.

.

ESTARÁ A CÂMARA A GASTAR O NOSSO DINHEIRO NAS DEVIDAS CONDIÇÕES?

Entendo que sermos pobres, com caixotes de lixo remendados e com lixo no chão, com a sua recolha e limpeza sem qualquer critério metódico e organizacional, com cães vadios a vaguearem nas ruas e campos, com património imobiliário a cair de podre; mas depois fazermos estas e outras manifestações de mera fachada, nada abona no rigor e nas prioridades estratégicas que deveriam presidir à autarquia. Ler mais em: Será o executivo da CDU criterioso na forma como gasta o nosso dinheiro?

ALPIARÇA ESTÁ EM CIMA DE UM “BARRIL DE PÓLVORA” QUE PODE EXPLODIR A TODO O MOMENTO

“Há dias o caos instalou-se e mais parecia uma guerra, o fim do Mundo: houve gritos, discussões violentas entre eles no meio da rua, ouviu-se estouros e carros a acelerar assustadoramente”, conta um vizinho chocado com a situação. Ler mais em: IMIGRANTES: Um “barril de pólvora” que pode explodir de um momento para o outro

AFINAL NEM TUDO ESTÁ PERDIDO EM ALPIARÇA

Eles podem ser o partido (PCP) mais rico do país e com o maior património; eles podem invadir os nossos correios com INFOMAIL´s com as suas mentiras; mas agora eles já sabem que é uma perda de tempo, pois a melhor propaganda e consciencialização políticas, são o "passa a palavra" do "boca a boca" num ambiente pequeno e em que todos nos conhecemos, como é o caso de Alpiarça. Uma oposição como antes nunca houve em Alpiarça

COMERCIANTES QUE NÃO SABEM PRESERVAR E PROMOVER A IMAGEM DE ALPIARÇA A QUEM NOS VISITA


Por muito que pague, a imagem de hospitalidade das nossas gentes não tem preço e aquele comportamento boçal transportou para outras paragens que certas gentes não são bem-vindas. Com que imagem terá aquele grupo saído de Alpiarça? Como vi no vídeo, a concessão foi renovada em troca de "melhorias" que não consta terem sido contabilizadas e sem o espaço ter sido posto a novo concurso. Será isto legal? Não sei... responda quem sabe. O comportamento boçal de alguns comerciantes do burgo alpiarcense

ENQUANTO O PARTIDO SOCIALISTA ESTÁ À BEIRA DA BANCARROTA E CHEIO DE DÍVIDAS O PCP É O PARTIDO MAIS RICO DO PAÍS



Mas em compensação o PCP com o dízimo que explora do povo e outras fontes de receita desconhecidas é o partido mais rico do país, quer em património quer financeiramente. Assim de vê a força do PC, na rua em manifestações com palavras de ordem de defesa dos mais desfavorecidos e reivindicando que "os ricos paguem a crise", mas com uma fortuna e património enormes, de que não abdica mesmo contra a defesa desses (supostos) ideias de justiça social. "Partido Socialista na Bancarrota com rendas e água...":

.

.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Há 29 meses consecutivos com o desemprego a descer

«PSD»

Confiança dos consumidores cresceu para valor mais elevado desde 2002

O indicador de confiança dos consumidores aumentou em julho para o valor mais elevado desde abril de 2002, enquanto o indicador de clima económico recuperou "de forma ligeira" para o máximo desde maio de 2008, informa hoje o INE.
Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o indicador de confiança dos consumidores retomou em julho o perfil ascendente iniciado em janeiro de 2013, após ter diminuído nos três meses anteriores, registando o valor mais elevado desde abril de 2002.
Esta evolução resultou sobretudo do contributo positivo das perspetivas relativas à evolução do desemprego, mas também das perspetivas sobre evolução da situação financeira do agregado familiar e da situação económica do país.
Na mesma linha, o indicador de clima económico voltou a recuperar em julho, "embora de forma ligeira", atingindo o máximo desde maio de 2008.
Em julho, nota o INE, o indicador de confiança aumentou na construção e obras públicas e no comércio, tendo diminuído na indústria transformadora e nos serviços.
Na indústria transformadora, o recuo resultou do contributo negativo das perspetivas de produção e das apreciações relativas aos 'stocks' de produtos acabados, já que as apreciações sobre a procura global contribuíram "em sentido contrário".
Já o indicador de confiança da construção e obras públicas aumentou "de forma ténue" em resultado da evolução positiva das opiniões sobre a carteira de encomendas, uma vez que o saldo das expectativas de emprego diminuiu.
Quanto ao indicador de confiança do comércio, recuperou em julho para o valor mais elevado desde julho de 2001, refletindo o contributo positivo das expectativas de atividade e das apreciações sobre o volume de vendas, "mais significativo no primeiro caso".
Por sua vez, o indicador de confiança dos serviços "agravou-se ligeiramente" em julho, devido sobretudo ao comportamento negativo das opiniões sobre a evolução da carteira de encomendas, mas também das perspetivas sobre a evolução da procura.
«Lusa»

