.

.

.

.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Faça uma visita ao Canil Municipal de Alpiarça


Estão vacinados e só saem do canil com o respectivo chip. São animais amistosos e estão muito bem cuidados

Para mais informações: Junta de Freguesia de Alpiarça

Mais Lezíria: Torneio de Petanca em Valada

 O Parque de Merendas de Valada, no concelho do Cartaxo, recebeu no dia 26 de maio a final do Torneio de Petanca, promovido pela Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT), em parceria com os seus municípios associados, no âmbito do Projeto MAIS Lezíria.
Após as eliminatórias realizadas a nível concelhio para apuramento das equipas participantes na final deste torneio, reuniram-se em Valada cerca de meia centena de praticantes desta modalidade, oriundos dos municípios do Cartaxo, Almeirim, Alpiarça, Chamusca e Salvaterra de Magos. A equipa vencedora do Campeonato Principal é do município de Alpiarça, formada pela dupla Florêncio Lagarto e Manuel Machacaz. No torneio secundário, o primeiro lugar foi ocupado por Rui Boavida e Guincetre Juliette, de Almeirim. Pelo facto de esta modalidade não estar tão implementada como outro tipo de desportos, nem todos os concelhos da Lezíria estiveram representados neste torneio, contudo, "é intenção da CIMLT envolver todos os concelhos nesta iniciativa", como frisou Joaquim Leitão, do MAIS Lezíria, sendo que para fomentar o interesse dos munícipes, a CIMLT oferece as bolas de Petanca aos vários municípios. No Cartaxo, foi o Projeto MAIS Lezíria que motivou a prática da modalidade. Do grupo de pessoas que se juntou no ano passado, seis estiveram presentes na final do torneio, formando três equipas. Entre eles esteve Joselina da Encarnação Madeira, de 59 anos anos, que não esperava chegar à final de um torneio desta natureza, até porque "tudo começou com uma brincadeira". "Eu não conhecia este jogo, mas embarquei nesta brincadeira e comecei a gostar, porque é divertido e, acima de tudo é uma forma de convivermos". O espírito de competição não é para si o mais importante e nem sente qualquer complexo por ser uma das poucas mulheres a participar no torneio. "Tudo o que seja desporto faz bem e noto que as mulheres têm mais a tendência de se acanhar, mas eu acho mal, porque este ambiente de convívio é muito saudável", frisou. Além de Joselina Madeira, representaram o município do Cartaxo João Carlos Vieira Madeira, José da Costa Rodrigues, António Amaro Flôr Simão, João Neves Faria e Carlos Manuel Araújo Bruno. O Projeto MAIS Lezíria arrancou em 2011, tendo envolvido nas diferentes atividades cerca de 10 mil pessoas. O projeto nasceu da vontade da CIMLT e dos seus municípios associados - Almeirim, Alpiarça, Azambuja, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém - em unir as gentes da Lezíria através do desporto. Os grandes objetivos do projeto são a promoção da integração social e do desenvolvimento desportivo, a promoção da saúde e de uma prática desportiva de qualidade, a formação para a cidadania e a melhoria da qualidade de vida. O MAIS Lezíria 2012 arrancou no mês de janeiro, com um encontro de natação adaptada, dedicado às pessoas com deficiência. Atletismo, cicloturismo, sueca, futebol, BTT, aeróbica, aquatlo e caminhadas são as atividades que constam no programa de 2012.
Fonte e Foto:
http://www.radiohertz.pt/

De que lado está a razão: na CDU ou no PS?

Sr. Munícipe (ler: "Nem a oposição (PS) escapa à "Lei da Rolha""): Na Assembleia Municipal os munícipes não podiam falar ou só falavam no fim? Agora os próprios eleitos não o podem fazer. E quando o presidente da mesma está a cair em si e a tentar impor as regras regimentais, há intensa pressão para que abdique e seja substituído pela obediente secretária. Basta recordar a vergonha que foi a condução da última reunião da assembleia.
Entulho, degradação da reserva, poluição da vala, lixeiras, lamas a céu aberto? 
Mas afinal não está tudo isto pior do que estava?
Não se degradou mais o nosso ambiente e tudo o que foi edificado em Alpiarça nos mandatos do PS? 
Dívida? Mas a dívida não é maior agora? 
Ou foi o Sr. que a pagou do seu bolso?
A estátua já está colocada?
 Estranho, ainda não a vi em lado nenhum.
 Dizem que a colocam no parque da Câmara?
 Opiniões. 
Os outros achavam que ficava melhor na "Praça Velha". 
A obra da praça velha está feita, a dos Paços do Concelho se calhar fica para o próximo mandato do PS.
Neste momento há que apurar de que lado está a verdade. 
O que é certo é que nem sempre está do lado da CDU.
Noticia relacionada:
 "Nem a oposição (PS) escapa à "Lei da Rolha"":

Em relação à "lei da rolha", todos sabemos por quem foi imposta


 Não sou militante de nenhum partido, não passo de um mero munícipe que se revolta com o conteúdo reaccionário deste "post" ("Nem a oposição (PS) escapa à "Lei da Rolha"").
Como se o ex-presidente da Câmara (PS) nunca tivesse se servido do dinheiro da Câmara para processos judiciais contra funcionário, e ex.: Vereador da CDU
Em relação à "lei da rolha", todos sabemos por quem foi imposta nos mandatos da ex. maioria PS na Assembleia Municipal, em relação aos munícipes da nossa terra.
Temos outros exemplos que quero recordar: O despejo de material da Câmara juntamente com o entulho das obras de requalificação do edifício dos Paços dos Concelho no Malagueiro do Patacão de Baixo, o roubo do cofre, o roubo da vaca, a poluição da Vala Real, a degradação da reserva natural do Cavalo do Sorraia, do Parque de Campismo, as lixeiras que aparecerem por todo lado, as Lamas a céu aberto, o encobrimento da Estátua de Homenagem aos Trabalhadores Agrícolas, durante três mandatos consecutivos, a herança de uma divida brutal que condicionou o trabalho do novo executivo.
Ah, não esquecendo as políticas de direita implementadas pelo ex. Governo Sócrates, com ataques consecutivos ás leis laborais dos trabalhadores, em prol do Capital, deixando o país à beira da banca rota!
Para também dizer com toda a convicção que possivelmente o artigo que originou a unanimidade em reunião de Câmara contra o JA possa ter sido uma "rasteira" da oposição PS.
"É MAIS FÁCIL APANHAR UM MENTIROSO, QUE UM COXO" !
Noticia relacionada:

Ciclismo na Pista

 No passado domingo, dia 27 de Maio realizou-se na pista de ciclismo a prova que estava prevista para o dia 25 de Abril e que não se realizou devido às más condições climatéricas. A prova organizada pela Associação de Ciclismo de Santarém e pelo Município de Alpiarça, contou com equipas do distrito de Santarém, Leiria e Lisboa.
Participaram mais de 100 ciclistas nas diversas camadas jovens: benjamins, infantis, iniciados, juvenis, cadetes e juniores. Todas as corridas decorreram com grande espirito desportivo e competitividade, sendo que, os mais velhos (cadetes e juniores) entusiasmaram ainda mais os espectadores com as provas específicas de pista, eliminação e critério.
«CMA»

