rápida do desemprego", diz o relatório.
Sector da construção foi fortemente afetado pela recessão económica© Money Sharma / EPA Sector da construção foi fortemente afetado pela recessão económica
Emprego novo é temporário ou part-time
Apesar de, hoje, o número de pessoas a cair no desemprego estar a diminuir para níveis pré-crise, é cada vez mais difícil para aqueles que já estão desempregados conseguirem sair dessa situação, refere o relatório.
Pior do que isso, grande parte do emprego criado é temporário ou a tempo parcial, o que ilustra a incerteza que ainda se vive do lado dos empregadores e levanta preocupações em relação à robustez da recuperação económica. "Nos estados membros em que os contratos a termo desempenham um papel importante, os múltiplos e repetidos períodos de desemprego de curta duração são um fenómeno disseminado", aponta a comissão.
Portugal volta a estar no grupo dos mais atingidos neste capítulo, juntamente com Espanha, Polónia e Eslovénia: 60% da população empregada só tem trabalho temporariamente, isto é, encontra-se contratada a termo certo.
 E, mais uma vez, são os jovens que mais sofrem o impacto destas tendências. "Os jovens são mais propensos a sujeitarem-se a condições de trabalho mais precárias", o que se reflete na enorme percentagem - 43% - de jovens que estão empregados com contratos a termo certo. Este valor tem vindo, contudo, a diminuir para os maiores de 25 anos. Ao mesmo tempo, um em cada três empregados jovens só tem um trabalho a tempo parcial. Resultado: "os jovens empregados têm um risco maior de experienciarem pobreza apesar de trabalharem."
«DV»

Portugal vai fazer reembolso antecipado ao FMI

Portugal vai avançar com um reembolso antecipado ao Fundo Monetário Internacional, anunciou esta quarta-feira Maria Luís de Albuquerque, durante a audição que decorre esta manhã no Parlamento
"O Governo está em condições e vai iniciar os procedimentos necessários ao reembolso antecipado dos montantes devidos ao FMI", disse a ministra das Finanças, citada pela Reuters. "Vamos iniciar esse procedimento, seguindo o precedente que foi estabelecido pela Irlanda", acrescentou.
Maria Luís Albuquerque justificou que, neste momento, Portugal tem "acumulado um montante de reservas de liquidez muito significativo", que permite "enfrentar, com muita tranquilidade, eventuais períodos de volatilidade que poderão vir a ocorrer nos mercados financeiros".
Para a ministra, o sucesso da emissão de dívida de dia 13 de janeiro foi "mais uma prova da recuperação da credibilidade que foi possível conseguir ao longo dos últimos anos".
A governante mostrou-se também confiante no cumprimento da meta do défice de 2014, referindo que há dados que apontam para uma evolução favorável da execução orçamental.
"Os dados preliminares [da síntese de execução orçamental] que dispomos neste momento indicam que estamos confortáveis com o cumprimento da meta do défice de 2014", disse Maria Luís.
«DV»

domingo, 25 de janeiro de 2015

TIAGO LEITE: Apenas uma "estrela" porque não merece mais


“Somam-se as queixas de cidadãos do distrito contra a Segurança Social. Na semana passada foi o badalado caso da mulher desempregada que perdeu o rendimento mínimo aparentemente por causa do Facebook. Agora chega-nos uma história igualmente grave de uma funcionária que ficou com a conta do banco congelada por um erro da Segurança Social” assim se lê no semanário ‘O Ribatejo’ que por causa destas anomalias apenas atribui ao Director da Segurança Social de Santarém ‘uma estrela’ porque é o mais baixo que se pode dar a quem não merece mais.

Este País é uma maleita

Por: Anabela Melão
Um País que deixa morrer um idoso num serviço de urgência escusa de se esconder atrás do factor inevitabilidade. Aos profissionais de saúde não pode exigir-se o dom divino de fazer milagres. Um idoso morrer na urgência sem ser visto por um médico é sempre uma indignidade. Uma indignidade extrema do Estado. Uma incompetência que vem de cima (não é aos médicos que se imputa a falta de recursos, pois não?). Bem pode o ministro escudar-se atrás de inquéritos supostamente abertospara apurar responsabilidades. Bem pode o Ministério da Saúde apontar o dedo à organização das escalas dos médicos. Há dados objetivos que explicam a anómala situação nas urgências. O Governo português, explicado assim mesmo, preto no branco, pela OCDE, cortou o dobro no financiamento do Serviço Nacional de Saúde do que era exigido no memorando de entendimento com a troika. Os cidadãos sem alternativa de outro sistema de saúde desesperam horas e horas a fio nas urgências dos hospitais públicos. Este país não é para maleitas. Este País é uma maleita. Macedo e Maria Luis são assim como que uma espécie de virus, bactérias. Não somos (apenas) números. 

