.

.

.

.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Onde chegam os romenos fica tudo sob o seu controlo e, no fim, deixam garrafas e latas de bebida por tudo o que é sítio para depois os "lacaios" locais irem recolher e limpar


A população de Alpiarça, não toda naturalmente, sabe que não foi só do campo de futebol do Casalinho que os romenos se apoderaram, talvez movidos pelo slogan: “o campo é de quem o domina.” Onde eles chegam tudo fica sob o seu controlo e, no fim, deixam garrafas e latas de bebida por tudo o que é sítio para depois os "lacaios" locais irem recolher e limpar. Se for preciso indicar os sítios onde isto acontece, é só perguntar. A verdade é que a malta nova da comunidade imigrante em idade de trabalhar é aos magotes rua acima rua abaixo, certamente para matar o ócio e esticar as pernas...sim, porque com a saúde não se brinca! Aparentam andar bem nutridos e ataviados, graças a Deus e...talvez aos nossos impostos. Não gostam muito de misturas! Cada um no seu canto e “mister”. E se assim é, a vida parece não estar má para toda a gente, como dizem. É bom para o comércio local; é bom para quem tem casas para arrendar; canaliza dinheiro dos impostos gerados para a autarquia de Alpiarça; contribui para o aumento do índice demográfico do Concelho, (filhos, são como saca-rabos! – como diz o meu vizinho Marcolino) que é o mais baixo de sempre e que por via disso, irá originar, a médio prazo, futuros quadros técnicos, quiçá direccionados para empresas a implantar na zona e outras forças de trabalho necessário ao desenvolvimento do município. Em suma, Alpiarça só tem a ganhar com esta força laboral que nos caiu do céu, como maná. Mais, reforça e consolida a ideia da nossa hospitalidade, da nossa solidariedade, da nossa vocação de bem-receber e, tudo aquilo que imaginar se possa.
E agora digam lá se não somos mesmo gente porreira, hospitaleira e com visão de futuro
Noticia relacionada:"Os “ciganos romenos” que só sabem viver do expedi...": 

9 comentários:

Fernanda Alves disse...

Fernanda Alves:de Alpiarça Senhor António Centeio aqui é a mesma miséria, não ha nada que fazer, poem-nos à porta e eles entram logo pela janela, e como diz o senhor, ocupam terrenos e deixam tudo sujo
Facebook

Diogo A D Agostinho disse...

Diogo A D Agostinho: Já disse a um o ano passado que tinha de sair do quintal da minha casa... curiosamente falei com os punhos e pés e ele soube bem falar português "...Policia...Policia..." Não os levem daqui e depois chateiem quem "falar" com eles numa linguagem mais apropriada para esta gente . . .
(Facebook)

Amilcar Presuncia disse...

Amilcar Presuncia Quem será que pode fazer alguma coisa? ????

Fernanda Alves de Alpiarça o gouverno da Roménia que os deixa na miséria,


Amilcar Presuncia As coisas devia de ser controladas e não como tem sido os portugueses quando emigram não é logo a receber da segurança social mais filhos melhor e sem trabalho toda gente sabe disso

(Do Facebook)

Maria Silva disse...

Maria Silva: Não podem ser colocados todos na mesma medida. Há bons e maus. Há uns a explorarem e outros a serem explorados.
Há uns que deixam tudo sujo mas conheço casos onde limparam e arrajaram uma casa abandonada
(Facebook)

Anónimo disse...

Alpiarça já foi uma terra sossegada e ordeira, mas a algum tempo a esta parte e em nome da tolerância (para os outros) passou a ser um inferno onde os politicos e uma certa esquerda parecem ignorar aquilo que está è frente dos olhos de todos.
Quabdo forem despojados tudo ficará cada vez pior salvo as reformas dos ditos que não irão preciar de quem os defenda ou protega
Como podemos confiar na CDU, no PS e no TPA se nenhum dá a sua opinião?
Claro que Francisco Cunha e o seu Gabinetes de Estudos não opina porque poderá ser prejudicado nas urnas.
Nada então para esta gentalha partidária manter-se no silêncio.
Valha-nos a GNR de Alpiarça para colocar estes parasitas na ordem.Pena é não poder fazer o mesmo para a esquerda e a direita alpiarcense

Maria Silva disse...

Maria Silva: Qualquer emigrante prefere estar no seu país. E a fome a miséria e a vontade de uma vida melhor que faz as pessoas emigrantes. Falei com um casal o de toda a família país mães morreram com fome vieram para portugal porque aqui há comida. Preocupa-me é haver seres humanos com fome e preocupa-me a nossa segurança social a esgotar recursos
(Facebook)

Anónimo disse...

Não pensem que vão ter aqui a opinião dos nossos políticos sobre esta matéria. Ninguém quer assumir esse risco e ser politicamente "assassinado" pelo facto de ter sido sincero e dizer o que pensa. Tal é a hipocrisia que reina sobre um assunto que alguns etiquetaram de TABÚ e como tal indiscutível.

Anónimo disse...

Sim sem dúvida! Afinal os todos os políticos sabem bem quais as causas do desequilibro ambiental que reina na águas da barragem: excesso de nutrientes vindo das toneladas de engodo colocado pelos pescadores ao longo dos anos. Propor a proibição da sua utilização futura em prol da saúde de todos. E quem o faz no espaço político alpiarcense? Ninguém, claro!!! Lá se iam uns votos...
Todos ficavam a ganham, até mesmo o desporto mais amigo do ambiente, além de criar uma situação de maior igualdade competitiva, menos custos, etc.

António Jorge disse...

Se tiverem contracto de trabalho, passaporte válido e visto de residência, podem ficar pois estão a descontar como as pessoas normais... Caso contrário... ala para os países deles... que isto aqui não é a Santa Casa da Misericórdia...