VINHOS DO TEJO CONQUISTAM 50 MEDALHAS NUMA SEMANA

Os Vinhos do Tejo acabam de enriquecer o seu palmarés com a conquista, no espaço de apenas uma semana, de mais 50 medalhas, no âmbito das edições de 2012 dos concursos internacionais ‘Decanter World Wine Awards’ e ‘International Wine Challenge’ e ainda do Concurso Nacional de Vinhos.
No quadro de Vinhos do Tejo premiados, o vinho Catapereiro Escolha Branco 2011, produzido pela Companhia das Lezírias, obteve especial destaque, ao ter conquistado uma medalha de prestígio, no âmbito do Concurso Nacional de Vinhos, disputado em Santarém, entre 14 e 17 de Maio.
Nesta competição, em que mais de 300 provadores avaliaram, em regime de prova cega, 640 amostras de vinhos, provenientes de cerca de 250 produtores nacionais, os Vinhos do Tejo arrecadaram ainda uma medalha de ouro, atribuída ao Companhia das Lezírias Reserva Tinto 2008, produzido na Companhia das Lezírias, e sete galardões de prata.
Do ‘International Wine Challenge’, considerado um dos mais exigentes e influentes concursos vínicos do mundo, os Vinhos do Tejo trouxeram um total de 25 medalhas – 10 de prata e 15 de bronze – e ainda 19 galardões de mérito.
Disputada em Londres, a edição de 2012 desta prova colocou em competição mais de 15 mil vinhos, de mais de 50 países.  
Ainda em Londres, mas já no âmbito do ‘Decanter World Wine Awards’, competição decorrida no final de Abril e que pertence também ao lote das mais prestigiadas no plano internacional, os Vinhos da região do Tejo enfrentaram a concorrência de perto de 14 mil vinhos, oriundos de 47 países.
Do saldo da participação dos Vinhos do Tejo, resultou a conquista de mais 16 medalhas, das quais 7 foram de prata e 9 de bronze, bem como 13 galardões de mérito.

Nem a oposição (PS) escapa à "Lei da Rolha"


É cobardia do presente executivo da CDU que, sempre que não lhe agrada um tema exposto pelo jornal Alpiarcense ou por qualquer anónimo que use manifestar o seu espanto, desagrado ou repúdio sobre qualquer situação menos correcta ou até vergonhosa que se assista em Alpiarça, ameace com processos jurídicos os autores de tais considerações, sendo elas peças jornalísticas ou não.
O jornal Alpiarcense tem sido alvo dessas ameaças, por fazer o seu trabalho, mas não foi o único…..
No inicio do mandato a oposição publicou um texto versado sobre uma situação algo relevante para a segurança dos trabalhadores da câmara e a para as crianças que eram transportadas nos veículos conduzidos por esses trabalhadores. Refiro-me aos seguros e ao período de 15 dias que nenhum dos veículos da câmara esteve legal por não possuir o seguro em dia. Nessa altura também este executivo ameaçou com um processo em tribunal a dita oposição pela calúnia.
É assim prática da casa impor a lei da rolha através de processos judiciais sobre quem relata acontecimentos, situações ou críticas mais directas à actuação de um executivo que anda muito mais preocupado em tapar buracos do que em erguer obra e fazer cumprir o seu programa eleitoral.
Esta atitude que para mim é uma cobardia politica, pois aparentemente é mais fácil ameaçar alguém do que dialogar para construir ou repor a verdade, e é tanto mais grave quando se percebe a diferença de forças entre que ameaça e quem levanta a voz para se fazer ouvir. Além do facto de que um processo judicial sai do orçamento da câmara e não do bolso Senhor Presidente e a defesa do mesmo em tribunal sai dos bolsos pouco cheios de quem faz valer os valores do 25 de Abril.
Lamentamos a actual atitude dos representantes do povo. Povo que tanto lutou para que pudéssemos ter a liberdade falar e sermos ouvidos, seja sob a forma de verso, tal como Zeca Afonso o fez, seja gritando mais alto para nos fazermos ouvir lá nas cúpulas do partido…. perdão… na sala da presidência
 Noticia relacionada:

Programa Porta 65





A FAJUDIS-Federação de Associações Juvenis do Distrito de Santarém, no âmbito da sua missão de apoiar e desenvolver o associativismo juvenil no distrito de Santarém, disponibilizando e dinamizando diversos serviços de apoio às associações e aos jovens.
As candidaturas ao PROGRAMA PORTA 65 - ARRENDAMENTO JOVEM, encontram-se abertas até às 20.00 horas do dia 31 de Maio de 2012.
O Programa  Porta 65 Jovem, é um sistema de apoio financeiro ao arrendamento por jovens, isolado, constituídos em agregado ou em habitação.
Podem candidatar-se jovens com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 30 (no caso de casais de jovens, um dos elementos pode ter até 32 anos) que reunam as seguintes condições:
- Sejam titulares de um contrato de arrendamento celebrado no âmbito do NRAU (Lei nº 6/2006, de 27 de Fevereiro), ou do regime transitório previsto no seu título II do capítulo I;
- Não usufruam, cumulativamamente, de quaisquer subsídios ou de de outra forma de apoio público à habitação;
- Nenhum dos/as jovens membros do agregado seja prioritário ou arrendatário para fins habitacionais de outro prédio ou fracção habitacional;
- Nenhum dos jovens membros do agregado seja proprietário ou arrendatário para fins habitacionais de outro prédio ou fracção habitacional;
- Nenhum dos jovens membros do agregado seja parente ou afim do senhorio.

Sendo a Federação como organização de apoio aos jovens, disponibiliza apoio na formalização das candidaturas.
Os interessados devem contactar diretamente os serviços da Federação.