Video da Reunião da Câmara Municipal de Alpiarça de 23-01-2015

Em matéria de R.S. Urbanos, cabe aos eleitos de cada município fixar a sua taxa


Escreve o comentarista do regime autárquico vigente, a propósito do diferencial dos R.S.U entre Alpiarça e Chamusca:

" Mas o Presidente não explicou já a razão dessa pequena diferença? São surdos? Ou não vos interessa ouvir?”
Não senhor comentarista, o que o presidente disse e pode ser consultado neste jornal é que em matéria de R.S. Urbanos, cabe aos eleitos de cada município fixar a sua taxa. Isso sabemos nós. Acha que era essa a resposta que os munícipes de Alpiarça desejavam? Por acaso, não são os ELEITOS da CDU que agora governam? Por fim, diz o presidente que a culpa (imagine-se!) é do PS. Ó senhor comentarista, acha que os munícipes de Alpiarça são parvos? Por essa ordem de ideias vamos concluir que a culpa de haver gente tão ignorante em Alpiarça se deve a D. Afonso Henriques!...
Diz "pequena diferença de 3,50€"? Acha que 3,50€ mensais, 42.00€ anuais é uma pequena diferença para quem dispõe de cerca de 200,00€ para sustentar a família durante 30 dias, e ainda tem de contar com a farmácia, senhor comentarista? Para si é uma ninharia, com certeza! Se calhar são estes desgraçados que têm de trabalhar e pagar impostos para que você tenha um ordenado principesco! Ou estarei enganado?

Noticia relacionada:
"Resíduos Sólidos Urbanos (R.S.U) - facturas da A...": 

Criado partido que defende união entre Portugal e Espanha

A iniciativa é de um grupo de cidadãos espanhóis: querem que os dois países caminhem juntos, o que é diferente de os fundir.


Um grupo de habitantes da localidade espanhola de Puertollano (Castela-Mancha, centro) anunciou a constituição do Partido Ibérico, que defende a união de Espanha e Portugal em projetos comuns, noticiou hoje a agência espanhola EFE.
Também designado pelo acrónimo 'Iber', o partido foi inscrito no Ministério do Interior a 17 de dezembro, disse à agência o principal impulsionador do partido, o ex-autarca socialista Casimiro Sánchez Calderón, que abandonou o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) em 2014, depois de 45 anos de militância.
O partido parte da ideia "utópica e talvez absurda" de unir os dois países ibéricos, explicou, numa união que "não parte dos reinos, mas do sentimento de unidade dos cidadãos".
"Não se trata de fundir Espanha e Portugal, mas de caminharmos juntos", acrescentou.
Em Portugal o partido ainda não foi constituído legalmente, o que exige 7.000 assinaturas, mas responsáveis do Iber estão à procura de alianças com "dirigentes progressistas" de Portugal e também das regiões espanholas de Castela e Leão e da Galiza.
Em Espanha, disse Sánchez Calderón, o Iber pretende apresentar-se às próximas eleições com programas e projetos "que beneficiem os dois países".
O ex-autarca é o único membro da direção da nova formação ligado à política, sendo os restantes pessoas ligadas ao mundo sindical ou que "viveram intensamente a transição democrática", disse.
Segundo Sánchez Calderón, o objetivo "é trazer um grão de areia ao panorama político espanhol, reconhecendo tudo o que foi feito de bom, mas também trazendo ideias novas com o consenso e a unidade como princípio base para abraçarmos juntos o futuro de toda a península".
«DN»

sábado, 24 de janeiro de 2015

Os números e as metodologias de cálculo, trazem-nos por vezes revelações curiosas

E não vale a pena, mesmo para aqueles que têm responsabilidades políticas a nível das autarquias virem com paninhos quentes dizendo que há fulanos que se preocupam demasiado com as milésimas e décimas de milésimas etc.

Por mim, não estou a favor deste ou daquele ou contra isto ou aquilo mas, vejo que há uma coisa que é importante fazer: alguém terá de explicar esta "trapalhada"! Nada pior que viver na incerteza e baralhado nas palavras.

Tenho lido por aqui e, ultimamente ouvido até da boca de algumas pessoas, que a diferença da taxa de "Resíduos Sólidos Urbanos" praticada pela Câmara Municipal de Alpiarça é 300% (!) mais cara que a taxa praticada pela Câmara da Chamusca. Esta afirmação estará certa mas, peca por defeito.
Em minha opinião, e a matemática provará isso, esta diferença percentual nos R.S.U, pode ir muito para além dos 300%, dependendo dos consumos de cada família. Esta diferença será tanto mais acentuada quanto menores forem os consumos.
Senão vejamos:

- Um consumidor da Chamusca consome em determinado mês, 6m3 de águax0,1000= 0,60€ ou seja, paga de resíduos sólidos, sessenta cêntimos.

- O consumidor de Alpiarça gastando os mesmos 6m3 no mesmo mês, paga: 30x0,1072=3,216€! Uma diferença de cerca de 500%!