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

O PARTIDO PRECISA DE TI


Um partido que nem as suas finanças sabe gerir, que está endividado em milhões, que não tem dinheiro para rendas água e luz, quer governar Portugal?
Alpiarça tem sido o espelho deste desnorte do PS. Há anos que não têm uma sede fixa, quanto tiveram não pagaram a quem arrendaram e no presente nem sede têm.
Ok. Podem vir dizer que o PC está cheio de dinheiro, que tem um imenso património, que vive de dízimos e dádivas. Isso não é novidade.
Não é de hoje nem de ontem, todos sabemos, que para se ser comunista fanático, tem de se pagar!
Os comunistas pagam quotas ao partido, ajudam nas festas, pagam para entrar nas festas que eles próprios organizam, andam com os carros dos próprios, com o combustível dos próprios, o "partido" absorve senhas de presença (ou metade, que alguns já as não dão todas), partes de ordenado e outros contributos estipulados pelo partido.
Que se saiba mais nenhum partido em Portugal consegue fazer isso. Não se conhecem partidos onde as pessoas abdicaram e abdicam de ter vida própria para se dedicarem ao partido. 
Há famílias inteiras que fizeram e que fazem isso.
Porquê? Alguém já se perguntou?
Já se questionaram porque é que alguns muçulmanos se enrolam em dinamite e se fazem rebentar junto a multidões? Já se questionaram como é possível um pai ou uma mãe darem uma metralhadora a um filho com 10 ou 12 anos e mandarem-no para a guerra, para a morte? 
Dir-me-ão: sim já pensamos nisso "esses fulanos são fanáticos"
Então que se chama a um partido que consegue formatar as cabeças de ALGUNS militantes onde as pessoas abdicaram e abdicam de ter vida própria para se dedicarem ao partido?
Há imensos exemplos em Alpiarça, lembro-me do Xico Galiza, lembro-me do Manel Mendes Colhe. E no fim de uma vida vivida na clandestinidade, com todo o sofrimento que isso provocou neles e nos familiares, que lhes deu o partido?
Nada!
Era miúdo e lembro-me de um vizinho meu criticar o que fizeram com o Xico Galiza. O homem dedicou uma vida inteira ao PCP, deu-se o 25 de Abril e o homem tinha uma barraca ou uma casa abarracada para viver. Acham que o PCP em nome da solidariedade que tanto apregoam e com os milhões que tem tido nos bancos ajudou a construir um lar para a família do Galiza?
Responda quem saiba!
Eu acho que é por estas e por outras que as pessoas TÊM MEDO DO COMUNISMO. É por estas e por outras que as pessoas têm medo de votar nos comunistas. Porque temem que se eles governassem os ordenados fossem nivelados por baixo. Temem que só fossem a chefes quem tivesse o cartão do PCP. Temem que voltem as ofertas de um dia de salário para a NAÇÃO. Temem que os trabalhadores fossem obrigados a uma espécie de militância em que tivessem de abdicar de muita coisa, de muitos direitos, com a desculpa de: PORTUGAL PRECISA DE TI! Porque a frase que mais se houve quando eles querem obter alguma coisa de um militante formatado, a troco de nada, a frase que mais debitam é: O PARTIDO PRECISA DE TI! E garanto-vos. Porque conheço. Há empresas onde eles mandam onde isso acontece e ai de quem pie. 

Melhor Ensino

«PSD/Alpiarça»

Gente aos magotes que passa a vida a caminhar pela Vila de Alpiarça

Por isso é que estamos condenados, enquanto a CDU estiver no poder autárquico, a não passar da cepa torta! Já os outros estão a vir...quando nós conduzidos pela mão da CDU, estamos a ir!...
Por: F. Mariano
Soubemos há poucos dias pelas nossas estações de rádio e televisão de que a Câmara Municipal de Odemira criou um plano, ou digamos um "gabinete especial" para tratar do fenómeno "imigração". Tal como Alpiarça, o município de Odemira sofreu nos últimos anos uma verdadeira avalanche de imigrantes a somar àqueles que se encontram na região, já mais ou menos integrados, com trabalhos sazonais em searas, estufas etc. há uma ou duas décadas.
A Câmara Municipal de Alpiarça, apesar da constante preocupação manifestada pela população quanto à presença anormal e manifestamente exagerada de imigrantes que nada fazem, não moveu uma palha relativamente ao problema. Todos estamos conscientes que Portugal pertence à Comunidade Europeia e que, existe legislação no sentido da livre circulação de pessoas e bens entre os estados membros da CEE. Só que isto não impede a entidade administrativa de qualquer lugar da comunidade, de fiscalizar, saber quem são, de onde vêm e o que fazem, aqueles que se fixam na região sob a sua responsabilidade. A entidade administrativa Câmara Municipal, quando bem organizada, pode até fornecer indicações, aconselhamento, dados estatísticos a estas pessoas sobre as hipóteses de trabalho na sua área de jurisdição administrativa. Talvez se evitasse esta gente aos magotes que passa a vida a caminhar pela Vila de Alpiarça, rua abaixo rua acima, sem nada para fazer e à espera de um trabalho (?) que nunca irá chegar. Isto pode prolongar-se durante anos e, como é normal estas pessoas precisam de ser tratadas, alimentadas, cuidadas…de acordo com os direitos humanos e com os protocolos assinados entre os estados da comunidade. Só que para respeitar os direitos de uns esquecem-se os direitos de outros. Os portugueses que trabalharam no duro e fizeram os seus descontos durante décadas para que aos 65 anos usufruíssem da reforma (muitos, míseras reformas de 300.00€) terão, de acordo com a nova lei, de esperar mais UM ANO E 2 MESES (!) para que isso aconteça. Isto, se o cidadão ao chegar aos 66 anos + dois meses não aparecer outro qualquer político zeloso a dizer que o melhor é passar para os 67! Em que condições irão trabalhar muitos destes portugueses cansados, desgastados pela idade, doentes e muitos sem trabalho e sem qualquer direito a ajuda porque…fizeram sacrifícios na vida, pouparam, compraram uma casita para viver, amealharam, sabe-se lá a que custo, meia dúzia de tostões para uma eventualidade na vida, enfim…Estes coitados não foram tidos em conta nos protocolos humanitários. Não figuram na pauta do legislador. Uma tristeza!
Mas, voltando ao assunto da imigração e afins:
Pena que a Câmara Municipal de Alpiarça, diga-se o executivo da CDU, não consiga fazer nada de original. De sua livre e espontânea vontade. A sua grande preocupação é saber antes de tudo, se isso já foi feito em qualquer outro município. Se foi e não houve mortos nem feridos, então podem avançar devagarinho. Por isso é que estamos condenados, enquanto a CDU estiver no poder autárquico, a não passar da cepa torta! Já os outros estão a vir...quando nós conduzidos pela mão da CDU, estamos a ir!...