FAJUDIS - Federação das Associações Juvenis do Distrito de Santarém
EN3, Sala Polivalente do Cine-Teatro
Apartado 52
2250-061 Constância

Telf/Fax: 249739508 / Telm: 927121456
E.mail: fajudis@gmail.com / Site: www.fajudis.org
Fonte:
Junta de Freguesia de Alpiarça

O “Jackpot” das Autarquias


O acordo alcançado esta semana entre o Governo e a Associação Nacional de Municípios prevê uma linha de crédito no valor global de mil milhões de euros para as câmaras resolverem o pagamento das dívidas de curto prazo vencidas há mais de 90 dias aos seus fornecedores. No total dos 308 municípios, apenas 57 autarquias estão a necessitar deste salvífico acordo para alavancar as economias locais – são quatro as do nosso distrito que deverão assinar este acordo de resgate financeiro. Santarém, Cartaxo, Torres Novas e Ourém. A pergunta, contudo que este resgate nos sugere, é a de quantas empresas já faliram e quantos acordos se perderam por causa dos atrasos vergonhoso nos pagamentos destas autarquias aos seus fornecedores?
A divida global das autarquias deverá rondar, segundo as contas do Governo, perto de 10 mil milhões de euros, entre divida bancária de médio e longo prazo e dividas a fornecedores.
Fonte:
“O Ribatejo”

Confiança dos consumidores regista melhoria


O Instituto Nacional de Estatística (INE) anunciou esta quarta-feira que o indicador que mede a confiança dos consumidores portugueses registou uma ligeira melhoria entre fevereiro e maio.
De acordo com dados do INE, a confiança dos consumidores portugueses registou uma subida entre fevereiro e maio, resultado "do contributo positivo de todas as componentes [do indicador], com exceção das expetativas de evolução da poupança, destacando-se as perspetivas sobre a evolução da situação económica do país com o contributo positivo mais significativo".

Trabalhar mais horas é pior para mulheres e pessoas de esquerda

Um estudo da Universidade de Coimbra revelou que as mulheres e as pessoas de ideologias de esquerda sofrem mais quando têm de trabalhar por mais horas, refere a Lusa.
De acordo com a pesquisa, as mulheres e as pessoas com ideologias de esquerda são as que sentem mais dificuldades e complicações em trabalhar mais horas.
 O estudo teve em conta dados de 24 países.
 

quarta-feira, 30 de maio de 2012

A verdade deve ser reposta mas não da forma que foi

Estou longe da minha terra e fiquei aterrorizado, é o termo, com este comunicado emitido pela nossa Câmara e mais ainda por ser uma deliberação aprovada por UNANIMIDADE. A vereação PS pelos vistos também alinhou na onda.Se calhar os vereadores da oposição também já alguma vez levaram nas orelhas através do dito blogue jornal e vai daí toca a aproveitar a boleia para mandar abaixo o dito cujo.
Não me parece, depois de ter lido as polémicas notícias de que a coisa tenha assim tanta gravidade ao ponto de ser necessário ameaçar com a justiça.
No entanto concordo que a verdade deve ser reposta e ninguém melhor que a Câmara para o fazer. A partir daí a notícia já não seria notícia e o caso ficaria resolvido.Tanto mais que o veículo da notícia pediu para que a parte visada reagisse ao que era dito e esta não se deu a esse trabalho.
Imagino o que seria ter um executivo de município que se preocupa com ninharias políticas numa cidade como esta onde me encontro. Seria o bom e o bonito, como se diz por aí.
Cumprimentos e tenham calma
 Noticia relacionada:
  "A “xenofobia” dos eleitos do PCP/CDU":

O que faria o Dr. Mário Pereira se visse no cemitério e na igreja afixada a notícia da sua morte?

É inacreditável a ameaça que o executivo, na pessoa do Presidente, faz a um meio de comunicação que se limita a levantar uma questão. Mas que democracia é esta, quem são estes indivíduos que têm nas mãos os destinos da nossa terra? Queixavam-se do Dr. Rosa do Céu. O que faria o Dr. Mário Pereira se visse no cemitério e na igreja afixada a notícia da sua morte? Provavelmente mandaria sair as armas - serão ainda só enxadas, forquilhas e paus, como os que saíam no tempo do PREC da Silvestre Bernardo Lima?- para assustar os que ousam contestá-lo ou, tão somente, questioná-lo?
Deixe-me dar-lhe alguns conselhos Sr. Presidente: seja humilde como os que votaram em si acreditaram que fosse e mesmo os que não votaram lhe davam o benefício da dúvida. Seja sereno , como o povo, e tenha poder de encaixe. Admita que erra e que, afinal,o que fez por Alpiarça seria feito mesmo sem o seu trabalho. Rodeie-se de pessoas competentes e não de fanáticos, aprenda mais alguma coisa para além da cartilha dos seus camaradas ultra conservadores, perceba, porque estudou História, que os tempos mudam e que Alpiarça de hoje não é a de há trinta anos. E os alpiarcenses também não são os mesmos e estão a ficar fartos de si e de quem gravita à sua volta. Ou será o Sr que é o satélite e o Sol é outro ou outros? Faça alguma coisa de útil, no pouco tempo que lhe resta de mandato. E já que os seus homens de confiança não sabem fazer mais nada, ponha-os a cortar ervas no parque de campismo. Um não precisa de lições, o outro aprenderá concerteza.E, já agora, não levante um processo contra desconhecidos por estes conselhos, que são dados com toda a sinceridade e estima pessoal. 
 Noticia relacionada:
 "Esclarecimento do Presidente da Câmara":

A “xenofobia” dos eleitos do PCP/CDU


Acusa o executivo da CDU de este jornal criar um “ambiente” que pode tornar “propicio à hostilização dos imigrantes estrangeiros residentes no nosso País e ao desenvolvimento de ideias potenciadores do racismo e da xenofobia”.
 Tem  tanto de  racista ou xenófobo o Jornal Alpiarcense como os comunistas tem de democratas.
 Esquece-se o executivo de que este jornal é o único meio que as “vozes descontentes” tem para difundir aquilo de que não estão de acordo e muito menos aceitam.
 O que falta ao executivo da CDU é saber aceitar as opiniões contrárias. As criticas que lhe são dirigidas pelo não cumprimento das promessas eleitorais que mais de “três quartos” estão por cumprir ou fazer. Talvez sejam a razão dos muitos comentários que tanto incomodam o executivo.
 Talvez sejam o “grito de revolta” de quem se sente “ludibriado” por aquilo que lhe foi prometido mas não realizado.
 A democracia que os comunistas exigem é apenas para os outros porquanto os próprios são tudo menos democratas e convivem muito mal com quem não lhe abana com a cabeça.
 Se hoje o Jornal Alpiarcense, que tanto incomoda os comunistas, é o que é, deve-se ao que é publicado nas suas páginas e à colaboração dos seus comentaristas graças à liberdade de expressão que aqui existe onde nunca foi nem é permitido ofender quem quer que seja.
 Já fez mais o Jornal Alpiarcense por Alpiarça que o actual executivo da CDU alguma vez há-de fazer.
 Basta ver as centenas de milhares de leitores que este jornal tem; basta ver as centenas de visitantes que o consultam diariamente ou ver as dezenas de países em que é lido para perceber que os tais milhares de leitores se preocupam e querem saber o que acontece em Alpiarça.
 Se o Jornal Alpiarcense fosse “racista ou xenófobo” nunca chegaria onde já chegou nem teria os leitores que tem.
 Para dizer bem e o melhor do executivo da CDU já basta o blogue do partido (que se esconde atrás do anonimato) onde tudo é “uma maravilha” ou em  Alpiarça “está tudo bem e nada acontece.”
 É esta a diferença entre a liberdade de expressão e o silêncio que o executivo da CDU teima em nos impor porque não diz que  “Alpiarça é uma terra de progresso” e não gosta de ver aqui publicado comentários que não lhe agradam porque dizem a verdade.
 Se o executivo da CDU não gostar desta “opinião” que faça mais uma queixa-crime.
 Como disse um comentarista: O que não podemos é defender a Liberdade de Imprensa e estarmos ao mesmo tempo contra ela.

