.

.

.

.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Junta de Freguesia não sabe o que fazer com o “Cemitério Velho”

Fernanda Cardigo, presidente da Junta de 
Freguesia de Alpiarça
Já António Moreira, então presidente Junta de Freguesia (JF) pelo PS,  nos dizia que havia ideias para o espaço do “Cemitério Velho” mas tudo continuava pendente por causa das “dos poucos jazigos que lá estão”  e continuarão a estar, cujas transladações a Junta  na altura da gestão socialista não tinha verbas para tal ( nem tem).
Em Janeiro de 2010 anunciava este jornal que  a ” Junta de Freguesia pretende resolver o problema do Cemitério Velho”. Para tal “está a contactar os herdeiros do jazigos que ainda existem no cemitério velho de forma a que estes cedam os registos dos jazigos para nome da junta a fim de que esta possa, depois na qualidade de proprietária dos mesmos, candidatar-se a verbas comunitárias de forma a que obtenha apoios suficientes para que possa transladar para o Cemitério do Vale da Cigana todas as ossadas existentes no antigo cemitério".
Um problema que se arrasta há longos anos e que não há meio de estar resolvido por falta de capacidade, quer hunanas quer financeira.
Saliente-se que actualmente a "Junta de Freguesia de Alpiarça não tem capacidade económica para fazer qualquer transladação visto que são milhares e milhares de euros que são precisos para levar a efeito as transladações para além das dificuldades e falta de interesse que alguns herdeiros apresentam quando este órgão concede dois terrenos gratuitos no “Vale da Cigana” para quem transfira as ossadas existentes na Rua Silvestre Bernardo Lima, local onde se situa o velho cemitério” e como tal os problemas vindos do tempo do socialista António Moreira mantêm-se.
Em Outubro de 2012 JOANA SERRANO então Presidente da Junta de Freguesia de Alpiarça dizia a este jornal  que “ estava a cargo da JF” entre outros “a manutenção do Jardim Municipal, Jardim D. Dion, Jardim da Igreja e todo o espaço exterior e interior do cemitério novo. E também o espaço interior do cemitério velho”
Tudo continua na mesma sobre a questão do terreno do “cemitério velho
Jornal alpiarcense  confrontou,  com algumas questões, Fernanda Cardigo , presidente da Junta de Freguesia de Alpiarça, para saber o pensa fazer sobre o terreno do antigo cemitério, mas a eleita pela CDU recusou-se a prestar-nos qualquer esclarecimento  levando-nos a crer quer se sente incapaz para resolver aquilo que os seus antecessores também não conseguiram.


6 comentários:

Anónimo disse...

Não desfazendo da Fernanda que é boa rapariga, mas a Junta só serve para andar nas caiações, nas pinturas e nas limpezas, algumas mal feitas. Quanto a ideias ou concretizações, como esta do terreno do cemitério, já exige outras capacidades que não está ao alcance da presidente e de outros membros da Junta.
Pela Junta se pode ver a Câmara que também não consegue fazer o quer que seja e muito menos fazer a recolha do lixo como pode ser confirmado e visto em algumas fotografias que já foram publicadas

Marina Cristovão disse...

Marina Cristovão: Porque nao sao as familias a faze lo? Na minha opiniao ate la podiam continuar as ossadas pois tira se de um lado para encher o outro de que serve... existe mais coisas que podiam ser feitas no local em questao e com muito menos custos...
(Facebook)

Anónimo disse...

A Junta de Freguesia de Alpiarça que nada tem ou consegue fazer de útil podia fazer alguma coisa com utilidade. Por exemplo: lançar uma “Campanha de Cal” e oferecer cal para os proprietários para caiarem as paredes de forma a que Alpiarça tenha outra apresentação porque só se vê é paredes velhas e sujas que precisam mais de ser caiadas do que é preciso dinheiro para a Junta. Talvez a senhora presidente não saiba, mas durante alguns anos o ex-presidente Armindo Pinhão dava (de graça) cal a quem a pedisse para caiar as fachadas. Nestes tempos de pobreza autárquica ainda se faziam obras e cuidava-se do património. Agora está tudo entregue ao desleixe. Basta ver (por cima do posto da GNR) o estado em que se encontram as cortinas das janelas de ex-repartição de finanças. SIMPLESMENTE UMA VERGONHA, porque estão todas queimadas do sol e ninguém tem o desplante de as tirar.

António Jorge disse...

E que tal um campo de futebol fechado tipo soccer indoor? Sempre tinha mais afluência do que o Maracanã do Casalinho ...

Anónimo disse...

Ou aproveitar o pavilhão da feira e fazer um karting indoor? Mas isso são desportos capitalistas... È preferível o pavilhão estar perto de 360 dias fechado do que ter a coragem e audácia de inovar. Além disso os velhotes e o "movimento associativo" comunista não é dessas coisas.

António Jorge disse...

Era uma excelente dia, caro comentarista das 00.18h. Lembro-me de ir perto da entrada do Frade, andar de Kart, numa pista que era aqui de um Alpiarcense. Acho que ele está ou estava emigrado em França... Era mesmo muito boa idea. Rentabilizava o Moto Clube e até o Cadimas...