Empresas com dívidas de IRC não recebem reembolso do IVA

Neste momento há cerca de 25 mil empresas que têm o reembolso do IVA suspenso devido às dívidas nos pagamentos por conta do IRC, indica o Jornal de Notícias.
Tendo em conta as regras que entraram em vigor no início do presente ano, só existe devolução de IVA com a comunicação de faturas em dia, isto caso não haja divergências entre os valores comunicados e os declarados de imposto liquidado e dedutível de cada empresa.
Assim, para reclamarem o pagamento do IVA, as empresas não podem estar em incumprimento nos pagamentos por conta, na entrega das retenções na fonte do IRS ou no registo de falhas nas obrigações declarativas.
Entre janeiro e junho deste ano, a receita do IVA aumentou 7,8% em termos homólogos, ou seja, este ano já foram cobrados 7,3 milhões de euros, enquanto em 2014 foram cobrados 6,8 milhões.
De acordo com o Jornal de Notícias, fonte oficial do Ministério das Finanças revela que o crescimento da receita líquida acumulada do IVA assenta “na melhoria da atividade económica” e na “concretização das novas medidas de combate à fraude e evasões fiscais”.
Paulo Núncio acredita que se está a “comparar o incomparável” quanto à análise da evolução da receita do IVA em 2014 e em 2015, se se tiver em conta os reembolsos. O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais lembra ainda que a devolução do imposto está a chegar às empresas num prazo inferior ao limite de 30 dias.
«NM»

domingo, 2 de agosto de 2015

Será o executivo da CDU criterioso na forma como gasta o nosso dinheiro?


Temos que ser cada vez mais criteriosos sobre a forma como a autarquia gasta os nossos dinheiros.
Já ouvi alguém afirmar e o presidente não negar que a câmara obsorve anualmente mais de 6.000.000 para se auto-alimentar, sendo o retorno em termos de serviços prestados à comunidade meramente residuais: festas, porco no espeto, fogo de artificio, INFOMAIL´s ao domicilio, etc.
A principal função de uma autarquia que é a melhoria da qualidade urbanística e a prestação dos serviços inerentes, deixa muito a desejar em Alpiarça, como todos sabemos e a câmara esconde.
Vem isto a respeito de sabermos se estas actividades de verão com os nossos jovens, que consomem à autarquia e ao bolso de todos nós mais de 6.000€ todos os anos se justifica nestes moldes.

«Foto: CMA»

Não seria mais útil e imaginativo, mas também economicamente menos onerante, aproveitar-se este periodo em actividades cívicas, em que se potenciasse a diversidade do meio ambiente local?
Entendo que sermos pobres, com caixotes de lixo remendados e com lixo no chão, com a sua recolha e limpeza sem qualquer critério metódico e organizacional, com cães vadios a vaguearem nas ruas e campos, com património imobiliário a cair de podre; mas depois fazermos estas e outras manifestações de mera fachada, nada abona no rigor e nas prioridades estratégicas que deveriam presidir à autárquia.

Noticia relacionada:

IMIGRANTES: Um “barril de pólvora” que pode explodir de um momento para o outro

"Imigrantes lançam o "terror" em rua do Porto. Moradores com medo
Um grupo de imigrantes transformou um local calmo num sítio onde as pessoas têm medo de sair à rua.
“O terror anda à solta” nas imediações da Rua de Serpa Pinto, no Porto, por causa de um grupo de 30 imigrantes do Leste que vivem num apartamento T2 arrendado na esquina da Rua de Burgães.
Os vizinhos contaram ao Jornal de Notícias que o ambiente na zona tem sido muito afetado, a drogaria perto do local onde costumam estar fechou, as pessoas deixaram de ir à farmácia por receio de passar pelo grupo e deixou de haver movimento à noite devido ao medo da população.
É o medo que move os vizinhos e que leva à não existência de uma queixa formal junto das autoridades, contudo a PSP tem conhecimento do caso e sabe que “existem muitas pessoas numa só residência, que é costume produzirem ruído, quer no interior da habitação, quer na via pública, com discussões entre eles, e que consomem muito algo”, confirma uma fonte da polícia.  
“Há dias o caos instalou-se e mais parecia uma guerra, o fim do Mundo: houve gritos, discussões violentas entre eles no meio da rua, ouviu-se estouros e carros a acelerar assustadoramente”, conta um vizinho chocado com a situação.


A rotina é sabida por todos os habitantes no local: “saem muito cedo, por volta das seis da manhã. Homens e mulheres são levados em carrinhas, para andarem a mendigar na rua. Ao fim do dia, voltam e se por acaso a porta do prédio ainda não está aberta, amontoam-se nas escadas ou em frente à farmácia, a beber e a discutir alto”, conta um vizinho.
“Chegam a fazer as necessidades mesmo ali, na rua, sem qualquer pudor”, lembra uma testemunha.
Câmara, Segurança Social, Autoridade de Saúde e Comissão Nacional das Crianças e Jovens em Risco já estão a par da situação e a PSP garantiu “reforçar o patrulhamento de visibilidade” na zona." (JN)
No que toca às dezenas de imigrantes, nomeadamente os romenos,  que residem e circulam em Alpiarça apenas o movimento independente "TPA"  se manifestou sobre a presença de tais pessoas.
O PCP/CDU e o PS/Alpiarça continuam e não dar ou a não ter opinião. Talvez com medo de perderem votos que possivelmente reverterão a favor  do TPA

VIAGEM DAS CRIANÇAS DO OTL / CAF VERÃO 2015 EM ALPIARÇA À PRAIA

 «CMA»


A "ONDA PDR" ESTÁ A CHEGAR TAMBÉM AO RIBATEJO

(PDR-Partido Democrático Republicano)