 

O Parque de Campismo em todo o seu esplendor

Assim se encontra a entrada do Parque (fechada)
Onde as ervas são mais altas que as pessoas


Quem é responsável por este estado de  degradação?
 Possivelmente ninguém
De um leitor

Mário Pereira, enquanto cidadão, não me merece qualquer respeito e muito menos consideração


Mário Pereira, na qualidade de presidente do executivo da CDU permitiu que acusassem este jornal de “mentiroso”.
 Por consequência, o seu administrador, António Centeio,  é o principal “mentiroso” porquanto é ele que autoriza a publicação de tudo que é publicado no jornal, sendo assim:
 Mário Pereira, como cidadão e político que é deixou de me merecer qualquer respeito e muito menos de me levar a ter qualquer consideração pela sua pessoa, enquanto presidente da Câmara.
  Passou a ser, no meu ponto de vista, um mero cidadão porque me acusa, na qualidade de administrador deste jornal, de mentiroso.
 Como me acusa as e não é capaz de provar porque sou mentiroso não o posso respeitar e muito menos ter qualquer consideração pela sua pessoa.
 Todo o respeito e consideração que tinha pelo cidadão Mário Pereira acabou no momento das acusações que me fez, tem feito e dito.
 Também poderia acusar Mário Pereira, por via do Programa do Eleitoral do PCP e das promessas que fez e fizeram de mentiroso ou mentirosos porquanto quase nada do que lá consta foi feito
 Se alguém é mentiroso é o PCP e os seus eleitos porque iludiram os alpiarcenses com promessas que não passaram de valentes mentiras porque estão quase todas por realizar.
Mas não o faço porque considero que a minha formação e a defesa dos meus princípios é diferente e superior de quem me acusa daquilo que não sou.
 Considero-me, por enquanto, de um homem de palavra e de princípios e não é Mário Pereira nem os seus correligionários do seu partido, o PCP, que me podem acusar de mentiroso.
 O António Centeio, pode ter muitos defeitos porque ninguém é perfeito, mas uma coisa se considera: um homem de palavra porque não dá o dito pelo não dito e tudo o que disser  e faz não precisa de assinar o quer que seja e muito menos é capaz acusar quem quer que seja resguardado que está à sombra de partidos.
 Nunca abdiquei dos meus princípios e da minha personalidade para agradar a quem quer que seja e muito menos a partidos para poder sobreviver.
 Gosto de ser quem sou e detesto que não sabe respeitar os outros e muito menos ter consideração por quem sabe respeitar os outros mesmo que não perfilhem das suas ideologias politicas.
E porque este texto é aquilo que sinto para com Mário Pereira se quiser que me processe ou leve a efeito mais uma queixa-crime porque felizmente vivo num país que me dá a o direito de opinar o quer que seja.
 Ficar-lhe-ia muito Mário, caro Mário Pereira, dizer e provar quais as mentiras de que me acusa.
 Foi um benefício que o “25 de Abril” me deu: de opinar e criticar e de saber respeitar as ideias dos outros, mesmo que sejam contra as minhas, coisa que Mário Pereira tem dificuldade em compreender.
 Passe bem Sr. Mário Pereira que para mim passou a ser um vulgar cidadão que deixou de ter qualquer valor e consideração como pessoa e politico porque me acusa daquilo que não sou mas que não consegue provar aquilo que diz e muito menos desmentir, daqui o considerar, enquanto cidadão como uma pessoa que não me merece qualquer respeito ou consideração e muito menos como uma “pessoa de bem”.
 Mas descanse que jamais lhe faltarei ao respeito e muito menos o acusarei daquilo que não é.
 Mas tenha a certeza absoluta, que na qualidade de presidente da Câmara Municipal de Alpiarça, o respeitarei sempre, quanto ao resto, para mim mais não é do que uma pessoa vulgar .
Atenciosamente
António Centeio

A Câmara Municipal de Alpiarça não parece ter exercido esse direito (o de esclarecer) lamentavelmente


Esta é uma forma "estranha" de esclarecimento, sem dúvida.
A política tem destas coisas. Por vezes seria muito mais fácil um simples esclarecimento no local da notícia e tudo ficaria resolvido. Sabemos que em política e não só, pessoas há que aproveitam todos os argumentos fundamentados ou não para atacar o seu adversário. É evidente que não é a forma mais correcta de fazer política. Mas, quanto a isto o mal parece ser geral. Contudo, existe o direito ao contraditório que qualquer visado pode e deve exercer. A Câmara Municipal de Alpiarça não parece ter exercido esse direito, lamentavelmente. Tudo teria sido mais fácil, mais económico para o erário público e esclarecedor da opinião pública. A defesa da honra é um direito constitucional inegável e a Câmara Municipal de Alpiarça teve toda a liberdade de nestas páginas se defender daquilo que considera ofensivo ao seu bom nome.Que no fim de contas poderão ser inverdades tantas vezes esgrimidas no palco da política e entendidas como isso mesmo. Mal andariam os tribunais se aceitassem todas as questiúnculas de índole política que acontecem neste país.
Entendemos que a falar é que a gente se entende e, como diz o povo :"Onde há um erro desmancha-se".
O que não podemos é defender a Liberdade de Imprensa e estarmos ao mesmo tempo contra ela.
Por: F. Soares
Noticia relacionada:

Câmara prepara queixa-crime contra Jornal Alpiarcense

Câmara prepara queixa-crime contra Jornal Alpiarcense
A Câmara por via do seu presidente prepara queixa-crime contra este jornal por via de algumas notícias não ser de seu agrado como é o caso das notícias: “Os romenos compram produtos alimentícios mas quem paga é a Câmara” e “residentes da urbanização Casal dos Gagos preocupados pelo possível arrendamento das 20 casas a romenos”.Esquece-se Mário Pereira, ou faz-se esquecido, que este jornal não acusou os eleitos de nada. Apenas divulgou uma noticia (“Os romenos compram produtos alimentícios mas quem paga é a Câmara”) e que teve o cuidado de pedir antecipadamente esclarecimentos ao presidente que não se dignou prestá-los e quanto ao artigo “residentes da urbanização Casal dos Gagos preocupados pelo possível arrendamento das 20 casas a romenos” o jornal não está a acusar a Câmara de nada e muito menos diz que a Câmara vai vender o quer que seja a romenos. Apenas é uma opinião como noticia um acontecimento de algo que pode ou não acontecer competindo à Câmara esclarecer o contrário coisa que não fez nem faz porque nos ameaça logo com um processo-crime. Está visto que Mário Pereira, na qualidade de presidente da autarquia, não gosta deste jornal e quando se sente criticado ameaça-o logo com tribunais para nos impor a lei da rolha porque entende que só devemos dizer bem dos eleitos. Na verdade Mário Pereira não convive da melhor forma com opiniões diferentes e muito menos com a liberdade de expressão. Lamentamos como lamentamos que acuse o Jornal Alpiarcense de “mentiroso” quando não é capaz de provar e dizer quais são as mentiras que aqui estão publicadas, quando na verdade deveria, porque é obrigação da Câmara, era esclarecer os leitores daquilo que diz ser “mentira” como responder aos pedidos de esclarecimentos que costumamos enviar antes de publicarmos as noticias e que nem sequer se digna de nos responder. Leia mais em: Esclarecimento do Presidente da Câm