Os números e as metodologias de cálculo, trazem-nos por vezes estas revelações curiosas.
E não vale a pena, mesmo para aqueles que têm responsabilidades políticas a nível das autarquias virem com paninhos quentes dizendo que há fulanos que se preocupam demasiado com as milésimas e décimas de milésimas etc. A realidade é esta e, contra factos não há argumentos.
Temos aqui a prova demonstrada pela frieza dos números e ponto final.


E agora cá para nós que ninguém nos ouve, muito honestamente, não se trata de cêntimos mas de... Euros e... uma diferença de 500%(!) é obra! Principalmente para as famílias que contam os tostões para sobreviver.

Noticia relacionada:
 "Os políticos do poder local esquecem~se de porme...": 

Uma diferença abismal de 300%

 Coisa estranha que é esta injustiça entre vizinhos. Se calhar na altura em que a taxa foi aprovada ninguém sabia destas diferenças tão grandes (ler: Resíduos Sólidos Urbanos (R.S.U) - facturas da AR) no preço dos lixos, entende? (ler: "Os políticos do poder local esquecem~se de porme...":). É natural que as pessoas agora que a coisa é do seu conhecimento, se interroguem sobre esta diferença tão grande. É que não se trata de uma diferença de cêntimos, como alguém gosta de dizer, trata-se de uma diferença de 300% como aqui é dito e demonstrado.
Então você acha normal esta diferença entre duas terras que se pegam, que fazem extrema
Muita gente fala nas desigualdades que existem aqui e acolá, nisto e naquilo no país. 



Os nossos autarcas tantas vezes referem que a culpa destas coisas é do poder central, então e eles autarcas permitem estas coisas, estas injustiças no seu próprio governo autárquico? 

Então e os cidadãos não podem reparar e falar nestas desigualdades que estão ao seu lado e mesmo encima do seu nariz?
Vamos lá ter um pouco de tino, bolas!
Em política assume-se aquilo que convém e pode trazer dividendos e, o que não convém, atira-se a responsabilidade para cima dos outros!
Bonita forma de fazer política, não haja dúvida

CARLOS COUTINHO: O alpiarcense que consegue fazer pontes entre deus e o diabo

“Foi em ambiente de emoção e com algumas lágrimas à mistura que o administrador cessante da empresa municipal Desmor, Carlos Coutinho (foto), se despediu do executivo camarário de Rio Maior. Além dos elogios à sua competência, carácter e afabilidade, o gestor que é militante e autarca do PSD em Santarém, recebeu um louvor e ainda foi brindado com uma grande salva de palmas, por proposta do vereador comunista  Augusto Figueiredo…Pelos vistos, quando o vice-presidente da Câmara, Carlos Frazão, disse que Coutinho consegue fazer pontes entre Deus e o Diabo não estava a exagerar. Porque pôr o habitualmente critico Figueiredo a debitar os encómios que se ouviram não é para todos.” Assim se pode ler no semanário ‘O Mirante

Raid LFsport Alpiarça


DELIBERAÇÕES DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALPIARÇA REALIZADA NO DIA 23 DE JANEIRO

Estiveram presentes: Mário Pereira, Presidente; Carlos Pereira, João Arraiolos, Pedro Gaspar e António Moreira, Vereadores


ANTES DA ORDEM DO DIA

Uso da palavra por parte dos Vereadores e do Presidente da Câmara, no tratamento de assuntos de interesse municipal.

ORDEM DE TRABALHOS
1. ANMP - Declaração de Voto nas Deliberações dos Órgãos Autárquicos. Informação dos Serviços Jurídicos da ANMP.
Deu-se conhecimento.

2. Município de Alpiarça. Gabinete de Desporto. Programa da actividade física para seniores e idosos.
Deu-se conhecimento.



3. Município de Alpiarça. Proposta de Aprovação de Minuta do Programa Estratégico de Reabilitação Urbana da Área de Reabilitação Urbana (ARU) 1.
Deliberação: Aprovado por unanimidade. Remeter às várias entidades e submeter à Assembleia Municipal.

4. Município de Alpiarça. Atribuição de Bolsas de Estudo para alunos do Ensino Superior – ano letivo 2014/2015.
Deliberação: Aprovada por maioria, com a abstenção do Vereador Pedro Gaspar, que fez declaração de voto.

5. Município de Alpiarça – Proposta N.º 2/2015/VJPA. Pedido de pagamento de dívida por rendas em atraso de uma casa sita no Bloco D (Habitação Social), em Alpiarça, denominado 46 fogos, em 24 prestações mensais.
Deliberação: Aprovada por maioria, com a abstenção do Vereador Pedro Gaspar



6. Município de Alpiarça – Proposta N.º 1/2015/VJPA. Proposta de atribuição de subsídio à ginasta Ana Gomes, Campeã do Mundo em Trampolim Sincronizado.
Deliberação: Aprovado por unanimidade.

INTERVENÇÃO DO PÚBLICO
«cma»