Possuímos um lote de individualidades que não precisaram do clientelismo político para se afirmarem pessoal e profissionalmente e estão prontas a contribuir de forma altruista para a resolução dos graves problemas do país. É mero exemplo o cabeça de lista pelo Ribatejo, que é uma figura de inegável prestígio local, nacional e internacional que oportunamente se dará conhecimento, por razões de estratégia eleitoral.
Temos o mais profundo, exaustivo, credivel, exequivel e fundamentado "Programa Eleitoral" que, os mais de 40 anos de democracia, alguma vez viram, e que condensado possui 135 páginas. Também por razões de estratégia operacional eleitoral, é ainda um documento confidencial, até para se evitar plágio de forças do Centrão ou da "esquerda do caviar".
Se os portugueses tiverem a coragem histórica de nos dar a sua confiança, apenas prometemos devolver Portugal aos portugueses.
O idealismo, altruísmo e motivação das hostes do PDR em geral e do núcleo do Ribatejo em particular é tal, que os custos da campanha que se aproxima, estão a ser sustentados pelos nossos bolsos, porque os portugueses o merecem.
Não temos os milhões que saiem do orçamento da Assembleia da República para subsidiar as campanhas dos partidos com assento, nem os milhões que os partidos receberam em anteriores eleições em resultado do valor que o Estado (nós) paga por cada voto recebido.
Também não temos o controlo do Comunicação Social, como os partidos do Centrão que decidiram que apenas haveria debates entre eles, e dos outros na forma "tudo ao monte" para os desacreditar... Com a excepção do PCP e BE que vai levando também os OCS atrás dos seus eventos, mesmo os mais insignificantes e sem muita população presente. Mas pior não temos a capacidade de poder responder a inúmeras calúnias infundadas, alimentadas por mera ignorância ou má-fé, mas também por receio da desconhecida capacidade eleitoral do PDR. Resta-nos a força dos portugueses a difundir a nossa mensagem. Também numa América racista houve um negro que disse "YES WE CAN" e, bem ou mal, já vai no segundo mandato de presidente.
Já nos perguntaram se somos de esquerda ou de direita e a minha resposta é que não ROUBAMOS, nem com a mão esquerda nem com a mão direita, apenas nos localizamos no posicionamento do nosso imenso coração para servir Portugal.
Outra coisa que os portugueses podem estar certos, é que jamais (cuspam-nos na cara se mentirmos), contribuiremos para alimentar o putrefacto pântano clientelista partidocrático em que a democracia se transformou em Portugal.
A terminar fica aqui um modelo (chumbado) da camisola da "ONDA PDR" que vai invadir o Ribatejo
«De: E.C.»

IAPMEI reforça apoios ao comércio tradicional com pacote de 40 milhões

O IAPMEI indicou  que acaba de reforçar os apoios a estratégias de modernização do setor do comércio tradicional ou de proximidade, com um novo pacote de financiamento de 40 milhões de euros.
"A concessão dos apoios, que conjugam, em igual montante, incentivos não reembolsáveis com uma linha de crédito especial, garantida pelo Estado, coincidem com a divulgação dos resultados do concurso aberto este ano pelo IAPMEI -- Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento ao abrigo da medida Comércio Investe, o novo instrumento criado para incentivar o aumento da capacidade competitiva do pequeno comércio de proximidade", refere em comunicado.
Falando da segunda fase de candidaturas ao programa Comércio Investe que decorreu entre 13 de fevereiro e 13 de abril deste ano, o IAPMEI apresentou também os resultados da avaliação dos projetos apresentados.
Nesta segunda fase, o IAPMEI aprovou 657 projetos de modernização comercial, entre projetos individuais e projetos conjuntos, que têm associado a nível nacional um investimento superior a 48 milhões de euros, sublinha.
Adianta igualmente que "o montante do incentivo não reembolsável" a conceder pelo IAPMEI é de 20 milhões de euros.
A distribuição regional dos apoios é liderada pela Região Norte de Portugal que absorve 40% do investimento aprovado.
"O Norte reúne 35% do total dos projetos aprovados, com 231 candidaturas apoiadas, que agregam 40% do investimento nacional, num montante superior a 19,4 milhões de euros, com um incentivo associado de 8,3 milhões de euros", destaca.
Lisboa e Vale do Tejo surge como a região que absorve, a seguir, o maior número de projetos aprovados, 195, representando cerca de 30% do total de candidaturas e do investimento global, equivalente a 15 milhões de euros, com um valor de incentivo que ronda os 6,4 milhões de euros.
A região Centro mobilizou nesta segunda fase do programa Comércio Investe quase 23% dos projetos aprovados, representando 151 candidaturas, que envolvem 9 milhões de euros de investimento e 3,4 milhões de euros de incentivo.
O Alentejo tem 41 projetos aprovados nesta fase (cerca de 6% do total), que representam um investimento de 2,4 milhões de euros, para um incentivo a atribuir de 994 mil euros.
"O financiamento conta com 70% de cobertura de garantia mútua", explica igualmente o comunicado.
A medida Comércio Investe foi criada pela Portaria n.º 236/2013, de 24 de julho, e substituiu o anterior sistema de incentivos a projetos de modernização do comércio.
Os apoios financeiros às empresas com projetos aprovados assumem a forma de incentivo não reembolsável, correspondente a 40% ou 45% das despesas elegíveis, caso se trate, respetivamente, de projetos individuais ou de projetos conjuntos.
O IAPMEI é o organismo gestor desta medida, cabendo à Direção-Geral das Atividades Económicas a emissão de pareceres especializados no caso de iniciativas e promotores de projetos conjuntos.
«Lusa»

sábado, 1 de agosto de 2015

Uma oposição como antes nunca houve em Alpiarça

Sinto muito orgulho nesta terra e a sensação de que afinal nem tudo está perdido, mesmo com as recentes golpadas propagandísticas do PCP, à custa do orçamento da câmara.
Graças ao atual rigor e isenção do JA e a uma ativa oposição como antes nunca houve por cá, todos nós estamos cada vez a abrir mais os olhos contra este enorme "bluff" parasita que é o PCP de Alpiarça.
Eles podem ser o partido mais rico do país e com o maior património; eles podem invadir os nossos correios com INFOMAIL´s com as suas mentiras; mas agora eles já sabem que é uma perda de tempo, pois a melhor propaganda e consciencialização políticas, são o "passa a palavra" do "boca a boca" num ambiente pequeno e em que todos nos conhecemos, como é o caso de Alpiarça.
Sinto que o nosso povo de Alpiarça já está farto deles e mesmo nas próximas eleições que são nacionais, poderá haver surpresas interessantes, apesar da possibilidade do PCP subir a nível nacional que não local. 
Noticia relacionada:

A CDU/PCP de Alpiarça demonstra estar mais preocupada com a propaganda política do que com os interesses reais da população

O que nos causa algum espanto e perplexidade é haver um empenho tão grande da parte do presidente da câmara e da própria empresa "Águas do Ribatejo" no realce das virtudes da empresa em certos meios restritos (reuniões e página da empresa na Internet) e, depois essa informação não chegar às pessoas interessadas.