Esclarecimento do Presidente da Câmara

Do Presidente da Câmara, recebemos o seguinte correio:

"Ex.mo sr administrador do blog jornalalpiarcense.blogspot.com, junto envio o teor de uma deliberação tomada por unanimidade em reunião de câmara realizada hoje, dia 29.05.2012, para os efeitos que entender conveniente.
Cumpre-me ainda esclarecer que, relativamente ao conteúdo do último parágrafo desta deliberação, o entendimento que transmitirei ao Gabinete Jurídico desta Câmara Municipal para efeitos de preparação da queixa-crime a apresentar será o de que a mesma seja referente ao senhor António Celestino do Céu Centeio (como administrador) e a todos os que, de alguma forma, possam ter contribuído activamente para a difusão do conjunto de torpes e grosseiras mentiras contidas nos posts e comentários associados. Mais, transmitirei ainda, para efeitos da apresentação de outras eventuais queixas-crime, a orientação de que sejam analisadas outras mentiras e falsidades que constam em assuntos anteriormente abordados nesse blog, que possam atingir a respeitabilidade desta Câmara, dos seus membros e/ou trabalhadores
.


O Presidente da Câmara

 
CÂMARA MUNICIPAL DE ALPIARÇA

DELIBERAÇÃO APROVADA EM REUNIÃO DE CÂMARA DE 29.05.2012

Na sequência de “notícias” publicadas hoje no blog jornal alpiarcense.blogspot.com, nomeadamente os post “Os romenos compram produtos alimentícios mas quem paga é a Câmara” e “residentes da urbanização Casal dos Gagos preocupados pelo possível arrendamento das 20 casas a romenos”, a Câmara Municipal de Alpiarça esclarece, repondo a VERDADE:
1. é FALSO – não corresponde a nenhuma deliberação nem à prática – que a CMA pague as despesas alimentares em supermercados a quaisquer cidadãos, sejam eles romenos, portugueses ou de outra nacionalidade;
2. é FALSO – não corresponde a nenhuma deliberação nem à prática – que a CMA subsidie quaisquer cidadãos pelo número de filhos, sejam eles romenos, portugueses ou de outra nacionalidade;
3. a CMA, tal como várias outras autarquias portuguesas, aderiu recentemente como entidade parceira ao fundo imobiliário constituído com a finalidade de disponibilizar casas de que os bancos são proprietários a valores de renda mensal cerca de 30% abaixo dos preços de mercado, ou seja a famílias com rendimentos considerados médios; o fundo de imóveis (FIIAH), constituído por vários bancos e por entidades públicas (IHRU e IGFSS), é quem procede aos arrendamentos, cabendo às autarquias receber inscrições e indicar ao FIIAH os candidatos aos imóveis para posterior confirmação e validação das candidaturas;
4. a CMA refuta as evidentes tentativas – anónimas e cobardes – de criação de um ambiente que se torne propício à hostilização dos imigrantes estrangeiros residentes no nosso País e ao desenvolvimento de ideias potenciadoras do racismo e da xenofobia.
A publicitação reiterada de mentiras deste tipo pelo jornal alpiarcense.com, cujo objectivo evidente é atacar a gestão do Município de Alpiarça, é a única forma que alguns conhecem de fazer política e de intervir na sociedade, enfraquecendo a saudável e séria discussão dos assuntos de interesse para a nossa comunidade e minando a democracia.
Pelas razões atrás aduzidas, a Câmara Municipal de Alpiarça, reunida em sessão ordinária de 29 de Maio de 2012, deliberou, por unanimidade, mandatar o seu Gabinete Jurídico para iniciar os necessários procedimentos com vista ao apuramento de responsabilidades criminais e eventual apresentação da respectiva queixa-crime.

.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Limitam-se a apoiar (os romenos) COM O DINHEIRO DOS OUTROS!

Caro comentador( Ler: "Os responsáveis pelo PCP/Alpiarça devem ser respon...":)
  A transparência que defendem nas suas políticas é só, e apenas, quando estão na oposição.
Quando se apanham no poder são iguais ou piores dos que, anteriormente criticavam.
Staline continua a ser a referência para os comunistas de Alpiarça por muito que o neguem.
Se pudessem, e se os ventos estivessem de feição, implantavam nesta terra a ditadura do proletariado, com a diferença que nenhum deles é proletário ou o admite.
Exemplos não faltam de alguns que logo que têm 50 cêntimos no bolso, renegam o que defendiam.
O apoio aos ex-camaradas ciganos de leste é só um apoio táctico.
Nenhum deles mora perto deles, ou os quer nas redondezas.
Ainda não vi nenhum "camarada" ceder nenhum barracão desocupado ou permitirem que essas famílias tenham abrigo na Bernardo Lima.
Limitam-se a apoiar COM O DINHEIRO DOS OUTROS! 
 Noticia relacionada:
 "Os responsáveis pelo PCP/Alpiarça devem ser respon...":

Os responsáveis pelo PCP/Alpiarça devem ser responsabilizados pelo que está a acontecer em Alpiarça

 O PCP/CDU aos poucos vai destruindo a pacatez que Alpiarça tinha e está a criar ambiente para futuros desacatos entre a população e residentes.
O PCP/CDU deve ser responsabilizado pelo que estar a permitir; não o Partido mas sim as pessoas que o dirigem
O que está a levar com que o PCP deixe esta gente fixar-ser em Alpiarça?
Que interesse terá ou o que ganhará com isto?
Será à espera de futuros votos ou por os romenos serem de um antigo país comunista?
Ninguém os quer porque carga-de-água Alpiarça os recebe?
Um comentarista disse, e bem, que Alpiarça já está a ficar pior que o Seixal e que Alpiarça vai ser conhecida por "Alpiarça Romena".
Raios partam estes comunistas que estão a criar condições para qualquer dia Alpiarça ser um “ barril de pólvora”.
Noticia relacionada:

CDU ou PS são "gémeos siameses" no gastar os impostos dos Alpiarcenses

Está provado que a tralha politiqueira é toda igual. CDU ou PS são gémeos siameses no gastar os impostos dos Alpiarcenses.
Quem diz que a Câmara paga a conta do supermercado aos romenos, eu digo: os ALPIARCENSES contribuintes pagam o avio na Maxi Loja a essa gente.
Claro que aos contribuintes ninguém lhes pergunta se acham bem que os seus impostos sejam aplicados dessa forma.
Embora NENHUM dos partidos tenha posto no seu programa que ia subsidiar ESTRANGEIROS com o dinheiro dos contribuintes o que é certo é que o fazem.
E se alguém lhes chamar a atenção, acham-se mandatados pela votação autárquica, como se o mandato dos cidadãos lhes desse o dinheiro de utilizar dinheiros públicos em NÃO CONTRIBUINTES.
O próximo passo, é legalizarem-nos, concederem-lhes a cidadania portuguesa e em troca essa gente votar em quem lhes permite viver sem trabalhar,
Depois alguns ainda tecem loas ao pós 25 de Abril.
Mas alguém acha que noutros tempos os governantes teriam a coragem de fazer os portugueses passar fome para dar aos romenos?
Repito: nem tudo antes era mau, nem agora tudo é bom.
De uma coisa tenho a certeza: a actual classe politica é  muito mais desonesta do que as anteriores e não se importa de colocar  toda a população na miséria desde que eles e os "seus" fiquem ricos. 
 Noticia relacionada:
 "Câmara é que paga a alimentação aos “romenos” que...":

Dia Mundial da Criança - 1 de junho de 2012


Estaremos cá para ver a posição da Câmara Municipal da nossa terra


Neste País de corruptos é muito fácil endividar as Câmaras Municipais, sustentar gabinetes sem razão de existência, como alguns funcionários que nada fazem para justificar o seu ordenado, uma vez que somos nós os contribuintes que somos asfixiados todos os dias com mais impostos. 
Prova o acordo do Governo com a Associação de Municípios, que obrigará a cobrar tarifas máximas como do saneamento básico.
Estaremos cá para ver a posição da Câmara Municipal da nossa terra.

Câmara deve ser “transparente” e informar devidamente a população para evitar “futuros conflitos”


“A Câmara Municipal de Alpiarça assinou um protocolo de colaboração com a Sociedade Gestora do Fundo de Investimento Imobiliário Fechado para Arrendamento Habitacional Solução Arrendamento (FIIAH), o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P. (IRHU) e o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P. (IGFSS). Esta medida, no âmbito do “Mercado Social do Arrendamento”, prevê disponibilizar habitações com rendas 30% abaixo do valor de mercado. Pretende-se, desta forma, possibilitar o arrendamento a famílias que atualmente têm rendimentos que não lhes permitem beneficiar de apoios sociais, mas em contrapartida baixos para acederem a créditos bancários para aquisição de habitação.
No concelho de Alpiarça serão disponibilizadas 20 habitações, cabendo ao Município indicar ao FIIAH os candidatos aos imóveis para posterior confirmação e validação das candidaturas. Esta medida, no âmbito do “Mercado Social do Arrendamento”, prevê disponibilizar habitações com rendas 30% abaixo do valor de mercado. Pretende-se, desta forma, possibilitar o arrendamento a famílias que atualmente têm rendimentos que não lhes permitem beneficiar de apoios sociais, mas em contrapartida baixos para acederem a créditos bancários para aquisição de habitação. No concelho de Alpiarça serão disponibilizadas 20 habitações, cabendo ao Município indicar ao FIIAH os candidatos aos imóveis para posterior confirmação e validação das candidaturas. (ler a noticia completa em: Município de Alpiarça adere ao Mercado Social de Arrendamento)

 “20 habitações” estas que, segundo consta, situam-se na “Urbanização dos Gagos” já que uma das “Torres” foi sujeita recentemente  a obras de conservação para se destinarem a  “aluguer ou venda”.
No entanto tornado público que foi a assinatura do “protocolo” os actuais residentes do espaço começaram a ficar  a preocupados porque pensam que tais habitações serão prioritariamente destinadas às “imensas famílias romenas que habitam em Alpiarça”.
 A presença de romenos no espaço habitacional “incomoda e assusta” quem lá reside de tal forma, como nos disse um dos moradores  que a ser “verdade a presença dos romenos” a primeira coisa que fará é “vender o andar” em que reside porque de maneira alguma está “disposto a conviver num ambiente que possivelmente poderá acabar no desordeiro”.
Os moradores não “vêem com bons olhos a ocupação de várias habitações serem alugadas a que não reúne condições sociais”.

Respingando parte  da noticia recentemente aqui publicada (URBANIZAÇÃO DOS GAGOS: Um espaço bem cuidado) onde consta que a “urbanização com poucos edifícios mas onde se pode desfrutar das suas pequenas zonas verdes que apresentam um cuidado primoroso no seu tratamento como uma permanente manutenção dos espaços envolventes para além de não haver problemas de estacionamento e onde a paisagem do “campo alpiarcense” encanta quem visita o espaço pela primeira vez” permitir a ocupação de parte da mesma com forasteiros (romenos) mais não será que uma aberração e uma “ofensa” para com quem já lá vive, já que comprou a sua habitação para viver em sossego.

Curiosamente e após publicadas as noticias neste jornal (Município de Alpiarça adere ao Mercado Social de Arrendamento como ainda: URBANIZAÇÃO DOS GAGOS: Um espaço bem cuidado) e divulgadas na nossa página do Facebook (https://www.facebook.com/jornal.alpiarcense) com a publicação de fotografias da Urbanização vários tem sido os leitores e leitores, especialmente jovens, que nos tem perguntado se as mesmas “são para alugar ou vender e qual o preço” para os esclarecermos que "devem apresentar tais questões à respectiva autarquia".

Para que se possam evitar futuros conflitos ou desentendimentos graves e prejudiciais para o concelho ficaria bem que a autarquia esclarecesse de forma elucidativa as duvidas que atormentam os actuais residentes como os informasse de que tais habitações não serão para alugar a emigrantes e muitos menos a que vive de subsídios estatais mas sim a quem tenha capacidade de honrar os seus compromissos como conviver numa “pequena  e pacata comunidade” como é a "Urbanização dos Gagos”.

A não ser feito as dúvidas continuam a persistir

Câmara é que paga a alimentação aos “romenos” que vivem em Alpiarça?

Acabamos de receber uma informação de um leitor onde nos dá conta que “vários romenos estão a abastecer-se de produtos alimentícios na ‘Maxi-Loja” e debitam numa “conta especial o valor das compras” para depois a gerência do estabelecimento apresentar a conta à “Câmara” já que é esta que paga todas as compras efectuadas pelo “romenos residentes em Alpiarça”.
Em tom de “irritação” acrescenta-nos o mesmo que não “aceita de forma alguma esta situação porque que não  condiz com as necessidades de outros residentes e naturais de Alpiarça que não tem qualquer ajuda de outras instituições e muito menos da Autarquia que deveria ajudar os alpiarcenses e não quem já recebe vários subsídios do Estado”.