Por: X. Frade
Não há dúvida de que estes papéis a justificar as contas da câmara e da cooperativa Agroalpiarça, que nos entraram pela casa dentro como pura propaganda política CDU, era uma coisa liminarmente desnecessária. Quando tanto se fala em contenção de despesas públicas, não tem cabimento esta "informação/propaganda" paga com o dinheiro dos contribuintes. A menos que a Câmara Municipal de Alpiarça nos diga que esta despesa foi suportada inteiramente pelo Partido Comunista Português e, aí, o caso muda de figura.
Como já alguém disse nestas páginas, isto é uma vergonha! A CDU/PCP Alpiarça com esta atitude, demonstra estar mais preocupada com a propaganda política do que com os interesses reais da população. Sobretudo com os interesses da população mais desprotegida. Vamos a um exemplo muito concreto, que será desenvolvido oportunamente neste jornal: A empresa "Águas do Ribatejo" depois de algumas chamadas de atenção, alterou de modo significativo, no início de 2015 as Tarifas Sociais para as famílias de baixos rendimentos. 
Pergunta-se: A Câmara Municipal de Alpiarça que tanto diz defender a população e ter até uma atenção especial, pelos economicamente mais débeis, informou através de infomail ou qualquer outro meio ao seu dispor, a população consumidora de água deste seu direito? A resposta é: Não! A "Águas do Ribatejo" informou os consumidores deste seu direito? Não!
Não divulgaram, não informaram porque isto não convém divulgar ou informar! Quanto menos consumidores carenciados souberem destas regalias melhor para esta empresa de capitais públicos! O segredo é, pelos vistos, a alma do negócio! O importante é que as entidades como a ERSAR saibam deste nobre gesto e, os consumidores a quem se dirige o gesto tenha o mínimo de informação acerca dos seus direitos.
Mário Pereira, tem orgulho na empresa "Águas do Ribatejo" e não se cansa de referir as virtudes desta empresa pública propriedade de sete municípios ribatejanos que, para além de apresentar a água mais barata das redondezas tem uma forte componente social expressa na redução ou isenção das tarifas fixas da água e saneamento, aos consumidores mais carenciados. Uma prática normal, diga-se, levada a efeito pela maioria dos fornecedores de água, gás e electricidade em todo o território nacional.
O que nos causa algum espanto e perplexidade é haver um empenho tão grande da parte do presidente da câmara e da própria empresa "Águas do Ribatejo" no realce das virtudes da empresa em certos meios restritos (reuniões e página da empresa na Internet) e, depois essa informação não chegar às pessoas interessadas. E as pessoas interessadas neste assunto, não são apenas as famílias carenciadas, são também aquelas que contribuem na sua factura para a efectivação destas regalias.
Independentemente dos argumentos que se possam esgrimir sobre o assunto, só cortando o mal pela raíz, eliminando de vez estes segredos de polichinelo, estas tácticas de meias verdades, de malabarismos, de vedetismos, de exibicionismos e ilusionistas de ocasião, poderemos alcançar uma verdadeira honestidade, honradez e transparência de actos públicos ao serviço das populações.
 
O resto é fanfarronice e politiquice barata!


O PCP-Alpiarça, seguindo a "cartilha de Passos Coelho", apresentou-nos um panorama financeiro sorridente e próspero


Este executivo eleito legitimamente tem medo do debate. Sempre que a oposição (PS-TPA) nas reuniões de câmara ou nas assembleias municipais tenta exercer o seu direito (também legítimo) ao contraditório, o PCP/Alpiarça usando manobras censoriais e anti-democráticas foge ao debate.
Na última Assembleia Municipal, farsa preparada para dar uma ideia de pujança económica que o município não tem, a oposição fez o trabalho de casa e baseado nos números fornecidos pelo executivo em funções, começou a demonstrar as fragilidades económicas e financeiras desde 2009.
Teria sido uma oportunidade dourada para os alpiarcenses ficarem esclarecidos no que respeita a contas, tendo as 2 faces da mesma moeda para analisar.
Infelizmente e contrariando a tal política de transparência, muito falada, mas não praticada, ficamos todos ainda com maiores dúvidas.
O PCP-Alpiarça, seguindo a "cartilha de Passos Coelho", apresentou-nos um panorama financeiro sorridente e próspero. A oposição, tentou demonstra, até ao momento que o Sr. Presidente da A.M. permitiu, que afinal havia outra leitura.
Agora, sem contraditório, e usando os dinheiros públicos, o PCP-Alpiarça apresenta a sua versão maquilhada das contas, gastando o dinheiro dos contribuintes.
Infelizmente para eles, Alpiarça não é uma grande urbe e todos se conhecem e falam...
Os relatos de alguns funcionários da Câmara em relação ao corte de pequenas despesas inadiáveis é o dia a dia da autarquia.
Relatos de que não existem umas dezenas de euros para comprar peças que permitam reparar máquinas, ou usar 20 ou 30 folhas de papel não são casos raros.
Não tem sido por acaso que a autarquia necessitou de alugar camionetas para a recolha do lixo por as outras estarem inoperacionais.
Talvez se perceba então porque as recolhas de lixo cada vez são mais pausadas e porque em muitos contentores o lixo abunda pelo chão.
Quando se paga mensalmente bastante mais de 1000 euros pelo aluguer de viatura de recolha do lixo é fácil fazer contas: 1500 X 12 meses = 18.000 euros/ano, 5 anos = 90.000 euros !!!
Este é o tipo de gestão deste executivo que não consegue perceber que vendendo o "ferro velho" que tem e recorrendo a Leasing, ALD, Renting teria a frota operacional gastando o mesmo, ou menos. E pode-se ainda perguntar se as terras da Agroalpiarça não deviam ser alugadas a cada ano por concurso público e pela melhor oferta? Não era assim que os nossos meloeiros alugavam as terras nos campos de Vila Franca?
Mas pronto! O PCP-Alpiarça decretou que todos temos de acreditar nos números colocados nas nossas caixas de correio e nós fingimos que acreditamos ser verdade a sua "boa gestão".
Não é assim que se procede em certos regimes "musculados" e sem direito ao contraditório democrático ?
Noticia relacionada:

Quem deveria estar preocupado com essa taxa de IVA não deveriam ser os consumidores e nunca os comerciantes que são meros recolectores do imposto?


Vejo e oiço constantemente berraria contra o IVA a 23% na restauração por parte dos comerciantes e com ampliação nos demagogos partidos do contra.
Quem deveria estar preocupado com essa taxa de IVA não deveriam ser os consumidores e nunca os comerciantes que são meros recolectores do imposto?
Explicando melhor: o comerciante quando vende um café ou imperial tem (ou devia ter) incluido no preço 23% que cobra ao cliente e entrega ao Estado.
Sendo a 23 ou 13% a única diferença seria poderem baixar preços de venda dos produtos.
Mas coloca-se uma pergunta... Conhecendo os nossos comerciantes, não só os de Alpiarça como por todo o País, alguém acha que se o governo agora baixasse o imposto isso se refletiria nos preços ao consumidor?
A resposta óbvia é não! Os comerciantes manteriam os preços e embolsariam mais 10%.
Veja-se por exemplo o caso do café, a vulgar "bica". Alpiarça, tirando o Intermarché e a MaxiLoja tem em quase todos os estabelecimentos o preçário máximo (0,60 - 0,65 €).
Comparando por exemplo com Leiria, cidade com muito maior poder de compra é possível beber cafés a 0,45-0,50 € em locais como pastelarias no centro da cidade ou no shopping.
Vamos continuar a dizer que a culpa da restauração estoirar é por culpa do IVA, ou será em alguns casos por má educação, mau serviço, impreparação para atender público, excesso de estabelecimentos hoteleiros, ou porque com a descida do poder de compra das famílias os principais frequentadores das pastelarias são muitos dos beneficiários do RSI ?
É só analisar o tipo de clientela e quem toma pequenos almoços na pastelaria... a "burguesia" toma um café, a rapaziada do RSI abanca na pastelaria e gasta o que em casa lhe ficaria por metade (ou menos) do preço. Dá é um bocadinho mais de trabalho ....
Mas pode-se sempre continuar a culpar o IVA a 23% ...
Noticia relacionada:"Turismo a crescer / Portugal a crescer": 

DOS LEITORES: " Que vergonha!"


Este panfleto de propaganda foi também distribuído em todos as "caixas de correio" da terra.
Pelo que os CTT me disseram foram pelos menos 3.000 fotocópias a cores, frente e costas, que as fotocopiadoras da CMA fizeram para o partido e nós a pagar, através do orçamento da CMA.
Assim já se começa a compreender as despesas astronómicas que periodicamente a câmara apresenta em reunião, quer de manutenção dos equipamentos informáticos que concretamente com esta atividade panfletária.
Há semanas foi outra carrada de fotocópias nas nossas caixas de correio, com propaganda sobre os concursos a verbas comunitárias para a barragem, mas nada dizendo sobre a contaminação bacteriológica das águas com perigosas toxinas para a saúde e que, ao que consta, já fez a primeira vítima num jovem de Alpiarça. 

Noticia relacionada:

Que terá Alpiarça de tão aliciante para a comunidade romena?


Que pena não se poder aquilatar dos dados sobre o RSI em Alpiarça, em especial sobre a comunidade romena, sempre a aumentar há anos em contraciclo com o que acontece nos concelhos limítrofes do nosso concelho.
Que terá Alpiarça de tão aliciante para a comunidade romena para estar a aumentar, quer devido aos elevados índices de natalidade, quer por força dos autocarros que todas as semanas chegam com novos romenos; contrariamente ao que se verifica com os naturais a terra, com taxas de natalidade a descerem a pique, localmente muito mais que os valores nacionais,e com o abandono de Alpiarça pelos nossos jovens, à procurar emprego fora da vila e do concelho.
Estes dados podem indiciar estar-se em presença de uma caso de polícia.

Noticia relacionada:

INSTALAÇÃO DE APARELHOS DE RESISTÊNCIA MUSCULAR

Estão em fase de conclusão as obras de instalação de equipamentos de ginástica e resistência muscular, a cargo da Câmara Municipal de Alpiarça e da Junta de Freguesia, no espaço situado na zona da Barragem dos Patudos, junto às Piscinas Municipais.
Para além da instalação dos aparelhos, todo o espaço mereceu uma intervenção de requalificação que irá criar uma nova zona verde e arborizada, de utilização colectiva e pública, valorizando o concelho.

Número de beneficiários do RSI desceu em junho

O número de beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) desceu para 208.974 em junho, representando menos 1.130 beneficiários do que o registado do mês anterior, segundo as últimas estatísticas do Instituto de Segurança Social.
De acordo com os dados publicados hoje na página na Internet do Instituto de Segurança Social, que dizem respeito números contabilizados até 01 de julho, o número de beneficiários em junho caiu 0,5% (menos 1.130) face ao mês anterior (210.104).
A queda verifica-se também face ao período homólogo: No final de junho do ano passado eram 218.179 os beneficiários do RSI, o que significa uma diminuição de 4,2% (menos 9.205).
A maior parte dos beneficiários reside no distrito do Porto (59.116), seguido do distrito de Lisboa (38.132), dos Açores (17.925) e do distrito de Setúbal (17.849).
Segundo a Segurança Social, o número de famílias com direito ao RSI também desceu em junho face ao mês de maio, com menos 324 famílias a receberem este apoio, num total de 92.790.
Os dados indicam que no final de maio 93.114 famílias receberam esta prestação social, número que desceu 0,3%.
Comparando com junho de 2014, a quebra é ligeiramente maior: há um ano eram mais 941 famílias a receberem este apoio. Ou seja, num ano, houve uma queda de 1%.
As famílias estão maioritariamente concentradas nos distritos do Porto (26.389), Lisboa (17.046) e Setúbal (8.088) e nos Açores (6.059).
O valor médio recebido por cada beneficiário em junho fixou-se nos 93,60 euros e por família em 215,16 euros.
«Lusa»