Diz-nos ainda que no meio desta “balbúrdia toda, outros romenos vindos de outras localidades aproveitam-se da situação” como não compreende a “Câmara estar a pagar a alimentação com o dinheiro dos contribuintes que nem são informados do que estar a acontecer”.  Não fosse o leitor alertado por “alguém que assistiu ao exposto, nem acreditaria no que está a acontecer”
Termina o leitor com uma pergunta de indignação: “mas como isto é possível estar a acontecer em Alpiarça onde residem várias dezenas de romenos e onde alguns não interessam a ninguém porque são uns malfeitores e uns parasitas da sociedade? Como é que a Câmara sustenta e ajuda este tipo de gente silenciando-se como nada esteja a acontecer quando não vemos algo do género noutros concelhos vizinhos?”.
Porque o assunto é sério demais e não podemos confirmar a informação que nos foi prestada pelo leitor solicitamos a Mário Pereira, presidente da Câmara, por via do Gabinete de Comunicação que nos informasse da veracidade dos factos.
Logo que nos chegue a confirmação ou algum esclarecimento o mesmo será publicado.

URBANIZAÇÃO DOS GAGOS: Um espaço bem cuidado

A “Urbanização dos Gagos” esteve durante alguns anos praticamente entregue ao abandono ou esquecimento mas agora dá gosto vê-la dado o cuidado que mereceu por parte da entidade responsável pelos jardins e espaços verdes de Alpiarça, a Junta de Freguesia.
  Uma urbanização com poucos edifícios mas onde se pode desfrutar das suas pequenas zonas verdes que apresentam um cuidado primoroso no seu tratamento como uma permanente manutenção dos espaços envolventes para além de não haver problemas de estacionamento e onde a paisagem do “campo alpiarcense” encanta quem visita o espaço pela primeira vez.
  O gosto de viver na Urbanização dos Gagos tem levado a que alguns dos seus residentes começassem também a preocupar-se com a manutenção dos espaços verdes como manter a zona limpa. Cuidar, proteger e propiciar os meios para que tudo e todos tenham condições para viver.
A “Urbanização dos Gagos” é um espaço bem cuidado onde dá gosto viver
Fotos: «CMA»

Governo exige impostos e taxas no máximo a câmaras em ruptura

 Após meses de negociação, Governo e Associação Nacional de Municípios chegaram a acordo. O spread exigido é muito vantajoso, mas câmaras serão obrigadas a exigir o máximo aos seus munícipes.
O Governo quer obrigar as cerca de 70 autarquias em situação de ruptura financeira a aumentar todos os impostos municipais e taxas para níveis máximos, como condição para aceder à linha de financiamento de mil milhões de euros destinada a pagar as suas dívidas de curto prazo. O acordo foi ontem firmado entre o Governo e a Associação Nacional de Municípios e estabelece ainda que, para se candidatarem, as autarquias devem desistir de processos que tenham interposto ao Estado.
«JN»

BE: ideias para resolver os problemas


Em sessões abertas ao público, para discutir assuntos de interesse geral e onde todos podem colocar as suas opiniões, não há "espiões"...
Argumentemos e discutamos seriamente e com respeito as nossas opiniões e encontraremos, certamente, as melhores ideias para resolver os nossos problemas

No Bloco de Esquerda há  o orgulho de se  manter uma postura de total abertura perante as populações.
Em Alpiarça também não será diferente.
Contem connosco
Notícia relacionada:

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Alpiarça recebeu prova de Atletismo do programa “Mais Lezíria”

No passado sábado a Nave Desportiva de Alpiarça recebeu a prova “Mega Lezíria”  do programa Mais Lezíria lançado em 2010 pela Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo.

Depois de uma fase concelhia apuraram-se os representantes de cada concelho para realizarem as provas na fase regional. Cada criança participou numa prova das quatro que constavam no programa:  Velocidade (40m), Salto em Comprimento, Lançamento do Vortex e 400m Resistência.
Estiveram presentes 10 concelhos, Alpiarça, Almeirim, Azambuja, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior e Salvaterra de Magos e cerca de 250 crianças.

Todas as crianças receberam uma lembrança  e um lanche. No final teve lugar a entrega de prémios com a presença do presidente da Câmara de Alpiarça e Vereador do Desporto.
Esta atividade contou com a colaboração da Edutec e da Secção de Atletismo do CDA.
«CMA»
 

Casa dos Patudos e Câmara Municipal recebem Menção Honrosa dos Prémios SOS Azulejo 2011

A Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça foi agraciada com uma Menção Honrosa na área de Intervenção e Restauro, no âmbito do “Projecto SOS Azulejo”.
O trabalho apresentado intitulado Estudo e Intervenção/recolocação de painel de azulejos intitulado Cenas Agrícolas da Quinta dos Patudos conforme plano e edifícios originais, viu o reconhecimento da Comunidade Científica do esforço da equipa da Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça e da Câmara Municipal de Alpiarça na preservação e no estudo do acervo do museu.
O trabalho apresentado tem por base o painel pintado por José António Jorge Pinto, na Fábrica Constância, entre 1905 e 1906. O figurino do painel é baseado em fotografias dos trabalhos agrícolas da Quinta, tiradas por José Relvas nos finais do Século XIX, representando temáticas variadas, desde a representação do seu feitor (Filipe Ribeiro) e dos trabalhadores na colheita dos cereais, ao transporte de vinhos via fluvial, e do gado – suíno e bovino.
Este painel fora retirado da parede aquando da conversão da casa em museu (15 de maio de 1960) para facilitar o percurso museográfico. Recentemente, após obras de requalificação, foi considerado pertinente voltar a colocar o painel no seu local original, procurando uma alternativa ao percurso até então estabelecido e, ao mesmo tempo, repor os circuitos tradicionais da Casa dos Patudos.
Os Prémios SOS Azulejo, que foram instituídos para distinguir as instituições e individualidades que se distinguirem na salvaguarda do património azulejar em risco, tiveram nesta edição como momento mais alto da cerimónia a entrega do Prémio extra concurso ‘Obra de Vida' à artista plástica Maria Keil (hoje com 97 de idade) e a homenagem que lhe foi prestada através de um filme sobre a sua obra.



«CMA»

FISCO: Tribunal do Porto declara ilegalidade da cobrança de IMI por erro formal

O Tribunal Fiscal do Porto declarou que há um erro formal nas notas de liquidação do IMI, o que pode pôr em causa a receita fiscal relativa a sete milhões de imóveis, segundo o advogado que defendeu o caso.
Pedro Marinho Falcão disse à Lusa que o tribunal considerou que a nota de liquidação que os contribuintes recebem é "insuficiente" porque "não explica a origem do valor que está ser cobrado", o que pode levar à anulação da liquidação do IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis).
"Se houver mais contribuintes a queixarem-se pode estar em causa a cobrança de imposto de cerca de sete milhões de imóveis em Portugal porque as notas de liquidação são todas iguais", acrescentou o fiscalista.
« Lusa»

A opinião dos leitores

A comentadora das 13.49 ("Desapareceu a Honra, a Palavra, a Dignidade, a Ide...":) poderá (ter em parte) alguma razão, em minha opinião. O grande problema para esta leitora parece ser o facto de só uma vez por semana poder ler o Jornal Alpiarcense. Como o JA está diariamente a ser actualizado, é difícil manter as notícias locais, por mais importantes que sejam, em primeira página, como compreenderá. A menos que se faça do JA apenas um semanário a contar com os leitores de fim-de-semana - passe a ironia.