sexta-feira, 31 de julho de 2015

A Noruega vai disponibilizar a Portugal 100 milhões de euros até 2021

A Noruega vai disponibilizar a Portugal 100 milhões de euros até 2021 para projetos na área da educação, inclusão social, emprego, ambiente, cultura e justiça, no âmbito dos fundos EEA Grants, nos quais participam também o Liechtenstein e a Islândia.
Segundo a informação veiculada pelo ministério norueguês dos Negócios Estrangeiros, a contribuição norueguesa para reduzir as disparidades sociais e económicas na Europa ascenderá a um total de 2,7 mil milhões de euros, traduzindo um aumento de 11% face às contribuições anuais do período anterior (2009-2014).
Portugal, que já participou três vezes neste mecanismo financeiro, está atualmente a implementar os projetos financiados pelo período 2009-2014, que receberam cerca de 58 milhões de euros.
No novo período 2014-2021, que foi alargado para sete anos, vai beneficiar de 100 milhões de euros, dos quais 10% serão alocados a um fundo para a sociedade civil.
Os restantes serão atribuídos a projetos dos seguintes setores prioritários: inovação, investigação, educação e competitividade; inclusão social, emprego jovem e combate à pobreza; ambiente, energia, alterações climáticas e economia de baixo carbono; cultura, governo das sociedades, direitos fundamentais e liberdade; e justiça e assuntos internos.
O Liechtenstein e a Islândia participam também nos EEA Grants com 2,7 milhões de euros adicionais.
Portugal pode ainda aceder a uma parte (55 milhões de euros) de um novo fundo regional de 100 milhões de euros para projetos de colaboração entre mais de dois países vizinhos, sejam países beneficiários dos EEA Grants ou não.

Este mecanismo financeiro visa contribuir "para uma maior integração da Europa e para um melhor funcionamento do mercado interno, através da redução de disparidades e do combate aos atuais desafios económicos, políticos e sociais da Europa".
«Lusa»


O comportamento boçal de alguns comerciantes do burgo alpiarcense

Caricato é entregar ao concessionário do Bar da Barragem a gestão das gaivotas


As gaivotas devem fazer naquela massa de água o mesmo que faz o repuxo. Mas a ideia mais caricata do comentador (ler:   "A barragem de Alpiarça é de todos e tem de ser dev...": ) é entregar ao concessionário do Bar da Barragem a gestão das gaivotas.
Quem parece que não conhece Alpiarça, as suas gentes, e algumas figuras que por cá vão existindo é o sr. comentador.
Já assisti a cenas nesse local suficientes para que a concessão não tivesse sido renovada por prejudicar a imagem de gentes acolhedoras que Alpiarça efectivamente tem.
Relembro só um episódio daquilo que em circunstância nenhuma pode ser feito.
Um grupo de idosos vindo da Casa Museu vai até ao Bar e resolvem em grupo ir à WC.
O senhor em causa vem à explanada e em tom audível até pelos patos da barragem pergunta quem era o responsável por aquele grupo.
A pessoa identifica-se e então o senhor, no mesmo tom, da porta para a explanada para o fundo do espaço resolve disparar e disparatar que existiam WC's públicas perto e que essas é que deviam ser utilizadas.
Como se as pessoas tivessem obrigação de saber, ou se as pessoas depois de se aliviarem não pudessem fazer despesa no estabelecimento.
Manda o bom senso, manda a educação, que logo que a pessoa se identificou se dirigisse a mesa e em conversa privada apresentasse a sua razão, que até a podia ter, mas que nitidamente a perdeu.

Eu, se fosse gestor publico nunca renovaria a concessão daquele espaço a quem não sabe preservar e promover a imagem de Alpiarça a quem nos visita. 

Por muito que pague, a imagem de hospitalidade das nossas gentes não tem preço e aquele comportamento boçal transportou para outras paragens que certas gentes não são bem vindas.
Com que imagem terá aquele grupo saido de Alpiarça? 
Como vi no video, a concessão foi renovada em troca de "melhorias" que não consta terem sido contabilizadas e sem o espaço ter sido posto a novo concurso. Será isto legal? Não sei... responda quem sabe.

Partido Socialista na Bancarrota com rendas e água por pagar e luz cortada

PS sem dinheiro renegoceia dívida com a banca


Partido pede empréstimo de €1,5 milhões para pagar campanha. Concelhias com rendas em atraso e água e luz cortadas. 
Dívida à banca de €11 milhões pode levar a hipoteca de sedes.Sem liquidez nos cofres e com um passivo que ascende a 11 milhões de euros, o PS pediu um empréstimo à banca para poder enfrentar as despesas com a campanha para as legislativas.
Socialistas estão a pensar hipotecar sedes para pagar dívidas.

Turismo a crescer / Portugal a crescer

«PSD/Alpiarça»

A barragem de Alpiarça é de todos e tem de ser devolvida à sua população.

L.D.I.
ÁGUAS DA BARRAGEM DOS PATUDOS MEXIDAS POR MOTOS DE ÁGUA. MAIS UMA NÃO NOTÍCIA
Até parece que esta ideia de remexer as águas da Barragem dos Patudos com uma moto de água ou com um barco a motor é uma ideia bombástica, completamente nova e que nunca foi experimentada ou tentada nesta barragem.
É mais uma não notícia de pessoas que não conhecem Alpiarça, que não acompanham o seu dia a dia e apenas passam por cá, pela blogosfera, pelas redes sociais e por blogues anónimos para denegrir a imagem dos alpiarcenses, juntando-os todos num molho, fazendo crer que somos todos uma cambada de ineptos, estúpidos,tacanhos, burros, bestas, que apenas merecemos passar para freguesia de Almeirim, porque temos o cérebro ligado à tripa cagueira.
Meus senhores, há muitos meses quando os primeiros peixes apareceram mortos que os bombeiros de Alpiarça tiveram na barragem de Alpiarça e por vários dias, um barco a motor para mexer as águas.
Todos sabemos que há a eutrofização das águas da nossa barragem dos Patudos, que mata as espécies piscícolas menos resistentes. Se o Executivo autorizou motos de água na barragem dos Patudos com o propósito de combater essa eutrofização e evitar a morte da fauna piscícola, é de louvar. Aliás isso devia ser divulgado com o cuidado de serem usados motos ou barcos com motores a 4 tempos. Se de facto a ideia é boa ou má e se ajuda a resolver o problema só o poderemos ver depois de analisarmos os resultados obtidos.
Uma coisa é certa, o problema da barragem de Alpiarça é um problema comum a tantas albufeiras idênticas à nossa, um depósito de águas das chuvas, onde se pesca indiscriminadamente, para onde se deitam toneladas de engodo e de iscos, semana após semana durante todo o santo ano e em que os verdadeiros donos da barragem são os pescadores.
A barragem de Alpiarça é de todos e tem de ser devolvida à sua população.
Já em tempos alguém pensou em por ali umas gaivotas de aluguer, mas não resultou. Na minha modesta opinião terá de ser a câmara a comprar o material, bastariam 3 ou 4 barcos a pedais e entregar a concessão ao homem que explora o bar e dividirem os possíveis lucros ao meio.
O homem como tem de estar no bar todo o dia controlava os bilhetes e os tempos e a câmara matava dois coelhos com uma cajadada: oxigenava a barragem, dava-lhe vida e divertia miúdos e graúdos. 
Noticia relacionada:


Este é o mundo real em que vivemos

Por: M. Ramos
Não se ralem ou apoquentem com o facto de Mário Pereira não ter sido convidado para integrar a lista de deputados pelo PCP à Assembleia da República. Mário Pereira mesmo que não ganhe a presidência da câmara de Alpiarça nas próximas eleições autárquicas de 2017, não voltará mais à sala de aulas na disciplina de história. Ele merece um lugar ao sol como tantos outros numa das empresas intermunicipais como as águas, tratamento de resíduos sólidos ou ETAR. Soube defender a bandeira intermunicipal com unhas e dentes e, como diz a nossa gente: "uma mão lava a outra" e "quem vontades faz, vontades merece!"
Aconteceu na "Águas do Ribatejo" com o privilégio dos melhores lugares para a família dos autarcas que fazem parte do consórcio intermunicipal das águas; com o parque do Relvão - Carregueira que emprega toda a família Carrinho (Sérgio Carrinho ex-presidente da câmara municipal de Chamusca) e amigos próximos, etc. etc.
Pois é, meus amigos, a vida é complicada e está para os espertos e vivaços que sabem viver. Depois admiram-se tendo até dificuldade em compreender a posição que tomam certos autarcas em determinado momento da sua vida pública quando deviam adoptar uma postura neutra e ouvir os cidadãos de todas as cores...
De qualquer modo e no meio de toda esta complexa engrenagem, há uma coisa que é facilmente perceptível para qualquer cidadão: "Quem não sabe vender, fecha a loja!..."
Este é o mundo real em que vivemos.
Noticia relacionada:

quinta-feira, 30 de julho de 2015

VÍDEO DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALPIARÇA DE 27-07-2015



Momentos únicos

Fim de tarde em Alpiarça!
«Foto de Xano Dias» 

Videos do FESTIVAL DO MELÃO DE Alpiarça 2015

O que a CDU faz em Alpiarça é o que as câmaras ditas de direita fazem de norte a sul do país

 A solução passa por injectar ar em profundidade. Não é preciso descobrir a pólvora. Basta pesquisar um pouco e aferir a solução que as empresas especializadas em tratamento de superfícies de água eutrofizadas recomendam.
A energia eléctrica que se gastou ao longo destes meses seria melhor aproveitada se fizesse bombear ar através de um compressor ligado a uma rede de mangueiras furadas e afundadas.
Essa solução, conjuntamente com o bombeamento (correto) de água nova, seria o suficiente para a nossa barragem ter hoje outra imagem.
TODOS, executivo CDU, oposição, cidadãos anónimos, gostam da barragem e querem que a mesma esteja nas melhores condições para poder receber turistas. Só alguém de má fé pode dizer que quem critica as NÃO soluções "não gosta de Alpiarça".
TODOS gostamos! Não queremos é ser acusados de irresponsabilidade ao ocultar que actualmente aquelas águas estão gravemente doentes.
Um executivo interessado faria o tratamento técnico do problema em vez de, como até agora aconteceu, levar as críticas para o campo político e, substituindo as festas e festinhas eleitoralistas por uma solução real para um dos (ou mesmo "O") locais que atrai mais turismo.
O problema é que trabalhar seriamente não dá os mesmos votos do que encher a barriga com beber, comer e uma música para ajudar ao ambiente.
Em resumo, o que a CDU faz em Alpiarça é o que as câmaras ditas de direita fazem de norte a sul do país; enganar os "tolos" com papas e bolos (minis, pinga e grelhados). 
Noticia relacionada:

Eureka!...como exclamaria Arquimedes ao descobrir a lei específica dos corpos

R.Y

Afinal, a solução para a oxigenação da água da barragem dos Patudos parece ter sido encontrada. Segundo fontes credíveis, o executivo CDU deu ordem para que as motos de água cruzem e agitem as águas da barragem. Assistimos ontem às acrobacias de uma mota de água e não há dúvida de que em termos de areação e revolvimento da água, uma mota de água é mais eficaz do que meia dúzia de repuxos espalhados pela albufeira. Agora quanto aos efeitos secundários, como ruídos sonoros, possíveis resíduos de óleos etc. deverá ser observado o seu impacto por quem sabe da arte. 
Na verdade, na questão do arejamento da água, bastariam algumas motas de água para em questão de meia hora provocar ali um verdadeiro "tsunami".
É evidente que a matéria orgânica depositada no fundo da barragem terá de ser removida mas, até lá e para evitar a morte dos peixes por falta de oxigenação devido à eutrofização, esta medida pode ser uma solução, se não houver contra indicações que causem outros problemas ainda mais graves.
E porque não criar ali competições de motas de água intercaladas com a pesca desportiva?
É uma questão que deverá ser analisada pelos responsáveis autárquicos e entendidos na matéria.