Por outro lado, num jornal de carácter regionalista, é de louvar a coragem na abordagem de temas que não são muito visíveis noutros órgãos de informação. Se me perguntarem porquê, eu não saberei responder.

Fica a minha modesta opinião enquanto leitor. 



POLITICA: Os Gregos e Lagarde, Os Portugueses e a Troika, Os Angolanos e José Eduardo dos Santos….Enfim o Mau Perder do Poder!



·Detesto os púdicos, os falsos “sérios”, os falsos “crentes”!
 Como Cidadão simples e banal, já tive que me atrasar no pagamento dos impostos e já tive de os pagar com multa, como Cidadão simples e banal, esforço-me seriamente por não mentir, e tenho conseguido manter uma muito aceitável performance nesta matéria, mas já errei, claro que sim, como Cidadão simples e banal, já tive de dizer que a minha Crença em Deus me leva a dizer que para com Ele não necessito de intermediários, mas infelizmente já os utilizei claro!
 Enfim, como disse esse revolucionário avant la lettre, Jesus Cristo, quando o quiseram entalar junto do Poder , “A César o que é de César e a Deus o que é de Deus”, pelo que há que pensar que sim que temos de pagar as nossas dividas, que sim, que temos de pagar os nossos Impostos, mas que Não, que por elas e eles Não temos de nos chicotear em tom de castigo divino!
 Há quem o faça, há quem se chicoteie, há quem use cilícios, e perante esses eu, mesmo não gostando,  só digo seguindo um versículo da Bíblia, “Tudo te é Permitido Nem Tudo te é Aconselhável!”, mas o que te é aconselhável não é obrigatório que o seja para o Outro!
 Eis porque as conversas de generalização, à Lagarde,  tendem a dar mau resultado…
 A senhora Lagarde achou por bem dar “uma palmadinha no rabinho” dos gregos porque estes, segundo ela, que era o que ela queria dizer na verdade,  deveriam apoiar os partidos pró pagamento da divida, e não o Syryza, dizendo que os gregos não pagavam Impostos e por isso mereciam ser penalizados.
 Eu, pessoalmente, também preferia que os gregos voltassem a votar massivamente no PASOK, (nunca na Nova Democracia, o partido que empurrou a Grécia para este caos e que se tem mostrado tão ou mais sectário que o Syryza), eu nunca faria a idiotice de apoiar um abaixo assinado de apoio ao Syryza, mas tal é somente a minha opinião, tanto tal é a minha opinião quanto é achar que cabe aos Gregos decidir a via que entenderem adequado para o seu país, pelo que se a maioria dos gregos votar no Syryza direi somente, escolheram como é do vosso direito.
 Lagarde, a troika para os gregos, e a Comissão Europeia, andaram a fazer campanha contra o PASOK, na altura não se preocuparam com o Syryza, e a factura está à vista – o Syryza pôs o PASOK sem capacidade de intervenção por ter ficado em terceiro lugar!
 E o Syryza ganhou ao mesmo tempo que a Nova Democracia não ganhou!
 A senhora Lagarde terá ficado despeitada, e, por isso, reagiu com o poder que pensa que tem, atacando “os gregos” por não pagarem Impostos!
 Deveria então ter falado “dos americanos” que não pagam impostos, “dos alemães” que não pagam impostos, “dos franceses” que não pagam impostos, das ditaduras africanas que não pagam nada ponto final, deixando os seus Cidadãos, que dizem representar, a morrer à fome, etc.!
 E então teria razão – quem não paga impostos merece castigo, e Lagarde deveria ter assumido que os paraísos fiscais, onde assentam todas as grandes fortunas que não pagam impostos, deveriam ser proibidos e fortemente penalizados pela ONU, pelo FMI, e que o Combate ao Branqueamento de Capitais, que felizmente se tem vindo a reforçar, se deveria concentrar também nas fugas aos Impostos das Grandes Fortunas!
 Já referi variadas vezes que parte importante das fortunas portuguesas dos 3 grandes, representados na FORBES, entre os 800 mais ricos do Mundo, resultam precisamente da fuga aos impostos, por via de truques contabilísticos inaceitáveis!
 Os Gregos zangaram-se com a senhora Lagarde?
 E fizeram bem, pois os que fogem aos Impostos na Grécia, por muitos que sejam, são uma nuvem perante os muitos que os pagam e merecem outro respeito!
 Em Portugal a situação é diversa, sendo idêntica.
 Em Portugal os capatazes da senhora Lagarde insultaram os Portugueses e os aqui Residentes com um argumento na minha opinião bem mais insultuoso – para superarem a Crise os Portugueses e os aqui Residentes merecem  vejam os seus salários reduzidos, (alem de tal suceder já por via do aumento dos Impostos), para que hajam Investimentos estrangeiros  em Portugal, e assim se recupere a economia, em queda porque o Desemprego, e o aumento dos Impostos, está a reduzir drasticamente o Mercado Interno Português e, por isso, o numero de empresas em Portugal!
 Mário Soares foi bem agressivo perante este comportamento dos da troika em Portugal e muito bem!
 Infelizmente poucos foram os que o acompanharam.
 Já em Angola, os capatazes da senhora Lagarde parabenizaram um governo que nem se interessa que os seus Cidadãos paguem Impostos, porque tal obrigaria o regime a reconhecer que, vivendo como vive da fatura petrolífera, à custa da mesma está a enriquecer brutalmente uns tantos, para que a imensa maioria dos Angolanos vivam com uma colher de funge, mesmo não pagando Impostos.
 Ao que  parece, tal inexistência de pagamento de Impostos pouco importou aos capatazes da senhora Lagarde que visitaram e auditaram o Estado Angolano, que, diga-se de passagem e em abono,  tem vindo a cumprir cada vez mais as regras internacionais, por exemplo no negócio petrolífero, mas ultimamente tem vindo, também, a cumprir cada vez menos a implementação dos Direitos Humanos, agora até  “contratando” brutamontes que espancam pacíficos manifestantes contra o regime de Angola, mesmo quando eles já se encontram em sua casa!
 O Poder, quando tem dois pesos duas medidas para a mesma situação perde a Face, e é o que está a acontecer na Grécia, dados os maus exemplos que esse Poder dá em Angola, na República Popular da China, na Malásia, etc.!
 E este Mau Perder do Poder nada de positivo transmite aos simples Cidadãos que cumprem, diga-se!
Por: Joffre Justino